Medo, respeito, companheirismo

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Medo, respeito, companheirismo

·        José Ricardo


O Sergeant Mike estava em casa, tentando curtir o dia de folga. Procurava esquecer do serviço. De repente, o interfone tocou. Sua esposa atendeu.
- Oi.
- É o Soldier Bumark quem tá falando. É da casa do Sergeant Mike?
- Sim. Você quer falar com ele.
- Quero. O captain pediu pra dar um recado pra ele.
- Abri o portão. Pode entrar.
A esposa chamou Mike.
- Levanta aí que Bumark tá querendo falar com você. Disse que é recado do captain.
Mike levantou-se da cama com a cara toda amarrotada. Apesar das circunstâncias, não sentiu raiva por estar sendo incomodado em seu horário de folga; já havia se acostumado com isso. Abriu a porta.
- Entra, Bumark. Aceita um café?
- Não, sergeant. Eu só vim dar um recado do captain. Ele disse pro senhor fazer o relatório.
- Relatório?
- Ele disse que o senhor sabe o que é.
- Ah, é verdade. Achei que ele não estivesse com pressa. Beleza. Entra aí, vamos tomar um café.
- Não não, sergeant. Eu vim só pra dar o recado. Desculpe ter incomodado o senhor.
- Esquenta não.
- Eu vou lá então, sergeant.
- Beleza. Obrigado.
Bumark se foi.
A esposa de Mike, sem querer, ouviu a conversa dos dois e algo lhe chamou a atenção.
- Amor, parece que Bumark estava com medo.
- Você achou?
- Achei. Ele formou tem pouco tempo?
- Tem. Acho que tem uns dois meses que ele formou.
- Você também era assim quando se formou?
- Assim como?
- É... Com medo dos superiores?
- Era. Talvez até mais. Na verdade, eu nem gosto de lembrar do meu curso de soldado. Saí de lá com ódio e medo.
- Você ainda tem medo?
- Agora, não, mas durante um bom tempo eu tive. Com o passar dos anos, fui vendo que muita coisa que acontece nos cursos são mera encenação. Um teatro. Também eu fui vivenciando certos fatos e percebendo determinadas situações que me fizeram perder até o respeito por alguns superiores. Restou apenas o militarismo. Continência, senhor, meia-volta, permissão para entrar no recinto. Tudo encenação. Se você encarar de forma diferente, você se inferioriza, diminui a si mesmo. Se me tratarem mal, eu trato mal também. Se gritarem comigo, eu grito também. Eu nunca fiz, mas se for preciso, se me tratarem com ignorância, eu mando até pra #$%$#()*&#@! Vou preso, eu sei. Se eu trato todo mundo com educação, porque vão querer me tratar com estupidez?
- O que acontece nos cursos da Military Police pra vocês saírem de lá assim?
- O cara tem duas opções. Ou pede baixa, ou aceita as idiossincrasias dos instrutores. Se você não pede baixa, você tem que aceitar. Certa vez, antes de ir para o curso de sergeants, um lieutenant disse pra mim e pros outros militares que estavam fazendo o TAF para ingresso no curso: “Vocês vão ter que engolir muito sapo. Faz parte.”
- E aí?
- Aí que, ou você aceita os sapos, revoltado e com ódio por dentro, ou pede pra sair. O que você escolheria?
- Depende?
- Você vai perder o emprego ou o aumento do salário proporcionado pela promoção? Então, não tem muita escolha. Tem que engolir os sapos durante o curso...
- Verdade.
- Triste verdade! Eu não acho que isso seja bom. Por exemplo, quando eu chego ao quartel, os cables e soldiers se levantam para me prestar a continência regulamentar. Eu não gosto disso; me sinto mal, porque sei que é tudo encenação, um grande teatro. Eu gosto é de chegar, cumprimentar o pessoal, brincar... O ambiente fica melhor. É até difícil para conversar com uma pessoa se ela toda hora fica me chamando de senhor. Fica parecendo que ela é realmente inferior, algo que não é verdade. Somos todos iguais, independente de graduação ou posto. O que deve existir é o respeito e, acima de tudo, o companheirismo. O principal é o companheirismo. Eu tenho que respeitar o soldier, assim como ele tem que me respeitar, porque é ele quem me salva nos momentos de dificuldade. Ninguém é melhor do que ninguém neste mundo. Uns e outros, para se acharem melhor, inventam teorias ou enganam a si mesmo utilizando-se de entidades abstratas como a aprovação em um concurso, o sofrimento de um curso, insígnias reluzentes no ombro ou na manga da gandola...
- Pra gente que é de fora, tudo parece muito estranho.
- Tentam justificar essa estranheza sob o argumento da hierarquia e disciplina, pilares da instituição - Mike sorri. Depois continua. - Por acaso não existe hierarquia e disciplina em grandes empresas como a Vale, a Petrobrás, a Volkswagen, a Fiat, a Ford, e muitas outras empresas e organizações? Claro que existe, só que de forma diferente. Eu tiro o exemplo do meu pai. Nunca vi ele chamar nenhum chefe de senhor, mas nem por isso ele os trata com desrespeito. Ele até parece ser amigo de muitos.
- Você acha que isso vai mudar um dia?
- Sei lá... Se nada muda, nada muda! Alguém tem que dar o primeiro passo.


Nota: Esta é uma obra de ficção. Qualquer semelhança com fatos reais é mera coincidência.

"É livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença” - Inciso IX do artigo 5º da Constituição Federal.



Gostou desta postagem? Então cadastre-se AQUI para receber as atualizações do Universo Policial no seu e-mail ou no seu agregador de Feed/RSS.

16 comentário(s):

Anônimo disse...

muito interessante e resolvi postar no orkut ..;.parabéns pelas postagens...abração a todos.

José Ricardo disse...

Companheiro, você poderia nos informar em qual comunidade você postou o texto.

Anônimo disse...

postei na comunidade policia militar de minas gerais...parabéns pelo texto.

Anônimo disse...

Fica aí a pergunta. Como pode um profissional de segurança que saí de um curso de formação com medo do superior combater o crime, prender, tirar direito de ir e vir de alguém, se ele foi ensinado a temer a mais do que respeitar seu chefe ? Será que lá na Polícia Federal e ou na Policia Rodoviaria Federal, a formação tem essa base? Com certeza que não, pois nao assistimos nenum deles tirar um serviço que um simples porteiro pode fazer desmerecendo a classe e até mesmo a sua formaçao. Acho isso lamentável pois quem perde é a sociedade.

José Ricardo disse...

É exatamente esta a mensagem do texto. Faço as mesmas perguntas que você.

Anônimo disse...

MILITARISMO!!!!
Na minha opnião existe o militarismo "autoritário" e o "liberal".
Militarismo autoritário não impõe respeito,muitas vezes é antidemocrático,e por onde é exercido esse
seguimento,deixa um rastro de raiva,medo,indignação.
Militarismo liberal, esse sim,é justo,impõe respeito.

Uma ideologia seja ela,profissional ou pessoal,deve sempre ter como vertente principal,a DEMOCRÁCIA,pois a democrácia é sinônimo de socialização,e função de um militar é socializar-se com a população para defendé-la.

Por isso a PM,deveria ás vezez esquecer-se do tal militarismo,e,agir pensando mais na segurança da população.

Anônimo disse...

parabêns pelos seos comentários, gostei muito.eu sou sub-ispetor da guarda municipal de boa vista RR.Eu procuro ser amigo de todos os meus subordinados,mais sempre ambos com respeito, a té porquer na ora q eu presisar concerteça eles estarão do meu lado.

Anônimo disse...

os mais esclarecidos e intelectuos poderiam responder porque os policiais nao tem armamento proprio,porque cortaram o plano de armas,sendo este uma oportunidade do militar de se proteger tambem da criminalidade,ja que somos pais e temos familiares,somos humanos e temos familia,temos que pensarmos em nós tambem e nao so ficar correndo atras de criminalidade nao,desse jeito a gente nao vive vegeta policia 24 horas ate quando maquinas tambem descansam pensem colegas e reflitam

Anônimo disse...

a classe de praças é muito castigada,porque temos colegas e que se assim dizem,é que eles mesmos nos ferram,com atitudes impensadas,atos desordeiros,dizem que somos profissionais de segurança publica mas na verdade somos amadores de segurança publica,somos mal preparados,sabem porque,os nossos dirigentes nao se preocupam com a parte fisica dos componentes da empresa policia militar,PORQUE SERA QUE OS BATALHOES NAO TEEM ACADEMIAS DE GINASTICA para melhor condicionar o amador profissional.

Anônimo disse...

tem uma frase no regulamento que fala que o policial tem que se condicionar por conta propria,isto quando o estado nao fizer sua parte e que nunca fez e nem vai fazer,porque sera que nao assistem loucademia de policia,verao que ate nos filmes,as academias de policia,tem aparelhagem de ginastica que nao é tao cara,ate os presidios tem,porque a policia nao tem,alguem pode responder

Anônimo disse...

porque praças podem pegar os oficiais em suas residencias nas viaturas destinadas ao atendimento de ocorrencias policiais e o colega nao,porque o oficial pode armar por conta propria com material do estado e levar pra casa e o praça nao,onde esta escrito que podem fazer tal abuso fora do regulameto,sera que o regulamento é so PROS PRAÇAS,ta na hora de acordar milicianos

Anônimo disse...

ta na hora de pararmos de tamparmos o sol com a peneira e ver o que acontece debaixo de nossos nariz,quando é pra incorrer ao regulamento pra nos punirmos,vao ate o fundo do bau,mas sabe porque fazem isto,porque o praça conhece e tem medo de usar o regulamento que é pra todos e la nao fala em excessoes,nao estou instigando revolta mas direitos iguais em tudo,senao pra que regulamento,acordem,façamos valer nossos direitos de igualdade

Anônimo disse...

CODIGO DE ETICA,o que tem de etica,se muito das vezes nao somos respeitados,porque em certas situaçoes nós homens feitos e formados somos questionados no que pese nas açoes de policia legitima,nossa palavra vale ate quando,porque a palavra deles valem mais do que a nossa,mais uma inversao de valores,fazer o que ?

Anônimo disse...

caros colegas policiais do brasil,voces em tese estao sofrendo a toa com comentarios e insinuaçoes,todos sabemos que somos pau mandado e assim seremos ate aposentarmos,brigar pra que,basta pedir a todos quando forem votar que virem as costas a esta legislaçao fajuta de engana bobo,se nao votarmos nao tera corruptos engravatados contando com nossos impostos,veja exemplo da argentina,porque nao fazermos igual,somos o pais do copia e cola.manufesto nao tras nada mas paralizaçao surte mais efeito.

Anônimo disse...

quando voces vao a brasilia,os parlamentares riem de voces porque estao em ar condicionado enquanto alguns passam fome em manifestaçao sem retorno,contudo assistimos na midia os parlamentares enchendo os bolsos com maços de dinheiro ee nquanto a gente fica mendingando por miseros mil e poucos reais,enquanto que o abono de terno deles chega a 20 mil reais,realidade e tanto

Anônimo disse...

ser policia e militar nunca dá um bom resultado.muitos pm são mais policia este sim é eficiente no combate ao crime outros são mais militar estes nem sempre. principalmente oficiais

Postar um comentário

Comentários - Regras e Avisos:
- Nosso blog tem o maior prazer em publicar seus comentários. Reserva-se, entretanto, no direito de rejeitar textos com linguagem ofensiva ou obscena, com palavras de baixo calão, com acusações sem provas, com preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com a legislação nacional.
- O comentário precisa ter relação com a postagem.
- Comentários anônimos ou com nomes fantasiosos poderão ser deletados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem a opinião deste blog.
- Clique aqui e saiba mais sobre a política de comentários.

 
Os pontos de vista aqui publicados são de responsabilidade dos respectivos autores, não representando versões oficiais de quaisquer instituições.
© 2007 Template feito por Templates para Você - Deformado por José Ricardo
▲ Topo