Acredite ou pague pra ver

sábado, 4 de outubro de 2008


Acredite ou pague pra ver

·        José Ricardo

Aula de tiro policial. Um tenente, excelente professor, contava para a turma do treinamento bienal:
- Aconteceu há alguns anos, lá na Pedreira. Eu era sargento na época. Ficamos cercados por todos os lados. Foram trinta minutos de troca de tiros. Depois que tudo acaba, é bom contar, mas, na hora, você quer que aquilo termine logo... Veio reforço de tudo quanto é batalhão. Até o helicóptero nos apoiou e posso dizer que nos salvou. Se não fosse o apoio, a união de nossa tropa... A viatura da Capitão Seagate veio até pela contramão para nos apoiar. Quem a conhece sabe que ela é um exemplo de oficial; chegou, desembarcou e partiu logo para o combate... Acredite, na hora você sente medo. E eu não tenho vergonha em dizer isso. Você pensa nos filhos, na esposa... Pensa na vida toda pela frente...
O Sargento Mike fazia parte da turma de treinandos e se emocionou com a história. Também já havia passado por momentos de dificuldade, não tão complexos como aquele, mas a sensação que sentira foi a mesma. Você quer sair vivo, quer que tudo acabe logo, medo. Sim, medo, um sentimento natural do ser humano. A adrenalina vai a mil e você reza para que o reforço chegue logo.
Mas a principal causa da emoção do Sargento Mike era porque, todas as vezes em que ele havia pedido prioridade, o reforço chegou rápido e em grande quantidade. Os companheiros sempre vieram como anjos da salvação.  Sempre que recordava aqueles momentos de dificuldade, sentia gratidão pelo empenho dos colegas. Pensava consigo: Se não fossem eles, talvez eu não estivesse aqui hoje.
Mike segurou as lágrimas, enquanto o tenente continuava a narração:
- A arma do meu patrulheiro travou e eu gritava pra ele: “Aperta a tecla do ferrolho! Aperta!”. Ele não entendia e continuava apertando a tecla do gatilho e ficava mais desesperado ao perceber que a arma tinha dado pane e não atirava. Gente, na hora... Bem, nossa aula é sobre solução de panes. Se a arma travar, experimente apertar a tecla do ferrolho. Duvida? Acredite ou pague pra ver...

Nota: Esta é uma obra de ficção. Qualquer semelhança com fatos reais é mera coincidência.

"É livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença” - Inciso IX do artigo 5º da Constituição Federal.



Gostou desta postagem? Então cadastre-se AQUI para receber as atualizações do Universo Policial no seu e-mail ou no seu agregador de Feed/RSS.

0 comentário(s):

Postar um comentário

Comentários - Regras e Avisos:
- Nosso blog tem o maior prazer em publicar seus comentários. Reserva-se, entretanto, no direito de rejeitar textos com linguagem ofensiva ou obscena, com palavras de baixo calão, com acusações sem provas, com preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com a legislação nacional.
- O comentário precisa ter relação com a postagem.
- Comentários anônimos ou com nomes fantasiosos poderão ser deletados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem a opinião deste blog.
- Clique aqui e saiba mais sobre a política de comentários.

 
Os pontos de vista aqui publicados são de responsabilidade dos respectivos autores, não representando versões oficiais de quaisquer instituições.
© 2007 Template feito por Templates para Você - Deformado por José Ricardo
▲ Topo