Histórico de BO / Boletim de Ocorrência

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009



Criei este conto com o objetivo de passar algumas informações, fruto de minha experiência profissional, sobre elaboração de histórico de boletins de ocorrência. Qualquer dúvida, use o campo de comentários no final da página.


Histórico de BO
  • José Ricardo
Mais de três horas de rastreamento. Subimos e descemos becos de favela, perseguimos motocicleta, muitas abordagens. O turno foi agitado, pois um dos líderes da quadrilha que dominava o tráfico de drogas no Morro do Kid fora morto. O restante da quadrilha jurava vingança, o que significava muito trabalho para a equipe do turno seguinte.
Com as fardas molhadas de suor, eu e o Soldado Brucis estávamos sentados na frente do computador.
- Sargento, este histórico de ocorrência eu quero ver o senhor fazer – Brucis me falou, animado.
- Beleza. Vai demorar um pouco, em razão dos muitos dados que não podemos deixar de constar. Mas esta ocorrência não é muito diferente das demais. Em todo boletim de ocorrência, é necessário responder a algumas perguntas: Onde? Quando? Quem? Como? Por quê? Resultado? Ah, também é importante justificar e fundamentar nossas ações, como no caso de apreensão de objetos.
- Como começar o histórico, sargento?
- Vamos aprender fazendo – Abri a página de histórico e comecei a digitar – Você pode narrar os fatos na seqüência em que se sucederam ou a partir do momento em que você tomou conhecimento. Normalmente, eu opto pela segunda opção. Nesta ocorrência, eu vou começar assim. “Por volta das 03h30min, a Central de Comunicações nos transmitiu que”.
Brucis me interrompeu.
- Sargento, mas esta informação, de como fomos acionados, já consta na primeira parte da ocorrência...?
- Sim. Verdade. Porém, pensa só. Imagine um julgamento de homicídio. Qual parte da ocorrência você acha que o promotor ou o advogado vão ler para o júri? Você tá pensando que eles ficam lendo nome dos pais dos envolvidos, identidade, endereço, chassi de veículo... Em todos os julgamentos que assisti, eles só leram o histórico da ocorrência. Por isso, todas as informações que eu julgo importantes eu consto também no histórico, mesmo que já estejam em outro campo.
- Entendi, sargento.
- Beleza. Continuando. “... a central de comunicações nos transmitiu que, segundo diversas solicitações, um indivíduo estaria caído na Rua Woofer, 66, Morro do Kid, perdendo muito sangue, pois fora esfaqueado durante uma luta corporal com um outro indivíduo.” Constei essas informações para quem ler ter a mesma noção do que sabíamos antes de chegar ao local. Agora, vou colocar a situação com a qual deparamos. “Comparecemos ao local, contudo a vítima não se encontrava mais ali, visto que fora socorrida por populares até o Pronto Socorro Central. Os circunstantes apenas nos relataram que o autor seria um cidadão conhecido pela alcunha de Zé Mix. Enquanto outras guarnições procuravam o autor, comparecemos ao Pronto Socorro, onde o médico de plantão nos relatou que a vítima já deu entrada naquele hospital sem sinais vitais, apresentando cerca de sete perfurações no abdome e nas costas, estando as vísceras expostas.”
- Sargento, e sobre o autor?
- Vamos falar sobre ele agora. “Segundo as testemunhas, as quais socorreram a vítima e presenciaram o fato criminoso, um indivíduo conhecido por Zé Mix, de cor clara, cabelos lisos, altura mediana, residente na Rua Z, 94, Morro do Kid, mototaxista, teria se desentendido com a vítima porque esta teria agredido um menino há alguns dias; que, após uma inflamada discussão, autor e vítima entraram em luta corporal, tendo o autor sacado uma faca da cintura e desferido diversos golpes contra a vítima, a qual perdeu os sentidos e ficou caída na Rua Woofer, momento em que o autor aproveitou para evadir de posse do instrumento utilizado no crime.”
- Duas dúvidas, sargento. Uma, é sobre esse dois pontos e que (; que...). A outra, é sobre a motivação do crime. As testemunhas foram muito vagas neste ponto, e, pelo que conhecemos do local e da própria vítima, o crime pode ter relação com o tráfico de drogas.
- Sobre os dois pontos e que (; que...), é muito usado em termos de depoimento, tanto em processos administrativos quanto em processos judiciais. Serve para indicar que o relato das pessoas ouvidas ainda não terminou. Em vez de escrever “A testemunha disse ainda que...”, ou “ A testemunha disse também que...”, escreve-se somente “; que...; que...; que...; que...”. Quanto ao crime ter relação com o tráfico de drogas, nós não podemos afirmar, mas também não podemos omitir essa possibilidade. Então, eu vou constar o que sabemos. “Ainda, de acordo com as testemunhas, o autor, no momento do crime, estava de posse de dois papelotes de crack. As testemunhas não souberam dizer se era para consumo próprio ou para a venda. O local onde ocorreu o crime é conhecido como ponto de comércio de entorpecentes, e a vítima é suspeita de pertencer a quadrilha que domina o tráfico de drogas no Morro do Kid, inclusive, segundo sistema de prontuários criminais, já foi condenada judicialmente pelos crimes de tráfico de drogas, roubo e tentativa de homicídio.” Pronto, não falamos que o crime tem relação com o tráfico de drogas; deixamos para a consciência de cada um.
- E sobre o a rastreamento, a motocicleta...?
- Vamos devagar com o andor que o santo é de barro. “Durante rastreamento, dois indivíduos que estavam na motocicleta apreendida (CG TITAN de cor vermelha, placa HHH-9999), evadiram em alta velocidade, desrespeitando as sinalizações de trânsito e as regras de circulação, assim como colocando a vida dos transeuntes em perigo. Efetuamos o acompanhamento da motocicleta, tendo os ocupantes desembarcado na Rua Z e, em seguida, evadido a pé, momento em que também desembarcamos da viatura e fomos no encalço dos indivíduos. Estes adentraram na casa de número 94 da mesma rua, imóvel que, segundo as testemunhas, pertence ao autor do crime. Ante o estado de flagrante delito, adentramos no imóvel, contudo não conseguimos localizar os indivíduos, pois estes pularam o muro dos fundos da residência e fugiram para o interior do aglomerado, local com grande concentração de becos e vielas. A casa do autor encontrava-se toda revirada, com praticamente todos os móveis quebrados. Nas proximidades da residência, abordamos alguns menores, os quais nos relataram que havia rumores de que a quadrilha que domina o tráfico de drogas no aglomerado iria vingar a morte da vítima. Os menores nada disseram sobre os danos na casa do autor. Depreende-se, contudo, que já seja um ato de vingança pela morte da vítima.”
- Sargento, quando nosso comandante ler essa última parte que o senhor digitou ele já vai saber que vai ter problema nas próximas horas, talvez até durante alguns dias. Os vagabundos com certeza vão querer vingança.
- É bom já deixar avisado. Quando o capitão chegar, ele vai ler a ocorrência e já vai ficar sabendo que vai ter problemas durante o dia. Vamos continuar. Como eu te falei, é importante fundamentar nossos atos. O Código de Processo Penal diz que os objetos que tiverem relação com o crime devem se apreendidos, correto? Então... “Pelas circunstâncias narradas, a motocicleta tem relação com o crime e, considerando ainda o crime de direção perigosa praticado pelo condutor, ela foi apreendida, removida pelo Socorro Multicar e encaminhada ao Pátio Supermotors, sendo lavrado o auto de infração de número 0001.”
- Sargento, falta colocar que o autor não foi localizado.
- “Apesar do intenso rastreamento realizado pela nossa viatura e pelas viaturas do setor, o autor não foi localizado; os dados dele foram obtidos com seu irmão, o envolvido 06, sendo este orientado a tentar entrar em contato com o autor para que ele se entregue.”
- Sargento, falta alguma coisa?
- Falta apenas dizer que continuamos no rastreamento, ou melhor, no encalço do autor para, caso ele seja encontrado, ainda persista o flagrante delito, artigo 301 do CPP. “Não obstante, as viaturas do turno já estão informadas sobre o crime e continuam no rastreamento e no encalço do autor.” Então, ficou assim o histórico da ocorrência:
Por volta das 03h30min, a Central de Comunicações nos transmitiu que, segundo diversas solicitações, um indivíduo estaria caído na Rua Woofer, 66, Morro do Kid, perdendo muito sangue, pois fora esfaqueado durante uma luta corporal com outro indivíduo. Comparecemos ao local, contudo a vítima não se encontrava mais ali, visto que fora socorrida por populares até o Pronto Socorro Central. Os circunstantes apenas nos relataram que o autor seria um cidadão conhecido pela alcunha de Zé Mix. Enquanto outras guarnições procuravam o autor, comparecemos ao Pronto Socorro, onde o médico de plantão nos relatou que a vítima deu entrada naquele hospital sem sinais vitais, apresentando cerca de sete perfurações no abdome e nas costas, estando as vísceras expostas. Segundo as testemunhas, as quais socorreram a vítima e presenciaram o fato criminoso, um indivíduo conhecido por Zé Mix, de cor clara, cabelos lisos, altura mediana, residente na Rua Z, 94, Morro do Kid, mototaxista, teria se desentendido com a vítima porque esta teria agredido um menino há alguns dias; que, após uma inflamada discussão, autor e vítima entraram em luta corporal, tendo o autor sacado uma faca da cintura e desferido diversos golpes contra a vítima, a qual perdeu os sentidos e ficou caída na Rua Woofer, momento em que o autor aproveitou para evadir de posse do instrumento utilizado no crime. Ainda, de acordo com as testemunhas, o autor, no momento do crime, estava de posse de dois papelotes de crack. As testemunhas não souberam dizer se era para consumo próprio ou para a venda. O local onde ocorreu o crime é conhecido como ponto de comércio de entorpecentes, e a vítima é suspeita de pertencer a quadrilha que domina o tráfico de drogas no Morro do Kid, inclusive, segundo sistema de prontuários criminais, já foi condenada judicialmente pelos crimes de tráfico de drogas, roubo e tentativa de homicídio. Durante rastreamento, dois indivíduos que estavam na motocicleta apreendida (CG TITAN de cor vermelha, placa HHH-9999), evadiram em alta velocidade, desrespeitando as sinalizações de trânsito e as regras de circulação, assim como colocando a vida dos transeuntes em perigo. Efetuamos o acompanhamento da motocicleta, tendo os ocupantes desembarcado na Rua Z e, em seguida, evadido a pé, momento em que também desembarcamos da viatura e fomos ao encalço dos indivíduos. Estes adentraram na casa de número 94 da mesma rua, imóvel que, segundo as testemunhas, pertence ao autor do crime. Ante o estado de flagrante delito, adentramos no imóvel, contudo não conseguimos localizar os indivíduos, pois estes pularam o muro dos fundos da residência e fugiram para o interior do aglomerado, local com grande concentração de becos e vielas. A casa do autor encontrava-se toda revirada, com praticamente todos os móveis quebrados. Nas proximidades da residência, abordamos alguns menores, os quais nos relataram que havia rumores de que a quadrilha que domina o tráfico de drogas no aglomerado iria vingar a morte da vítima. Os menores nada disseram sobre os danos na casa do autor. Depreende-se, contudo, que já seja um ato de vingança pela morte da vítima. Pelas circunstâncias narradas, a motocicleta tem relação com o crime e, considerando ainda o crime de direção perigosa praticado pelo condutor, ela foi apreendida, removida pelo Socorro Multicar e encaminhada ao Pátio Supermotors, sendo lavrado o auto de infração de número 0001. Apesar do intenso rastreamento realizado pela nossa viatura e pelas viaturas do setor, o autor não foi localizado; os dados dele foram obtidos com seu irmão, o envolvido 06, sendo este orientado a tentar entrar em contato com o autor para que ele se entregue. Não obstante, as viaturas do turno já estão informadas sobre o crime e continuam no rastreamento e no encalço do autor.”
- Ficou bom, sargento.
- Espero que sim. Poderia ficar menor. Por exemplo, se narrarmos na seqüência em que os fatos se sucederam e omitirmos os dados que já constam em outros campos da ocorrência, poderia ficar assim:
“Segundo as testemunhas, autor e vítima se desentenderam por motivos banais e, após uma inflamada discussão, o autor sacou uma faca e desferiu diversos golpes contra a vítima; em seguida, evadiu de posse do instrumento do crime. A vítima foi socorrida pelas testemunhas até o Pronto Socorro Central, contudo, segundo o médico de plantão, já deu entrada naquele hospital sem vida, apresentado cerca de sete perfurações no abdome e nas costas. Durante rastreamento, dois indivíduos que ocupavam a motocicleta apreendida evadiram em alta velocidade da nossa guarnição, sendo prontamente perseguidos. Os indivíduos abandonaram a motocicleta na Rua Z e adentraram na casa de número 94 da mesma rua, imóvel que pertence ao autor. Os indivíduos fugiram pelos fundos da residência, não sendo mais vistos. A casa encontrava-se toda revirada e com os móveis quebrados, provavelmente por um ato de vingança pela morte da vítima. A motocicleta foi apreendida por ter relação com o crime e pela prática de direção perigosa, sendo encaminhada ao Pátio Supermotors. Foi lavrado o auto de infração de número 0001. O autor não foi localizado, mas continuamos nos rastreamento e no encalço dele.”
- Dá pra entender também, sargento.
- Verdade. Histórico de ocorrência é assim. Cada um faz de um jeito. Se eu fosse escrever de novo, ficaria diferente. Se outro policial fizesse, ele narraria os fatos de forma diferente. O papo tá bom, mas vamos logo registrar a ocorrência na delegacia que já passou do nosso horário.


Nota: Esta é uma obra de ficção. Nomes, personagens, fatos e lugares são frutos da imaginação do autor e usados de modo fictício. Qualquer semelhança com fatos reais ou qualquer pessoa, viva ou morta, é mera coincidência.


"É livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença” - Inciso IX do artigo 5º da Constituição Federal.



Gostou desta postagem? Então cadastre-se AQUI para receber as atualizações do Universo Policial no seu e-mail ou no seu agregador de Feed/RSS.

38 comentário(s):

Dextermilian SD disse...

uma verdadeira aula!!! muito bom mesmo!

Anônimo disse...

muito bom....
da minha turma esse menino rsrs
Solo Gato Leonardo

Anônimo disse...

Perfeccionista esse Solo Gato. Gostei demais irmão. Eu particularmente nunca tive dificuldade com redação de históricos fossem quais fossem mas tenho que admitir que vc não deixa nada passar batido. Já estou na reserva mas se o coração continuar me obrigando a reconvocação eu terei aprendido mais com você. Parabens e não continue assim.Sempre é possivel melhorar. Um grande abraço.

Anônimo disse...

Maravilhoso...mara...

Anônimo disse...

Excelente a redação do bo, parabéns pela colaboração.

Anônimo disse...

EXCELENTE exemplo de uma redação de B.O digna de qualquer Instituição Militar. Repleta de detalhes, com linguagem correta e simples, tudo de bom que se poderia esperar da confecção de um Boletim de Ocorrência. Sou instrutor de Redação de Documentos e, pela preciosidade aqui encontrada, peço licença a Vossa Senhoria para utilizar o vosso exemplo como introdução à minha disciplina. Afinal, o conhecimento e, o bom conhecimento, deve ser sempre multiplicado, jamais guardado. PARABÉNS pela excelência em seu trabalho e sucessos futuros. SGT Márcio - Diamantina/MG.

Flávio disse...

O boletim de ocorrencia e o documento mais importante produzido pela Policia Militar, pelos reflexos que as informaçoes dele extraidas podem produzir no sistema de defesa social, na segurança pública e nas relaçoes entre estado e o cidadão na busca da paz social.
Ao redigir o documento o Policial Militar, deve ter o cuidado de bem identificar pessoas como: agente, vítima, testemunhas, autor e as circunstancias e condiçoes que o fato ocorreu. observando sempre o " Princípio da imparcialidade", dentre os princípais principios que norteia a administração pública.
O B.O, como é popularmente conhecido e a parte do Inquérito Policial, que é chamada de primaria, " a carta da NOTITIA CRIMINIS", ele permite os fundamentos do Direito Penal desde a apuração do "delito" até seu julgamento pelo Juizo natural. No Direito Civil, em açoes de indenizaçoes, reintegraçoes, cobrança, execução, declaração, casamento, divórcio, tutela, curatela, herança, usucapião, registros, direito de vizinhança, condominios. No Direito do Consumidor, a relação de consumo entre as partes. E na ação de Defesa Civil, no resguardo dos danos patrimoniais e da vida. No Direito Ambiental defesa da natureza, etc.
O teor da relatório lhe confere credibilidade e utilidade, dando-lhe maoir sentido e importancia ao trabalho do Policial Militar.
É o precioso instrumento de resguardo da legalidade da ação operação policial, conforme descrição no artigo 144 da Constituição da Republica Federativa do Brasil, sobre o papel da Policia Militar no Pais, e vigoroso suporte para corrigir medidas, avaliar desempenho e sobretudo, controlar qualidade. Não podemos esquecermos que: " não somos responsáveis apenas pelo que fazemos más também pelo que deixamos de fazer".

autor: CB PMMG FLÁVIO KRETLI 19 BPM TEÓFILO OTONI-MG

ACADEMICO DE DIREITO 10º PERIODO FACULDADES DOCTUM CAMPUS TEÓFILO OTONI-MG.

José Ricardo disse...

Agradeço a todos os comentaristas e peço desculpas por demorar a responder. Fiquei muito feliz em saber que nosso companheiro Sgt Márcio, de Diamantina, instrutor de Redação de Documentos, está utilizando este modelo de boletim de ocorrência em suas aulas. Também fiquei muito feliz palas palavras do meu amigo Dextermilian e do colega de curso e de república Sgt Leonardo, excelente profissional. Minhas cordiais saudações a todos.

Anônimo disse...

solicito outros exemplos de boletim de ocorrência.

Anônimo disse...

Sd pmpb Luiz.
Una verdadeira obra de arte é este B.O, parabéns ao autor.

Anônimo disse...

poderia nos mandar historico de BO de trânsito com vitima fatal.

Anônimo disse...

Muito bom os textos aqui, para os militares que tem dificuldade em redigir bo. parabéns pela iniciativa e ficamos engrandecido pelos colegas que passam para os outros os seus conhecimneto. Gosto de ler os textos deste BO para que eu possa aperfeiçoar ainda mais; pois fico nervoso em atendimento de ocorrençia policiais, preocupado onde e como iniciar o BO.

Anônimo disse...

O B.O,está excelente,contudo,na parte a qual está escrito:Estava de posse de dois papelotes de crack.O correto para nós PMs,não é:Estava de posse de dois papelotes os quais continham duas pedras de uma substancia análoga ao crack?

Anônimo disse...

so posso dizer parabens... pocv favor mande exemplos de bo de transito.

Anônimo disse...

Muito Didático.
Parabem!

Anônimo disse...

Sd PM wederson, perfeito o histórico , temos que amarrar todas as informações possíveis , como gostariamos que fosse relatado se acotecesse com algum de nossos parentes , como o Sr SGT disse em uma audiência nao se apresenta aos jurados parte de qualificação de ocorrência e sim e simplismente o historico do B.O , parabéns pelo excelente trabalho que possa ser visto por todos e apreciado.

Anônimo disse...

Parabens , excelente Boletim de Ocorrência,G.C.M Itapira S.P Insp.Ronaldo S.Vitório e Gestor em Segurança Privada

Anônimo disse...

MUITO BOM.PARABENS

Anônimo disse...

Muito Bom esse modelo de Boletim de ocorrências.. não sou policial e meu entendimento sobre os boletins eram meio vagos, após a leitura desse pude compreender bem mais, posso dizer que abriu minha mente sobre os B.O, da qual são tão importantes na ação dos policiais militares, que estão de muito parabéns.. pois o que seria o nosso Brasil sem pos policiais mliitares... que ainda tem muito a serem reconhecidos e valorizados pelo governo, pois a PM é o coração da segurança pública.

Anônimo disse...

estou escrevendo para reglamar de um acontecimento em niteroi perto da escola estadual são domingos savio o muro do hospital da policia militar estava caindo ai eles botarao umas coisas que era para ninguem passar por lar,então as crianças da escola e da creche tinha que passar pelo meio da rua ou atravessar a rua, mais passou meses e meses , i eles foram ageitar mais fizerao atrapalhar mais e mais o trator estava atras do hospital tirando as terras e eles estavao jogando a terra atras da escola ,o pessoal da defesa civil interdidou a creche e a escola ,as crianças da creche teve que ficar de ferias mais cedo e as crianças do colegio tiverao que ser tranferidas para outro colegio, queremos que eles resolva isso porque isto esta encomodando a comunidade com a poera !! aqui quem escreve e rayanni uma aluna da escola estadual são domingos savio tenho 13 anos local: martins torres em niteroi... obrigada

Anônimo disse...

na minha rua tem uma doceria que vende drogas a noite toda todos aqui faz parte da rodinha alguem tewm quwe tomar providencia aqui quase todo mundo tem carro zero quem tem comercio fora ´e do dinheiro do trafico nos comercio algwem twem que tomar providencia antes que seja tarde demais welwesd ainda sda risada da policia.por favor tome providencia

Anônimo disse...

...fiz o meu curso PMRO, estagiei por 8 meses, mas continuo lendo o site universo policial onde tiro todas as minhas dúvidas. O conhecimento é um ato continuo, principalmente na vida policial,...

Anônimo disse...

Parabens , excelente Boletim de Ocorrência.Gostaria de ler outros registros, principalmente de transito envolvendo seguro total.

Anônimo disse...

Estou fazendo o curso de Direito tenho que cumprir umas horas, e determinadas horas irei a Delegacia para fazer relatório de Boletim de Ocorrência... Quero algumas dicas de como fazer tal relatório em 20 linhas no máximo

Anônimo disse...

Boa tarde
Sou membro do Corpo de Bombeiros Voluntários de Jacutinga - RS., e estamos querendo desenvolver um modelo de BO, a fim de começar a registrar nossas ocorrências.
Por acaso vocês teriam algum modelo, ou saberiam onde nós
poderíamos copias algo?
Att.
Fernando Pierozan

Anônimo disse...

SOU PM DO TO E ESTOU NA ATIVIDADE OPERACIONAL DESDE QUE ME FORMEI NO CFSD DE 2005. APESAR DE TER FACILIDADE EM REDIGIR RELATÓRIOS, FIQUEI SURPRESA COM A CLAREZA, CONCISÃO E INOVAÇÃO DESSES MODELOS APRESENTADOS.UTILIZO UMA LINGUAGEM PADRONIZADA POR AQUI, TODAVIA NÃO É A OBRA-PRIMA QUE LI NESSE SITE.

PARABÉNS!
CB KEILE

menino inocente disse...

25 de agosto de 2005 acidente de caminhao entre joao pinheiro a patos de minas

menino inocente disse...

gostaria de saber como faço pra conseguir o numero do boletim de ocorrencia deste acidente 25 de agsto de 2005 meu nome é rivaldo josé cândido de vasconcelos

PARA TER ACESSO AOS DEMAIS BLOGS, Aqui norteio meus estudos.Fiquem atentos,não deixem de consultar uma doutrina atualizada! disse...

Essas postagens ajudam em muito a compreenção da prática.Postada por quem realmente vive a situação! Sou Gláucia, acadêmica do curso de Direito , filha de PM (hoje aposentado como Capitão!)Que Deus continue iluminando e protegendo vocês sempre!!Parabéns, pela iniciativa!!!

Anônimo disse...

É de fundamental importância que os companheiros mais experientes compartilhem com os mais modernos estes tipos de informações, a fim de melhorar a qualidade da redação dos boletins de ocorrências, bem como uma otimizar prestação de serviços a sociedade.

Anônimo disse...

Fui agredido no elevador do predio onde moro, cai no chão do mesmo, e como não teve uma lesão aparente, somente muscular e de nervos proximo a coluna vertebral, o atendetene da Delegacia não quis fazer o boletim, pois disse que essa agressão não configura crime. Pois não tem lesão aparente. O que fazer nesse caso ? Ainda o agressor me ameçou de morte se Eu levantasse a voz com Ele novamente.

Anônimo disse...

parabenizar pelos excelentes históricos de ocorrências que os senhores tem publicados. solicito aos senhores que continuem relatando seus históricos nos servem para aperfeiçoarmos ainda mais nossos históricos.

Anônimo disse...

solicito aos senhores que publicassem experiências, fatos, infrações cometida por menores adolescentes.

Anônimo disse...

acompanho e leio todos os históricos de ocorrências, solicito a todos os senhores publicar historico de ocorrência policial envolvendo menores em crime de transito,agressões,furto,tráfico e uso de substancia entorpecente, menores que estão expostos a crimes e outros.Agradeço a todos que publicaram historicos de ocorrências,tenho procurado melhorar a qualidade do meu histórico de ocorrência policial,pois é o unico local que os juizes e promotores leêm.

Wildson Faustino disse...

Excelente exemplo é sem dúvidas são de formadores assim que a PMMG precisa. sempre que preciso, recorro a este blog para me aperfeiçoar. linguagem simples, fácil e de uma simplicidade riquíssima de conhecimento.
Meus parabéns...!

Respeitosamente,

SD Wildson/ Belo Horizonte/PMMG

Ramon S. Pereira disse...

Ler um BO desses da gosto de ver o quão capacitados nossos militares estão sendo. Todos os dias bato na mesma tecla com meus superiores, pois eles acham que escrevo demais, pois na minha equipe sou o mais moderno. Me chamam de "doutor", mas assim como este nobre e douto militar que nos agraciou com seus conhecimentos técnicos, bem como experiência policial, penso que escrever é uma arte e para tanto devemos aprimora lá dia após dia. Nossas batalhas são diárias e nossa guerra enquanto este mundo perdura. Aos combatentes digo: "Esmorecer como muito não é o caminho, mas persistir te levará a lugares antes nunca visto".

Meu caro companheiro de farda, obrigado por essa ministração de conhecimento, em que me sinto honrado em aprender mais um pouco, toda vez que leio. Levo cópia desta aula magistral aos meu superiores e imprimir uma cópia para que os mesmo estudem, e por conseguinte aprendam mais com você.

SD PM Ramon da Silva Pereira - Policia Militar do Estado do Espírito Santo

Anônimo disse...

A pontuação utilizada em termos de depoimentos é "ponto e vírgula (;)" e não "dois pontos (:)".

Anônimo disse...

Sempre faço meus históricos de ocorrências desta forma. Tudo que já está constando em campo próprio, também faço questão de constar no histórico, pois facilita muito para quem lê. Também sempre procuro constar cada detalhe, pois isto, muitas das vezes, obriga os outros órgãos a fazer a parte deles. Não devemos ter preguiça de escrever. Muitas das vezes, apesar de não termos obtido sucesso na captura do autor, através de um histórico bem redigido, com riqueza de detalhes, podemos subsidiar a polícia judiciária bem como o próprio poder judiciário para que seja expedida a prisão preventiva do citado autor. Parabéns ao autor deste conto.

Postar um comentário

Comentários - Regras e Avisos:
- Nosso blog tem o maior prazer em publicar seus comentários. Reserva-se, entretanto, no direito de rejeitar textos com linguagem ofensiva ou obscena, com palavras de baixo calão, com acusações sem provas, com preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com a legislação nacional.
- O comentário precisa ter relação com a postagem.
- Comentários anônimos ou com nomes fantasiosos poderão ser deletados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem a opinião deste blog.
- Clique aqui e saiba mais sobre a política de comentários.

 
Os pontos de vista aqui publicados são de responsabilidade dos respectivos autores, não representando versões oficiais de quaisquer instituições.
© 2007 Template feito por Templates para Você - Deformado por José Ricardo
▲ Topo