Os policiais estão insatisfeitos?

sábado, 31 de janeiro de 2009

Desde que criei este blog, venho recebendo comentários de muitos policiais insatisfeitos. Insatisfeitos com o quê? Pelo que leio nos comentários, insatisfeitos com a sociedade, com o governo, com a instituição e com as leis.

O que leva os policiais a insatisfação? Será que abraçaram uma carreira para a qual não tinham vocação? Será que até mesmo os vocacionados estão insatisfeitos? São perguntas que eu me faço e sobre as quais vou falar aqui.

No meu entender, nem todos que estão na Polícia escolheram a carreira por vocação. Talvez sejam até a maioria os não-vocacionados.  Então a maioria escolheu a profissão para fazer dela um trampolim? Sim, é o que eu acho; mas muitos acabam permanecendo na Polícia pela estabilidade, ou por que se acomodam. Mas não há nada de errado em fazer da Polícia um trampolim. Ser policial não é um sacerdócio, é um emprego. Se o trabalhador cumprir suas obrigações com eficiência, que mal há nisso? Nenhum.

E os vocacionados? Será que também não estão insatisfeitos? Muitos têm o sonho de entrar na Polícia, mas, depois que lá estão, percebem que a realidade é diferente das ilusões que criaram. A realidade é bem diferente dos filmes policiais. Na realidade, o policial morre, é punido e é criticado; não tem o trabalho reconhecido. Na realidade, a sociedade não tem o policial como um herói, mas sim como um algoz, alguém que lhe incomoda, que lhe revista, que lhe pede documentos, que lhe multa, que lhe prende...

Também percebo uma insatisfação com o governo. Os policiais não encontram explicação para tamanha diferença salarial entre as Polícias dos Estados. No Rio de Janeiro, um soldado ganha menos de R$ 1.000,00, em Goiás, mais de R$ 2.000,00 e, no Distrito Federal, mais de R$ 4.000,00. Como entender tamanha desproporcionalidade? Segundo a Constituição Federal, o valor do salário deve ser correspondente à complexidade do trabalho. Se a complexidade do trabalho é igual em todos os Estados, porque a absurda diferença salarial?

Pelos comentários que recebo, noto uma grande revolta interna nas instituições. Fala-se muito em segregação entre oficiais e praças. Isso acontece de verdade? Será que ainda não estamos no Século XXI? Será que vai ser preciso surgir um Martin Luther King policial militar para pregar o fim da segregação e discursar sobre o sonho de uma instituição em que todos possam sentar-se junto à mesa?

Percebo que os policiais combatentes estão cansados de prender cidadãos infratores e de vê-los soltos no mesmo dia, ou poucos dias depois, fato que gera uma sensação de inutilidade, o famoso “estar enxugando gelo”. As leis não estariam lenientes, brandas demais com os que insistem em violar a lei e a ordem pública?

Mesmo os policiais que trabalham com afinco, que gostam do que fazem, podem ficar insatisfeitos. Quando falo sobre isso, sempre me vem à mente as palavras do ex-Capitão do BOPE Rodrigo Pimentel, que, no documentário “Notícias de Uma Guerra Particular”, falou: Você aperta este morro aqui, eles espirra pro do lado.Você aperta o do lado, eles espirra pro do outro. Então, é uma guerra sem fim! Por mais que toda noite você vá lá... Durante duas semanas o BOPE matava um traficante ali (morro); apreendia uma pistola, matava um traficante, apreendia um fuzil, matava um traficante... Resolvia alguma coisa? Não resolvia nada... Não resolvia NA-DA! Tem dezenas de jovens lá que não estão no movimento e que estão esperando a vez de entrar no movimento(...)

Mas é claro que não vai adiantar nada. Se a Segurança Pública for considerada exclusivamente um caso de polícia, não vai adiantar nada mesmo.

Se a insatisfação aumentar e criar-se um clima generalizado de desmotivação entre os policiais, vai ser muito difícil melhorar a Segurança Pública deste País. Muita coisa precisa ser repensada...



Gostou desta postagem? Então cadastre-se AQUI para receber as atualizações do Universo Policial no seu e-mail ou no seu agregador de Feed/RSS.

10 comentário(s):

Anônimo disse...

A insatisfação é uma realidade histórica com a falta de camaradagem entre oficiai e praças que deveriam ser unidos, pois todos tem um só objetivo manter a ordem pública, com a dismilitarização acabaria com a prepotencia deles. Outro fator são os baixos salários e discrepância despropocional entre os estados que não dar para entender. E o protecionismo das leis arcaícas brasileiras aos bandidos e contrárias aos cidadãos trabalhador. A Políca prende e a justica solta.

Anônimo disse...

Segurança Pública é dever do Estado (POLICIAS MILITARES E CIVIL), direito e responsabilidade de TODOS....
Na minha umilde opinião esse TODOS não quer dizer somente a população, que geralmente vem nos nossos pensamentos... e sim responsabilidade do MINISTERIO PUBLICO QUE SO SABE OFERECER DENUNCIA CONTRA OS POLICIAIS, é responsabilidade do JUIZES QUE ESTAM LIBERANDO VARIOS PRESOS OU INOCENTANDO OU ABRANDANDO AS PRENAS....
e principalmente responsabilidade dos POLITICOS QUE FAZEM AS LEIS BRANDAS DEMAIS. Assim como não existe um compromisso com a RESPONSABILIDADE causa em nos policiais a sensaçao de estar enxugar gelo e consequentemente a frustaçao

Anônimo disse...

É fato que, muitos, senão a maioria anda insatisfeita. Motivos diversos fazem com que isso aconteça...Citaria a falta de reconhecimento como um dos mais graves. Muitos podem criticar-me, mas acho que a questão salarial é uma utopia - igualar os salários das PMs com o da PMDF é pura u-t-o-p-i-a, infelizmente é assim.
A questão da desinteligência entre as praças e oficiais também é um problema sério dentro caserna, muitos oficiais não entendem a célebre frase: "A Arte de comandar está alicerçada na virtude de obedecer".
Enfim, esperemos dias melhores...
De maneira nenhuma esses "perrengues" podem fazer com que diminua a honra e o compromisso que temos a obrigação de ter para com a gloriosa.
Melhorias necessitam ser feitas o quanto antes! Já não é sem tempo!

Anônimo disse...

Infelizmente as Leis brasileiras estao a favor dos marginais.Isso desmotiva os policiais a trabalharem!Hj se prende um infrator e ele sai primeiro que os policias da delegacia, rindo da cara deles! isso e um absurdo!!!
Desmotiva qualquer um!!!

Anônimo disse...

Estamos sim insatisfeitos, pois além de tudo o que foi dito no texto, como podemos combater o tráfico de dogras se mais e mais cidadãos as consomem? Como combater o roubo de veículos (som, acessórios etc) se mais e mais cidadãos compram esses veículos roubados ou furtados, cidadãos esses que de um modo ou de outro contribuem com o aumento da criminalidade.

Anônimo disse...

Tamos ferrados, não vai mudar......tenho vergonha de ser honesto sou um imbecil que nem pode se identificar.
Um latão de lixo é mais importante que eu fardado e olha que adforo a minha Polícia, mas cansei......................

Anônimo disse...

"Enxugar gelo" é isso que nós policias estamos fazendo. Infelizmente a sociedade não está do nosso lado, as leis não estão do nosso lado,e muitas vezes a hierarquia e a disciplina, pilares das instituições militares,também não estão do nosso lado. O que fazer então? Temos que nos unir, polícia, sociedade,política, igreja e etc...Só assim teremos uma policia melhor, uma cidade melhor, um estado melhor, um país melhor com menos desigualdades, injustiças e violência.

Leandro disse...

Conselho se fosse bom, não se dava, vendia. Mas aqui vai um de graça pra vocês:
"desistam dessa SOCIEDADE (população, oficiais, MP, Juízes e políticos) por que eles estão pouco ligando se vocês vivem ou morrem".
1ª lição do bom policial: "terminem seu turno e voltem pra sua casa e família vivos".
Saudações a todos os verdadeiros heróis desta pátria.

Anônimo disse...

A polícia nunca vai mudar. Enquanto oficiais se acharem acima da lei, pobres de nós mortais. Na Bahia aconteceu um escândalo tão grande, que se fosse com a classe de praças, estariam todos demitidos, mas, como são oficiais, até o governador pede cautela na divulgação das imagens(imagens contendo provas cabais), assim fica difícil.

Anônimo disse...

Quando jovem vislumbrei entrar para a Polícia Militar por pensar ser uma instituição forte, respeitada na sociedade e humana. Vocação? No início talvez até minha personalidade se identificasse com a profissão, mas no devido tempo, após tanta humilhação, decepções e discriminações por parte da sociedade e dos próprios integrantes em posições melhores, a tal vocação caiu num precipício profundo e sem volta. Os valores da secular instituição evaporaram como mágica. Forte, não é mais. Talvez nunca fosse. Respeitada na sociedade? Nossa realidade atual já explica perfeitamente que não é. O que existe é um medo terrível da Polícia Militar. Humana? Se nem ao menos internamente temos o tratamento digno de humanitário o que dirá na sociedade.
O policial está insatisfeito, pois a sociedade é hipócrita e omissa. Ninguém realmente quer se comprometer com um problema. Querem apenas criticar. Quando o assunto nos meios de comunicação é segurança pública somente comenta-se a versão negativa das atitudes do policial. Que ele deveria ter feito de outra maneira, que deveria estar preparado, pois estudou, se formou e blá, blá, blá. É a mesma história que já estamos esgotados de tanto ouvir. E quanto ao cidadão sem o mínimo de educação no trato com o policial ? O que se tem feito para reverter esta situação? Nada! Absolutamente nada! Nossas escolas estão falidas e com professores também desmotivados com a profissão.
O policial está insatisfeito com o Governo que engana a sociedade descaradamente e ainda o obriga a compactuar com isso.
O policial está insatisfeito com aqueles que podem e detém o poder, mas infelizmente usam em benefício próprio. Você acredita que algum juiz ou oficial desta policia vai arriscar sua carreira por algum soldado? Jamais. Portanto parem com estes devaneios e esqueçam essa hipótese absurda. Aliás, se você estivesse na posição deles também nada faria, pois infelizmente também temos “policiais praças” que não merecem o mínimo de confiança, respeito e muito menos um risco pessoal de seu comandante.
Algumas mudanças já estão ocorrendo referente ao convívio profissional entre oficiais e praças, mas ainda é cedo para tirarmos uma conclusão satisfatória. Raríssimas exceções nasceram para serem líderes. A Pólicia precisa de líderes e não de chefes.
O policial está insatisfeito com ele mesmo, pois é um ser humano que se sente incapaz, mesmo lutando e arriscando a vida não vê os frutos de seu suor. Precisa de outros para dar continuidade a sua plantação, mas infelizmente estes “outros” não tem os mesmos ideais. Assim todo seu trabalho é inútil, o cansaço inevitável e a decepção sua colheita.
E não adiante nos fornecer, munição à vontade. Não adianta portarmos uma bazuca ou um fuzil de última tecnologia. Enquanto o cidadão não aprender a ter EDUCAÇÃO nada vai funcionar na segurança pública. Enquanto o marginal, o bandido não ser punido severamente por nossas leis, nada vai funcionar na segurança pública.
Aos idealistas de plantão lamento decepcioná-los, mas no ritmo que estamos caminhando a tendência é piorar. Então, proponho aos mais novos que procurem estudar e prestar outros concursos, contudo se realmente não tiver opção e desejar ficar nessa ingrata profissão, que seja uma “internet ambulante”. Tenha as leis na ponta da língua, pois somente com o conhecimento alcançará o poder, a autoridade e consequentemente o respeito e o sucesso. Quanto aos mais velhos, administrem o que puder, use toda sua experiência e pense exclusivamente na sua vida e da sua família, pois se vier acontecer algo inesperado é no aconchego de seu lar que encontrará refúgio e apoio.
Já não tenho mais disposição para encarar outras aventuras nessa vida, então não me venha criticar por aquilo que somente quem passou conhece. Por isso e pela exclusiva necessidade de sobreviver nesse país vou continuar minha caminhada nessa magnífica profissão ingrata.
É vergonhoso não poder citar nosso verdadeiro nome num país que se diz democrático, mas aqui isto pouco importa, afinal o que ficará escrito na memória de cada um são as idéias.
Finalizando, existem muitos motivos para a insatisfação do policial, mas a fim de evitar ser redundante termino com uma palavra que deve ser usado por todos: paciência praça, paciência.
E que Deus nos ajude, e muito !!!!!

Postar um comentário

Comentários - Regras e Avisos:
- Nosso blog tem o maior prazer em publicar seus comentários. Reserva-se, entretanto, no direito de rejeitar textos com linguagem ofensiva ou obscena, com palavras de baixo calão, com acusações sem provas, com preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com a legislação nacional.
- O comentário precisa ter relação com a postagem.
- Comentários anônimos ou com nomes fantasiosos poderão ser deletados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem a opinião deste blog.
- Clique aqui e saiba mais sobre a política de comentários.

 
Os pontos de vista aqui publicados são de responsabilidade dos respectivos autores, não representando versões oficiais de quaisquer instituições.
© 2007 Template feito por Templates para Você - Deformado por José Ricardo
▲ Topo