Psicotécnico, recurso, desmedidas contradições e questões jurídicas

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Assunto polêmico é este acerca do psicotécnico, que em alguns Estados é chamado de psicoteste, em outros de exame psicológico, e que eu carinhosamente chamo de psicodoido.

As polêmicas giram em torno da consistência do exame e sobre sua validade jurídica. Seria o psicotécnico realmente capaz de detectar traços de personalidade incompatíveis com a profissão? Para os leigos, muita dúvida paira no ar. Na minha opinião, é extremamente contraditório crer que traços num papel (PMK), questionários, entrevistas de uma hora, entre outros testes sejam capazes de demonstrar o perfil psicológico de uma pessoa. Acreditar nesses exames, para mim, é como acreditar em horóscopo, astrologia, búzios e ciganas que lêem os traços das mãos. Eu penso que somente se conhece uma pessoa conhecendo-a de verdade. Como disse Jesus, “não existe árvore ruim que dê fruto bom, nem árvore boa que dê fruto ruim”.

Sobre a questão jurídica, o STF já se manifestou, editando a súmula 686, que diz: Só por lei se pode sujeitar a exame psicotécnico a habilitação de candidato a cargo público. Cabe aqui dizer que, em tese, Editais e Resoluções não são leis e não têm força de lei, embora  algumas instituições ainda entendam de forma diferente. O pior cego é aquele que não quer enxergar...

O recurso abaixo aborda tanto o mérito do psicotécnico quanto questões jurídicas. Levanta algumas perguntas interessantes como: Não seria desmedidamente contraditório indicar um candidato para o cargo de soldado e o contra-indicar para o cargo de cadete, ou de aspirante ou de tenente? É justo tratar o policial militar, que exerce uma profissão com altíssimo nível de estresse, da mesma forma que um civil? A desmedida carga emocional e de estresse decorrente do serviço policial-militar não afetaria o resultado do exame? Se a corporação considerar que o policial militar, praça da instituição, apresenta traços de personalidade incompatíveis com a função, ela não estaria admitindo que não esteja dispensando aos seus policiais um acompanhamento ideal no que tange às condições de saúde, principalmente quanto aos aspectos psicossomáticos e psíquicos, onde a variável estresse tem um enorme poder de destruição da capacidade de trabalho, além de determinar a prevalência de sintomatologia física e psicológica?

Nomes de pessoas e instituições foram modificados para preserva-lhes a imagem.



RECURSO ADMINISTRATIVO CONTRA RESULTADO DE EXAME PSICOLÓGICO

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

1 - DA CONTRA-INDICAÇÃO NO EXAME PSICOLÓGICO

Primeiramente, quero agradecer às psicólogas que me atenderam na entrevista de devolução, porque elas me trataram com cortesia e com presteza, fornecendo-me as orientações pertinentes sobre o resultado do exame.
Fui contra-indicado para ingresso no CFO (Curso de Formação de Oficiais), segundo laudo psicológico, nos itens 2 e 6 da Resolução 3.692/2002 - Descontrole da agressividade e dificuldade em estabelecer contatos interpessoais.
Não sou psicólogo e não tive condições financeiras de contratar um para elaborar meu recurso. Então, não posso fazer alegações de ordem técnica. Vou apresentar para os senhores algumas informações sobre minha vida, minha profissão, etc. “Não existe árvore boa que dê frutos ruins, nem árvore ruim que dê frutos bons; porque toda árvore é conhecida pelos seus frutos. Não se colhem figos de espinheiros, nem se apanham uvas de plantas espinhosas” - (Lucas 6,43-44)
No ano de 2002, tranquei minha matrícula na Universidade Federal de Viçosa para ingressar na PMXX. São, portanto, mais de seis anos de minha vida dedicados com muito orgulho à corporação.
Ingressei na PMXX indicado psicologicamente para a função, atividade e serviço de natureza policial-militar. Em cumprimento à legislação, fui submetido a outras duas avaliações psicológicas para adquirir e para obter porte especial de arma de fogo. Uma foi realizada pelo Senhor Capitão PM QOS José José, nº. PM 000.000-0. O oficial relatou em seu parecer: “No momento da entrevista, o 3º Sgt José Ricardo não apresentou qualquer impedimento p/ seu objetivo”. A outra foi realizada pela Senhora Maria Maria, 2º Ten PM QOS, CRP 0000/00, que também deu parecer favorável, indicando não haver qualquer motivo para contra-indicação ao porte especial de arma de fogo.
Há mais de três anos, trabalho nos 4º/1º turnos - horário noturno - atendendo a toda sorte de empenhos. Já participei de ocorrências de troca de tiros, já entrei muitas vezes em luta corporal com cidadãos infratores para efetivar prisões, já fui ferido, cercado em aglomerados urbanos e já passei por uma infinidade de dificuldades e intempéries na luta diária contra a criminalidade. Trabalho e já trabalhei em horas que seriam de folga e/ou de descanso, fazendo Sindicâncias, Procedimentos Sumários, sendo escrivão em Inquéritos Policiais-Militares e como membro do Conselho de Ética e Disciplina Militar da Unidade. Enquanto a maioria das pessoas se diverte nos carnavais, anos novos, natais e outros feriados, eu estou nas ruas protegendo a sociedade, prendendo homicidas, assaltantes, traficantes, estupradores e toda gama de criminosos, colocando a vida em risco para o cumprimento da missão. E sinto muito orgulho disso, e amo o que faço. 
Sirvo à PMXX de Corpo, Alma e Coração, estando sempre pronto para cumprir as missões que me são confiadas, a qualquer hora do dia ou da noite, na sede da Unidade ou onde o serviço exigir.
Em minha carreira na PMXX, já passei por situações REAIS de forte pressão externa e emocional, risco de morte e de invalidez, e em nenhuma dessas situações demonstrei descontrole da agressividade.
Interajo com a comunidade em todo turno de serviço, uma vez que sempre trabalhei na atividade fim e, há mais de três anos, trabalho como comandante de viatura de radiopatrulhameto, guarnição própria para atendimento de ocorrências.
Já atendi e atendo todo tipo de ocorrências, em todos os níveis sociais, desde conflitos conjugais, familiares, de vizinhos, até assaltos, homicídios e outros crimes violentos. Intervenho em conflitos interpessoais no calor dos fatos, no momento em que os ânimos dos envolvidos encontram-se alterados, e sempre lhes dou soluções adequadas. Além de atender chamados, ajo de iniciativa, fazendo constantes abordagens, operações e procuro auscultar e interagir com os moradores locais.
Tenho excelente relação com superiores, pares e subordinados, tanto no âmbito profissional como no âmbito pessoal.
Não há nenhuma mácula em minha carreira. Muito ao contrário. Pelos serviços relevantes que prestei e por indicação dos meus superiores hierárquicos, recebi dois prêmios de Destaque Operacional, sendo um concedido pela Região de Polícia Militar e outro pela Companhia na qual estou lotado. Na minha ficha funcional, possuo várias notas meritórias e mais de uma dezena de menções elogiosas escritas. Estou no conceito máximo, A 50.
Se eu não cumprisse minhas atribuições com eficiência e com competência, ou demonstrasse ter descontrole da agressividade e dificuldade em estabelecer contatos interpessoais, certamente a própria PMXX já teria me colocado em outra função, como, por exemplo, administrativa. Certamente a PMXX não iria deixar um policial militar que supostamente é um risco potencial para a comunidade trabalhando nas ruas.
Disputei uma vaga nesse concorridíssimo concurso, que, baseando nos anos anteriores, deve ter tido uma relação de mais de 200 (duzentos) candidatos por vaga. Portanto, fiz por merecer.
Sendo deferido este recurso (e é isso que espero) ou não, vou continuar fazendo meu papel como policial militar que já sou, com muito orgulho; vou continuar coordenando operações, ministrando instruções, portando armas de alto poder de fogo (fuzis, submetralhadoras, agentes químicos, etc.), sendo encarregado de Procedimentos Administrativos e interagindo com a comunidade. Se posso continuar cumprindo minhas atribuições de policial-militar, de sargento de polícia, porque não posso ingressar no CFO?
O edital, no item 5.26.5, prescreve que, da análise conjunta das técnicas e instrumentos psicológicos utilizados no exame, “resultará o parecer INDICADO para os candidatos que não apresentarem nenhum traço de personalidade incompatível com o exercício da atividade ou serviço de natureza policial militar, e CONTRA-INDICADO para os que apresentarem fator de contra-indicação ou incompatibilidade para o exercício da função policial militar, nos termos da Resolução Conjunta nº 3.692, de 19/11/2002”. Eu já disse, mas não custa nada repetir, que eu já exerço função, atividade e serviço de natureza policial-militar. Já sou policial militar há mais de seis anos, ocupando atualmente a graduação de 3º Sargento PM. Trabalho e sempre trabalhei na atividade fim, no serviço eminentemente de natureza policial-militar, e amo o que faço, e faço com muito orgulho.
Segundo o laudo psicológico, do qual discordo, eu posso vir a adotar condutas desmedidas, agindo sob forma de condutas hostis e destrutivas, que poderão comprometer a minha atuação e por em risco a segurança da comunidade. Desmedida, no meu entender, e com todo respeito, é não levar em consideração meus seis anos de excelentes serviços prestados à PMXX, dentro dos quais eu não demonstrei ter esses traços de personalidade. Hostil e destrutivo (e contraditório) é entender que eu seja apto, psicologicamente, para ocupar o cargo de “Sargento” e inapto para o cargo de “Cadete”, ou de “Aspirante, ou de “2º Tenente”, uma vez que todos esses cargos desempenham atividades policiais.
Extremamente contraditório. Ingressei na PMXX sendo aprovado em todos os exames, inclusive e principalmente no psicológico, e, cerca de seis anos depois, a mesma PMXX me considera quase que um “monstro”, um risco para a comunidade. Extremamente contraditório e muito difícil de entender que eu, um suposto risco para a comunidade, tenha trabalhado por seis anos na atividade fim, lidando com a vida das pessoas, sem demonstrar descontrole da agressividade ou dificuldade em estabelecer contatos interpessoais. E, que fique claro, não sou eu quem está cometendo a contradição, é a própria PMXX.
Senhores, eu sou a mesma pessoa que ingressou na corporação há cerca seis anos, indicado psicologicamente para o serviço de natureza policial-militar, muito provavelmente o serviço com maior nível de estresse existente. O que eu adquiri nesses anos foram experiência profissional e experiência de vida.
Lembrem, senhores, que eu sou policial militar. Exerço uma atividade de alto risco e lido, no meu cotidiano profissional, com a violência, a brutalidade e a morte. Estou constantemente exposto ao perigo e à agressão. Intervenho em situações de problemas humanos de muito conflito e tensão. Diante desta conjuntura adversa, nunca demonstrei descontrole da agressividade ou dificuldade para estabelecer contatos interpessoais.
O laudo psicológico, do qual discordo, diz que eu apresento descontrole da agressividade e que tenho dificuldade para estabelecer contatos interpessoais. Pois bem, se eu entrei na PMXX sem esses traços de personalidade, onde eu os teria adquirido? Seis anos depois de meu ingresso na PMXX, e de enfrentar muitos riscos, a mesma PMXX vem que como me dizer: Agora você não serve mais para nós! É justo? É essa a política de valorização profissional da PMXX?
Alguns dados para reflexão. Fonte: http://www.ensp.fiocruz.br/portal-ensp/informe/materia/?origem=1&matid=14398

(...) O estudo revelou nível elevado de sofrimento psíquico entre os encarregados de efetivar a segurança pública nas ruas. Mais de 50% deles dormem mal; 48% sentem-se nervosos, tensos ou agitados; e 35% se queixam de cansaço constante. Cerca de 16% têm tremores nas mãos e 5% admitem: pensam em se matar.
Um quarto dos policiais se diz "incapaz de desempenhar um papel útil na vida" e quase 14% deles choram com freqüência.
(...) Associados ao desgaste físico e emocional aparecem o uso freqüente de álcool (acima de 40%), tranqüilizantes (13,9% entre oficiais e 8,5% entre praças) e até drogas como maconha, cocaína e crack (cerca de 4% entre oficiais e 2% entre praças).
(...) O risco que correm na profissão. Eles morrem, adoecem e se lesionam muito mais do que qualquer categoria. Essas pessoas arriscam a vida por muito pouco...

É justo tratar o policial militar, que, como indica o estudo, exerce uma profissão com altíssimo nível de estresse, da mesma forma que um civil? A desmedida carga emocional e de estresse decorrente do serviço policial-militar não afetaria o resultado do exame? Outra pergunta: Se a PMXX considerar, indeferindo este recurso, que eu apresente esses traços de personalidade incompatíveis com a função, ela não estaria admitindo que não esteja me dispensando, assim como não esteja dispensando aos demais policiais da corporação, um acompanhamento ideal no que tange às condições de saúde, principalmente quanto aos aspectos psicossomáticos, onde a variável estresse tem um enorme poder de destruição da capacidade de trabalho, além de determinar a prevalência de sintomatologia física e psicológica?
Senhores, o policial pode até ser um herói, mas não é um super-herói... Policial também é ser humano.
Agora, convido os senhores a lerem o próximo item deste recurso, porque entendo que meu ingresso no CFO é questão de Direito e de Justiça. Impedir-me de ingressar no CFO é uma afronta à legislação e ao Estado Democrático de Direito.

2 - DO DIREITO

A Constituição Federal, nos incisos do artigo 5º, diz que todo cidadão tem o direito de receber dos órgãos públicos documentos de seu interesse, para esclarecimentos ou para sua defesa. Então, por que não pude tirar cópia do laudo psicológico que me contra-indicou para o serviço de natureza policial-militar? A PMXX não estaria cometendo ilegalidade ou abuso de poder? E, prestem atenção, não estou falando dos testes que produzi, estou falando do laudo psicológico que foi elaborado pela equipe de psicólogos.
A qual quadro pertencem os cadetes e os aspirantes da PMXX? Por todos os estudos que fiz, os cadetes e aspirantes pertencem ao quadro de praças - QP-PM/BM (Praças da Polícia Militar ou do Corpo de Bombeiros Militar - Artigo 13 da Lei 5.031/69) -, mesmo que sejam considerados praças especiais. Ser considerado praça especial ou pertencer a esse “círculo” não os fazem pertencer a outro quadro, senão e somente ao QP-PM/BM.
Se o cadete pertence ao QP-PM/BM, porque é exigido do policial militar, praça do mesmo quadro da PMXX, a aprovação no exame psicológico para ingressar na CFO? O quadro não é o mesmo? Continuem lendo para entender porque fiz essas perguntas.
O edital do concurso determina que o exame psicológico seja realizado observando-se a Lei n.º 5.301, de 16/10/1969, a Lei 14.445, de 26/11/2002, a Resolução Conjunta nº 3.692, de 19/11/2002 e a Resolução nº 002, de 24/03/2003, do Conselho Federal de Psicologia (CFP).
De plano, é imprescindível ressaltar que Editais, Resoluções e Regulamentos não são Leis e não têm força de Lei. Leis são normas aprovadas por representantes do Poder Legislativo, eleitos por sufrágio universal de votos, e, portanto, representam a vontade do povo. Editais, Resoluções e Regulamentos são deliberações, ordens e despachos expedidos por administradores do Poder Executivo e podem ser mudados por eles próprios a qualquer momento.
De acordo com entendimento jurisprudencial pacífico, tendo por base a Súmula nº. 686 do Supremo Tribunal Federal - STF - e outras Súmulas de Tribunais Estaduais, somente o Edital ou Normas Administrativas não são suficientes para determinar se o candidato prossegue ou não nas demais fases do concurso em razão do resultado de exame psicotécnico. É preciso que haja previsão em lei para que o candidato seja desclassificado devido ao exame.
3.2 - A Súmula nº. 686 do STF determina:

Súmula nº 686 - Só por lei se pode sujeitar a exame psicotécnico a habilitação de candidato a cargo público.

A Súmula 11 do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, aprovada pela 4º Câmara Cível, de igual forma, determina:

11) É nula a exigência do exame psicotécnico para provimento de cargos públicos, sem previsão legal, critérios objetivos mínimos e direito a recurso administrativo previsto em edital.

Como se depreende das Súmulas, o psicotécnico em concursos públicos deve ser regido por leis, somente e unicamente por leis. Então, vamos analisar a leis. A lei 14.445/02, uma das quais rege o edital, é clara e inflexível, não prevendo exame psicotécnico para o concurso de provimento ao CFO para os policiais militares que já ingressaram no quadro de Praças da PMXX. A lei prevê esse exame apenas para o candidato civil ou não pertencente ao quadro de Praças da Polícia Militar.
Salienta-se que, se o candidato civil for aprovado no concurso ao CFO, ele ingressará no quadro de Praças, e não no quadro de Oficiais. O posto inicial da carreira de oficial é o de 2º Tenente PM, e não o de Cadete.
Abaixo está transcrito o que diz a Lei 14.445/02 a respeito:

"Ar. 6º - A avaliação psicológica é requisito obrigatório para a admissão e para a mudança de quadro na PMXX."

Eu já fui admitido na PMXX, inclusive, por esse mesmo motivo, nem fiz a bateria de exames médicos exigida para os candidatos não pertencentes à corporação.
Se eu ingressar no CFO, não haverá mudança de quadro. Vou continuar pertencendo ao mesmo quadro, ao QP-PM/BM (Praças da Polícia Militar ou do Corpo de Bombeiros Militar) - Artigo 13 da Lei 5.031/69.
Não existe melhor maneira de conhecer uma pessoa do que a conhecendo de verdade. Por isso, a Lei 5.301/69 prescreve que a vocação para o oficialato será realizada pela maioria dos oficiais da Unidade em que servir o aspirante.

Art. 192. A promoção de aspirante a segundo tenente só se dará se o candidato, além de satisfazer as condições gerais, tiver comprovada vocação para o oficialato, reconhecida pela maioria dos oficiais da Unidade em que servir.

Sobre a avaliação psicológica nos concursos da PMXX, assim diz a Resolução 3.692/2002:

Art. 14 - Compete à JS, a avaliação da sanidade física, mental, bem como a detecção de traços de personalidade incompatíveis com os serviços de natureza policial ou bombeiro militar ou para atividades inerentes ao cargo ou função nos candidatos à inclusão/admissão nas IME.
ANEXO "E" - (Doenças e Alterações Incapacitantes e Fatores de Contra-indicação paraAdmissão/Inclusão)

A Resolução usa os seguintes termos:

 Admissão nas IME. - De acordo com o Dicionário Aulete, admissão significa: “aceitação da entrada, do ingresso ou da contratação de alguém.”
Inclusão nas IME. - Definição de inclusão: “Ação ou resultado de incluir(-se), de integrar um elemento a um todo.”

Fui admitido e incluso na IME - Instituição Militar Estadual - no ano de 2002, ocasião em que fui aprovado nos exames psicológicos.
Pelo exposto, condicionar a indicação no exame psicológico como requisito indispensável de aprovação no concurso ao CFO para o policial militar já admitido/incluso na PMXX no quadro de Praças, em tese, é ilegal e apresenta-se irregular quanto aos requisitos de validade do ato administrativo, especialmente no que concerne ao requisito objeto. A lei 4.717/65 enumera as hipóteses em que ficam caracterizados os vícios e as situações de nulidade que atingem os atos administrativos:

 “Art. 2º (...)”.
a)incompetência
a)Vício de forma
b)Ilegalidade do objeto
c)Inexistência dos motivos
d)Desvio de finalidade
Parágrafo único.  Para a conceituação dos casos de nulidade observar-se-ão as seguintes normas:
a) . . .
b . . .
c) a ilegalidade do objeto ocorre quando o resultado do ato importa em violação de lei, regulamento ou outro ato normativo;

Conclui-se, portanto, que a matéria do exame psicológico fez-se coisa julgada no momento em que ingressei no quadro de Praças da PMXX. De igual modo, tenho direito adquirido de ser promovido a qualquer graduação do quadro de Praças sem a necessidade de avaliação psicológica. A coisa julgada e o direito adquirido são garantias constitucionais fundamentais e invioláveis, e estão dispostas no inciso XXXVI do Art. 5º da Constituição Federal:    

Art. 5º, XXXVI – a lei não prejudicará o direito adquirido, o ato jurídico perfeito e a coisa julgada.

         
A Administração não pode alegar o princípio da Isonomia entre os candidatos civis e os militares da corporação, porque o próprio edital do concurso, no item 3.2, estabelece condições específicas e diferenciadas para que o policial militar da PMXX seja aprovado no concurso ao CFO, condições que inclusive são mais exigentes e próprias da Instituição, quais sejam:

3.2 Condições específicas, se militar da PMXX:
a) não ter cometido mais de uma transgressão disciplinar de natureza grave transitada em julgado, nos últimos doze meses;
b) estar classificado, no mínimo, no conceito "B", com até 24 pontos negativos;
c) estar aprovado na prova escrita do TPB, na avaliação prática com arma de fogo e no TAF;
d) não estar submetido a Processo Administrativo Disciplinar (PAD) ou Processo
Administrativo Disciplinar Sumário (PADS);
e) possuir no máximo 20 (vinte) anos de efetivo serviço até à data de início do curso.

Seria desmedidamente contraditório a própria PMXX, em determinados aspectos, tratar o policial militar de forma diferenciada, conforme item 3.2 do edital, e em outros tratá-lo de forma igual ao candidato não pertencente aos seus quadros. Afinal, o candidato praça da PMXX é diferente ou é igual aos demais?
Outrossim, o princípio constitucional da Isonomia consiste em tratar os iguais de forma igual e os desiguais de forma desigual, na medida de suas desigualdades, objetivando alcançar a igualdade plena. Desse modo, não há que se falar em afronta ao princípio da Isonomia se somente o candidato civil tiver que realizar o teste, uma vez que o policial militar da corporação já foi submetido à avaliação psicológica quando ingressou na PMXX, e o candidato civil, não.
A PMXX também não pode alegar que o teste tenha prazo de validade, pois, se assim fosse e se assim ela considerasse, todos os policiais da corporação, do soldado ao Coronel, teriam que ser submetidos periodicamente à avaliação psicológica como à feita para ingresso no CFO, uma vez que seria um risco deixar um policial militar trabalhando nas ruas sabendo que provavelmente ele pudesse ter traços de personalidade incompatíveis com a profissão, isto é, sabendo que o policial militar representasse um risco potencial para a comunidade. E sabemos muito bem que isso não ocorre, que não existe teste psicotécnico periódico na PMXX.
Igualmente, não se pode alegar que os critérios mudem conforme o concurso, conforme a graduação pretendida, porquanto os critérios são os mesmos e, frisando, o teste é de admissão/inclusão. Toda promoção na PMXX, se assim fosse, deveria ser precedida de teste psicológico, em razão da futura mudança de atribuições inerentes ao novo posto/graduação e a assunção de um novo cargo. E sabemos muito bem que isso também não ocorre.
Para finalizar, transcrevo abaixo trechos do processo de nº 1.0024.06.989374-1/005(1) do TJMG - Tribunal de Justiça de Minas Gerais -, que teve decisão unânime dos desembargadores, dando ganho de causa a um soldado que fora contra-indicado no exame psicológico para ingresso no CFO da PMXX:

(…) Ora, se o Requerente, desde 22.04.2002, exerce atividade ou serviço de natureza Policial Militar, pois soldado daquela instituição, “não constando punições em seus assentamentos” (fls. 45-TJ), resta fragilizado o resultado da junta de psicólogos do concurso, que entendeu como inapto o concursado, notadamente, porque, no caso em debate, após os laudos particular e judicial, acrescido da certidão de fls. 45-TJ, seria contraditório que a Polícia Militar entendesse apto, psicologicamente, o Suplicante para ocupar o cargo de “Soldado” e inapto para o exercício de “2º Tenente”, uma vez que ambos os cargos desempenham atividades policiais. (grifo nosso)
(...) Com tais considerações, confirmo, integralmente, a sentença fustigada, no reexame necessário, de ofício, por seus próprios e jurídicos fundamentos, prejudicado o recurso voluntário. (…)

3 – DO PEDIDO


Diante do que foi apresentado, requer seja feita a reforma da decisão da avaliação psicológica.


Nestes termos,
espera deferimento.


Belo Horizonte, 15 de janeiro de 2009


José Ricardo - 3º Sgt da PMXX
            RECORRENTE



Gostou desta postagem? Então cadastre-se AQUI para receber as atualizações do Universo Policial no seu e-mail ou no seu agregador de Feed/RSS.

148 comentário(s):

Anônimo disse...

Ótimo recurso. Graças a Deus fui recentemente indicado no exame psicotécnico para o cargo de soldado.

Mas espero que um dia esses exames subjetivos e imprecisos sejam extintos do processo de seleção de uma instituição tão íntegra como a PMXX, ceifando sonhos e confundindo mentes.

Anônimo disse...

Aliás, foi a segunda vez que isso acontece colega? Vi que depois foi indeferido, mas mesmo assim desejo do fundo do coração boa sorte em sua carreira, equilíbrio, e que compreenda que a hora de Deus não é a nossa. Abraço!

José Ricardo disse...

Sim, é a segunda vez que acontece, a segunda vez que ocorre a contra-indicação. Um sargento de polícia que é contra-indicado para ser cadete, como pode?
Obrigado pelas palavras. Era minha vontade, mas talvez não seja da vontade de Deus. Talvez ele reserve algo melhor para mim. Penso em sair da corporação e seguir outro caminho, mesmo que seja para ganhar menos. Estou muito magoado com a corporação. Pra mim, aqui não serve mais...

Anônimo disse...

Caro companheiro solo gato José Ricardo, li atentamente o seu recurso e confesso que quase chorei ao ler.
Também acho uma tremenda incompatibilidade da PMxx reprovar um militar no exame psicológico. Estão assim, reconhecendo a própria fragilidade do sistema em não acompanhar os militares na vida profissional. Deus te abençõe cara. Também sou militar e trabalho no interior e também sofro com as mazelas da sociedade. Estou formando na faculdade de Administração e também penso em sair da PM pois vejo que aqueles que agarram a profissão como sendo a vida, não têm valor algum para o Estado. Um forte abraço.
SD Leandro, 3º BPM.

Anônimo disse...

LI O SEU O SEU RECURSO E ESTOU TRISTE POR VC...
TAMBEM PASSEI NA POICIA MILIATR DE MINAS GERAIS,CTSP RMBH 2009 ESTOU NA FASE DOS TESTES E UMA DAS FASES QUE ESTA ME IMCOMODANDO E O PSICOLOGICO...SERA QUE VC NAO PODERIA ME DAR ALGUMA SDICAS.. SOU-LHE GRATO.

José Ricardo disse...

Não tive nenhum valor. Só sirvo para morrer, para cumprir a missão com o sacrifício da própria vida, como aconteceu com os colegas de Ouro Fino.
No concurso anterior, quando eu também fui contra-indicado, a psicóloga me disse, quando eu falei que já passava e já havia passado por situações de fortes pressões emocionais: "Você não fez nada mais do que sua obrigação!!"
Será que os familiares e amigos dos dois policiais que foram assassinados em Ouro Fino pensam a mesma coisa? Nossa obrigação é morrer, arriscar a vida por tão pouco?
Dediquei de Corpo, Alma e Coração a esta instituição, e o que recebi em troca: Você não serve para nós! O CFO não é seu lugar!
- - - - -
Para o companheiro que pediu algumas dicas, veja o que eu li no Blog do Pracinha:

Normalmente o modo e as técnicas de aplicação dos testes estão consignados no edital do concurso. Por exemplo, o último edital do concurso ao CFO de Minas Gerais prescreveu que “o exame psicológico consistirá na avaliação objetiva e padronizada de características cognitivas e de personalidade dos candidatos, mediante o emprego de técnicas científicas. Poderão ser utilizados testes, questionários, inventários, anamnese, dinâmicas de grupo, testes situacionais e procedimentos complementares.”
Ou seja, o edital não definiu absolutamente nada; não dá para saber como será o psicotécnico. Se será entrevista (anamnese), dinâmicas de grupo, questionário… ou tudo isso.
Mas, para lhe ajudar, vou falar um pouco sobre os testes que eu já fiz.

A - Dinâmica de grupo: Quando eu fiz esse teste, foi pedido que cada candidato se apresentasse e falasse um pouco sobre um tema que foi apresentado pelas psicólogas. O tema era relacionado a algo sobre o trabalho da polícia ou sobre segurança pública. Portanto, procure se informar sobre esses assuntos.

B- Anamnese: É uma entrevista, que pode ser individual ou em grupo. É o tipo de avaliação que é mais contestado pela Justiça, em razão de sua clara subjetividade, visto que normalmente é aplicada por apenas uma psicóloga, a qual pode fazer um laudo falando o que quiser sobre você. Link para pesquisa:
A Entrevista psicológica e suas nuanças

C - Testes: São teste como o de QI - quociente de inteligência -, de motricidade, ou o famoso PMK (o teste dos riscos, bem semelhante àqueles que são feitos para tirar carteira).
Como é o teste PMK? Numa folha, existe o início de uma forma ou linhas geométricas (círculo, duas linhas em direções opostas, quadrado, etc.). No começo, você tem que ficar passando a ponta do lápis sobre a linha. Até aí é fácil. Depois, a psicológa de alguma forma tampa sua visão e você continua (ou tenta) passar a ponta do lápis sobre a linha ou a continuar o desenho. São várias folhas, com várias formas geométricas. Algumas vezes você tem que fazer o risco do início ao fim da folha, fazendo formas semelhantes à já impressa. Segundo os doutos psicólogos, esse teste consegue desvendar toda sua personalidade. Se você não tiver boa coordenação motora, você tá fudi…, porque vão te acusar de ser violento, louco varrido, alcoólatra, descontrolado. Eu já quebrei o punho e tenho pouca coordenação com uma das mãos. Então, é lógico que eu fico prejudicado nesse teste. Link para pesquisa:
Estudo abordando o teste Bender e PMK
Veja a foto da mesa de aplicação do PMK
Saiba mais sobre o teste PMK e outros em:
Visão geral de testes psicológicos

D - Questionário: Normalmente é escrito. São muitas perguntas, e sobre variados temas. Vida familiar, escolar, profissional, financeira, suas amizades, seu relacionamento com colegas, etc., etc.
Tome cuidado com as pegadinhas. Eles costumam repetir a pergunta, só que de forma diferente. Exemplo:
Você ingere bebida alcoólica?
Qual seu comportamento quando ingere bebida alcoólica?
Você bebe socialmente?
Link para pesquisa:
Psicologia e trabalho - Teste psicotécnico

Márcio disse...

É verdade...!Não há valor merecido para quem realmente merece.Provavelmente você não é filho de nenhum Cel.!!!Triste a sua contra-indicação.Fico realmente chateado pois através do seu blog vejo o quão culto você é.A sua ascensão na carreira, só engrandeceria ainda mais o quadro dos BRAVOS,BRILHANTES,HERÓICOS POLICIAIS MILITARES.Tenho pensado, não só eu, mas muitos companheiros, em sair da "Gloriosa"por causa de fatos como estes que acabam nos desmotivando.Um forte abraço e...lute sempre irmão.

José Ricardo disse...

Márcio, eu não tenho nenhum outro familiar na Polícia. É uma pena que policiais que se dedicam tanto, e não falo só de mim, recebam tão espinhosa recompensa. Agora, só me resta seguir outro caminho...

Anônimo disse...

quando nervoso fico meio gago... passei no ctsp 2009rmbh e queria saber se pode me atrapalhar a minha entrada no curso..sou-lhe grato

soldado da paz, mas treinado para guerra disse...

sarsgento que pena que o SR. não virou CAD, mas não desiste da PM não o sr. tem muito que ensinar para seus subordinados, sei que todos eles estão magoados pelo seu pequeno tropeço sei que e dificil ser "rejeitado", mas cabeça no lugar sair de um emprego fixo para um sem estabilidade e comprovar sua loucura (hahaah), vem para a S2, esfriar a cabeça e passar de novo no CFO e ser aprovado no CFO. o senhor mesmo já me falou para nunca desistir. tenho orgulho de ter sido seu patrulheiro e por isso se precisar e só falar, que DEUS ESTEJA COM NÓS.

José Ricardo disse...

Soldado da Paz, claro que eu não vou  sair assim subitamente. Vai ser tudo planejado, como é de meu costume. Dinheiro é muito bom, mas não é tudo... Tem um ditado que diz: Do que vale ganhar o mundo inteiro se eu perder a alma, a motivação, o ânimo... Soldado da Paz, companheiro de tantos momentos de riscos, imagine minha auto-estima, minha moral, em dizer para os meus familiares (mãe, pai, irmãos, avós, tios, etc.) que eu não ingressei no CFO porque a psicóloga afirmou que eu sou hostil, destrutivo, que não me relaciono bem com subordinados, pares e superiores. Como eu falo isso para os meus colegas da caserna? Todo mundo pergunta, você sabe disso. Fere a imagem e a moral de uma pessoa.
- - - - -
Resposta ao outro comentário. Candidato, ninguém tem 100% de fluência na fala. Tem pessoas que tem fala apressada, alguns são fanhos, etc. Minha fluência verbal não é perfeita. A gagueira só é considerada um transtorno, segundo Classificação Internacional de Doenças (CID-10), quando a intensidade de perturbação incapacite de modo marcante a fluidez da fala. Não se preocupe tanto com isso, porque a PMMG não está mais fazendo entrevista oral; dizem que é por questão de economia e por ser proibido judicialmente. De toda forma, nada impede que você procure uma fonoaudióloga. Antes de ingressar, eu fiz tratamento por cerca de seis meses.

renan disse...

Caros senhores, atualmente fui excluido da PMSC devido a cassação de uma liminar que me foi concedida para permanecer na corporação, estou lutando judicialmente, e através deste consegui ler o laudo elaborado pelos psicólogos da PM.
Neste laudo, sou contra-indicado em todos os testes, e, no próprio laudo há uma contradição, no primeiro teste o chamado palográfico, aquele de rabiscar em uma folha, os meus rabiscos indicaram agressividade, descontrole emocional, entre tantos outros problemas, que se levados em consideração resultariam no meu imediato internamento em um hospital psiquiatrico....
pois bem, concluí o CFSd e trabalhei durante um mês na atividade fim da PM, recebi até referencia elogiosa pela minha participação nas operações no vale de Itajai, na recente catástrofe ecológica, mesmo assim fui excluido.
Considero o resultado de meu exame psicológico uma afronta!
Para minha defesa e reinclusão nos quadros da PM pretendo alegar a chamada teoria do fato consumado, ou seja, o teste me considera inapto para a função, mas fui aprovado com aproveitamento no curso de formação e trabalhei na atividade fim sem apresentar qualquer disturbio ou disfunção de personalidade.
Espero com isso ganhar a causa.
Abraço a todos.

Wladimir disse...

Nem todos os caminhos da vida são flores, na maioria das vezes, existem somente pedras. Vamos fazer como diz o ditado: "As pedras que encontro no caminho, colho-as e construírei meu próprio castelo". Força e coragem companheiro, você ainda vai se lembrar desta situação, e sorrirá muito. abraços.

José Ricardo disse...

Wladmir, que Deus lhe ouça. É isso que espero.
Gostei do ditado. É semelhante a este: A dor nos constrói ou nos destrói

Anônimo disse...

sou o rapaz que quando fica nervoso fica gago... lhe agardeço pelas resposta.. que DEUS lhe abençoe....e futuramente estarei na pmmg.. sendo seu irmao de farda...

Anônimo disse...

Não desista, sgt, um colega meu do curso foi reprovado três vezes no psicotécnico. Só conseguiu na quarta tentativa, mas está lá! Tenho uma referência de uma ótima clínica em BH que trata exclusivamente desse assunto, caso queira, te passo reservadamente o num., sem pretensão alguma. Abraço.
"Ânimo, eu venci o mundo."(jo16:33)

Anônimo disse...

Outra coisa, caso entre com esse mesmo recurso, sem retirar uma virgula sequer, na intância judicial, irá tranquilamente lograr êxito. Disseram-me que a única possibilidade de se ganhar um recurso administrativo é quando o exame e seu respectivo laudo vier com algum vício, ou erro material, constatado por psicólogo registrado em conselho de classe e não conveniado com a PMXX. Tenha certeza de que não será uma situação embaraçosa fazer o curso sob tutela de uma liminar, até pelo fato de que você terá mais experiência, como policial-militar, como cidadão.

Leandro PM disse...

José Ricardo, não posso te falar pra não desistir prq ja vejo em suas palavras o seu desânimo e sua decepção com a PMxx. Mas te confesso cara, que tudo tem seu tempo e sua hora, tenho um irmão que foi reprovado no exame psicológico da PMxx e ficou super chateado. Constatou-se no exame que ele tinha distúrbio e incapacidade de raciocínio. Putz, o cara é super inteligente e super tranquilo. Posteriormente ganhou uma bolsa de estudos na PUC Minas e hoje é um excelente advogado e não se lamenta nem um pouco em não ter entrado pro CTSP. Atualmente estuda pra concursos federais e se tivesse entrado pra PMxx, sinceramente não estaria no pé que está hoje. Daí fiz o concurso da PMxx e passei. Pelo que vi no psicológico, ou psicódoido como vc diz, acredito que esse método não consegue avaliar o perfil de cada pessoa. Mas não desita dos seus sonhos cara. Deus está por nós e precisamos dele pra nos guiar em nossa árdua jornada. Um forte abraço e continue sendo essa nobre pessoa que és.

José Ricardo disse...

Já tenho um processo judicial em andamento, do concurso anterior (CFO-2008). Acho que tenho grandes chances de ganhar. Mas, mesmo ganhando, é triste saber a espinhosa recompensa que a PMXX me deu. Vai ficar para sempre guardado na minha memória. No ano passado, minha esposa chorou muito quando viu que eu havia sido contra-indicado. O choro dela doeu em mim, doeu mais que uma facada...
Obrigado pelas palavras. Saudações!
- - - - -
Leandro, fico feliz por seu irmão. Cara, eu tranquei minha matrícula na Universidade Federal de Vicosa para ingressar na PMMXX. Talvez tenha sido o maior erro da minha vida. Com um diploma de curso superior, eu poderia prestar outros concursos, com melhores salários. Mas não, fui seguir meu coração, e olha no que deu.
Obrigado pelas palavras. Saudações!

Anônimo disse...

José Ricardo, uma pena o que houve contigo. Mais triste ainda é a possibilidade de um guerreiro como você estar com pensamento de deixar a gloriosa. Cada vez mais, vejo alunos que não tem nada a ver com a profissão Policial Militar, já entram desmotivados e reclamando de tudo, enfim, são profissionais que estão com o coração fora de "casa".
Assim como você, sou um guerreiro que luta de corpo e alma dia a dia por uma sociedade melhor para os cidadãos de bem, dentro das minhas possibilidades, fico triste em saber que pensa em deixar o enfrentamento direto.
Mas, só você sabe o que passa dentro de seu coração...Desejo que DEUS o abençoe.

Anônimo disse...

osé Ricardo, Bom dia! Concordo com vc. Vms falar claramente.... Este exame , daforma que e feito pela PMMG e mais nos outros estados é uma palhaçada!!!! O que eles deveriam fazer é aplicar exames durante o curso, que em Mg e de 9 meses.Ai sairia um laudo aceito. Meu nome é Mário passei no CTSP 2007 capital com uma nota ótima. Fui contra-indicado no exame psicolo. Alegaram descontrole emocional, e impulsividade. Não aceitei o laudo pois não tenho isto nunca fui descontrolado e penso MTO antes de fazer uma coisa. Entrei na justiça. O juiz me concedeu, em julho depois de 7 meses de processo, a pericia. PARA AS SUAS SURPRESA FUI INDICADO: "O PERICADO NÃO POSSUI NENHUMA CONTRA-INDICAÇÃO PARA EXERCER O CARGO DE POLICIAL MILITAR" vibrei bastante! Pois ja sabia que não ia dar o que a PM alegou. Tenho mta fé em DEUS e sei que ele fez e fará justiça! Mas o que não podemos deixar NUNCA é de lutar!!! J Ricardo não deixe de lutar pelo seu direito. As coisas nesse mundo dos homens são assim mesmo, injustas. Temos que lutar para indireita-las. NÃO DESISTA!!! LUTE!!! Eu vou fazer 30 anos tentei, antes de passar no 2007, 6 VEZES o concurso. Passei na 6° vez e aconteceu isto. Mas estou a um passo de fazer o curso. O juiz a qualquer momento vai dar o veredito. Provei que este exame É MTO SUBJETIVO. Não podia reprovar!!! Não desista Ricardo!!! Nós somos guerreiros e vms vencer esta guerra, COM CERTEZA!!! Abraço e estou contigo irmão!!!! Bom dia Sargento!!

José Ricardo disse...

Companheiro, pode ter certeza que nós iremos ganhar esta batalha. A justiça tarda, mas não falha. Saudações!

Anônimo disse...

Prezado

Isto muito triste, pois a corporação não valoriza as pessoas que já pertencem ao quadro. Este é o Brasil. Espero que você não desista.

Saudações

Luciano

Anônimo disse...

Soldado Brucis
Caro companheiro de tantas ocorrências, me lembro até hoje no primeiro dia nosso de serviço no radio patrulhamento pela cidade Samsung, lembro-me que mal havia formado na gloriosa PM e ainda estava com o pensamento que todos os policias bons de serviço tem quando formam, o de mudar o mundo. Aprendi com o senhor que as coisa não são bem assim, o senhor me mostrou que não sou capaz de mudar o mundo, mas me mostrou que poderia fazer a minha parte, mostro-me que desistir é a opção dos FRACOS e que persistir é a opção dos FORTES; não canso de ficar indignado como um policial com as qualidades que o senhor possui poder ter sido reprovado em um concurso que o senhor tanto sonhou, e por um motivel fútil como por exemplo a discriminação, mas ao mesmo tempo reflito que foi esse policial REPROVADO com à alegação de praticamente de "doido" foi justamente ele que contribuiu 100% para que eu pode-se entender como o serviço policial funciona realmente nas ruas, foi esse mesmo "doido" que juntamente comigo evitou a poucos meses que uma garota se suícida-se, foi o mesmo "doido" que corrigiu meus erros com tanta magnificência quando comecei minha carreira militar, me mostrando o caminho certo; a única coisa que em todos nosso serviços discordo do senhor é o seguinte: "Márcio, eu não tenho nenhum outro familiar na Polícia." não concordo com o que disse pois lhe garanto que o senhor não foi só apenas um companheiro de serviço, hoje vc para mim é um IRMÂO de farda, o qual posso confiar , para mim, os nossos serviços policias não ficaram apenas como serviços e sim acabaram em uma grande amizade e companherimos. Pode ter certeza o senhor não está sozinho vc tem um irmão de farda que estará sempre do seu lado companheiro.
OBS. o senhor não precisa colocar uma estrela no ombro para mostrar o bom profissional que o senhor sempre mostrou ser, fico feliz de saber que tenho um irmão de farda tam competente pois sei que o seu sucesso é o sucesso de todos nós militares, e que o meu sucesso também será o de todos os militares.
Um grande abraço senhor TENENTE

Anônimo disse...

Soldado Brucis
Caro companheiro de tantas ocorrências, me lembro até hoje no primeiro dia nosso de serviço no radio patrulhamento pela cidade Samsung, lembro-me que mal havia formado na gloriosa PM e ainda estava com o pensamento que todos os policias bons de serviço tem quando formam, o de mudar o mundo. Aprendi com o senhor que as coisa não são bem assim, o senhor me mostrou que não sou capaz de mudar o mundo, mas me mostrou que poderia fazer a minha parte, mostro-me que desistir é a opção dos FRACOS e que persistir é a opção dos FORTES; não canso de ficar indignado como um policial com as qualidades que o senhor possui poder ter sido reprovado em um concurso que o senhor tanto sonhou, e por um motivel fútil como por exemplo a discriminação, mas ao mesmo tempo reflito que foi esse policial REPROVADO com à alegação de praticamente de "doido" foi justamente ele que contribuiu 100% para que eu pode-se entender como o serviço policial funciona realmente nas ruas, foi esse mesmo "doido" que juntamente comigo evitou a poucos meses que uma garota se suícida-se, foi o mesmo "doido" que corrigiu meus erros com tanta magnificência quando comecei minha carreira militar, me mostrando o caminho certo; a única coisa que em todos nosso serviços discordo do senhor é o seguinte: "Márcio, eu não tenho nenhum outro familiar na Polícia." não concordo com o que disse pois lhe garanto que o senhor não foi só apenas um companheiro de serviço, hoje vc para mim é um IRMÂO de farda, o qual posso confiar , para mim, os nossos serviços policias não ficaram apenas como serviços e sim acabaram em uma grande amizade e companherimos. Pode ter certeza o senhor não está sozinho vc tem um irmão de farda que estará sempre do seu lado companheiro.
OBS. o senhor não precisa colocar uma estrela no ombro para mostrar o bom profissional que o senhor sempre mostrou ser, fico feliz de saber que tenho um irmão de farda tam competente pois sei que o seu sucesso é o sucesso de todos nós militares, e que o meu sucesso também será o de todos os militares.
Um grande abraço senhor TENENTE

Anônimo disse...

Soldado Brucis
Nunca desista, pois o senhor já é um vencedor, não vai ser um simples exame psicológico realizado em dois dias que mostrará seu carater e o profissional excepcional que o senhor representa para a gloriosa, não precisa se envergonhar amigo em dizer aos seus familiares que não foi aprovado em um concurso, que o considerou como "monstro" e sim dizer a quem lhe perguntar sobre o assunto que: " eu não perdi nada, quem perdeu foi esse concurso que disperdisou a oportunidade de ter como aluno um profissional tão dedicado"

José Ricardo disse...

Brucis, grande companheiro de tantas jornadas, acabamos por ficarmos amigos, mais do que irmãos de farda. Muito obrigado pelas palavras de incentivo. Você é uma pessoa muito especial, e acho que eu aprendi muito mais com você do que você comigo. Você é uma pessoa muito prestativa, de um coração muito bom.

A menina que queria suicidar foi você quem a salvou.

Quando você me conheceu, eu já havia perdido grande parte de minha motivação. Gostaria que você tivesse me conhecido um anos antes.

Que Deus nos proteja nessa luta contra a criminalidade. Obrigado, muito obrigado.

Anônimo disse...

queria que vc me dasse uma resposta criativa se caso a psicologa me perguntasse pq eu quero ser policila militar.. sou-lhe grato..

Anônimo disse...

Boa tarde, serei submetida ao teste psicotécnico e busco orientações de como serão as perguntas individuais, pois pensar no que não se conhece gera muita ansiedade…Sobre os teste que serão aplicados acredito que não há como se preparar, pois são testes ligados a personalidades o que não muda mesmo com preparo…Obrigada

Anônimo disse...

Olha caros amigos pior do que isso e que tem
acontecido na policia civil do estado de goias, o que eles tem feito com portadores de deficiencia fisica querem que presta a avaliacao fisica com mesma forma com as pessoas normas imagina o descaso!!!

Anônimo disse...

Li o seu recurso e percebi a notável procedência. Acontece que a sua corporação é composta por homens cheios de imperfeições como em qualquer outra. Apesar de viver-mos na democracia, muitos militares ainda não assimilaram a nova realidade e preferem tomar decisões com base no autoritarismo, atropelando muitas vezes as leis em detrimentos a normas e regularmentos internos, oa quais estão muito aquem da Constituição. Sou militar da Marinha, tenho mais de 20 anos de serviço e também fui rejeitado para cumprir a missão Proantar. Lá as possibilidades de recursos são mínimas e nós também não temos acesso ao laudo da equipe avaliadora. Não existe nenhuma transparencia deste exame subjetivo e polêmico. Que Deus te abençoe na tua luta. Uma coisa é certa diante das circunstãnciase com a repercussão dos fatos, te respeitarão mais e muitos outros passarão a lutar pelos seus direitos mediante a sua história, que é a história de um vencedor.

Anônimo disse...

Companheiro, sou 1º SGT da PMBA, tenho 11 anos de serviço e passei no CFO daqui este ano. Fiz o Psicoteste a 9 dias e estou um pouco preocupado com o seu resultado. Li seu recurso e achei muito bem elaborado e tenho certeza, se for de ua vontade, que entrando na justiça sem dúvida ganha a causa. Peço a Deus que eu seja INDICADO no exame q fiz, mas se ocorrer o contrario farei o reteste, entrarei com recurso administrativo e se necessario recurso judicial. não desistirei. ja´passei no exame da pmba a 11 anos, no exame do detran e no exame da Policia Rodoviaria Federal, concurso este que fiquei como suplente; tenho porte de arma, apuro processos administrativos, já fui escrivão de IPM e PAD; sendo assim, tenho certeza que possuo totais condições de adentrar a academia. pelo que vi de seu recurso o seu caso não é diferente. aconselho-lhe a não desistir, pois as conquistas mais dificieis são mais valorizadas por nós. abraço e boa sorte.

Anônimo disse...

MEUS AMIGOS, PARABENS PELOS COMENTARIOS. FUI RECENTEMENTE CONTRA INDICADO NO PSICOTECNICO DA PMPA, ESTOU TRISTE MAS JÁ PREPARO MEU RECURSO CONTRA ESSE RESULTADO. CONTO COM VOSSAS ORAÇÕES. ME DESEJEM BOA SORTE

Anônimo disse...

José Ricardo

Estava procurando um modelo de recurso e encontrei o seu. Ele é muito bom e sinto-me revoltada em saber que ele foi indeferido. O nível contraditório é inexplicável até para a PM. Estou entrando com um recurso para o resultado do exame psicológico para soldado 2ª classe para um amigo meu que foi temporário 2 vezes, em ambas trabalhando na guarda do quartel, portanto portando armas e agora esse resultado? E é a 4ª vez q ele reprova no psicológico, mas continua na guarda!
Estou quase me formando em psicologia, conheço todos os testes aplicados no psicológico e afirmo que os detesto! Não há nada definitivo, tudo é uma série de "Pode ser que..."...enfim, totalmente indignada!
Espero que você obtenha sucesso no caminho que seguir.
Fica com Deus!

*Priscila

Anônimo disse...

Boa tarde a todos, no dia 28-04-2009, saiu a listagem do resultado do exame Psicotécnico e meu nome não constava na listagem, fui no dia seguinte no CFAP e eles mandaram eu ligar depois de 10 dias úteis que eles iriam reavaliar o resultado. O que posso fazer durante esse prazo? Me ajudem!

Anônimo disse...

Fique em cima, cobrando insistentemente do CFAP!

Anônimo disse...

Caro José Ricardo , sua história como militar e muito bonita guerreiro (e ao mesmo tempo triste por tudo isso que foi citado) , fui recentemente reprovado no Psicotécnico do CBM/Ro , tbm tou muito triste , sei das dificuldades que um militar enfrenta , mais sempre quis seguir essa profissão , o sentimento que nos passa e que vc batalha por um objetivo e um simples laudo lhe rejeita , jogando seus sonhos longe , vou entrar com recurso , mais como alguns amigos ja citou aqui se não for da vontade do Homen la de Cima vamos seguindo nosso caminho ....

Um grande abraço , te desejo muita sorte na sua jornada companheiro , pois tenho certeza que aonde vc estiver exercendo uma função , seja ela qual for , será um grande profissional .

José Ricardo disse...

Obrigado pelas palavras, companheiro. Devemos colocar nossas vidas nas mãos de Deus. Somente ele sabe o que o melhor para nós. Saudações.

Anônimo disse...

Oi...gostei muito do se recurso....eu fui regeitado tambem no teste psicotenico da PM de rodônia 2009, no primeiro momento não conseguia me conformar.
Mas sei que Deus é justo...ele sabe do meu esforço para passar nas provas objetivas e redação...e teste fisico..
E outra coisa que achei muito interesante que o tema da redação do concurso foi: COMO PODEMOS JULGAR UMA PEDRA SE NÃO CONHECEMOS TODOS OS SEUS LADOS...bem que eles poderiam voltar e olhar esse tema para julgar esse teste psicotenico...

Anônimo disse...

Vejo com é impressionante o numero casos de reprova nos testes psicologicos para PMs de todos estados, infelizmente tambem sou mais um a entrar para esse time, ainda não se o motivo da reprova pois ontem soube da inaptidão, nunca em toda minha vida tive problemas de fator psiquico, tenho 25 anos casado pai de uma linda filha de 9 meses, fui honesto em todos os testes mesmo assim inapto, fui por 7 vezes a capital do estado para executar todos os teste, e nem em todos conseguimos chegar com 1 dia de antecedencia para repousar de maneira adequada, me questiono se uma instituição de tamanho porte não consegue fazer os teste em seus CPIs para colaborar de maneira que todos os candidatos tenham no minimo igualdade nos testes, e por esse e outros motivos que estou pensando em entrar com um MS,mas tb tenho receio de que se negativamente venha a ser julgado isso possa de alguma maneira marcar-me nos proximos concursos.

Anônimo disse...

José Ricardo, sem palavras para expressar, o que estou vendo aqui nesse Blog, tem que realmente existir uma pessoa como você, para mostrar que esse exame psicológico é uma farsa para eliminar pessoas de bem, pessoas que realmente se comprometem em serem verdadeiros policiais como o senhor. Sinto-me indignado com a forma em que são aplicados os testes psicológicos, sabe o que me parece sinceramente, que o concurso de policia militar virou um verdadeiro balcão de negócios, onde se ganha muito dinheiro para eliminar pessoas honestas e dignas como o senhor que não merece passar por isso que está ACONTECENDO.
.
“Tenha minha total consideração e apoio”.
.
Recentemente fiz o concurso CTSP/BH/2009 aonde cheguei com sucesso em todas as fases estou agora no último que é o terrível piscoteste, infelizmente se torna terrível pelos motivos citados, meu nome é Leandro, preciso até por isso da sua orientação, pois lendo seus comentários nada melhor que o senhor para poder me ajudar, vou relatar tudo que aconteceu comigo na aplicação dos testes, onde já sei que vou ser contra-indicado, não querendo ser pessimista, mais, sim sendo realista diante da situação que ocorreu, acredito que foi Deus, quem me iluminou naquele momento, me mostrando que eu estava sendo enganado para ser contra-indicado no resultado do dia 10 de Agosto, de 2009, data que vai sair o resultado e todos aqui podem conferir, sem nenhum problema o que estou falando com total e absoluta certeza, Leandro Santos da Silva (Contra-Indicado), por ser uma pessoa agressiva, impulsiva, e de extremo descontrole emocional,ou seja serei contra-indicado em todos esses itens: GRUPO V: DOENÇAS E TRANSTORNOS MENTAIS E DE COMPORTAMENTO: 1.demências, retardos
mentais e outros transtornos mentais devidos a lesão, disfunção cerebral e a doença física; 2. transtornos
psicóticos; 3. transtornos do humor (depressão, distimia, mania e outros); 4. transtornos ansiosos, dissociativos,
somatoformes, neuróticos e relacionados ao estresse; 5. transtornos de personalidade; 6.transtornos relacionados
ao uso de álcool e outras substâncias psicoativas; 7. outros transtornos comportamentais e emocionais, com
início habitualmente durante a infância ou a adolescência, incluindo gagueira; 8. transtornos do sono, dos hábitos
e dos impulsos; 9. história de tratamento psiquiátrico ou uso prolongado de psicofármacos; 10. doenças e
distúrbios mentais e de comportamento incompatíveis com a função policial ou bombeiro-militar.esse vai ser o resultado do laudo psicológico, vou agora, explicar o que aconteceu...

Anônimo disse...

A clinica onde foi aplicado o teste de PMK, não sei se posso falar o nome dela aqui, se Vossa excelência permitir, posteriormente irei postar o nome da clinica...
.
Bom, meu horário de aplicação foi marcado para 15h30min da tarde, do dia de Quinta-Feira, dia 10/06/2009.
.
Como de praxe, os psicólogos sempre avisam que os candidatos cheguem com uma hora de antecedência, pois quem chegar atrasado vai ser eliminado do concurso, pois a PMMG, preza pelo horário, horário para PM é muito importante, então ouvindo aquilo saudosamente, pensei tenho que chegar com uma hora de antecedência, peguei o metrô e me dirigir até a estação Minas Shopping, depois de 20 minutos de caminhada, até chegar a clinica de psicologia, chegando tranquilamente à mesma, depois de algumas conversas para descontrair,onde relatei nessa conversa que não estava me sentindo bem, fiz algumas perguntas a psicóloga, Doutora é possível um candidato fraudar seu resultado tendo conhecimentos dos testes que seriam aplicados, apartir daquele momento percebi um olhar frio, que era como me dissessem assim... Só por você ter feito essa pergunta você já está contra-indicado. Fiz essa pergunta, pois vários candidatos foram pegos com o gabarito do relógio onde os mesmos já sabiam como resolver os problemas que lhe foram dados e até mesmo esse próprio teste pode ser baixado em sites onde 90% dos candidatos puderam conferir esse bendito teste do relógio, a resposta da psicóloga foi... Não se preocupe, nós temos técnicas que descobrem facilmente se um candidato está fraudando os testes aplicados, fiquei na duvida, será mesmo que vão conseguir dizer com precisão que 90% dos candidatos já sabiam do tal teste, fora o questionário que muitos já sabiam o número que iam colocar do 1 ao 7, fora o bendito PMK, onde a própria psicóloga confessou que clinicas conveniadas haviam aplicado os testes do PMK para candidatos e que as mesmas iam responder por isso,no conselho de psicologia,ficou muitas duvidas pairando no "ar", será mesmo que esses indivíduos vão se sair pior ou melhor que eu, por eu não ter feito o que eles fizeram, essa foi minha duvida primitiva e cruel?, Pois fui honesto em minhas respostas e não fiz o teste de PMK para fraudar o meu resultado.

Anônimo disse...

O meu caso...
.
Cheguei a clinica por volta das 14h20min, precisamente e não demorou muito depois de um candidato, logo fui chamado para o bendito teste, depois que a psicóloga fez seus argumentos de defesa e eloqüência, em me falar que minha contra-indicação pode se dar pelo momento em que estou, ai pensei como que, avaliando o momento, não se pode saber ao certo através desses traços que, somos capazes que todos temos defeitos, que apesar do momento somos pessoas capazes e que simples conclusões podem nós tornar pessoas desprovidas de nossos sonhos e capacidade, pelo simples fato de um simples momento. Ora, se houvesse gás hilariante, talvez inalasse para poder adquirir o momento tão desejado pela psicóloga, afinal se esses benditos podem julgar o momento, por que não julgam que o momento de cada pessoa pode ser precipitado, ou melhor por que não julgam as pessoas que fraudam seus resultados e passam no concurso, recentemente no “Prado”, pude observar coisas absurdas, candidatos do curso de formação descontrolados, vi até mesmo um candidato ameaçando o dono de uma pensão,onde quase que entraram aos murros o rapaz por pouco não esmurrou o senhor de idade por não aceitar que este senhor tivesse posições contrárias dentro da sua casa por parte do rapaz, e olhe que essas posições a que menciono são coisas quase que coisas fúteis, comparando a outras situações ;como gasto de água, uso inapropriado da internet site pornográficos, ferro sendo usado indiscriminadamente por mais de 2 horas, para passar sua farda e etc.” e outros casos de fraudes”, ai me perguntei esse candidato não tem condições de ser um policial” como que esse candidato passou no piscoteste” , com certeza foi fraude ou um descuido dos psicólogos, “me questionei” com certeza se perguntasse sobre esse fato a psicóloga onde fiz meus exames, ela me diria que era o momento que o candidato estava, sei, pois os psicólogos no meu entendimento só analisam o momento, será que não falta algo mais, que esse bendito momento, antes de reprovar um candidato que tanto lutou , lutou, chorou muito, passou por dificuldades em todos os sentidos, como no meu caso, que sou da Bahia/Valença, tive que viajar 24 horas de ônibus que só Deus sabe como, e chega no final, você foi reprovado por ser uma pessoa agressiva, descontrolada, ser um bosta e não serve para policia, tudo por uma simples ansiedade.

Anônimo disse...

“Ai me pergunto, que momento é esse que destrói sonhos e te deixa uma pessoa ridícula pelo momento” tenho que fraudar meus resultados para ter um momento é isso, Ou realmente sou uma pessoa agressiva impulsiva, como deve apontar o laudo. E por que não fazem antes uma investigação social para saber o comportamento de cada individuo e tiraram suas próprias conclusões, podem tirar até as minhas .
.
Chegado a minha vez, onde já estava ansioso e confesso um pouco nervoso, por não saber o que me esperava, antes da aplicação tinha ingerido água achando que poderia controlar minha ansiede, pedir para ir ao banheiro 2 vezes, depois a psicóloga me fez umas perguntas sobre família, se bebo, se fumo, se tomo café, etc., respondir que não em quase todas elas, café falei que bebo, 2 a 3 xícaras por dia, que minha mãe tem problema cardíaco. Etc. depois do questionário foi à vez do PMK, onde foi me mostrado como eu deveria fazê-lo, no começo as duas primeiras folhas acho que estava indo bem, como estava ansioso fiquei preocupado com o que estava fazendo no papel do PMK, logo após o desenho do circulo, onde teria que da voltas com o lápis no sentido ante-horário, me veio então o desenho do’” “U” fiquei mais ansioso ainda, pois no momento em que me encontrava não estava bem comigo mesmo, estava preocupado com problemas externos, onde lutava para sair da minha cabeça, ou seja meu pai estava fazendo uma cirurgia , foi uma mistura de problemas, não estava bem naquele dia, e o mais engraçado tinha falado para a psicóloga que não estava bem, ela esperou eu entrar na sala para depois poder me dizer que como já havia iniciado o teste não poderia remarcá-lo para o outro dia, ai se já não estava bem fiquei pior ainda, depois ainda me ofereceu um copo com água e açúcar, onde perguntei se esse copo com água e açúcar não iria me prejudicar, a mesma com uma voz doce disse, claro que não!: fique tranqüilo é só para te acalmar, nossa!!! Imaginei que amor de psicóloga, nem imaginava o tipo de pessoa que estava por trás daquela graciosidade, terminado todas as folhas a mesma levou para uma sala para ser analisado ai me veio a surpresa maior , para me enganar, pois justo o teste que acho que fui bem ela me trouxe para repetir a folha, foi o teste dos traços horizontais dentro de um "U" onde tinha que fazer vários traços no mesmo, não sabendo ela que eu já tinha total “PRECENTIMENTO” que não foi esse bendito que fui mal e sim outro, foi ai que caiu a ficha. Na verdade ela estava querendo me enganar pois estava querendo se livrar de mim, alguém aqui já ouviu falar de eufemismo, pois é, foi o que essa dita cuja usou para tentar me persuadir.

Anônimo disse...

Depois desses acontecimentos me vem à maior de todas as surpresas, senhor Leandro aguarde um momento, enquanto fazemos um relatório, pronto imaginei "já é meu atestado de inaptidão, to ferrado" a PM psicóloga me fez assinar um documento na frente de vários candidatos me fazendo passar constrangimento, onde vários começaram a rir. Nesse documento constava tudo que tinha acontecido do banheiro até a água com açúcar, sair arrasado da clinica, chorei muito parecia que o mundo iria desabar em cima de mim, pois eu tenho total e absoluta certeza que eu não sou essa pessoa que me julgaram ser naquele momento, pois fui o mais honesto possível no momento em que me encontrava, parecia que a todo o momento a psicóloga queria me dar facadas pelas costas disfarçadamente sentir através dos olhos delas que; “EU TINHA QUE SER CONTRA-INDICADO, POIS NÃO ERA MEU PERFIL SER POLICIAL MILITAR” foi terrível o que aconteceu comigo, por causa de uma simples ansiedade a própria psicóloga transformar em um ser tão insignificante naquele momento.
.
José Ricardo, o que devo fazer, pois pretendo entrar na justiça, pelo vexame que passei diante de tal situação, ESTOU ME SENTINDO MUITO MAL, ESTOU ARRASADO!!! NÃO SOU UMA PESSOA DESCONTROLADA, ME DOU BEM COM TODO MUNDO, SEMPRE PROCURO RESPEITAR AS PESSOAS, NÃO FUMO, DETESTO BEBIDAS ÁLCOOLICAS, BEBO DE VEZ ENQUANDO UMA CERVEJA, E MESMO ASSIM SINTO DOR DE CABEÇA,POSSO CONFESSAR QUE BEBO DE MAIS CAFÉ. ESTOU DESCONSOLADO COM O QUE ACONTECEU E AINDA NÃO SEI O QUE FAZER, MAIS SEI QUE VOU TENTAR TUDO A MEU ALCANÇE, PARA PROVAR QUE O LAUDO QUE VAI ME CONTRA-INDICAR NÃO PASSA DE UMA FRAUDE, UMA MENTIRA PARA ME PREJUDICAR.
.
Desde já muito obrigado por você existir JOSÉ, e neste momento estou precisando de sua solidariedade.
.
Desculpe-me se alarguei minhas palavras no seu blog, mais não vejo como desabafar com outras pessoas, o que estou sentindo no momento, a não ser aqui.

Anônimo disse...

lembrando também que algumas perguntas que a piscólga me fez se encaixa nesse grupo, acho sinceramente que devo me internar urgêntemente,rsrsrsrsrsrsrsrkakakakakakaka, só rindo para acreditar no que vou ver no dia do resultado.
GRUPO XVI: TRAÇOS DE PERSONALIDADE INCOMPATÍVEIS: 1.descontrole emocional; 2. descontrole
da agressividade; 3. descontrole da impulsividade; 4. alterações acentuadas da afetividade; 5. oposicionismo a
normas sociais e a figuras de autoridade; 6.dificuldade acentuada para estabelecer contato interpessoal; 7.
Funcionamento intelectual abaixo da média, associado a prejuízo no comportamento adaptativo e desempenho
deficitário de acordo com sua idade e grupamento social; 8. Distúrbio acentuado da energia vital de forma a
comprometer a capacidade para ação com depressão ou elação acentuadas.
.
atenciosamente:
.
Leandro Santos da Silva

Anônimo disse...

Caro amigo, li seu recurso e confesso fiquei emocionada, também estou meio frustrada pois fui conta-indicada no ctsp de 2008. Eles alegarem ansiedade e descontrole da agressividade, o que achei um absurdo, mas como vc disse é como se estivessemos sendo avaliado por uma bola de cristal.Fiz um tratamento com uma psicologa e ela me disse isso, que o pmk também é um jogo de sorte, então eu pergunto como pode uma pessoa que sonha e luta por seus objetivos ser avaliado através da sorte? E ela ainda questionou comigo o fato de o criador do pmk ter morrido há décadas e até hoje o teste ñ ter passado por nenhuma outra avaliação ou alteração. Tenho um probleminha de genetica, que é o fato de tremer um pouco, é normal a gente tremer um pouco no pmk, porém tremo um pouco mais pelo fator genetico e tenho medo de ser prejudicada por isso. Ainda estou na luta, passei no ctsp2009 e espero o resultado do pmk, estou aflita, pois por mais que controlasse ainda dei umas tremidas, a psicologo me falou que como é genetico fica dificil de controlar, mas sou uma pessoa normal e na minha familia ñ há nenhum caso de doença por causa disso e nem me impossibilita de fazer alguma coisa, o motivo das maos ficaram sem apoio no pmk dificultam as coisas. Que Deus lhe abençõe, entrega teu caminho ao Senhor confia nele e o mais ele fará! um grande abraço.

Anônimo disse...

Obrigado garota, Você não citou seu nome, mais muito obrigado pela sua solidariedade, pessoas que compreendem e sentem o que é ser contra-indicado é que deve saber como dói isso, o Sr José é a prova concreta do que estou falando, se ele não tivesse passado por isso não existiria esse blog para ajudar as pessoas que passam por este momento difícil. Uma Obs. o que escrevi não é recurso é o momento que passei na clinica
" BCPsicologia", o resultado vai ser divulgado no dia 10/08/2009 , mais uma das psicólogas que estava presente no dia. "Na qual não posso citar o nome" me falou que teria condições de ser um excelente policial militar mais que pelo momento que estava, seria contra-indicado no PMK. de forma alguma acho desnecessária a prática destes testes para identificar se o candidato tem ou não perfil para ser policial militar, o que me questiono ,é o momento impiedoso que muitos psicólogos impõem aos candidatos como se eles fossem um Deus da verdade e lhe julgasse como uma pessoa incapaz pelo momento, como se a pessoa não pudesse ter uma 2ª chance depois do resultado, acho isso um absurdo, pois assim como nas demais fazes do concurso ,e assim como eles alegam que é o momento do candidato, porque não ter outra chance para ter dados conclusos sobre a questão, afinal deve ser uma maravilha ser psicólogo, só para julgar as pessoas impiedosamente e estragar seu sonho só por que você agiu ou se comportou de tal maneira que pode ser inadequado para função de policial militar, .
.
“LEMBRO AQUI, E RESSALTO PARA TODOS QUE ESTÃO LENDO, NÃO TIVE A OPORTUNIDADE DE PROCURAR PSICLÓGOS CREDENCIADOS DA POLICIA MILITAR DE BELO HORIZONTE, ONDE MUITOS APLICARAM TESTES PARA CANDIDATOS QUE NÃO TINHA O CONHECIMENTO SOBRE O PMK, E OLHE QUE O CONSELHO NACIONAL DE PISCOLOGIA PROIBE ESSE TIPO DE APLICAÇÃO ANTECIPADAMENTE, TALVES SE TIVESSE DINHEIRO SUFICIENTE PARA TER FEITO ISSO ANTES, EU NÃO TERIA PASSADO O VEXAME QUE PASSEI NA CLINICA.”
.
São coisas desse tipo que questiono. Pessoas bem preparadas financeiramente que manipulam seu resultado e pessoas que não tem condições de se preparar. Então por que não da uma segunda chance aos contra-indicados para provar o momento. "já que é esse infeliz momento que destroi os sonhos das pessoas." eles poderiam ter conclusões definitivas sobre tal situação.
.

“Tentarei uma 2ª chance, caso necessário não por discordar do resultado do CRS e banca examinadora de psicólogos,não por ser contra essas práticas, mais por acreditar que os Julgamentos Humanos perante Deus São Falíveis”

Aguardo resposta...
.
((((((((((LEANDRO SANTOS DA SILVA, CANDIDATO)))))))))))) CTSP-2009BH))))))))))

OSWALDO disse...

caro amigo;
tive perseguicao no meu trabalho pelas faltas q cometi p ir ao cfap , me joguei de corpo e alma no concurso da pm 2008. emagreci 13 kg p passar no exame de peso e altura e fiquei no psicotecnico. fui no cfap p ter mais informacoes ,e lá existia um requerimento q eu fiz .
gostaria de saber caro amigo , se ha alguma possibilidade de se reverter essa reprovaçao com esse "recurso" q eu efetuei la´.
obrigado

Anônimo disse...

OSWALDO ,Caro amigo só nos sabemos o que é lutar por um objetivo, varias pessoas tentando nos fazer desistir, amigos disfarçados de ovelhas, amigos que nos dão forças, e tudo mais. A luta é árdua, é dura para conseguir tudo isso, e no final você ainda tem que passar pela aprovação no psicotécnico, tem que ter sorte de ter um profissional capacitado que entenda o seu momento e te ajude a descobrir se você tem ou não perfil para ser policial militar, "eu acho que esse deveria ser o objetivo dos psicólogos" e não ser como um objeto de jogo de azar, onde só depende do seu momento e saber jogar as peças do xadrez no lugar certo, portanto meu amigo , eu vejo infelizmente a coisa funcionar dessa forma, profissionais dessa área, sem a maior falta de educação, destratando as pessoas achando que esses testes são fundamentais para extinguir candidatos que eles acham que não servem para a polícia militar, no meu ver, tudo não passa de puro preconceito, diferenciação de cor , raça, opinião,vaidade,dinheiro, credo, sexo, tudo está embutido na avaliação dessas psicólogas, que ninguém duvide disso; pois profissionais desprovidos de capacidade e amor próprio existe em todo lugar ,e para prejudicar alguém eles não vão medir esforços, como as vezes são influentes como no caso da clinica que fiz, que reside em um bairro de luxo, talvez não seja dada a atenção devida da minha denuncia sobre o que ocorreu na clinica.
OSWALDO, conheço um site que você pode deixar suas duvidas, conheci muitas pessoas que estão me dando forças e ajuda, psicólogos também estão colaborando contra o que está acontecendo nessas avaliações psicológicas.
Segue ai amigo...
Meu
E-mail: leopmmg@hotmail.com
http://forum.jus.uol.com.br/91793/2/prestei-concurso-para-policia-militar-de-minas-gerais-e-fui-reprovado-no-psicotecnico-pmk/

OSWALDO disse...

obrigado.
vou participar desse blog imediatamente .
sorte.

Caneco disse...

José Ricardo, quero agradacer pelo seu tempo e palavras investidos no seu blog para ajudar a todos nós, contra-indicados no psicologico. Irei usar algumas partes do seu modelo de recurso, que está muito bem elaborado para tentar ingressar no CTSP/RMBH - 2009. Gostaria que o senhor responda se algumas frases do seu recurso como: "Então, por que não pude tirar cópia do laudo psicológico que me contra-indicou para o serviço de natureza policial-militar? A PMXX não estaria cometendo ilegalidade ou abuso de poder?" e outras semelhantes, foram interpretadas pelos chefes de recurso como algo de afronta, desreipeito e etc.
O senhor também entrou com alguma ação ou algum procedimento judicial?

Caneco disse...

"Não dá para explicar às pessoas porque almejamos ser um policial.

Para as que compreendem, nenhuma explicação é necessária.

Para as que não compreendem, nenhuma explicação é possível." (autor desconhecido)

José Ricardo disse...

Caneco, se entenderam como afronta, não falaram nada. Acerca de entrar com uma ação na Justiça, eu aconselho que primeiro você aguarde o resultado do recurso administrativo. Meu processo ainda está em andamento. Saudações.

Anônimo disse...

ola tb... fui indicado no psicotecnico da pmmg, tenho um problema.. quando fico muito nervoso fico um pouco gago, quero saber se vai me prejudiar durante o curso, to com medo de que o crs me desligue do curso por causa deste transtorno na fala.

Anônimo disse...

Boa tarde, eu também fui contra-indicado no CTSP 2008, no qual não pode entrar com reclamação por falta de recursos financeiros, depois de gasto um dinheirão em todos os exames, viagem para BH entre outras, achei uma tremenda sacanagem com o cidadão que se esforça para passar em uma prova de concurso, fica noites sem dormir estudando, passa em todos os testes e depois contra-indicado, portanto acho que não dá pra avaliar uma pessoa sem o convívio com a mesma e que a avaliação da PM é muito superficial.

Anônimo disse...

boa tarde, sou 2ºTen da pm, em um dos estados do sul.
estava a procurar dicas para psicotecnicos, pois estou prestando para pf e prf, quando achei este site.
Sargento, fiquei muito triste essa semana, pois vi colegas que estavam em serviço, que trabalhavam para termos uma sociedade melhor serem taxados de bandidos, sendo que teriam executado friamente alguns jovens.
Quer o meu conselho, é o que dou para os que tenho amizade, ESTUDA MENINO, se tem curso superior aproveita ele e passa em algum concurso que vc ganhara melhor, e sera melhor recompensado.
sei o que é se matar de trabalhar, virar a noite, entrar em matagal para ir atras de mala armado e homiziado, e chega ao final do turno de serviço, vc ainda escuta que fez cagada, e coisas do tipo.
Entao parceiro, ESTUDA MENINO, pq aqui, quem trabalha de verdade só se fode...infelizmente é assim.
gosto do que faço, amo minha farda e minha estrela, mas...vc sabe como funcionam as coisas.
boa sorte...

José Ricardo disse...

Senhor Tenente, seguirei seu conselho. Sei muito bem o que o senhor falou, já passei por tudo isso. Também amo o que faço, mas é como o senhor falou, nem tudo termina bem para aqueles que trabalham de verdade.

Obrigado, e boa sorte nos concursos.

Anônimo disse...

A todos que deixaram seus comentários é triste ver uma instituição como a policia militar de Minas Gerais rodeada de policiais hierarquizados que se acham os melhores embeiceis ,que na verdade não sabem de nada nem de um palmo o que está na frente do seu nariz.

Como o senhor José e outros falaram doar o sangue não só para o trabalho mais para esses vampiros desgraçados que em vez de reconhecer o trabalho dos senhores ficam querendo beber ainda a última gota de sangue que ainda lhes resta.

Eu se fosse os senhores comprava uma dentadura de vampiro e uma roupa do Drácula para esses embeiceis e dava para os mesmos de presente no dia do seu aniversário.

Seu José estou pensando em elaborar um site para recolher assinaturas On-line para depois enviarmos para assembléia legislativa, pedindo mudanças nesses exames psicológicos , embora tenha que estudar para passar em outro concurso, acredito que não podemos desistir de tentar fazer algo pelo próximo e tentar unidos mudar a cara desse pais cheio de gente que não faz nada pelo os outros!


leopmmg@hotmail.com


Tem um blog que estou postando jurisprudências sobre esses exames, seria muito interessante a participação dos senhores...

http://forum.jus.uol.com.br/91793/6/prestei-concurso-para-policia-militar-de-minas-gerais-e-fui-reprovado-no-psicotecnico-pmk/

Anônimo disse...

caro amigo jose ricardo

tambem fui contra-indicado no psicoteste do corpo de bombeiros aqui em minas cfsd bm 2009/2010, tambem estou muito chateado com tal situação, meu laudo constatou descontrole da agressividade e dificuldade acentuada para estabelecer relações interpessoais. o que é um absurdo, moro em divinopolis e viajei cerca de 2hs para chegar ao local do teste,um dia antes nao dormi bem e quando fui realizar o teste a coisa nao funcionou. os elos me derrubaram. a psicologa que contratei pra fazer o meu recurso disse que todos os meus teste ficaram bons, teste de raciocinio, ihs, e que das quatro folhas de pmk somente a dos elos deram agressividade e as demais que tambem falam sobre tal caracteristica estavam muito boas, as psicologas que aplicaram o teste estão considerando somente a folha que nao ficou boa. entrei com recurso administrativo, e pretendo entrar com o recurso judicial tambem.

li o seu recurso e fico bastante chateado que a pm nao saiba reconhencer todos os serviços e lutas que voce prestou para ela. eu me sentiria lisongeado se um dia eu precisar dos serviços da pm e um verdadeiro tenente como vc estivesse na viatura. tenho certeza que o problema seria sanado. assim como voce eu amo muito a profissao militar tanto o corpo de bombeiros como a policia militar, e estou convencido que e esta a profissao que quero para minha vida, e eu vou lutar com todas as minha forças para vencer esta causa e continuarei prestando concursos. espero que voce tambem nao desista pois a comunidade precisa de pessoas como voce, pessoa guerreira, que ama o que faz. lembre-se, somos guerreiros e um verdadeiro militar tem que vibrar e nunca desistir, custe o que custar!!!!! nao desista nunca voce pode, e justiça será feita..

abraço amigo, boa sorte!!!!!!!

alessandro rodrigues dos santos

José Ricardo disse...

A justiça será feita, se Deus quiser. Obrigado pelas palavras. Desejo-lhe boa sorte na demanda judicial.

Anônimo disse...

Os testes psicológicos são instrumentos validados para a nossa cultura, eles servem como referencial para que pessoas desajustadas não ingressem na polícia, uma vez que por ser uma profissão com altos níveis de estresse. É importante que seja realizada esta seleção, até para que seja preservada a saúde psicológica do candidato.

Anônimo disse...

caros amigos, fui reprovado 2 vezes no psicoteste da pmerj, fiz recentemente o 3º teste psico., o resultado vai sair em breve. se for reprovado vou recorrer e se for aprovado quer dizer que o teste não serve pra nada, pois como uma pessoa pode mudar suas caracteristicas ? a 1ª vez que fiz foi em 2002 e desde então já era p/ eu fazer parte da corporação. o justo seria me admitir retroativo a esta data, sei que é difícil, mas se houver precedente vou entrar com uma ação. postarei aqui o resultado assim que o tiver.

Anônimo disse...

Caro Alessandro, infelizmente vivemos em um pais rodeado de deturpadores de interesses escusos, como esse indivíduo ai, embora tenha que respeitar a opinião que diverge da minha , pois afinal vivemos em uma democracia, Não concordo em nada que um exame desses possa descobrir quem é ou não desajustado para a função, a policia militar não é feita só de homens grotescos que vivem o tempo todo a procura de marginais.Nós que almejamos essa função sabemos dos riscos, sabemos que temos que nos preparar para a função que de fato é de riscos e é pertinente o perigo, é uma tremenda idiotice desses psicólogos psicodélicos, acharem que através desses exames , os mesmos descobririam ou evitariam situações diversas no dia-a-dia da função, nós seres humanos somos movidos pelas ações da vida, do mundo que gira 24 horas. Nós não podemos nos adaptar a nós mesmos, temos que nos adaptar as mudanças do mundo, é assim que funciona a vida sempre foi assim e assim será, a função de policial militar não é diferente do mundo que gira 24 horas sob a lei de da gravidade, muitos que passam nesses exames nem tem perfil para a função, mais os mesmos adaptam-se a realidade e tentam fazer o melhor que podem para chegar mais perto possível de um verdadeiro policial militar que cumpre as suas funções.

Aconselho a todos prejudicados a denunciarem ao ministério público a forma como esses exames estão sendo feitos, não existem provas concretas de que os métodos que os psicólogos utilizam sejam verdadeiramente corretos, são métodos obscuros e sem nenhuma comprovação que a forma de avaliação é 100% correta, só para vocês terem idéia, a maioria das clinicas não estão adaptadas para a realização desses exames, muitas psicólogas são estagiarias, as salas onde devem ser aplicados os referidos exames devém ter ventilação, as luzes não podem estar ofuscadas, a temperatura ambiente deve ser adequada o silêncio deve ser fundamental para uma perfeita avaliação.

Estou tentado uma ação civil pública contra esses exames no ministério público, Ou seja a forma como os mesmos vêm sendo aplicados, pois os exames são legitimados por lei , não podemos contestar a lei mais podemos contestar a forma a qual esses exames estão sendo aplicados , para esses exames são necessárias três circunstâncias para sua validade, previsão legal , critérios objetivos, e previsão de recurso, esse entendimento é matéria de decisões do STF, que inclusive está diretamente ligado a Sumula 20 também do STF.
Aos injustiçados só resta uma maneira para tentar mudar essa realidade, até conseguir passar em outro exame ou provar no judiciário que esta vivendo um momento subjetivo ao qual não teve êxito na perfeita aferição do exame.


leopmmg@hotmail.com

Anônimo disse...

Denunciem ao ministério público tudo que os senhores perceberam de irregularidades, denunciem , uma andorinha não faz verão, o meu caso por exemplo já foi passado para a turma recursão de três procuradores que estão analisando o caso, mais fica aquele detalhe só “eu” como mero denunciante fica uma coisa muito individual , se nós prejudicados não nos manifestarmos esse flagelo desses exames continuaram a prejudicar varias pessoas inocentes pelo simples momento em que cada um está vivendo, imagine que você está desempregado e está preocupado em querer passar nos exames, ou teve um simples desentendimento com sua namorada ou namorado, todo esse momento será passado para as folhas de PMK , e com certeza as psicodélicas psicólogas , iram dizer que você é demente, e agressivo ou quem sabe impulsivo , ou retardado mental, infelizmente os exames eles não podem conhecer o seu “eu”, ai o que eles fazem jogam a bosta no ventilador , se ele não esta bem por algum motivo , temos que entender que ele tem um perfil diverso da função da realidade , mesmo que você tenha o perfil X o perfil Y, será mais desfavorável , em circunstâncias subjetivas e pessoais , que no meu ver através dessas aferições deturpadas geram prejuízos a dignidade da pessoa humana e prejuízos a saúde psicológica , que comprovados através de algum exame que você ficou ou teve depressão por ser avaliado de forma subjetiva e negligente, caberá ai uma ação na justiça pedindo indenização por danos morais.

Uma outra situação ridícula , é o fato das clinicas não fornecerem laudos para esconder as suas arbitrariedades , pois existe a lei dos arquivos públicos , ao qual diz que todos tem direito de obter certidões para defender direitos individuais ao qual a policia militar de Minas Gerais nega esse direito, ao qual deve ser questionada na justiça, um exemplo de respeito ao direito de informação que gerou os fatores de contra-indicação é a policia militar de Paraíba que em seu edital exige que a clinica que aplicou os exames forneçam laudos aos candidatos, já em Minas Gerais, a arbitrariedade e autoritarismo beira a estupidez em seu edital onde ressalta que o sigilo é baseado na resolução do conselho federal de psicologia o que na verdade é um disfarce para esconder as barbaridades, todos nós temos direito de obter certidões sobre nosso respeito dos órgão públicos.
Ajudem-se procurem a justiça, nela você poderá provar que foi injustiçado.

“Mais não se esqueçam de elaborar uma carta com denúncias sobre a forma como vem sendo feito esses exames, e enviar ao ministério público.”

leopmmg@hotmail.com

Anônimo disse...

washington barbosa
Caro fui reprovado recentemente no teste psicotécnico, porém ainda não sei os motivos, estou querendo entrar com recurso, gostaria de saber quais as regras a serem seguidas, a quem devo procurar, Advogados etc?

Anônimo disse...

washington barbosa

Meu caro procure um ótimo advogado, tenho um aqui que se vc entrar vc terá 100% de chance de ganhar, te falo uma coisa se arrependimento matasse eu estaria morto hoje!!!!

Paguei R$ 1,200,00 para uma advogada da policia militar DE Minas Gerais ela é Tenente da PM, e vem adotando uma postura conservadora dentro da policia diante do meu caso, que acredito isso está me prejudicando , pois quero aprofundar o caso nas leis e já percebir que ela está se esquivando, portanto meu caro, converse com José Vanio Senna é o melhor advogado do Brasil, vc terá que pagar um pouquinho mais, mais vale a pena, converse com ele, ainda mais o cara tem contatos com variados políticos no Brasil a fora é de fato um excelente advogado, esses advogados da PM " tomem cuidado!!!!!!!!!, muitos estão defendendo a instituição estão nem ai para vc, querem que vc se dane, eu por exemplo estou decepcionado , pois não conseguir minha liminar, mais Deus sabe o que faz, um dia a justiça vai ser feita.

segue o endereço de José Vânio Sena... segue também esclarecimentos da forma como ele trabalha também.

:: Advogados

Dr. José Vânio Sena é graduado e pós-graduado pela U.F.M.G., professor
universitário, palestrista, advogado atuante em ações judiciais de concursos
públicos, orientação preventiva a candidatos e elaboração de recursos na
via administrativa. Atende candidatos oriundos de vários concursos federais,
estaduais e municipais. Presta também assessoria a advogados que necessi-
tam de orientação na área de CONCURSOS PÚBLICOS. Atendimento em todo
o Brasil.

MATRIZ: DISTRITO FEDERAL
CORPORATE FINANCIAL CENTER
SCN - QUADRA 02 - BLOCO A - 5º ANDAR

Anônimo disse...

CEP: 70.712-900 - BRASÍLIA - DF - BRASIL

FILIAIS: BELO HORIZONTE * CURITIBA * PORTO ALEGRE * RIO DE JANEIRO *
SALVADOR * SÃO PAULO

Histórico de atuação:
-Nomeações ocorridas até 31/12/2008: cerca de 400 candidatos
-Nomeações previstas para o triênio 2009 a 2011: cerca de 625
candidatos
-Percentual de êxito nas ações em geral: mais de 90%
-Atuação Voltada e com destaque nos concursos de âmbito Federal

Método de trabalho:
-Ações individuais, para dar segurança e comodidade ao candidato. Ações
em grupo, quando cai uma liminar, todos do grupo vão para o 'buraco';
Em ações individuais, não. Cai uma liminar, o efeito é para um só, o
restante fica protegido. OBS.: Evitamos a formação de grupos grandes
de candidatos numa só ação.
-Honorários cobrados: Tabela de honorários mínimos divulgada pela OAB e
de uso obrigatório por todos os Advogados.
-Informações Processuais: Atendimento pessoal do Advogado.
No escritório do Dr. Sena, você fala (antes e depois da contratação - isto é
importantíssimo) diretamente com ele, evitando terceiros.
-Prazos: O escritório do Dr. Sena jamais perdeu prazo em seus processos,
apesar de possuir mais de 1000 em todo o país.

Honorários Advocatícios:
O escritório JOSÉ VÂNIO SENA pratica preços permitidos pelo estatuto da advocacia.
Consulta por E-MAIL, TELEFONE, SKYPE ou MESSENGER: R$ 250,00 (duzen-
tos e cinqüenta reais) pagos antecipadamente através de
depósito no banco do Brasil (*)

(*): Consulta marcada com 1 (um) dia de antecedência, mediante compro-
vante de depósito bancário liberado.

Consulta nos Escritórios de BRASÍLIA, BELO HORIZONTE, RIO DE JANEIRO e
SÃO PAULO: R$ 500,00 (quinhentos reais) (**)

(**): Consulta marcada com antecedência de 2 a 7 dias (BSB e BH) e de
5 a 10 dias (RJ e SP).

Consulta nos Escritórios de CURITIBA, PORTO ALEGRE e SALVADOR:
R$ 750,00 (setecentos e cinquenta reais) (***)

(***): Consultar disponibilidade, geralmente antecedência de 15 a 20 dias

Contato

Agendamento de Consultas MATRIZ e FILIAIS: 0800-727-2950 (2ª a 6ª feira
de 9 às 12 e de 14 às 16 hs).
Acesso Direto ao Dr. José Vânio Sena - 61-8165-2950

Anônimo disse...

Consultoria Jurídica

MATRIZ - BRASÍLIA-DF:
CORPORATE FINANCIAL CENTER
SCN - QUADRA 02 - BLOCO A - 5º ANDAR
CEP: 70.712-900 - BRASÍLIA - DF - BRASIL
Atendimento com hora marcada pelo tel 0800-727-2950 no horário acima
FILIAL BELO HORIZONTE:
Edifício Amadeus Business Tower
Av. Contorno, nº 6594 / 16º e 17º andares
Atendimento com hora marcada pelo tel 0800-727-2950 no horário acima
DICAS úteis aos Candidatos para Contratação de ADVOGADO ESPECIALISTA
EM CONCURSOS PÚBLICOS (*):

Dr. J. Vânio Sena (*)

Ao procurar um advogado para elaborar uma consulta ou elaboração de
recurso administrativo ou, principalmente, ação judicial, é bom que tome os
seguintes cuidados:

1º - Procure indicação de Profissional Especializado na área de CONCURSOS
PÚBLICOS;

2º - Se o caso mereceu o aconselhamento do caminho judicial, é bom que
esse caminho tenha uma razoável chance de êxito, pois você está
fazendo um projeto profissional, assim, não é bom tomar o caminho de
aventuras jurídicas;

:: Advogados

Dr. José Vânio Sena é graduado e pós-graduado pela U.F.M.G., professor
universitário, palestrista, advogado atuante em ações judiciais de concursos
públicos, orientação preventiva a candidatos e elaboração de recursos na
via administrativa. Atende candidatos oriundos de vários concursos federais,
estaduais e municipais. Presta também assessoria a advogados que necessi-
tam de orientação na área de CONCURSOS PÚBLICOS. Atendimento em todo
o Brasil.

MATRIZ: DISTRITO FEDERAL
CORPORATE FINANCIAL CENTER
SCN - QUADRA 02 - BLOCO A - 5º ANDAR
CEP: 70.712-900 - BRASÍLIA - DF - BRASIL

FILIAIS: BELO HORIZONTE * CURITIBA * PORTO ALEGRE * RIO DE JANEIRO *
SALVADOR * SÃO PAULO

Histórico de atuação:
-Nomeações ocorridas até 31/12/2008: cerca de 400 candidatos
-Nomeações previstas para o triênio 2009 a 2011: cerca de 625
candidatos
-Percentual de êxito nas ações em geral: mais de 90%
-Atuação Voltada e com destaque nos concursos de âmbito Federal

Método de trabalho:
-Ações individuais, para dar segurança e comodidade ao candidato. Ações
em grupo, quando cai uma liminar, todos do grupo vão para o 'buraco';
Em ações individuais, não. Cai uma liminar, o efeito é para um só, o
restante fica protegido. OBS.: Evitamos a formação de grupos grandes
de candidatos numa só ação.
-Honorários cobrados: Tabela de honorários mínimos divulgada pela OAB e
de uso obrigatório por todos os Advogados.
-Informações Processuais: Atendimento pessoal do Advogado.
No escritório do Dr. Sena, você fala (antes e depois da contratação - isto é
importantíssimo) diretamente com ele, evitando terceiros.
-Prazos: O escritório do Dr. Sena jamais perdeu prazo em seus processos,
apesar de possuir mais de 1000 em todo o país.

Honorários Advocatícios:
O escritório JOSÉ VÂNIO SENA pratica preços permitidos pelo estatuto da advocacia.
Consulta por E-MAIL, TELEFONE, SKYPE ou MESSENGER: R$ 250,00 (duzen-
tos e cinqüenta reais) pagos antecipadamente através de
depósito no banco do Brasil (*)

(*): Consulta marcada com 1 (um) dia de antecedência, mediante compro-
vante de depósito bancário liberado.

Consulta nos Escritórios de BRASÍLIA, BELO HORIZONTE, RIO DE JANEIRO e
SÃO PAULO: R$ 500,00 (quinhentos reais) (**)

Anônimo disse...

(**): Consulta marcada com antecedência de 2 a 7 dias (BSB e BH) e de
5 a 10 dias (RJ e SP).

Consulta nos Escritórios de CURITIBA, PORTO ALEGRE e SALVADOR:
R$ 750,00 (setecentos e cinquenta reais) (***)

(***): Consultar disponibilidade, geralmente antecedência de 15 a 20 dias

Contato

Agendamento de Consultas MATRIZ e FILIAIS: 0800-727-2950 (2ª a 6ª feira
de 9 às 12 e de 14 às 16 hs).
Acesso Direto ao Dr. José Vânio Sena - 61-8165-2950

Consultoria Jurídica

MATRIZ - BRASÍLIA-DF:
CORPORATE FINANCIAL CENTER
SCN - QUADRA 02 - BLOCO A - 5º ANDAR
CEP: 70.712-900 - BRASÍLIA - DF - BRASIL
Atendimento com hora marcada pelo tel 0800-727-2950 no horário acima
FILIAL BELO HORIZONTE:
Edifício Amadeus Business Tower
Av. Contorno, nº 6594 / 16º e 17º andares
Atendimento com hora marcada pelo tel 0800-727-2950 no horário acima
DICAS úteis aos Candidatos para Contratação de ADVOGADO ESPECIALISTA
EM CONCURSOS PÚBLICOS (*):

Dr. J. Vânio Sena (*)

Ao procurar um advogado para elaborar uma consulta ou elaboração de
recurso administrativo ou, principalmente, ação judicial, é bom que tome os
seguintes cuidados:

1º - Procure indicação de Profissional Especializado na área de CONCURSOS
PÚBLICOS;

2º - Se o caso mereceu o aconselhamento do caminho judicial, é bom que
esse caminho tenha uma razoável chance de êxito, pois você está
fazendo um projeto profissional, assim, não é bom tomar o caminho de
aventuras jurídicas;

3º - Para ter certeza de que o profissional que escolheu é mesmo especia-
lista, pergunte sobre os seus casos de sucessos no passado. Se o
Advogado é especialista, tem obviamente êxitos em algumas ações
da mesma natureza. Se possível, confirme na internet se as ações que
diz possuir, realmente as possua. Todos os tribunais estão informatiza-
dos, assim poderá consultar as suas ações pelo nome completo do ator
ou ainda pelo nome completo ou número da OAB do advogado;

4º - Para ter certeza de que o profissional que escolheu é mesmo idôneo,

Anônimo disse...

ligue para a OAB do estado em que é inscrito, forneça seu número de
inscrição e veja se as informações que a OAB fornecer são boas infor-
mações o bastante para contratar aquele profissional;
Exemplo: http://www.oabmg.org.br;

5º - Para ter certeza de que o profissional que escolheu está cobrando o
valor de HONORÁRIOS correto, procure saber o valor dos honorários
mínimos a serem cobrados por aquele serviço, previstos em tabela.
Em geral, se está cobrando abaixo da tabela, além de provavelmente
ser péssimo profissional (os chamados picaretas), estará praticando
concorrência desleal com seus colegas de profissão;

6º - Cuidado com os profisionais que propõem as ações cuja contratação
obrigue você a buscar mais CEM ou CINQÜENTA interessados, para
baratear o custo da ação. Em ações de concursos públicos, cada caso
é um caso. Geralmente, os casos em que todos os candidatos são
lesados merecem ser levados ao Ministério Público e não por ações
particulares, assim você nem deve gastar nada, pois são casos em
que os concursos devem até mesmo ser anulados. São casos de fraudes,
certames com organizadores que manipulam resultados, sendo ten-
denciosos, etc.;

7º - Você mesmo sabe efetuar uma avalização, mesmo a grosso modo,
como leigo, se você se encontra diante de uma injustiça ou não.
O profissional que melhor orientará sua questão será um Advogado
Especialista. Neste caso, você deverá confirmar se o mesmo é ou não
adequado para contratá-lo. Muitos direitos cristalinos são jogados ao
vento, só porque o candidato contratou aquele profissional, só porque
tinha cabelos brancos, ou aquele outro só porque era parente ou só
porque fazia de graça, outro somente porque você o conhecia, etc.
(Neste último caso, quando você não conhece o Advogado, leia o artigo
'Contratação de Advogado Especialista em Concursos Públicos pela
Internet';

8º - Especialistas em CONCURSOS PÚBLICOS geralmente estabelecem
seus honorários atrelados ao êxito da ação. Assim, já fica mais difícil
para que os aventureiros aceitem não receber quase nada na propo-
situra da ação;

9º - Especialistas em CONCURSOS PÚBLICOS geralmente acompanham
o trâmite do concurso de seu cliente, passo a passo. Este aspecto é
de fundamental importância, porque muitas anormalidades nos
concursos públicos ocorrem durante o mesmo, ou seja, uma fase
não prevista em edital, uma fraude apurada nas provas, um aspecto
não previsto em edital que teve que ser objeto de decisão da banca
examinadora, etc.;

10º - Especialistas em CONCURSOS PÚBLICOS geralmente têm sempre
um parecer rápido de sua chance na via judicial, se existir ou não.
Assim, se o mesmo estiver estudando muito a sua situação, pode
ser que não seja especialista;

Anônimo disse...

11º - Os bons especialistas são muito transparentes e sinceros: Aconselham
litigar ou não, apontam o caminho judicial somente em casos que
sejam compensadores, ou seja, com boa dose de chance, comparando-
se com casos semelhantes. As situações em que o direito não existe
ou é muito fraco, têm a sinceridade de desaconselhar o caminho judicial.

12º - Desconfie daqueles que lhes disser em que o caminho será o de pedir
a anulação do concurso. O caminho sábio não é por esta direção, muito
ao contrário, pois especialistas trabalham pela posse mais rápida...
Sem concurso, como haverá posse? Sem esta, nada feito!


Daqui a 10 anos ... (*)
Onde e como você pretende estar daqui a dez anos?

Quando o relógio do tempo marcar mais uma década, a partir de hoje, você
poderá estar, exatamente, onde e como quiser. É bastante querer, planejar
e começar a executar o seu projeto de vida.

Uma boa parcela da humanidade viaja nos sonhos de riqueza, luxo e
ostentação, como se a vida fosse totalmente dedicada ao exercício da
plenitude e extravagância do viver, com todos os caprichos e sofisticação
que a imaginação pudesse alcançar.

A maioria apenas continuará sonhando. Mas é certo que uns poucos
indivíduos da parcela restante, além das conquistas materiais, pretendem
vencer na vida, superar as dificuldades, deixar para a próxima geração
um grande exemplo de dignidade, de perseverança e respeitabilidade.
Estes fazem alguma coisa para alcançar o ideal estabelecido.

Na verdade, qualquer que seja a sua meta para daqui a dez anos, o grande
desafio é que você tem que começar a executá-la exatamente agora, neste
momento, senão estará assumindo o risco de postergar seu sonho, renunciar
às suas ambições e, pior, covardemente deixar quedar-se no tempo como
uma pária, já vencido pela própria convicção.

A reação é a arma de que você dispõe de imediato; o saber é o grande
instrumento que pode levá-lo em direção a qualquer rumo, qualquer canto
geográfico do universo, ou ainda, claro, alçá-lo ao topo de qualquer sonho.

Mas é preciso querer. Depois de querer é preciso agir - e agir de pronto,
sem hesitação. Só assim estes primeiros minutos dos próximos dez anos
já começarão a correr em seu benefício e, não, contra o resto de tempo de
que você dispõe neste mundo.

Estamos às portas do terceiro milênio; é tempo de decisão, ainda há chance
de vencer o tédio e a resignação. Afinal, você - e só você - poderá colorir e
dar vida aos sonhos para além dos próximos dez anos dessa existência.

Solte-se das amarras da inércia, erga-se, não se deixe resignar.

(*) O texto acima é de autoria de Danilo Santana, advogado de sucesso na
área de direitos sociais em Belo Horizonte

Foi injustiçado em concurso público?:

Se você procura assessoria jurídica especializada para precaver-se de injustiça
em algum concurso público, através de ação judicial ou recurso administrativo
elaborado de maneira correta, para certificar-se da possibilidade de reverter
tal injustiça, a ABCP recomenda o Dr. Sena, tendo em vista sua vasta expe-
riência e conceito ilibado em todo o território nacional. Entrando em contato
com o advogado acimar, você receberá toda a orientação de como contratar
seus serviços.

Anônimo disse...

Boa sorte a todos e um feliz natal!!!!!!!!!!!!

leopmmg@hotmail.com

Anônimo disse...

tambem fiquei no exame de psicodoido do concurso da pm-pa-2008 sob a responsabiliade do estituto movens, pois sou ex:militar da fab com bom comportamento,emocional,disciplinar e outros

Anônimo disse...

Boa tarde Jose Ricardo!!! Estou aqui pra te pedir uma ajuda, já que acabo de passar por uma situação parecida com a sua, fui contra indicada no exame psicologico do CFO/2010 - vagas femininas. Nossa como dói,é nadar, nadar e morrer na praia... Bem, apesar dessa dor que estou sentindo, vou levantar a cabeça e fazer tudo que puder ser feito pra entrar, mas preciso de uma ajuda de alguem que entenda dessa area e como ja havia visto algumas vezes seu blog, gostaria de uma favor seu:
Sou de outra cidade, a 400 KM de BH e nao conheco nada em BH alem do CRS, rsrs... Preciso urgente de uma indicação de clinicas boas de psicologos que elaborem laudos para recorrer no CFO. Peguei o nome de uma em uma comunidade do Orkut, CONSULTAR, mas nao conheco e por isso estou meio perdida. Vc sabe de alguma para me indicar ou sabe se essa CONSULTAR é de confiança? SE possivel, me mande os dados das clinicas como tel, etc para meu email: alenerz_20@hotmail.com. Imploro sua ajuda, estou desesperada, serei mto grata a vc... Outra duvida é em relação ao recurso: Já li toda a parte do edital que fala como devemos recorrer, mas fiquei com uma duvida: o laudo psicologico, caso eu venha a pagar um psicologo para fazer pra mim representa as contra razoes? Ou eu devo apresentar contra razoes junto com o laudo psicologico? Desde ja agradeço mto sua ajuda e parabens pelo trabalho maravilhoso que vc faz nesse blog!!!! Abraços, Alene

José Ricardo disse...

Anônima, sei bem o que você está sentido. Bom, é a psicóloga que você contratar que irá elaborar o recurso administrativo. A única psicóloga que eu conheço nessa área é a Dra. Cláudia Campos. Ela me pareceu ser uma excelente profissional, muito idônea. Telefone: (031) 9795-1650 (ligue somente em horário comercial, por favor). Endereço: R. Manaus, 52, sala 301, Bairro Santa Efigênia, Belo Horizonte/MG.

Boa sorte!

Anônimo disse...

Muito obrigada José Ricardo pela informação. Vou tentar este recurso administrativo, msmo sabendo que as minhas chances são bem pequenas... Hj já consigo respirar melhor depois da noticia, nossa, só quem passou e passa por esta situação sabe quão dolorosa ela é... Mas vou seguir em frente e se Deus quiser dará certo!!! Abraços e novamente mto obrigada.

Anônimo disse...

Amiga, tenho uma dica para vc, ligue para o conselho regional d epsicologia, pessa para o mesmo lhe enviar uma relação com o nome das clinicas a qual atendem pelo SUS,ou com preços tabelados a qual seria mais em conta. E outra coisa vc pode e deve pedir para que sua clinica reaplique o memso exame em vc, independente de autorização da policia militar ou não, acabei de descobrir um esquema entre a policia e as clinicas conveniadas que no meu ver gera conflitos de interesses e prejuizo a todos os candidatos que fazem tais exames.

Muito cuidado , procure um ótimo advogado, pois com certesa vc ira ganhar seu processo!!!!!

boa sorte!!!!!!!!

http://www.crpmg.org.br/

Anônimo disse...

VOU passar uma informação para vocês aqui muito curiosa.

Prestem atênção!!!!!!

entrém nesse site e leiam, tenho certesa que as duvidas aqui apresentadas nesse texo, deve ser a mesma que a minha , e quem sabe interessante para juntar em algum processo contra esses exames psicologicos.

http://jus2.uol.com.br/pecas/texto.asp?id=517

leopmmg@hotmail.com

Anônimo disse...

Olá, li seu recurso e compreendi exatamente o que você abordou. Meu noivo é soldado da aeronáutica, e a alguns meses ele tentou uma vaga para Cabo, sendo aprovado seguiu os testes chegando ao psicotécnico, onde foi contra-indicado, então pediu o recurso onde mais uma vez não está apto...Também não consegui compreender o por que, já que foi o seu terceiro teste, e que nos dois anteriores ele não apresentou distúrbios de personalidade(alegação dos psicólogos), enquanto nesse foi duas vezes contra- indicado. Será que os psicólogos que reavaliaram seu exame seriam tão éticos ao ponto de assumir um erro? Já que se eles mantém um soldado contra-indicado, por distúrbios de personalidade, por três anos na corporação?

José Ricardo disse...

Não sei te responder. Até hoje não entendo nada. Só acho muito estranho, muito contraditório.

Anônimo disse...

Olá Sr.Sgt, desde muito acesso seu site buscando inspiração para o CFO da PMMG. Fui classificado, embora o oitavo excedente após o TAF do CFO 2010. Porém, no exame psicológico fui contra-indicado. Já sou Sd da PM, e me senti como o Sr. quando foi reprovado. Além do mais, a dor do Sr. deve ter sido maior, pois já foram duas tentativas. Esse exame psicológico para pms, em si, já é uma grande contradição. Mas deixando isso de lado, gostaria de agradecer ao Sr. por ter chegado até onde cheguei. Mesmo assim, não estou derrotado. Tenho muita força de vontade e garra para vencer. Gostaria de uma ajuda do Sr., até mesmo uma orientação. Saíram 13 candidatos que estavam na minha frente no psico(inclusive eu), foi chamado para matrícula um candidato com um ponto a menos que eu. O Sr. acha que eu tenho possibilidade de entrar com liminar judicial para ingressar no curso, visto que minha pontuação me poria dentro das vagas caso fosse aprova no exame psicodoido? Gostaria de uma opinião do Sr. que é mais esclarecido que eu no assunto. Gostaria de saber, também, se a generosidade do Sr. me permite, se é difícil obter essa liminar. Como já disse ao Sr., sou SD há dois anos, tenho grande força de vontade, para mim seria lucro entrar com liminar, mesmo sendo um terreno movediço. Grande abraço ao Sr. e que Deus ilumine sempre seu caminho. Sd Santiago

Anônimo disse...

Caro amigo nunca desista dos seus sonhos e objetivos, fui reprovado no exame psicotécnico para ingresso na Policia Civil, ingressei com uma ação na justiça foram 10 anos de luta, ganhei na 1ª e 2ª instância, mas mesmo assim o estado só acataria a decisão se o grupo autor da ação fezesse outro exame, fomos praticamente coargidos a fazer e diante de tal situação resolvemos aceitar e graças a DEUS passei, como anos atraz era uma pessoa inápta para a função policial e agora juntamente com alguns colegas depois de anos passei a ser apto, será se para a psicologia existe mudança de personalidade com o passar do tempo? ou nascemos com ela já formada, conversando com uma profissional com doutorado na area de RH ela me disse que depois de anos de estudos que a avaliação psicologica é muito subjetiva para ingresso na atividade policial, era para ser o candidato avaliado no estágio probatório, pois as situações de estress da rotina da funçaõ policial são muito desgastantes dificil de traçar um perfil do candidato no simples exame.

José Ricardo disse...

Sd Santiago, considerando sua disposição de ingressar no CFO, aconselho que você entre sim com liminar, mesmo diante da situação que você narrou. Procure um bom advogado e ajuize a ação. Boa sorte!

Anônimo disse...

Sr. Sgt José Ricardo, muito obrigado pelo conselho, sou-lhe grato; tenho grande admiração pelo senhor. Na oportunidade, entrarei no site contando sobre as vicissitudes de entrar na Academia com liminar, se Deus quiser. Quem sabe algum dia não nos encontramos no vasto território mineiro. Para mim será um prazer.

Anônimo 5:47, obrigado por citar seu exemplo. É só com muito esforço e dedicação que iremos provar que nao são simples questionários e intrevistas que irão nos tirar do páreo, pois se fôssemos tudo o que nos falam no exame psicológico nunca teríamos chegado onde chegamos. Felicidades a todos policiais que amam o que fazem. Grande abraço!

Sd Santiago

Anônimo disse...

É só me pergunto uma coisa vocês todos já trabalham na policia, correto, será que os senhores não poderiam entrar com uma ação na justiça, pedindo com base nas dezenas de candidatos que foram contra-indicado , e passaram no mesmo exame ,que estes exames sejam revistos e que a súmula com base no novo decreto federal seja revista. Exigindo assim que todos os candidatos sejam submetidos a estes exames no no curso de formação e não de forma subjetiva comm vem ocorrendo, só vejo aqui pessoam reclamarem , mais não fazem nada gente, pelo amor de Deus , provas e situações a nosso favor é oq eu não falta, e o mais interessante muitos ai de vocês só vierem comentar aqui nesse fórum por que perderam nos exames, se tivessem passado nem cometário algum estaria fazendo, infelizmente a hipocrizia e a inercia ainda ronda o espirito de certas pessoas...

Vou citar uma prova de irregularidade que os senhore spodem usar nos processo que os senhore spretendem mover contra tais exames.

As clinicas que trabalham para o estado não podem ter vinculos algum com o mesmo, pois isso gera conflitos de interesses, portanto as clinicam não podem e nem devem negar o direito dos senhores saberem o que de fato lhe contra-indicou, e mais... tem que haver um novo exame para concluir o que de fato lhe tornou inapto para a função ,eles não podem negar esse direito pois os senhores foram avaliados pela clinica que lhe contra-indicou, " PELO CDC houve uma relação de consumo" que pode e deve ser avaliado nas pequenas causas, caso esse direito de fazer um novo exame seja negado, indo mais adiante as clinicas não forneçem laudos o que é incostitucional diante do direito que nos temos de ter informações do nosso interesse.

vejam o que diz a RESOLUÇÃO CFP Nº 002/2009

Altera a Resolução CFP nº 018/2008 e dá
outras providências.


O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA, no uso de suas atribuições legais, estatutárias e regimentais, que lhe são conferidas pela Lei nº 5.766, de 20 de
dezembro de 1971 e;

CONSIDERANDO a necessidade de adequar os termos da Resolução CFP nº 018/2008, que dispõe acerca do trabalho do psicólogo na avaliação psicológica para
concessão de registro e/ou porte de arma de fogo,

CONSIDERANDO a decisão deste Plenário em sessão realizada no dia 13 de março de 2009,

RESOLVE:

Art. 1º - Alterar a redação dos art. 5º e 6º da Resolução CFP nº 018/2008, que
passam a ter a seguinte redação:


“Art. 5º - Aos psicólogos responsáveis pela avaliação psicológica fica vedado estabelecer qualquer vínculo com os Centros de Formação de Vigilantes, Empresas de Segurança Privada, Escolas de Formação ou outras empresas e instituições públicas que possa gerar conflitos de interesse em relação aos
serviços prestados.

Art. 6º - É de responsabilidade do psicólogo encaminhar o resultado da avaliação ao solicitante, mediante protocolo de recebimento, bem como garantir a
entrevista devolutiva ao candidato”.

Art. 2º - Esta Resolução tem efeitos a partir da data de sua publicação, revogadas
as disposições em contrário.

Brasília (DF), 30 de março de 2009.
HUMBERTO VERONA
Conselheiro Presidente

atenciosamente;

leopmmg@hotmail.com

Anônimo disse...

Caro amigo de aí de cima, se estamos aqui neste blog, debatendo o assunto, é porque não somos morosos e nem inertes ou hipócritas, como você disse. Claro que entramos com acões(mandado de segurança, ação ordinária, etc.), afinal, é um direito de todos aqueles que se sentem prejudicados, logicamente, quem é aprovado não reclama, muito menos questiona o exame.


Sd Santiago

Anônimo disse...

Sd Santiago

me adiciona ai vai, quero bater um papo com vc, pode ser ,ou vc é desses tipo de soldado não me toque ,cheio de preconceitos, e preceitos.

estou precisando de uma ajuda sua , se sua humana humildade de militar permitir, gostária que o Sr(o) me adicionasse.

leopmmg@hotmail.com

um abraço...

Anônimo disse...

Claro que sim, amigo. Adicionarei você, é só me aceitar. Não tenho préconceitos, também não sei o que você quis dizer com "nao-me-toque". Abraço.

Sd Santiago

Anônimo disse...

Sd Santiago

Não havia prestado muito atenção quando você falou a respeito da morosidade, infelizmente todos nós estamos seguindo o mesmo caminho e objetivo, que é provar que merecemos dignidade e respeito como pessoas humanas , como bem preza os direitos humanos e próprio código de ética do conselho federal de psicologia.

Ocorre que...

Não bastam só ações imediatistas e superficiais no judiciário, para que as coisas mudem, é necessário divulgação dos atos hediondos, a que nós candidatos, consumidores, pessoas honestas e trabalhadoras ,somos submetidos, a uma verdadeira ditadura militar desses exames psicológicos, que não dizem nada com nada só o seu momento subjetivo.

“Para isso vou mover uma ação nas pequenas causas contra a clinica que me aplicou esses exames, em não me forneceu nenhum laudo, sendo que fica caracterizada experiência com seres humanos sem o seu consentimento lhe causando prejuízos psicológicos, e o pior sem o laudo que poderia esclarecer duvidas sobre o problema a ser tratado ou se tal problema seria de fato um fator culminante para não ser policial militar ... indo mais adiante vou processar o chefe do centro de recrutamento e seleção por esta conivente com irregularidades ,como o fato da clinica que aplicou meus exames ter vínculos mal explicados com a policia militar , como bem menciona A RESOLUÇÃO DO CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA , e eu tenho gravações que confiram tal vinculo que me gerou prejuízos psicológicos que talvez sejam irreversíveis para a função de policial militar , pois estou desde o dia que fui contra indicado na clinica, onde fui obrigado a assinar dois documentos na frente de vários candidatos, onde muitos riram da situação que as psicólogas me causaram, só lembrando tenho já uma declaração e uma testemunha sobre o caso que será juntado no processo.”
Não considero um nenhum desses exames fidedigno em nenhuma circunstância... Nos seres humanos somos falhos, cometemos erros, os psicólogos não são diferentes, mais eles se acham os verdadeiros donos da verdade, como se fossem Deus, basta você dizer que não aceita ou não concorda com a forma com que vem sendo feita esses exames, que você é julgado como uma bruxa da idade media. Que no meu ponto de vista deveria eliminar os candidatos no curso de formação e não uma simples eliminação em um pedaço de papel, que de forma projetiva julga sua personalidade como algo que pode ou não ser patológico, para o agora ou para o amanha. Oras, se tenho problemas psicológicos que isso se resolva no curso e formação ,ou caso contrário ,que eu e outros sejamos eliminados do concurso...

Vou citar uma exemplo de uma situação mal explicada, recentemente no estado da Bahia, um policia civil matou a sua namorada por ciúmes, o mesmo estava em estágio probatório com dois anos de serviço... Vocês sabem o que os jornalistas alienados e psicólogos sensacionalistas fizeram???Colocaram a culpa no juiz, pois o mesmo havia dado liminar para esse infeliz policial, que além de ter colocado a imagem dele no esgoto, colocou de forma explicita a dúbia a situação a que vários candidatos estão passando , “ pareceres favoráveis do judiciário sobre a questão”.

continuação pagina seguinte...

Anônimo disse...

Ocorre que esse infeliz policial ele tinha o perfil de assino, não foi à liminar do juiz que fez com que esse imbecil cometesse o crime, e sim a sua estupidez escondida em sua personalidade assassina, ao qual se quer foi avaliado no curso de formação para detectar tal perfil hediondo , ao qual dezenas de policias que passam nesses exames cometem barbaridades tão igual ou quanto pior .Diante das dezenas de fatos corriqueiros a este Brasil a fora de policiais assassinos que passam nesses exames, e o mesmo fato não é comparado pela mídia sensacionalista e hipócrita, ao qual como os senhores mesmos que já seguem a vida policial com respeito a farda que veste e se quer ah algum histórico de indisciplina militar ou qualquer tipo de transgressão, são comparados a este infeliz militar e ao julgamento de psicólogos que entram em contradição nos seus próprios exames ao afirmar que os senhores, mesmo sendo policial ,não tem condição alguma de exercer a função, isso beira a total estupidez chegando ao cumulo do ridículo.

Ao comentar esse fato com uma psicóloga oficial da policia militar de BH , A MESMA me disse que sou contrário a normas sociais e por isso não seria bom para a PM, veja que hipocrisia, dei uma opinião a essa desgraçada e ela me diz que sou oposicionista a normas sociais, é muita hipocrisia e falta de respeito com o ser humano , graças a Deus já vou fazer 3 anos como funcionário público na guarda municipal da minha cidade , e nunca , mais nunca, tive nenhum problema com meus colegas, e nenhum problema relacionado a esse fator de contra indicação que a mesma me considerou ; oposicionismos a normas sociais, pelo contrário sou admirado pela minha postura de ousadia e decisão, do que pode ser certo e errado a fazer para o bem comum, sou procurado por todos os meus colegas para ajudá-los a tomar decisões.

Por tanto o que considero hipócrita e moroso é no sentido de que os senhores , assim como estão preparados para combater o crime , devem estar mais preparados do que nunca para enfrentar essa barbárie com denuncias ao conselho regional de psicologia ao ministério público entre outros órgãos, pois se os senhores continuarem a ser alienados com simples decisões judiciais de um novo exame, essa situação nunca vai mudar, muitas pessoas ainda vão ser prejudicadas, inclusive os senhores como policiais, pois qualquer errozinho que os senhores policiais que já estão nesta função cometer , os mesmos que lhe deram a proeza de contra –indicar vão lhe da a doçura do julgamento, vão ringir como abutres dizendo que tinha contra-indicado e o juiz deu a liminar, eu bem que avisei que esse José do universo do policial é demente, eu disse que ele é agressivo, impulsivo, eu avisei o juiz foi da a liminar , eu avisei, agora tai ...

E por estes e outros motivos que solicito aos senhores uma profunda reflexão e uma postura mais fervorosa sobre esses exames, pois do modo que está, vai ficar muito difícil fazer alguma coisa , se nós não nos unirmos contra essas barbaridades.

Anteciosamnete;

leopmmg@hotmail.com

Anônimo disse...

Algumas pessoas, às vezes, não sabem se expressar bem, e acabam generalizando um problema local. Com isso, todos saímos predendo; generalizar não é bom. Bom, o que posso dizer é que, mesmo tendo sido reprovado no exame psicológico do CFO/PMMG 2010, uma lição ficou. O PMK foi um teste desenvolvido pelo Dr. Mira y Lope, um psiquiatra e psicólogo americano, na década de 1960. Sua finalidade inicial era avaliar a motricidade de candidatos a piloto de aviões. Depois disso, seu uso se expandiu. Segundo psicólogos inveterados, ele é um teste muito preciso, no entanto é influenciado pelo estado de ânimo. Sendo assim, se você não estiver num momento bom, provavelmente você não se sairá bem no teste, pois sua capacidade de concentração será mínima.A lição que deixo para aqueles candidatos que não querem morrer na praia, ou ser pego de surpresa com uma reprovação é que procurem uma boa psicóloga, leve para ela uma cópia da resolução 3.692/2002, e pessa para que ela, periodicamente e baseado nos requisitos que a resoluçao pede,aplicar o exame, até você atingir todos requisitos. Tudo em nossa vida é planejamento; não espere a oportunidade aparecer, crie-a.

Sd Santiago

Anônimo disse...

d Santiago

Com certeza cara, muito bem colocada as suas palavras, mais não tenho culpa se não tinha dinheiro para bancar uma psicóloga, e fazer o que você está dizendo,Falar é muito fácil sobre a importância desse PMK " CADA QUAL SABE DO SEU QUADRADO E VOCÊ DEVE SABER DO SEU", agora vamos para a pratica , quantas psicólogas desqualificas aplicam esses exames, e quantos são prejudicados, quantos policiais PMS que se submetem ao mesmo exame são reprovados mesmo tendo todo um aparato psicológico NA PROPRIA PM, se o policial não tem condições de ser PM , pois o mesmo foi reprovado DEVIDO A PATOLOGIAS NA FUNÇAÕ DE POLICIAL , eu, se fosse um, entrava na justiça , pedia minha aposentadoria , muita hipocrisia meu amigo, “Só uma pessoa iluminada como eu para jogar toda essa imundície no ventilador.”

Para o Sr(o) ter idéia não se avalia um candidato na policia militar de Minas Gerais, se elimina candidatos como galinhas no açougue, seria essa formula psicológica necessária para um ser humano ter a sua integridade psicológica , moral, respeitada, a sua dignidade como pessoa humana, a que tanto os psicólogos fazem parte parte, atráves do seu código de ética.

Não, não e não!!!!, o que vem acontecendo na policia militar com essas exames é a tamanha falta de respeito com as pessoas, não nego a eficácia desses exames, Alguns ,e o PMK é o único mais eficaz, mais deixa de ser preciso sob o ponto de vista, objetivo e projetivo na minúcia a ser conclusiva em determinados aspectos, Precisa-se saber até onde a patológia de um ser humano ela é precisa e conclusa a determinar que este ou aquele individuo não tenha condições alguma de ter acesso a uma arma de fogo.

Até que ponto tal exame não estaria discriminado um ser humano pela sua condição , sem ao menos lhe dar uma única chance de provar que o mesmo pode solucionar a sua infeliz patologia, em fim, vejo ; que o estado não respeita o ser humano como ele merece, que as psicólogas seguidoras da sua própria alienação, seguem a linha eloqüente com suas próprias verdades, sem abrir caminhos para uma forma mais justa de se avaliar e NÃO de eliminar a todos, como se estivéssemos em um jogo de Xadrez ou de cartas de baralho, dane-se o Leonardo se não estar bem para fazer o exame, ele que fo--/se!!!!!!! , quem mandou esta assim para fazer o exame, seria o PMK, em sua forma estrita dizendo isso para mim através das psicólogas, ou seria as psicólogas tentando dizer algo preconceituoso e discriminatório através desses exames, ou seria um candidato humilde , carente de informação que nunca fez tal exame , pedindo para o PMK uma certa, digamos, solidariedade em entender até onde pretende-se chegar com tal exame subjetivo, sempre imaginei que ao procurar um médico neurologista , o mesmo ia fornercer-me um laudo e me indicar o melhor tratamento para a doença a ser tratada, será que o PMK feito pela policia militar de Minas Gerais está ajudando alguém a se ajudar nesse discriminado sentido.

Anônimo disse...

Apenas a título de exemplo, os laudos de avaliação psicológica dos candidatos a cargos na Polícia Federal não foram assinados pelos psicólogos e parecem fazer parte de um único texto modelo, em total desrespeito à resolução n.º 30/2001 do Conselho Federal de Psicologia (doc. anexo).


S.m.j., a impressão primeira é de que a resolução 01/2002 foi baixada apenas como forma de referendar a aplicação dos testes em concursos públicos e o aspecto "científico e objetivo" dos mesmos com vistas a conter a avalanche de ações judiciais em torno da questão.
Se nem um único teste psicológico foi validado pelo Conselho, se não são controlados pelo Ministério da Saúde, se em sua totalidade são objeto de registro, publicação e comercialização apenas como obra científica, até um leigo, mediante simples raciocínio pode concluir que é impossível determinar indubitavelmente que qualquer dos testes existentes no mercado presta ao fim visado por seus autores.
Em razão disto, restam sem resposta as seguintes perguntas:


a) Até onde estes testes podem se tornar cerceamento de liberdade e de supressão de direitos?


b) Quantos foram prejudicados desde a regulamentação da profissão de psicólogo, há 40 (quarenta) anos, com o uso indiscriminado de testes não fiscalizados e sem garantia de prestarem ao fim a que hipoteticamente se destinam?e


c) Quantos poderão ainda sofrer prejuízos pela sua utilização em razão da omissão do Estado para com a saúde pública e para com os direitos e garantias individuais?


XI. A competência para avaliação, registro e validação de testes psicológicos segundo o art. 200 da Constituição Federal é do Sistema Único de Saúde.
"Art. 200. Ao sistema único de saúde compete, além de outras atribuições, nos termos da lei:

I. controlar e fiscalizar procedimentos, produtos e substâncias de interesse para a saúde e participar da produção de medicamentos, equipamentos, imunobiológicos, hemoderivados e outros insumos;

Anônimo disse...

XII. Por outro lado, é de bom alvitre lembrar que o Código do Consumidor, protetor "dos direitos da pessoa física ou jurídica que adquire ou utiliza produtos e serviços como destinatário final", em seu artigo 6º prevê expressamente que:

"Art. 6ª. São direitos básicos do consumidor:
I. A proteção da vida, da saúde e segurança contra os riscos provocados por práticas no fornecimento de produtos e serviços considerados perigosos ou nocivos;"

(grifamos)
E prossegue nos arts. 8º e 10ª:

"8. Os produtos e serviços colocados no mercado de consumo não acarretarão riscos à saúde ou segurança dos consumidores, exceto os considerados normais e previsíveis em decorrência de sua natureza e fruição, obrigando-se os fornecedores, em qualquer hipótese, a dar as informações necessárias e adequadas a seu respeito. (grifamos)

"(...)
10º. O fornecedor não poderá colocar no mercado de consumo produto ou serviço que sabe ou deveria saber apresentar alto grau de nocividade ou periculosidade à saúde ou segurança." (grifamos)

Já a responsabilidade dos prestadores de serviços encontra-se inserida no art. 14 e § 1º, do mesmo Diploma Legal:

14º. O fornecedor de serviços responde, independente da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos relativos à prestação dos serviços, bem como por informações insuficientes ou inadequadas sobre sua fruição e riscos.

§ 1º O serviço é defeituoso quando não fornece a segurança que o consumidor dele pode esperar, levando-se em consideração as circunstâncias relevantes, entre as quais:

I – o modo do seu fornecimento;

II – o resultado e os riscos que razoavelmente dele se esperam.

III – a época em que foi fornecido."

Preserva a Lei Consumerista os direitos constitucionalmente previstos de proteção à vida e à saúde, cuja ameaça in casu provém de testes que se encontram à margem da legalidade.

Por outro lado, o art. 8º da Lei Autoral diz que "não serão objeto de proteção como direitos autorais as idéias, procedimentos normativos, sistemas, métodos, projetos ou conceitos matemáticos como tais, os esquemas, planos ou regras para realizar atos mentais, jogos ou negócios".

Assim sendo, s.m.j., algum artifício pode estar sendo utilizado para dar aos testes psicológicos um enfoque outro que viabilize o seu registro como obra protegida pela Lei Autoral. Os testes podem estar sendo levados a registro como textos científicos, apostilas, traduções, etc.

De qualquer sorte, a Lei Autoral é clara e testes psicológicos não são passíveis de registro pelo MEC.

XIII. Isto posto, ressalta presente o interesse difuso e coletivo a nortear os fatos ora apontados e, conseqüentemente a competência do Ministério Público para apurar tais irregularidades e tomar as providencias legais cabíveis.


Protesta a Peticionante sejam tomadas medidas urgentes, objetivando proibir a venda e utilização destes testes, até o final das averiguações a serem realizadas, face à possibilidade de violações constitucionais como ora vislumbradas.

Anônimo disse...

leopmmg@hotmaisl.com, se alguém estiver afim de mudanças vamos propor uma ação civil públia no ministério publico de Belo Horizonte contra aforma que esses exames vem sendo aplicados.

repetindo...

leopmmg@hotmail.com

Anônimo disse...

Caros colegas Militares, fui atingido com a injustiça do psicoteste no ano de 1999. Para resumir a minha história estou retornando no próximo mês (março/2010) às fileiras da FAB após o reconhecimento das duas primeiras instâncias judiciais e por fim a aplicação da súmula vinculante 686. O meu caso é parecido com o do colega: fui soldado de primeira classe especializado concursado (S1), prestando inclusive exame psicológia, o mesmo exame foi aplicado na ocasião da minha aprovação para o CFC sendo que neste, misteriosamente, fui contraindicado.
Me solidarizo com o colega e lanço uma dúvida particular:
No período em que fiquei afastado fui extremamente prejudicado no que tange a minha possibilidade de ascensão na carreira. Na FAB para ser promovido a SGT é necessário ser aprovado no CFS-"A" (turma específica para Cabos). Aí é que está o problema, com o meu desligameto imotivado não tive sequer a possibilidade de me inscrever para o concurso. Alguns colegas de turma do CFC/1999 já são 2º Sargentos. Vou ser reintegrado como CABO pois realizei o CFC sob força de liminar, em 2001 sendo que após término do curso não fui promovido (inclusive participei da cerimônia de formatura) a FAB apenas esperou o meu término do tempo de serviço pois o S1 pertence ao quadro temporário (máximod e 06 anos de serviço).
Pois bem, consultei dois advogados, um me disse que eu teria o direito sim as promoções, outro disse que não pois sequer passei nas provas do CFS (mas como poderia se nem a inscrição eu fiz pois já tinha saido da FAB?)
Como fica? algum colega conhece caso semelhante ao meu? Já procurei jurisprudências mas não achei nada.
Quem estiver interessado é tiver como me ajudar agradeço muito. Acredito que a vitória de um (independente da cor da farda que veste) é a vitória de toda uma classe extremamente injustiçada e prejudicada pelos desmandos de pessoas que pensam estarmos vivendo ainda os "anos de chumbo".
Fiquem com Deus
e-mail: edsena666@bol.com.br

nivaldo arlindo de lourdes disse...

que situacao,nunka pensei passar por isso,passei em todas as etapas do concurso publico de agente penitenciario de,VITORIA ES e agora me reprovaram no psicotecnico,entrei com recurso,to aguardando resposta,se nao der certo entrarei com um mandado de seguranca,sera que tenho chance? de sua opiniao,nival.arlindo@gmail.com,obrigado

Anônimo disse...

PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS AO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO

Sobre o decreto federal 6.944 de 21 de Agosto de 2009, ao ligar para o CFP de Brasília, relatei a importância do conselho federal, exigir que os conselhos estaduais e clinicas respeitem o novo decreto federal , quando se refém aos exame psicológico a serem aplicados, ao qual nenhum psicólogo aceita e não vem cumprindo as obrigações a que o novo decreto impõe, é lamentável tal situação , enquanto psicólogos preocupam-se em eliminar candidatos em concursos com suas medidas arbitrárias e inconstitucionais, deixam de da bons frutos e resultados para a sociedade nos exames a qual pretende auferir patologias ligadas a candidatos que não tem condições alguma de assumir a função de policiamento ostensivo.

E ridículo defender um exame que se propõe a eliminar candidatos por um momento subjetivo, dúbio, e extremamente ligado a decisão única de um aplicador , sem nenhuma regulamentação em referencia a atuação da psicóloga(o) , com o candidato que se ver na mão dela(e) , onde o mesmo será capaz de prejudicar todo o exame se perceber atitudes ou comportamentos, que segundo psicólogos não visam o aproveitamento do candidato para a vaga pretendida , gerando assim uma antipatia e decisão pessoal sobre o candidato, decidindo dessa forma , que o mesmo não tem condições de assumir o cargo pretendido.


Interessante que até o momento nenhum psicólogo teve bolas de cristais para adivinhar o quanto e quantos milhares de policiais que passaram nos exames psicológicos saem pelas ruas cometendo crimes bárbaros, e psicóloga alguma vai a TV criticar ou falar que o policial que praticou o crime foi aprovado nos exames psicológicos, por incrível que pareça essa febre de policiais doentes que passam em exames que elas mesmas aplicam, já virou uma rotina em todo o Brasil, como podemos assistir nessa reportagem o depoimento do delegado;

http://in360.globo.com/rn/noticias.php?id=5686

Diante desses e outros milhares de casos por este Brasil afora, o fato é, Juízes e estudiosos sobre o assunto, estão cada vez mais alienados e fugindo das perguntas a que esses exames propõem a buscar, vendo psicólogos como anjos e protetores da sociedade maltratada, esquecem-se de se perguntar sobre as mazelas que os psicólogos estão trazendo com suas atitudes medievais, diante do caos a que descortina o nosso pais com milhares de bandidos vestindo a farda de policial militar , “e que passam nesses exames malucos e fraudulentos, que não muito difícil é burlá-los através de sites, para aprender a fazer os exames a que são ofertados”.

E desrespeitosos quando se refere a dignidade da pessoa humana, para tanto bastar lembrar alguns casos de policias assassinos que não chega nem a 1% no Brasil, que perderam nos exames psicológicos e são alvos de sensacionalismo por meios de psicólogos aproveitadores que querem mostrar um trabalho medíocre e sem solução para o problema a que a sociedade pede providências urgentes do poder público, é de fato lamentável que um candidato não possa ser avaliado por psiquiatras e psicólogos no curso de formação para a área de segurança, onde poderia se obter todas as conclusões possíveis , e estudos psicológicos que contribuiriam para formar policiais cidadãos e cumpridores do dever legal a que todos estão incumbidos a que nos cidadoas esperamos.

Portanto, solicito providencias dessa casa, para que, o decreto federal não só seja reformulado como também seja revisto a forma de avaliar o ser humano, não como cobaia de psicólogos, e sim como cobaia da sociedade que paga impostos, e diariamente e se ver prejudicada por um exame que não corresponde ao que realmente ele busca a solucionar.

Atenciosamente,

PEDE PROVIDÊNCIAS URGÊNTES JUNTO AO CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA QUE ESTÁ DESRESPEITANDO O DECRETO FEDERAL.

Anônimo disse...

Bom dia gente!

Por favor, solicito a todos que foram prejudicados nesses exames, que entrem em contato comigo para que juntos possamos juntar fatos, declarações, provas concretas quanto a forma negligênte que vem sendo aplicado esses exames e juntos movermos uma ação na justiça e no ministério público pedidno providências, fasso lembrar que caso seja aberta uma ação civil , contribuira efetivamente para o processo daqueles que estão de liminar no curso de formação.

Gente vamos deixar de apatias e nos unirmos contra esses exaes a forma como vem sendo aplicados, se não soubermos usar esse cana de informação para juntos tentarmos fazer algo, as coisas não vão mudar , psicologas malucas vão sair por ai eliminado gato e cachorro e nós seremos os grandes prejudicados nessa hitória.

estou aguardando a solidariedade e o compromisso de vocês.

leopmmg@hotmail.com

Anônimo disse...

RECURSO PARA QUEM FOR CONTRA-INDICADO NO EXAME CTSP-BH-2010/INTERIOR DA POLICIA MILITAR DE MINAS GERAIS.

RECURSO
1. CONCURSO: CTSP/2010-RMBH. EDITAL COLOCA A REFERÊNCIA DO EDITAL.

2. IDENTIFICAÇÃO
3. SOLICITAÇÃO

3.2
Demais fases;
(x) Exames psicológicos
Conforme resultado da 5ª fase (Exame psicológico), ordem inscrição do concurso, solicito ao CENTRO DE RECUTRAMENTO E SELEÇÃO, cópia inerente ao laudo da minha contra-indicação. Que meu exame seja reavaliado conforme o decreto federal Nº 6.944, de 21 de Agosto de 2009 Art. 14; CONFORME HIERARQUIA DO CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA e clinicas subsidiarias ao estado. Ainda assim solicito que seja retificado o meu resultado, pois não houve o cuidado necessário para que minha avaliação fosse feita de forma cuidadosa, onde fiquei sozinho na sala com uma psicóloga, sendo julgado e subjugado a todo o momento sem direto de ter uma única testemunha, pois precisaria de um psiquiatra qualificado para me acompanhar nos exames a que em foram ofertados, ainda assim preciso que a clinica, me aplique outro exame conforme minhas solicitações mencionadas acima, que meu exame particular seja aceito conforme normas estabelecidas pelo conselho federal de psicologia, caso meu exame entre em conflito com o edital do concurso , que não permite a apresentação de outro exame , que a policia como organizadora e “ente do concurso”, abra uma investigação por fraude feita por mim e por minha psicóloga , para que a clinica particular, que me indicou seja processada conforme leis vir gentes,por último solicito ser acompanhado por psicólogos e psiquiatras no período do curso de formação para que se possa entender quais realmente foram os motivos patológicos que me contra-indicaram , diante do qual os tribunais tem entendido em milhares de ações impetrados na justiça que estes exames são subjetivos e não medem de forma exata a solução a que o mesmo se propõe a solucionar, fazendo lembrar que existe centenas de policiais com patologias e processos disciplinares além de crimes hediondos com a farda desta policia , e que nada foi feito até o presente momento para evitar o tamanho caos a que encontra-se a forma de aplicação desses exames, sendo assim, solicito retificação do meu resultado, e matricula no curso de formação.

Anônimo disse...

CÓDIGO CIVIL

Art.186 Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito.

Art.972. Aquele, que por ato ilícito causar dano a outrem, fica obrigado a repará-lo.

§ único. “Haverá obrigação de reparar o dano, independentemente de culpa, nos casos especificados em lei, ou quando a atividade normalmente desenvolvida pelo autor do dano implicar , por sua natureza, riscos para o direito de outrem”.

É reluzente essa cristandade do texto legal ao imputar ao agente, seja de forma comissiva ou omissiva, a responsabilidade de indenizar ao cliente de serviços prestados da área de psicologia em virtude dessa ação ou omissão, mesmo que tal condição tenha sido praticada sem culpa ou ainda seja ela decorrente da própria atividade praticada pelo individuo- Cumprimento do dever legal a qual foi investido, ou ainda, dever de oficio- Agindo ele dentro dos parâmetros de diligencias, prudência e pericia conforme o caso.




Gente cuidado!!!!!!!!!

Quando vocês levarem este modelo de recurso para um psicólogo, pois você pode ser alienado, me preocupa vocês serem burlados por psicólogas , pois nenhum psicólogo concordara com este modelo de recurso, pois eles sabem que um recurso com esse pedido, pode acarretar judicialmente uma mudança estrutural caso venha a ser aceito pelos tribunais, fiquem de olhos abertos , e não aceitem em nenhuma hipótese a mudança de uma virgula , “ acrescentem só as razões da sua psicóloga contra o exame que lhe deu causa de contra-indicação”, mais não aceitem mudanças em relação a este pedido inicial.
Ok , agora se vocês tiverem medo de fazer um recurso desse, e depois ver seu nome novamente como contra-indicado no concurso é só fazer o que sua psicóloga quer que você fassa.

Duvidas;

leopmmg@hotmail.com

Anônimo disse...

SOLICITAÇÃO CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA
.
Nº 28032010
.
Eu, xxxxxxxxx xxxxxxxxxx xxxxxxxx, portador do RG: xxxxxxxxxx, residente na rua do Prado, Bairro-CALAFATE, CEP: XXXXXX-XXXXXX.
.
Venho respeitosamente solicitar a este ilustre conselho federal de psicologia, que me envie por E-mail: xxxxxxxxxxxxxxxxxx, respostas sobre o novo decreto federal 6.944 de 21 de Agosto de 2009, Art. 14, referente a normas gerais e aplicação em concursos públicos em âmbito estadual, como já sei, os Sr(o)es não aceitam o novo decreto federal, não quero como resposta o que os senhores pensam sobre o novo decreto , quero como resposta, o que de fato é o decreto federal ,se deve ou não ser aplicado  em âmbito estadual, pois subsidiariamente os conselhos regionais de psicologia estão ligados ao conselho federal de psicologia, vejo nessa inerência, a responsabilidade do conselho federal, exigir que os conselhos regionais e clinicas  estaduais  ,sigam as normas e obrigatoriedade do novo decreto federal , também no âmbito estadual.
.
 Ainda assim, solicito o envio de uma carta pelo Conselho Federal de Psicologia, informando que a policia militar do estado de Minas Gerais, deve me avaliar como candidato a vaga de policial militar, conforme o decreto federal 6.944, respeitando as leis a  que devem ser cumpridas.
.
PEDE PROVIDÊNCIAS URGÊNTES JUNTO AO CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA QUE ESTÁ DESRESPEITANDO O DECRETO FEDERAL.
.
Diante das minhas explicações fundamentadas, solicito a este conselho Federal de psicologia que solicite a POLICIA MILITAR DE MINAS GERAIS, dados estatísticos sobre policiais que passaram nos exames psicológicos e que vem diariamente cometendo crimes bárbaros.
.
Quantos são do total de policiais que cometem crimes, de que forma são esses crimes, o por que esses policiais passaram nos exames psicológicos. Afinal se o exame busca identificar um perfil fidedigno de confiabilidade através do PMK, o porquê quase a metade dos policias mineiros e do Brasil estão virando bandidos, preciso que este conselho federal de psicologia, explique através da policia militar de Minas Gerais o que estar acontecendo, que estudo, que pesquisa vem sendo feita nesse sentido para melhorar a forma como esses exames estão sendo aplicados, já que o mesmo tem a missão de excluir candidatos com perfis desajustados.
.
COMPLEMENTAÇÃO (2)
.
 Preciso de explicações, sobre a finalidade da resolução Nº 007/2003
Tópico 3-Relatório psicológico. Item 3.2.1- da Identificação
No identificador Interessado, o psicólogo indicará o nome do autor do pedido (se a solicitação foi da justiça, se foi de empresas, entidades ou do cliente).
Gostaria de sabe qual a responsabilidade da clinica, quanto à obrigatoriedade de fornecer o laudo do exame que foi aplicado, para o cliente candidato a vaga em concurso público, pois ao solicitar meu laudo a clinica que fiz meu exame, traves da minha psicóloga contratada, o mesmo foi negado, afinal para que serve a resolução Nº 007/2003, o que está acontecendo que nenhuma clinica do estado de Minas Gerais, fornece laudos a pedido do candidato contra-indicado.
.
Interessante lembrar que já existe em alguns estados, como o da Paraíba a obrigatoriedade das clinicas em fornecerem laudos sobre a contra-indicação do interessado no concurso público.   

Anônimo disse...

COMPLEMENTAÇÃO (3)
.
Necessito de informações relacionadas a punições de clinicas que cometeram infrações ligadas a concursos públicos no estado de Minas Gerais, para que o ministério público federal possa averiguar, o porquê tantas clinicas denunciadas ao conselho regional de psicologia do estado de Minas Gerais, continuam atuando de forma livre com seus métodos obscuros e prejudiciais a saúde dos clientes, que contratam seus serviços, preciso saber em números , quantas clinicas até o momento foram autuadas por este conselho regional , pois o que me consta até o momento são corporativismos e casos sem nenhuma solução.
.
COMPLEMENTAÇÃO (4)
.
 Sobre a resolução CFP Nº 002/2009
...
“Art. 5º - Aos psicólogos responsáveis pela avaliação psicológica fica vedado
estabelecer qualquer vínculo com os Centros de Formação de Vigilantes,
Empresas de Segurança Privada, Escolas de Formação ou outras empresas e
instituições públicas que possa gerar conflitos de interesse em relação aos
serviços prestados”.
.
Até o momento pelo que me consta, sobre essa  resolução, a mesma esta   servindo de fachada para demonstrar rigor quanto ao vinculo clinica e entidade pública, POLICIA MILITAR DE MINAS GERAIS, pois ocorre totalmente o contrário da resolução mencionada , clinicas com vínculos escusos, licitações obscuras e o conselho federal de psicologia , até o presente momento não tomou nenhum providência quanto a situação  gravíssima que vem ocorrendo nos concursos públicos para o cargo de policial militar no estado de Minas Gerais.
.
Ocorre que, todas as clinicas firmam contratos e vínculos mau explicados com a policia militar, inclusive com policias da área de saúde, donos de clinicas, que passam anos e anos sem perder uma única licitação, e ainda pior, as clinicas que celebram contratos obscuros com a policia militar de Minas Gerais “Organizadora do concurso”, as clinicas  não aceitam em nenhuma hipótese que  candidatos contra-indicados nos exames, refaçam novamente o exame psicológico na mesma clinica, que lhe contra-indicou, sempre com o argumento de que precisa de autorização da policia militar de Minas Gerais para o reexame que foi aplicado inicialmente na  inicial do certame, é de forma clara  e sem algum tipo de duvida , o temor que as clinicas  do estado de Minas Gerais tem, em constatar que de fato o exame psicológico é um exame precário,e que seria justo o resultado do candidato ser alterado, não assumindo dessa forma a negligencia a que o candidato foi submetido ao primeiro exame. 

Anônimo disse...

COMPLEMENTAÇÃO (05)
.
Quais foram às normas que foram feitas e promulgadas pelo conselho federal de psicologia até o presente momento, referente atuação do psicólogo e candidato no momento da avaliação para concurso público, pois é de forma grosseira e estúpida que milhares de candidatos estão sendo agredidos por psicólogos no momento da avaliação, sendo julgado e subjugado a todo o momento, sem nenhuma chance de ter como se defender das arbitrariedades que são concomitantemente cometidas pelos psicólogos na avaliação do exame, sentindo-se esses o Deus da verdade e do julgamento supremo, onde ninguém poderá desafiá-los a não ser as suas próprias verdades. Pois para garantir o cerceamento do direito e provas, seria necessário cada candidato ter a sua livre escolha um psicólogo ou psiquiatra no momento da avaliação do exame, auferindo dessa forma as praticas de psicólogos do estado, reduzindo assim a chance de negligências, discriminação, desrespeito a dignidade da pessoa humana, que da forma como vem sendo feito, impossível um candidato enjaulado numa sala e cabine, ter como provar que circunstâncias desfavoráveis lhe foram acometidas no exame.
.  
COMPLEMENTAÇÃO (06)
.
O que vem sendo feito pelo CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA, no sentido de diminuir a tamanha desigualdade social a que estes exames estão acarretando nos concursos públicos, deixando milhares de pessoas desempregadas por suas praticas obscuras, sem nenhum tipo de fiscalização pelo sistema único de saúde, o SUS “e nem muito menos aceita pela sociedade”, que se quer foi questionada ou referendada a saber se concorda ou não com as praticas que vem sendo adotadas, e nem muito menos discutidas pela sociedade , que até o momento só foi discutido por psicólogos, que auto se determinam os donos da verdade e da razão, muito me faz lembrar o nazismo, mais que muitos também,  não se compara a todos os envolvidos da área de psicologia e psiquiatria quando se refere a aplicação desses exames, em recente pesquisa descobrir que  a maioria absoluta dos psicólogos concordam que estes exames deveriam ser aplicados no curso de formação para área de segurança pública, pois nada mais justo que profissionais ligados a área de segurança e com seus quadros de psicólogos e psiquiatras do estado  avaliarem o candidato no processo seletivo de forma mais justa e não subjetiva como vem sendo feito, e ainda assim tendo o cinismo de todos os envolvidos no processo de concursos , como o da policia militar de Minas Gerais ,como  uma ditadura militar, em afirmar que o exame mede um momento, que dane-se quem foi arbitrariamente prejudicado.

Anônimo disse...

Esta metamorfose mencionada  não alteraria em nada a capacidade financeira do estado para com a responsabilidade de organizar , fiscalizar a forma como os exames psicológicos vem sendo aplicados com uma rigorosa  fiscalização da  saúde pública , ministério publico e da sociedade civil organizada. Falando-se inclusive da atuação de alguns profissionais da área de psicologia e psiquiatria, que se quer são ouvidos por uma grande massa minoica de psicólogos alienadores que se dizem os donos da verdade e da superioridade de raças e crenças estenotipas, pelo simples fato de poder decidir pela maioria em desconjunto com a sociedade,  que é a base dessa maioria  de gente arrogante e prepotente que aplicam exames em desconformidade com o direito a intimidade , a privacidade,a dignidade da pessoa humana , que em nenhum momento foi discutida pela sociedade o por que estes exames estão aprovando milhares de criminoso para área de segurança pública , enquanto os que são contra-indicados levam a fama de desajustados, sendo esses ínfimos diante de milhares em todo Brasil; Os desajustados que salvam a vida das pessoas muitas das vezes se confundem aos que se dizem ajustados que estes em sua maioria não cansam de parecer no JORNAL NACIONAL DA GLOGO COMETENDO CRIMES ,e psicologo algum vai a TV comentar que o mesmo havia passado nos exames, mais sendo o contrário a hipocrisia iria reinar por psicólogos espertalhões ,mostrando o trabalho feito e desfeito pela justiça .
.
 O que mais parece quanto a este fato é que os exames buscam candidatos assassinos e mafiosos, muitos que assistiram ao filme tropa de elite, tiveram a oportunidade única de vislumbrar o caos a que vive a segurança publica em nosso pais, em conformidade a isso os psicólogos que nunca se manifestaram sobre suas verdades, quanto ao assunto, sempre preferiram esconder o que seria melhor avaliar diante do caos, um candidato capaz de ser corrupto e assassino ou um candidato que beira a mais honrosa atuação como policia militar, pois bem , o filme tropa de elite , ele mostra o que os exames psicológicos querem para concurso.
.
 E nos, pessoas honestas, nos perguntamos, será que o Brasil tornara-se “ um pais mais justo”, se nem conseguimos entender o porquê a maioria dos policiais que se envolvem em crimes bárbaros foram aprovados nos exames psicológicos,  como o caso de um policial recentemente em Curitiba filmado espancando uma criança  de 8 anos de idade, e do   coordenador do AfroReeegue Evandro,  vitimas de policias incrédulos, foi deixado a própria morte numa esquina em um bairro do Rio de Janeiro,  todos estes fatos são vistos  diariamente em nível nacional e se quer aparece um psicólogo para questionar o porque estes indivíduos passaram nos exames psicológicos , mais se fosse o contrário, tenho total e absoluta certeza que iria aparecer um psicólogo alienador e inteligente com suas próprias razões e verdades , dizendo que havia reprovado estes meliantes nos exames psicológicos.

Anônimo disse...

É de fato arrepugnante, até que o CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA me explique essas duvidas,  fico sem entender esta situação , pois é  terrivelmente impossível acreditar no que esta acontecendo, tenho certeza que se estes exames não tivessem falhas evidentes , o Evandro nesse momento estaria agradecendo ao CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA pelo seu brilhante trabalho em usar técnicas divinas para livrar a sociedade desse mal que o acarreta, pessoas desprovidas de caráter e personalidade, interessante que a sociedade  está precisando de exames como esses, para avaliar políticos corruptos, quem sabe o CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA  faz uma sugestão para criação de um projeto de lei nesse sentido, no dia que for feito isso, e se eu ainda estiver vivo, vocês me falam, pois quero parabenizar a todos por brilhante iniciativa para melhorar o nosso pais, tão ferido e maltratado por tantos que só pensam em si ...
.
O que fica diante do assunto são as duvidas sem respostas, A qual vou exigir explicações do CFP. pois o que vislumbro são  questionamentos sem respostas e soluções não encontradas , enquento candidatos são prejudicados com leis camufladas e descumpridas , o decreto federal que configura o norteamento do exame psicológico sendo visto como improcedente por psicólogos. sendo o próprio conselho federal de psicologia desacreditando os atos federais, esquecendo-se de perguntar o que estes exames estão fazendo para levar a dignidade, razão , verdade, quando estes exames deixaram de ser subjetivos,  para torna-se de fato uma verdade e realidade, e não uma mentira que gera prejuízos.

Anônimo disse...

Dos prejuízos que são causados por exames psicológicos
.
 Não se pode falar em testes e em processo de contratação sem falar do trabalho na sociedade atual e do trabalhador que geralmente é submetido ao teste: aquele que não tem emprego. Fernando de Vicente Pachés (1998) em obra sobre a proteção da intimidade do trabalhador, menciona na visão de Carmem Lucia Antunes Rocha (1999), em texto sensível sobre o tema da exclusão social e a dignidade da pessoa humana, o desemprego é uma negativa de trabalho, nega-se o direito ao trabalho àqueles que, dispondo de vontade e condições de trabalho, a ele não têm acesso por dependerem de uma estrutura na qual lhe seja possibilitado prestá-lo... mais adiante, prossegue a autora: O desempregado é, hoje, vítima de preconceitos. Vivendo cada vez mais nas sombras de muros e viadutos encostados nos quais se recolhem e se escondem, tornam-se invisíveis aos próprios cidadãos.
.
Basta, assim, uma mera consulta a revistas de administração ou livros de auto-ajuda que preenchem as prateleiras de bancas e livrarias para se encontrar conselhos ao desempregado: .reciclese., .seja eficaz., .concentre-se., .seja dinâmico....são alguns dos chavões de sempre, que geralmente só funcionam para enriquecer gurus, consultores e outras figuras que surfam nas ondas do mercado perverso, e que de vez em quando são engolidos por elas, sem conseguir utilizar para si mesmos os próprios conselhos.
 .
Na realidade, nada disso resolve, é tudo falácia. O desemprego vai desde o que nada estudou e nada faz até aquele que sempre procura seguir os ditames da modernização. Pouco importa o que se faça. O mercado é um animal irracional, sem lógica e sem emoção.
 

Anônimo disse...

Essa lei do mercado não passou despercebida pelos neoliberais, que ditam a lógica da economia globalizada e das empresas inseridas neste contexto. Milton Santos(2000) fala na competitividade em estado puro e na potência em estado puro, em um sistema de perversidade sem ética ou política em que o dinheiro e o consumo são os reguladores e a necessidade de competição é legitimada pela ideologia e assegurada pelo exercício do poder como força.
 .
 Falando sobre a hipótese de fim da história, Santos (op.cit.) refere-se ao motor único excludente, consistente na mais-valia universal que se torna possível a partir da mundialização do dinheiro, do crédito, do consumo, da informação. 4 Com efeito, para Coutinho (2003, p. 25): .A concentração do poder econômico, entretanto, permanece nas grandes organizações, mitificada num processo alienador que deifica o mercado como dissolvente do poder, como único espaço do poder na relação de emprego. Ao empregado só há campo aberto para obediência e submissão.. Paradoxal, aponta Antunes (2002)5, que a categoria do trabalho seja desconstituída no plano gnosiológico enquanto, no mundo real, aparece como uma das mais explosivas questões da contemporaneidade.
 .
O trabalho como categoria na sociedade atual deve ser articulado com o espaço de poder da empresa, espaço esse que se estende à fase de contratação, legitimado pelo jurídico (COUTINHO, op.cit.).
 
.

Anônimo disse...

O PRINCÍPIO DA DIGNIDADE
DA PESSOA HUMANA VIOLADO PELOS EXAMES PSICOLOGICOS .
 .
A Constituição da República Portuguesa, de 1976, proclama em seu artigo 1º a dignidade humana como valor no qual se funda a República Portuguesa. Trata-se, segundo Mota Pinto (2000), de noção fundamental, que constitui um elemento de unidade de valor da Constituição, sendo certo que uma das condições desta dignidade é o respeito pela identidade e integridade da pessoa.
 .
Após o direito à vida e à integridade, consagra em seu artigo 26º6 outros direitos pessoais que, em comum, protegem o círculo nuclear da pessoa, correspondendo, genericamente, a direitos da personalidade. A Constituição brasileira consagra a dignidade da pessoa humana como fundamento do Estado Democrático de Direito no artigo 1º, inciso III.Para SARLET, a dignidade é qualidade intrínseca da pessoa humana, é irrenunciável e inalienável, constituindo elemento que qualifica o ser humano como tal e dele não pode ser destacado, de tal sorte que não se pode cogitar na possibilidade de determinada pessoa ser titular de uma pretensão a que lhe seja concedida dignidade.
.
Para esse autor, a dignidade não está apenas onde é reconhecida pelo Direito, constituindo-se dado prévio a ele, sendo que o Direito poderá exercer papel crucial na sua proteção e promoção, não sendo, portanto, completamente sem razão que se sustentou até mesmo a desnecessidade de uma definição jurídica da dignidade da pessoa humana. Lembra, ainda, que se trata de princípio constitucional de maior hierarquia axiológica e que engloba necessariamente o respeito e proteção da integridade física e psíquica que assume particular relevância em tempos de globalização, privatização, e incremento dos níveis de exclusão.
 .
Alerta, contudo,que o princípio não pode ser visto no sentido de que tudo o que consta do texto constitucional ser reconduzido ao valor da dignidade, sob pena dasua banalização (SARLET, 2002).No dizer de Rizzatto NUNES (2002) , com o atual Diploma Constitucional, o principal direito fundamental constitucionalmente garantido é o da dignidade da pessoa humana, e está mais do que na hora de o operador do Direito passar a gerir sua atuação social pautado no princípio fundamental estampado no Texto Constitucional. Coloca-o esse autor como verdadeiro supra princípio constitucional que ilumina a todos os demais princípios e normas constitucionais e infraconstitucionais. E por isso não pode o Princípio da Dignidade da Pessoa Humana ser desconsiderado em nenhum ato de interpretação, aplicação ou criação de normas jurídicas (p. 50).
 

Anônimo disse...

Antonio Junqueira de Azevedo (2002) informa que o princípio jurídico da dignidade, como fundamento da república, exige como pressuposto a intangibilidade da vida humana. Sem vida, não há pessoa, não há dignidade. E acrescenta como conseqüência do princípio o direito à intimidade. Cleber Francisco Alves (2001), referindo ao princípio com relação aos direitos sociais, lamenta a ineficácia do direito ao salário mínimo para proporcionar uma vida digna ao trabalhador, mas lembra que a norma constitucional serve para revelar extrema sensibilidade para resguardar à pessoa os mais elementares requisitos para o pleno desenvolvimento de sua personalidade.7 Este autor menciona ainda serem raras as decisões judiciais que se apóiam exclusivamente no princípio, mas exemplifica com uma questão ligada a testes:
.
HC71.373-4 em que o STF julgou pela impossibilidade de se determinar que uma pessoa seja obrigada a realizar exame de DNA. Finalmente, Carmem Lucia Antunes ROCHA, no artigo já citado no capítulo inicial: Pode-se afirmar que, mesmo se um dado sistema normativo não concebesse, em sua Expressão, a dignidade humana como fundamento da ordem jurídica, ela continuaria a prevalecer e a informar o direito positivo na atual quadratura histórica. Mais ainda: pode-se mesmo acentuar que a dignidade da pessoa humana contém explícita em todo o sistema constitucional no qual os direitos fundamentais sejam reconhecidos e garantidos, mesmo que não ganhem nele expressão afirmativa e direta tal como agora concebidos, aceitos e interpretados, aqueles partem do homem e para ele convergem e a pessoa humana e a sua dignidade não são concebidos como categorias jurídicas distintas. Logo, onde aquela é considerada direito fundamental, tida como centro de direitos, igualmente essa é aceita como base de todo o ordenamento jurídico e incluído como pólo central emanador de conseqüências jurídicas(ROCHA, op.cit.).
.
Não se perde de vista que a proteção da personalidade, como já mencionado, é fundada na dignidade da pessoa humana. Com efeito, a dignidade alcança um amplo leque de direitos, dentre os quais decorre o respeito à integridade física e psíquica, a qual, friso, pode ser ameaçada na composição entre desenvolvimento tecnológico e poder econômico. Para Bodin de Moraes (2003): as maiores perplexidades em torno do tema dizem respeito ao extraordinário desenvolvimento da biotecnologia e suas conseqüências sobre a esfera psicofísica do ser humano. Lembra a autora que o projeto Genoma Humano, que já começa a criar possibilidades decorrentes do mapeamento genético permite antecipar, por testes genéticos, algumas predisposições a certas doenças, e, daí, a questão: poderia o empregador exigir um teste desses para o ingresso no emprego? (p. 125-127). De antemão, a resposta é negativa.
 .
Em artigo sobre o tema, Peres Gediel (2003) menciona que a observância dos direitos fundamentais nos contratos de trabalho se torna dificultada pela condição fática de desvantagem econômica do trabalhador, subjacente à relação jurídica e, diante disso, o mero consentimento do empregado destinado a renúncia ao exercício temporário de direitos fundamentais não pode ser, normalmente,aceito como renúncia, e aduz que a dignidade da pessoa humana é fundamento da limitação às condições que representem obstáculos ao livre desenvolvimento da personalidade, para ele,nessa hipótese se inscrevem, quase sempre, os exames pré-admissionais, sem a devida autorização e informação da finalidade, e sem o compromisso do empregador de que dará ciência dos resultados ao trabalhador e deles guardará sigilo (p. 160-165).

Anônimo disse...

VIDA PRIVADA E INTIMIDADE VIOLADA PELOS EXAMES PSICOLOGICOS.
.
Na visão de Didier Anzieu (appud FREITAS, 1993) um teste projetivo é como um raio X Atravessando o interior da personalidade, fixa a imagem do seu núcleo secreto sobre um revelador (aplicação do teste), permitindo depois sua leitura fácil, por meio da ampliação ou projeção ampliadora de uma tela (interpretação ou protocolo). O que está escondido fica, assim, iluminado; o latente se torna manifesto; o interior é trazido à superfície; o que há em nós de estável e também de emaranhado se desvenda.
 .
São inúmeros os autores que estudaram os direitos da personalidade, cada qual classificando-os de uma forma, muitas das quais reconhecem os direitos psíquicos, como sendo os relativos a elementos intrínsecos da personalidade.8 Todavia, em que pese o reconhecimento de uma esfera
psíquica do indivíduo que pode ser violada, como o direito atua frente a utilização desses avanços
tecnológicos pelos empregadores? Como já mencionado no início, a questão da vida privada e intimidade do trabalhador já foi abordada em inúmeras obras.
.
Para Mota Pinto (2000), que escreve vigoroso estudo sobre o tema, a definição positiva da noção de vida privada é difícil. Como conseqüência destas dificuldades, esta noção é mesmo por vezes caracterizada como sendo vaga, obscura e sem um verdadeiro conteúdo preciso. A Carta Constitucional Portuguesa, no artigo 26 já mencionado,9 fala em .reserva à intimidade da vida privada ., o que, segundo o autor, não restringe a proteção da vida privada e não deve ser excessivamente valorizada.
 .
Assim, a Constituição Portuguesa parece não diferir intimidade de vida privada, resguardando neste último conceito as duas proteções: .o respeito pela reserva da vida privada torna, na verdade, proibidas seja a revelação ou divulgação de informação, seja a tomada de conhecimento, correspondentes à proteção, respectivamente, do interesse na não difusão e do interesse na reserva stricto sensu. (MOTA PINTO, op.cit., p.169). Ao especificar a formas de violação do direito à reserva da vida privada, traz a menção de que questionários e testes relativos a aspectos incluídos na vida privada do trabalhador devem ser limitados aos casos em que seja necessária a proteção de segurança de terceiros ou do próprio trabalhador, ou de outro interesse publico relevante.
 

Anônimo disse...

Levando em conta essa ultima observação, estabelece-se um permissivo para a aplicação dos testes, cria, ao mesmo tempo, um limite ao empregador assim, em tese, poderia haver justificativa
para a aplicação de um teste específico de personalidade em candidatos para determinadas funções que pudessem oferecer perigo, como, por exemplo, motoristas (um motorista agressivo demais, por exemplo, poderia ser recusado...). Já no caso da contratação de uma secretária, de um auxiliar administrativo, de um advogado....a questão da personalidade não tem relevância a ponto
de justificar a invasão na esfera psíquica, além dos aspectos profissiográficos específicos do cargo ou de uma eventual situação específica da contratante.
 .
Xavier Lobo (2003, p. 261-275), em artigo sobre a defesa da proteção da personalidade do trabalhador, já demonstra a preocupação com a questão do teste genético, e é enfático ao rejeitar
esse tipo de teste para qualquer seleção de trabalhadores, por tratar-se de injustificável e gravíssima invasão. Interessante que esse autor, ao mencionar as condições para a realização de testes genéticos, nos dá uma pista a seguir para o aperfeiçoamento das condições para aplicação de testes de personalidade em geral: condições de processo . fiabilidade, reserva, consentimento esclarecido e livre . e de fundo . congruência relativa ao objeto, na medida em que deve haver uma justificativa poderosa para aplicação. Ressalte-se que, doutrinariamente, vida privada está ligada à relação com a coletividade, protegendo o indivíduo do conhecimento alheio. Intimidade diz respeito a uma esfera mais fechada,que permite inclusive o desenvolvimento reservado da própria personalidade. Em um complemento sistêmico às cláusulas gerais de proteção constitucional (dignidade da pessoa humana, igualdade...), o Novo Código Civil inseriu um capítulo específico sobre os direitos da personalidade até então inexistente,12 e, segundo Tepedino (2003), a partir daí, deverá o intérprete romper com a ótica tipificadora seguida pelo Código Civil, ampliando a tutela da pessoa humana não apenas no sentido de admitir uma ampliação de hipóteses de ressarcimento mas, de maneira muito mais ampla, no intuito de promover a tutela da personalidade mesmo fora do rol dos direitos subjetivos previstos pelo legislador codificado.
 

Anônimo disse...

TESTES E VIOLAÇÃO A DIREITOS
.
Todos os dias, milhares de candidatos são submetidos a testes psicológicos, entrevistas, dinâmicas de grupo, e outras técnicas variadas, visando o preenchimento de uma vaga para emprego. 13 Alguns desses instrumentos, como os testes, são operados por psicólogos, os quais deverão possuir a qualificação necessária. Outras técnicas são aplicadas por profissionais dos mais diversos ramos,inclusive psicólogos, pedagogos e administradores.
.
No tocante especificamente aos testes, estes precisam ser revalidados pelo Conselho de Psicologia, e esta revalidação é feita a cada 10 anos, o que significa que um teste aplicado em um candidato hoje pode ser considerado não válido posteriormente.
.
Na última avaliação feita, muitos dos testes avaliados foi reprovada14 .O artigo 168 da CLT torna obrigatório o exame médico na admissão, demissão e periodicamente, e em seu § 2º, a Lei menciona a possibilidade de outros exames complementares para apurar a capacidade ou aptidão física e mental do empregado para a função que deva exercer.15 A legislação portuguesa tem disposição semelhante, todavia, parece haver lá um cuidado maior do legislador com relação à proteção dos dados levantados, eis que são inúmeros os dispositivos legais relacionados a proteção de dados dos trabalhadores portugueses.16 No Brasil, inexiste legislação específica sobre proteção de dados dos trabalhadores. A questão do dano e sua reparação jurídica na fase anterior ao contrato já foi abordada por Sandra Lia Simón (2000) , atual Procuradora Chefe do Ministério Público do Trabalho no Brasil: refere-se à fase de contratação como a fase em que a situação do candidato a emprego é extremamente delicada, e questiona a exigência de submissão a exames médicos e os abusos que daí poderão decorrer.
 .
Também a obra da Juíza Alice Monteiro de Barros (1997) se destaca porque ingressa especificamente na questão da testagem, para esta autora, o ordenamento jurídico brasileiro não possui norma dispondo sobre a licitude dos métodos utilizados na seleção de pessoal, mencionando ainda que os exames psicotécnicos geram oportunidade para que se atente contra a intimidade do trabalhador.
 

Anônimo disse...

No exterior, Fernando Pachés(op.cit), em obra já citada, adentra também especificamente na questão dos testes: .Com caráter general se considera que lãs pruebas psicológicas deberain cumplir uma serie de condiciones y realizarse sobre um determinado marco de referencia. (p. 116).
.
José Adercio Leite Samapaio (1997), Procurador da República, escreve interessante artigo sobre o tema, no qual menciona a França como um dos países com o sistema jurídico de proteção mais avançado do mundo, citando uma recomendação da Comission Nationale de l;informatique et dês Libertes . CNIL .impondo uma série de exigências para que as informações pessoais, respeitantes aos candidatos, sejam recolhidas e tratadas. (p. 313).

Anônimo disse...

Destaca o artigo que as exigências legais fundam se no princípio da proporcionalidade, na não discriminação, na pertinência e boa . fé . Cristiani Marques (2002), em tese sobre a discriminação estética, entende que na avaliação dos aspectos psíquicos observa-se possibilidade de discriminação, uma vez que aspectos subjetivos não ligados à função poderão ser utilizados pelo empregador.

Mencione-se ainda a dissertação de Maximiliano Nagl Garcez (2001), sobre a vida privada e a relação de emprego, que dedica um item à questão da testagem, argumentando com a necessidade de limitação de abusos. Esse mesmo autor, em artigo sobre a exigência de teste de polígrafo para o candidato a emprego, menciona: .Podemos afirmar que o direito do empresário à administração adequada da empresa, bem como o direito constitucional à livre iniciativa, estão em patamar inferior ao direito do obreiro à intimidade, devendo prevalecer este, em caso de conflito. e traz ainda projeto do deputado Paulo Paim apresentado em 2001 o Projeto de Lei nº 5.566, de 2001, que. dispõe sobre a proibição do uso de métodos de recrutamento de pessoal que possam causar dano à honra e à dignidade do trabalhador.. Tal Projeto recebeu em 14 de maio de 2002 parecer favorável da Relatora na Comissão de Trabalho e Administração Pública, Deputada Vanessa Grazziotin, do PcdoB/AM..17
 .
O Juiz Gabriel de Oliveira Zéfiro (2003), debate o problema dos testes psicotécnicos em concurso público e cita uma série de jurisprudências sobre o tema, diz ele: .além da legalidade e pertinência do exame, o certo é que o Judiciário não pode avaliar o mérito da decisão que eventualmente exclua o candidato por inaptidão psicológica. Somente profissionais diretamente ligados à missão de garantir a segurança pública podem validamente apreçar o resultado da investigação psíquica.. Thereza Cristina Gosdal (2003), Procuradora do Trabalho, também aborda a discriminação e a questão do sigilo das informações na admissão do empregado, frisando que na fase de formação do contrato as partes devem observar o princípio da boa fé.

Anônimo disse...

CONCLUSÕES
 ......................................................
.
As conclusões, em face dos fundamentos levantados, giram mais em torno de questões a serem ampliadas e no sentido de fomentar o debate. Parece-nos fora de dúvida que testes de personalidades   ou projetivos invadem a esfera psíquica do indivíduo e que, se existe um direito psíquico, derivado da personalidade, que é irrenunciável, não se justifica, juridicamente, hoje, em todas as situações, a aplicação de testes aos candidatos a emprego,mesmo que por profissional qualificado. Assim, hoje, diante da funcionalização do contrato, e da solidariedade do novo Código Civil, em oposição à patrimonialização anterior, inexiste o direito absoluto de não contratar com base em um resultado de teste.
 .
Questiona-se, ainda, em face da autonomia administrativa que é dada aos Conselhos Profissionais, qual a responsabilidade desse conselho, e quais os direitos de um trabalhador que não tem acesso ao emprego devido à reprovação em um teste que posteriormente tem seu padrão não validado pelo Conselho de Psicologia ? Na mesma linha, o candidato que se recuse a fazer um teste e por isso não tenha acesso a um emprego, possui algum direito em face da empresa ou instituição pública?
 
Pondera-se, ainda, que um teste levanta muito mais do que fatores correlacionados com a função, assim, se o chamado .perfil profissiográfico. Da função deve levar em conta aspectos subjetivos e situações circunstanciais, é possível identificar os limites da invasão na esfera privada em um caso específico, e, portanto, aí, há um direito violado. No Brasil, não há legislação que proteja o candidato contra o .vazamento. de informações sobre a personalidade, e, em alguns casos, tais fatores, gerando uma não contratação, podem ser considerados discriminatórios, o que nos leva a pensar se existe uma .discriminação por personalidade ., como no caso da empresa ou concurso que só contrate pessoas expansivas, outra que só contrate pessoas com .espírito de liderança. Elevado, outra que afasta candidatos com estima em baixa. Aliás, curiosamente, o mercado quer empregados com estima elevada, mas, como é notório, o desemprego geralmente acarreta uma baixa justamente nesse aspecto. Assim, entende-se que técnicas abusivas, como a chamada .avaliação 360 graus., PMK (Psicodiagnóstico Miocinético, Testes de relógios, CRS (Escala de personalidade de Comrey) LPD (Questionário de levantamento dos dados pessoais), sistemas de .testes on line., dinâmicas de grupo aleatórias, testes pouco confiáveis, ampliam sobremaneira a possibilidade de divulgação indevida e violação de intimidade. Tais questões precisam ser pensadas e repensadas pelo direito e pela sociedade, para que não se repita a frase de Ripert, de que quando o Direito ignora a realidade, esta se vinga, e ignora o Direito. NOTAS.
 
1 No prazo entre a confecção do artigo e a publicação, foi
concluído o julgamento do processo, colaciono os principais
.
termos do voto: PROC. Nº TST-RR-702.000/2000.6 A C Ó
R D Ã O 5ª Turma RECURSO DE REVISTA POR CONVERS
ÃO. AÇÃO CIVIL PÚBLICA PROPOSTA PELOMINISTÉRIO
PÚBLICO DO TRABALHO. TUTELA COLETIVA. OBRIGA
ÇÃO DE NÃO FAZER. EMPRESA ESTATAL. CONCURSO
PÚBLICO. EXIGÊNCIA DE AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA
OUTESTE PSICOTÉCNICO. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA
DO TRABALHO
 

Anônimo disse...

Diferentemente do entendimento adotado pelas instâncias ordinárias, é manifesta a competência da Justiça do Trabalho para instruir e julgar ação civil pública, de índole coletiva, proposta pelo Ministério Público do Trabalho em defesa da ordem jurídica trabalhista, visando à tutela dos direitos metaindividuais, isto é, dos interesses difusos dos cidadãos interessados no acesso ao emprego público oferecido pela Ré.
 .
Com efeito, é atribuída constitucionalmente à Justiça do Trabalho a competência para julgar, na forma da lei, outras controvérsias decorrentes da relação de trabalho, a teor do art. 114, 2ª parte, da Constituição da República, de 1988.Por sua vez, o art. 129 da Carta Magna estabelece, como função institucional do Ministério Público, promover ação civil pública para a proteção do meio ambiente e de outros interesses difusos e coletivos. E, a seu turno, a Lei Complementar nº 75, de 20 de maio de 1993, atribuiu ao Ministério Público do Trabalho, expressamente, a legitimação ordinária para promover a ação civil pública no âmbito da Justiça do Trabalho, para defesa de interesses coletivos, quando desrespeitados os direitos sociais constitucionalmente garantidos (art. 83, caput , e inc. III)...Vale registrar, em última análise, que a Justiça do Trabalho também não é avessa ao deslinde daquelas lides em que a causa de pedir e o pedido tenham relação com prejuízos morais e materiais que possam advir das tratativas preliminares ao pacto de emprego, ou seja, na chamada fase pré-contratual, em que as partes reuniam as condições inerentes às figuras de empregado e empregador, mas a contratação não chegou a ser concretizada...
 .
Aliás,legem habemus, vez que a Lei nº 9.029, de 13 de abril de 1995, proíbe a adoção de qualquer prática discriminatória e limitativa para efeito de acesso à relação de emprego, impondo penas pecuniária e de prisão ao empregador ou seu representante legal. Irrecusável, portanto, a competência material da Justiça do Trabalho para julgar a presente Ação Civil Pública. 2 Esta vontade já ficou expressa nas discussões do projeto de reforma do judiciário, que infelizmente, em nosso entender, não ampliou a competência da justiça do trabalho como deveria. 3 Nesse sentido, o enunciado 342 entende que não se pode presumir coação ao empregado quando da adesão a descontos salariais por ocasião da contratação. Ora, em sã consciência, qual o empregado que já vai iniciar o almejado emprego indispondo-se com a empresa, recusando-se a assinar autorizações para descontos de seguros de vida, associação, e outros? 4 Em que pese o autor não pregar o fim da história, ao contrário, entende justamente que uma outra globalização seria possível o que proporcionaria uma retomada e um  projeto que utilize o sistema de técnicas atuais de outro modo a partir da crise do atual modelo, enfatizando-se não o progresso do homem tecnológico mas a mutação filosófica que conduza a um novo sentido da existência.

Anônimo disse...

Dentro das concepções teóricas sobre trabalho, destacase Hannah Arendt em sua crítica à Marx, diferenciando trabalho de. labor. na medida em apenas este último visa manter a condição humana da sobrevivência biológica. Ainda, conforme posto na obra de Ricardo Antunes consultada (os sentidos do trabalho), a polêmica entre Lucáks e Habermas quanto à constituição do trabalho como categoria intermediária que possibilita a humanização do homem, uma vez que Habermas centra essa transição na linguagem. Cite-se, ainda, as obras de Domenico DE MASI: A economia do ócio. Rio de Janeiro: Sextante, 2001; _____. O futuro do trabalho. Rio de Janeiro: José Olympio/UnB, 1999. O autor faz em síntese uma crítica à sociedade viciada em trabalho e prega a busca da felicidade através do trabalho mais criativo e mais livre.
 .
A todos são reconhecidos os direitos à identidade pessoal, ao desenvolvimento da personalidade, à capacidade civil, à cidadania, ao bom nome e reputação, à imagem, à palavra, à reserva da intimidade da vida privada e familiar e à proteção legal contra quaisquer formas de discriminação..  Sobre o direito ao salário mínimo e sua eficácia, ver artigo feito por grupo de estudos do qual participamos: COUTINHO, Aldacy, e outros: Direito constitucional ao salário mínimo. Revista da Academia Brasileira de Direito Constitucional, Curitiba, v. 2.  Conforme Sandra Lia SIMON (2000, p. 69), destacando Carlos Alberto Bittar, que usa especificamente a expressão .direitos psíquicos..  A todos são reconhecidos os direitos à identidade pessoal, ao desenvolvimento da personalidade, à capacidade civil, à cidadania, ao bom nome e reputação, à imagem, à palavra, à reserva da intimidade da vida privada e familiar e à proteção legal contra quaisquer formas de discriminação.

Anônimo disse...

Essa situação específica nos foi exemplificada pelos psicólogos com os quais conversamos: por exemplo, sabe se que determinada pessoa está sendo contratada para ser secretária de um chefe tirano, grosso, mal educado e exigente....faz parte do trabalho do profissional que contrata .selecionar. uma pessoa com determinada personalidade que se adapte à situação que vai encontrar. Aí, segundo a psicologia, justificar-se-ia um teste de personalidade, em que pese entendermos, pessoalmente, que a entrevista seria suficiente, até porque naturalmente essa pessoa e passará pelo período de experiência previsto em lei com o chefe em questão, que visa justamente às partes avaliarem as condições do contrato. Menciona que, apenas em casos raríssimos, como a contratação de um astronauta (!!) por exemplo, o exame seria justificável.  O novo Código Civil, apresentando inovação ao texto anterior, regulamenta, sem querer ser exaustivo, os direitos da personalidade em seu Capítulo II, intitulado Dos direitos da personalidade.
 .
Não custa lembrar que se trata de direitos irrenunciáveis. Logo, o indivíduo não pode renunciar a seu direito à privacidade e isto abrange a questão dos direitos psíquicos. Essa garantia já vinha reconhecida pela doutrina, tendo, a partir de agora, positivação no novo Código Civil. .Art. 11. Com exceção dos casos previstos em lei, os direitos da personalidade são intransmissíveis e irrenunciáveis, não podendo o seu exercício sofrer limitação voluntária... O direito à privacidade é tutelado no art. 21 do mesmo texto: .Art. 21. A vida privada da pessoa natural é inviolável, e o juiz, a requerimento do interessado, adotará as providências necessárias para impedir ou fazer cessar ato contrária a esta norma.. 13 Entende-se pertinente descrever alguns dos .sintomas., em casos concretos, das situações observadas em seleção de pessoal: .O aumento na procura por empregos e a saturação do mercado de trabalho fizeram com que as grandes empresas brasileiras exigissem um perfil especial de profissionais. Os critérios de seleção foram mudando, e hoje não basta ter um ótimo currículo, experiência, diploma, curso de informática e conhecer uma língua estrangeira.
 .
Como boa parte dos candidatos já atende a esses requisitos, os funcionários de recrutamento avaliam outras qualidades. Contam pontos a capacidade de comunicação, iniciativa e até mesmo a auto-estima do candidato, atributos que estão sendo bastante valorizados no mercado profissional. Alguns critérios subjetivos podem definir a contratação. Na avaliação da equipe de seleção de algumas grandes empresas, o espírito de iniciativa revela a capacidade de adaptação e de trabalho em grupo. Valoriza-se também a segurança com que o candidato se expressa nas dinâmicas de grupo. A psicóloga Bianca Massucci, que trabalha como analista de recursos humanos da empresa Ford New Holland, afirma que o profissional mais procurado é aquele que é . pró ativo.: É muito grande a procura por pessoas que busquem o seu próprio desenvolvimento profissional e sua maturidade dentro da empresa. Além disso, devem ter dinamismo, vontade de crescer e de desenvolver novos projetos.. O diretor de produção da Copel Geração, Ricardo Goldani, diz que a pessoa tem que ter um bom relacionamento interpessoal, pensamento crítico, ousadia e auto-estima.....(Jornal do Estado, Curitiba,16 abr. 2002) Um método diferenciado de avaliação de recursos humanos aumenta em 85% a chance de uma empresa selecionar o profissional adequado para a função disponível.
 

Anônimo disse...

O novo serviço está disponível em Londrina e região desde o mês passado. Através de análises, consultoria, treinamento e estudos específicos é possível auxiliar a empresa na contratação adequada de pessoal. A parceria firmada entre a Labor Trabalho Temporário, empresa especializada em recrutamento e seleção de mão-de-obra, e a Caliper Estratégias Humanas do Brasil - consultoria norte-americana de recursos humanos com atuação em 38 países - está possibilitando o acesso das empresas do norte do Paraná a uma nova forma de avaliação e seleção de pessoal com base em um sistema de mensuração do potencial humano. O Perfil Caliper - um dos instrumentos de trabalho da empresa - tem 150 questões que avaliam competências fundamentais para o sucesso profissional como liderança, persuasão, habilidades em relacionamentos, resolução de problemas, tomadas de decisão, organização pessoal e administração do tempo. Toda a compilação dos dados é feita na sede da empresa, em Priston, nos Estados Unidos. Os resultados dos testes são ágeis e repassados verbalmente para a empresa no prazo máximo de 24 horas. O relatório completo é entregue em 48 horas.Segundo a diretora de atendimento da Caliper Estratégias Humanas do Brasil, Daniela de Oliveira Carvalho Leludak, o índice de contratações mal sucedidas ainda é grande, mas o mercado está encaminhando as empresas para a necessidade de terem uma política de recrutamento e seleção adequada.
 .
Extraído do site: www.caliper.com.br. Francisco de Souza ( o nome é fictício) 27 anos,Ex Policial militar de Minas Gerais ...que também considera os exames para área de segurança pública abusivos, como o LPD e o PMK entre outros, hoje  executivo de uma empresa multinacional. Ele não quis revelar sua identidade por medo de sofrer represálias, mas nos contou a experiência de ser submetido a uma das chamadas  avaliações 360 graus.. .Tive que responder a 5 mil perguntas, durante o período de quatro dias, para ser avaliado., disse. Eis algumas das questões que ele teve de responder: Sua mulher já se masturbou? Se a resposta for .sim., quantas vezes por semana? O que você acha disso? Você já brincou de enterro? (Revista Carta Capital, São Paulo, 15 de maio de 2002 p. 17). .
 .
Astrologia, Numerologia, I-Ching, Grafologia, Cabala de nomes, entre outras, são algumas das técnicas utilizadas.....(Revista Ser Humano, Revista mensal da Associação Brasileira de Recursos Humanos, Curitiba dezembro de 1995.) .Ao seguir as instruções do Wartegg, o indivíduo projeta na tarefa sua maneira pessoal de perceber, sentir, associar e agir e, assim, revela a dinâmica de sua estrutura psíquica. (FREITAS, op. cit., p. 10). .Você, em geral, recebe de boa vontade a censura de seus amigos? Você acha que um grande amor seria a melhor compensação para os, sofrimentos da vida? Você, às vezes, tem a impressão de que suas fantasias, esperanças e sonhos acabarão por realizar-se? Você já pensou que, às vezes, é impulsionado em seus atos e atitudes por um mal disfarçado desejo de mandar? (Perguntas que constam do teste de personalidade Dadahie  da editora CEPA centro de psicologia aplicada). Ainda, o autor desse artigo, em discussão sobre o tema com um ex-policial militar  e hoje empresário, ouviu a seguinte afirmação: - nas empresas e concursos públicos  o que manda é o lucro e, portanto, contrata-se pela lei de Darwin, seleção natural, só os melhores, os mais fracos estão fora.  Informação de 07/11/2003 do Jornal Folha de São Paulo dá conta de que 52,4% dos 103 testes verificados foi reprovada, ou seja, mais da metade, o que, segundo o mesmo jornal, provocou uma investigação pelo “Ministério Público Federal”.
 

Anônimo disse...

Conseqüentemente, a lei não autoriza intromissões em dados que não sejam parte do perfil profissiográfico do cargo.  Em Portugal existe a comissão nacional de proteção de dados, CNPD, além da Lei 67/98 (lei de proteção de dados), que regula tratamento de dados pessoais e proteção de privacidade. Desde 1991 Portugal dispunha de uma norma específica sobre a matéria, a Lei 10/91, revogada pela Lei 67/98. As informações foram obtidas em: SARMENTO e CASTRO (2002). Ibidem. A dignidade da pessoa humana e o aviltante uso a dignidade da pessoa humana e o aviltante uso do polígrafo (.detector de mentiras.) pelos empregadores - análise de Projeto de Lei de iniciativa do deputado federal Paulo Paim (PT-RS).
 .
Últimas considerações;
 .
Atenciosamente
.
Solicito providencias sobre o assunto e explicações o mais rápido possível para que, se for necessário notificar o ministério público federal, quanto omissão de pesquisas relacionadas ao assunto, ressalvados ao  decreto federal 9.644 que não esta sendo aceito pelo CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA ,diante do decreto federal as clínicas subsidiarias ao conselho federal de psicologia dos estados e municípios, devem obedecer a normas e regulamentos federais conforme resoluções expedidas pelo próprio CFP.

Anônimo disse...

LAUDO DE DEFICIÊNCIAS PATOLÓGICAS (-CONTRA-INDICADO!PMMG-CTSP-BH-2009)
.
"
;Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino. "Louco" é quem não procura ser feliz com o que possui. "Cego" é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores. "Surdo" é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês. "Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia. "Paralítico" é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda. "Diabético" é quem não consegue ser doce. "Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer. E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois: "Miseráveis" são todos que não conseguem falar com Deus.
:
Afinal seria Impossível mudar para atender as necessidades de um exame psicológico, quantas coisas temos que fazer para nos adaptarmos ao trabalho que laboramos???????, ao relacionamento que colocamos muitas interrogações??????? na faculdade de aprender a conviver com o mundo e suas violências sociais???????, que exame mais imbecil, achar que o "ser” é imutável. É incompreensível a compreenção de forças entre psicológos e a inteligência de Newton, esta primeira a mais ignorante de tudo que já vi na vida.
:
Recomendações de leitura, para elaborar uma gloriosa inicial de processos ,contra esses exames absurdos, perturbadores, incrédulos e fraudulentos...
:

Anônimo disse...

JUIZ INSINUA DUVIDAS QUANTO A FIDELIDADE DOS EXAMES PSICOLÓGICOS E FAZ CRITICAS...
.
Juiz que libertou assassino de Luziânia rebate críticas
O juiz Luís Carlos de Miranda, da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, rebateu ontem as críticas de autoridades à sua decisão de libertar, em dezembro, o pedreiro Adimar Jesus da Silva, que confessou ter assassinado seis jovens em Luziânia (GO), desde 30 de dezembro. Entre os críticos do magistrado estão o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, e senadores da CPI da Pedofilia.

.
A resposta do juiz foi dada em entrevista coletiva convocada por ele para explicar sua atuação no caso. "Qualquer senador, qualquer ministro vir a público falar o que não conhece, o que não sabe, para simplesmente falar que houve um erro, criticar sem conhecer a realidade do que está acontecendo, isso não é aceitável. O Judiciário não pode ficar sendo alvo desse tipo de atuação injusta, impensada."

.
Miranda apresentou uma documentação com os argumentos que o levaram a conceder o benefício de prisão domiciliar para Adimar da Silva, que cumpria, desde 2005, pena de 10 anos por atentado violento ao pudor.

.
Segundo o juiz, não havia nenhum laudo psicológico que impedisse a Justiça de conceder o benefício. O alerta do Ministério Público para mantê-lo preso foi dado, alegou o juiz, apenas em janeiro, após a soltura do pedreiro. "Todo juiz, ao soltar, tem risco de o apenado cometer um crime na frente", afirmou Luís Carlos de Miranda. "O juiz não pode, por sua cabeça, dizer que alguém pode reincidir", ressaltou.
.

Para Miranda, o episódio da morte dos jovens de Luziânia é resultado de possíveis falhas na legislação e na estrutura do sistema penitenciário. "No caso dele (Adimar), só prisão perpétua (proibida pela lei brasileira)."
.

No Distrito Federal, frisou o juiz, há nove psicólogos e dois psiquiatras para avaliar 8 mil presos. Segundo ele, os laudos apontaram que Adimar não sofria de doença mental. Por ter cumprido um sexto da pena e ter bom comportamento, não havia obstáculos para obtenção do benefício de liberdade domiciliar. "Não há contradição entre os peritos. Não há como dizer que eles erraram", avaliou.

.
O magistrado lembrou, ainda, que a Justiça do DF nunca foi comunicada sobre o mandado de prisão que havia contra Adimar na Bahia. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo

Anônimo disse...

MAIS UMA PROVA QUE EXAMES PSICOLÓGICOS NÃO SERVEM PARA NADA , A NÃO SER TAXAR, RIDICULARIZAR, E COMETER FALHAS GROTESCAS COMO A DO CASO A SEGUIR...
.
13/04/2010 - 07h49
Acusado de estupros em GO foi aprovado por laudos psicossociais antes de deixar prisão
.
O pedreiro Admar de Jesus, 40, suspeito de estuprar e matar seis jovens em Luziânia (212 km de Goiânia), foi solto após ter passado, segundo a Justiça, por avaliações que garantiram que ele tinha condições de voltar à vida em sociedade.
.
De acordo com o Tribunal de Justiça do Distrito Federal, o suspeito passou por todas as avaliações necessárias, incluindo a psicossocial.
.
Em nota, a Vara de Execuções Penais disse que tomou toda a "cautela necessária" e que, "infelizmente, não há como antever que certos condenados" irão cometer "atos graves".
.
Segundo o TJ, relatórios de maio de 2009 apontavam que o preso havia sido atendido por psicólogos duas vezes e se mostrou com "polidez e coerência de pensamento" e que não ficou constatada doença mental.
.
Detido desde 2005, ele foi condenado a 14 anos de prisão por abusar de dois adolescentes, mas conseguiu a progressão de pena em 23 de dezembro de 2009. Os primeiros crimes em GO ocorreram dias depois.
.
Antes de o Judiciário se pronunciar, a sua liberação gerou críticas de autoridades, entre elas a do ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto. "O Poder Judiciário tem o direito de fazer essa liberação. O que me surpreende é que ela ocorra sem análise psicossocial desse indivíduo", disse --a Folha não conseguiu falar com ele depois.
.
DNA
.
Os seis corpos dos jovens mortos em Luziânia, encontrados no último fim de semana, não puderam ser reconhecidos pelas famílias e serão identificados por exames de DNA.
O resultado deve sair nesta semana. Segundo a polícia, os corpos estavam em avançado processo de decomposição.
.
Ontem, o pedreiro foi ouvido em Goiânia por senadores da CPI da Pedofilia. Jesus foi apresentado a jornalistas pela Secretaria da Segurança Pública.
.
Ao falar sobre a prisão, ele pediu "perdão", se disse arrependido e deu explicações diferentes das divulgadas pela polícia. De maneira confusa, chegou a dizer que as mortes foram encomendadas e que iria receber R$ 5.000. Depois, disse que matou um jovem que ameaçou divulgar na internet vídeos em que ele aparecia com adolescentes. Também afirmou estar com medo de ser morto.
.
No último domingo, a polícia informou que o pedreiro havia declarado que oferecia dinheiro aos garotos para que o ajudassem no transporte de materiais de construção. Em uma área de fazenda, estuprava as vítimas e as matava a pauladas.
.
Uma das linhas de investigação ainda considera a possibilidade de envolvimento do pedreiro com redes de pedofilia. Também é apurado se há outros envolvidos nas mortes. O preso ainda não tem advogado.

Anônimo disse...

oi amigo li seu recurso e vi que vc tem bastante experiencia na pm e que foi injustiçado tambem. bom no meu caso eu prestei o concurso da pm aqui em sp e fui reprovado no psicotecnico tambem, só que no edital é informado que eu só posso marcar a entrevista devolutiva após 30 dias mas só tenho 5 dias pra entrar com o recurso, como posso entrar com o recurso contra o psicotecnico sem saber o real motivo da minha reprova.....
obrigado se puder me dar uma força...abraçoo

Testes psicológicos e a fraude que os envolvem disse...

Porfavor!

.

Quem tiver interesse acessa o BLOG e assina o Abaixo-Assinado.
.



http://diganaotestepsicologico.blogspot.com/

Anônimo disse...

http://diganaotestepsicologico.blogspot.com/

Anônimo disse...

Cuidado com as represálias de superiores! Eles não admitem serem contestados! Não vacile, onde quer que vc vá, a sua ficha terá alguma indicação maldosa. Eu já passei por situações parecidas. Não dancei porquê fiquei atento a tudo e a todos, até me aposentar. Com muito sacrifício ganhei a confiança e respeito de superiores honestos. Boa sorte, camarada!!!

Testes psicológicos e a fraude que os envolvem disse...

Muito obrigado por suas dicas, quanto a isso não tenho duvidas que terei que ser um JAMES BOND 007, pois o melhor remédio para pessoas inescrupulosas dentro dessa PMMG é ser um santo do pau ôco igualzinho a eles e depois mostrar as unhas caso venha a ser prejudicado.


Solicito sua colaboração assinando o nosso Abaixo-Assinado.

Anônimo disse...

Neste caso, entendo ser interessante compartilhar o julgado a seguir, pois creio que seja interessante compartilhar a informação, portanto, um abraço a todos.

=================

0051584-58.2010.8.19.0000 - AGRAVO DE INSTRUMENTO - 1ª Ementa
DES. ADEMIR PIMENTEL - Julgamento: 08/10/2010 - DECIMA TERCEIRA CAMARA CIVEL

PROCESSUAL CIVIL. ADMINISTRATIVO. AGRAVO DE INSTRUMENTO. CONCURSO PÚBLICO. ELIMINAÇÃO DE CANDIDATO A SOLDADO DA POLÍCIA MILITAR EM RAZÃO DE REPROVAÇÃO EM EXAME PSICOTÉCNICO. PROVA QUE TRANSGRIDE NORMAS DE LEI ESTADUAL DIANTE DA IMPOSSIBILIDADE DE SER SUBMETIDO A REVISÃO. AO EXAME PSICOTÉCNICO NÃO BASTA QUE TENHA PREVISÃO LEGAL. IMPÕE-SE QUE TENHA POR BASE CRITÉRIOS OBJETIVOS DE RECONHECIDO CARÁTER CIENTÍFICO, DEVENDO EXISTIR, INCLUSIVE, A POSSIBILIDADE DE REEXAME. TUTELA ANTECIPADA. SÚMULA Nº 59 DA CORTE. RECURSO AO QUAL SE NEGA SEGUIMENTO AO ABRIGO DO ART. 557, DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL.I - O colendo Supremo Tribunal Federal consagra o princípio de que o exame psicotécnico, pela forma como é realizado, não atende aos requisitos de objetividade na apuração do resultado e de publicidade exigidos pelos incisos I e II do art. 37 da CF (universalidade de acesso aos cargos públicos e provimento destes cargos mediante concurso). Ofende, por outro lado, o art. 5º, XXXV, da CF (”a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito;”), a cláusula de sigilo das provas se prevista no edital;II Ainda dentro do entendimento da egrégia Corte, o exame psicotécnico pode ser estabelecido para concurso público desde que seja instituído por lei e baseado em critérios objetivos de reconhecido caráter científico, devendo existir, inclusive, a possibilidade de reexame. A avaliação de candidato em exame psicotécnico realizado com base em critérios subjetivos, sem um grau mínimo de objetividade, ou em critérios não revelados, é ilegítima, por não permitir o acesso ao Poder Judiciário para a verificação de eventual lesão de direito individual pelo uso desses critérios (CF, art. 5º, XXXV) e, ainda, por não atender aos requisitos exigidos pelo art. 37, caput e incisos I e II da CF - universalidade de acesso aos cargos públicos, impessoalidade e publicidade dos atos relativos ao concurso público;III - Nos termos do art. 1º, da Lei estadual nº. 1.829 de 4 de julho de 1991, os concursos para provimento de cargos estaduais de qualquer natureza, que submetam os candidatos inscritos a provas escritas, ficam obrigados a permitir a revisão de prova, ao passo que de acordo com o seu art. 4º, qualquer concurso para provimento de cargos estaduais, que não observe o prescrito na referida lei, é nulo de pleno direito, ficando seus organizadores obrigados a realizá-lo novamente, nas mesmas bases e com questões diferentes, no prazo máximo de 60 (sessenta) dias da anulação, impedida a cobrança das taxas de inscrição e de revisão para os candidatos que a ele se tenham habilitado, diretriz impossível de ser observada em exame psicotécnico;IV - Se o exame psicotécnico não admite revisão de provas, resta ilegal a sua exigência, revelando-se a eliminação do Apelante brutal atentado ao direito constitucional da ampla defesa quando os psicólogos o eliminam por mera presunção que não se tornou patente porquanto já exerce as funções policiais como soldado;V -”Somente se reforma a decisão concessiva ou não da antecipação de tutela, se teratológica, contrária à Lei ou à evidente prova dos autos”, consagra a Súmula nº 59 da Corte;VI - Recurso ao qual se nega seguimento - art. 557, do Código de Processo Civil.
————————————————————————————-

RESUMINDO.

A REPROVAÇÃO DO EXAME PSICOTÉCNICO É EM PRIMEIRA MÃO ILEGAL E DEVE SER COMBATIDA INDIVIDUALMENTE PELA JUSTIÇA.

Um abraço.

Max Ferreira
————————————————-
M. Ferreira Advocacia
Av. Almirante Barroso, 91 Sala 307 - Centro - Rio de Janeiro.
Tel.: (21) 2210-7207
http://www.mferreira.adv.br
==============================================

Anônimo disse...

EU FIZ O EXAME PSICOLOGICO DO CONCURSO DE SOLDADO DA PMMT ONTEM, DIA 28/11/2010
E TENHO CERTEZA QUE VOU SER CONTRA INDICADO PQ A AVALIADORA NAO SOUBE EXPLICAR CORRETAMENTE COMO EU DEVERIA FAZER A PROVA E EU FIZ DE ACORDO COM AS INFORMAÇOES QUE ELA PASSOU PARA MIM FAZER, E LOGO APÓS O TEXTE EU FUI ESTUDAR SOBRE O MESMO E DEDUZI QUE A PSICOLOGA QUE ESTAVA APLICANDO A PROVA NAO PASSOU TODAS AS INFORMAÇOES ELA DEVERIA TER PASSADO, OU SEJA, FORAM APLICADOS 5 TEXTES E MAIS UMA REDAÇAO, APENAS ESSE TEXTE QUE ELA NAO AXPLICOU COMO DEVERIA SER A PROVA QUE ME DEI MAL, "TEXTE DE ATENÇAO CONCENTRADA"

O TEXTE SE CHAMA Teste de Atenção Concentrada
AC – VETOR, É MUIO ULTILIZADO EM HABILITAÇAO DE MOTORISTAS, ....

MAS AI Q ESTA, EU NEM SEI OQUE FAZER. ALGUEM PODERIA ME AJUDAR AI?

OBRIGADO

MOISES_MINEIRINHO90@HOTMAIL.COM

Anônimo disse...

Boa noite,
hoje dia 23/12/2010 saiu o resultado da 5ª FASE - EXAME PSICOLÓGICO (CTSP-RMBH) e o meu resultado foi Contra indicado, o que devo fazer para recorrer e qual tipo de recurso devo usar para conseguir o deferimento desta!
Aguardo resposta imediata, pois o prazo inicia-se dia 27/12/2010.
Atenciosamente

Jonathanreiderr@hotmail.com

Psicólogo disse...

Por acaso cheguei neste blog. Pelos comentários e argumentos se nota que como sempre, cada caso é um caso distinto. Há diversos argumentos válidos, já que um teste não pode ser o determinante da exclusão. Numa avaliação psicológica entrevista e o histórico de conduta do candidato é a base para a seleção ou exclusão do mesmo. Os demais testes são complemento e nunca pode ser usado o resultado de um só. O PMK é um teste valioso, mas avalia basicamente a coordenação motora, em especial a fina e por isso é tão indicado para a habilitação de motorista. A personalidade e impulso são impressos e percebidos no teste, mas não são só estas características que interferem no traçado. Para avaliação de personalidade há outros mais eficazes e específicos, mas mesmo estes são complementos a uma entrevista e análise do histórico pregresso do candidato, jamais determinante final.
Em alguns comentários porém(a minoria, que fique claro),fica claro além da indignação natural, certa intolerância a frustação e em alguns casos agressividade descontrolada, insegurança e até traços de instabilidade emocional e raciocínio desconexo, que podem ter sido as causas da eliminação e não a falha do teste. Quanto o recurso apesar de válido, carece de respaldo e argumentos técnicos, pois não se pode contrapor um laudo técnico com argumentos do senso comum. Que fique claro que o intuito deste comentário não é contrapor ou desvalorizar a iniciativa do blog, que ao meu ver é mais que válida, é louvável.A intenção é auxiliar e esclarecer que há bases para as avaliações psicológicas e elas vão muito além dos testes e há profissionais sérios neste exercício.

Anônimo disse...

Olá, sou ex soldado, da PMMG, após 08 anos de serviços prestados, várias trocas de tiros, assaltantes presos, traficantes, enfim, não vou delongar, ao ingressar na PMMG fui contra indicado no exame psicotécnico, 2 anos depois perdi a ação na justiça (2004), porém o Estado não excluiu nem eu nem meus amigos que estavam comigo na mesma ação, continuamos trabalhando, prendendo, e em janeiro de 2010 veio a noticia que estavamos sendo excluidos, uma semana antes da exclusão em dirigencia policial fui atingido por uma garrafada na cabeça e uma facada, oque me levou a sérios problemas, fui colocado na rua sem acompanhamento médico, sem nada, e oque é ilário: 20 dias antes interferi em um sequestro e salvei a vida de um empresário, ficando entre a vitima e o bandido com uma arma engatilhada, consegui domina-lo e levei a vitima que estava sangrando muito até o hospital salvando sua vida, o resultado foi uma sindicância que estáva me promovendo a CB por bravura. Hoje eu e os colegas estamos desempregados, buscando mover uma nova ação, procurando orientação e ajuda de advogados especializados, resumi aqui tudo pra não alongar mais o caso, mas pra se dar uma idéia até hoje são publicadas notas meritórias em meu nome e dos colegas, oque nos chateia muito.

Por alto o caso é este, se alguém tiver alguma coisa ou idéia que possa ajudar, fico muito satisfeito em receber estas, pois ajudará muito na ação que estamos ajuizando pleiteando a reintegração.

Grato.

Deixe mensagem por qui que estou sempre lendo.

Anônimo disse...

Ola, fui reprovado no PMK no ultimo dia 16/02/2011. O resultado da inaptidão ainda não sei, pois levam de 30 a 180 dias para darem o resultado oq eu axo contraditorio, pois só tenho 5 dias uteis pós a divugação em Diario Oficial. Já é a segunda vez q sou reprovado, na primeira fiz tudo como manda a cartilha, reprovei marquei a devolutiva, compareci, tive uma conversa até legal com a psicologa que me indicou buscar ajuda profissional caso eu quizese tentar novamente. Fiz uma pergunta a ela se eu entrar com recurso poderia obter algum sucesso, só que meu espanto a mesma disse que ñ obteria sucesso algum e que pior eu ficaria marcado. Ok ñ entrei com recurso e tentei novamente, e novamente tomei um inapto. Pois bem tive uns problemas com a psicologa que aplicou o exame, bem ñ só eu mais varios candidatos. Ela gritava ao meu ouvido, tirava o lapis da minha mão bruscamente, falava que quem tava sendo prejudicado era eu e ñ ela. No primeiro teste ela pediu pra mim se concentrar e falou para eu ir sem presa. Bem fiz oq eua ela mandou, no final do primeiro teste ela ja começou a mandar eu ir mais rapido e apartir da metade do segundo teste ela ja estava gritando. Gritava tão alto que candidatos de outras salas a escultavam. O teste por si ja é estressante, imagina ainda com alguém gritando e sendo bruto do teu lado. Gostaria de saber com qual tipo de recurso eu deveria entrar ou se todos são iguais. Desde de Já agradeço.
Meu email se alguem quizer me ajudar de preferencia URGENTE é helias_seg@hotmail.com.
Grato

william disse...

Quem quiser entrar com ação contra o exame psicologico da PMMG ou reitengração procure o advogado especialista nessa area e o Dr.FELISBERTO EGG DE RESENDE,coronel reformado PMMG.Seu escritorio de advogacia esta localizado neste endereço:RUA SÃO PAULO 1104 / 9º ANDAR BELO HORIZONTE MG 30170131.
E o telefone é: (31)32268742

Anônimo disse...

Nossa eu fiz amizade com o José Sena e nem sabia que ele era advogado e precisando. Todo desesperado e sem saber como fazer. Enfim uma luz.
Lembrando, sai novas leis de exame psicoténico, deem uma olhada.

Anônimo disse...

os exames psicologicos(psicotécnicos)não são exames elaborados no Brasil como que pode psicologos Brasileiros dizerem que são cientificamentes válidos? esquisito né.

RENANPM disse...

DUVIDA.

Fui reprovado no psicossomatico da PM ES soldado, entrei com pedido de liminar com mais 6 candidatos no mesmo processo, mas foi indeferido no TJ-ES.O processo agora segue no STF.E então me veio a duvida, surgiu outro concurso para soldado com a mesma banca em outro estado e agora sei que se eu fizer qualquer psicossomatico tenho condiçoes de passar, pois aprendi os metodos. Séra que existe a possiblidade de anexar a aprovação do psicossomatico de outro estado e tornar o processo deferido o processo de liminar da PM-ES???

Anônimo disse...

E aê Renam, blz? Renam ,também fiz o concurso da PMES 2010, meu processo psicossomatico foi indefirido 3 vzs.O advogado vai recorrer contra decisão. teria como vc me adicionar para discutir sobre o psico?
att jr
jrogersr@hotmail.com

Anônimo disse...

os exames são apenas uma forma de ganharem dinheiro,caso contrario os mesmos serim aplicados na 1ª etapa apos a prova escrita.

Anônimo disse...

ME DESCULPE OS PSICOLOGOS MAS OS EXAMES FEITOS POR ELES NO DETRAN PRINCIPALMENTE NA BAHIA NÃO CAPAZ DE IDENTIFICAR DISTURBIOS MENTAIS EM NINGUÉM FALA ISSO COM EMBASAMENTE EM UM EXPERIÊNCIA DO MEU CONTIDIANO. NO MÊS DE MARÇO DE 2012 MEU EX-ALUNO QUE TEM DISTURBIOS DESDE DOS 13 ANOS CONPROVADO PELA JUNTA MÉDICA DA BAHIA, ACABA DE SER APROVADO NO PSICOTESTE DO DETRAN.
ESTE INDIVIDUO TOMA REMEDIO CONTRALADO APÓS TER PEGADO UMA FACA PARA MATAR O PRÓPRIO PAIS E A MÃE.
SERÁ QUE ESSES PSICOLOGOS ESTÃO AGINDO DA MESMA FORMA QUE O PERSONAGEM DE LIMA BARRETO NO ROMANCE O ALIENISTA?

genilsonsegtrabalho@gmail.com disse...

Há menos de 5 anos fui excluido da PMERJ por transportar menos de 20 gramas entre maconha e cocaida quando ia para o quartel. Honestamente não sei como aquele material foi parar dentro do meu carro, acredito que tenha sido por eu dar muita carona a colegas da minha unidade que como eu, fazia muita apreenção de drogas.
Tive que alegar que o material era meu para se livrar do processo mas perdi no CD e não coloquei na justiça para voltar.
Hoje, arrependido por não processar a PMERJ como usuario, que era o que estava escrito no processo gostaria de saber se ainda posso processar.

Obrigado e aguardo resposta. 21-87804847

Anônimo disse...

Olá, Gostaria de retirar do Blog textos relacionados ao e-email genilsonsegtrabalho@gmail.com (meu e mail)
Por motivos pessoais.

Agradeço desde já.

Anônimo disse...

Olá fiz um teste psicotécnico nesta semana para a PM Ma, mas acho que não fui bem num teste que julga o nosso QI. um teste dos relogios, há possibilidade de ficar reprovado, se no edital diz que o teste psicotécnico não tem caráter eliminatório e nem classificatório, me respondam por favor.

Maurinho Rodriques disse...

não sou pm mas trabalho como agente penitenciario a 3 anos estou passando por uma situação onde trabalho contratado e realizei um concurso para efetivação e nao fui aprovado no psicotecnico entrei com recurso e estou aguardando fico me perguntando será que só sirvo para trabalhar contratado vamos ver no que vai dar meu recurso daqui uns dias faço outra postagem meu imail: mauangelo@yahoo.com.br

Anônimo disse...

fiz o psicotécnico da PMERJ e respondi que tenho um tio que tem problema mental e teve problemas com bebida será que posso ser reprovado por causa disso ?
leandro_psrj@hotmail.com

Postar um comentário

Comentários - Regras e Avisos:
- Nosso blog tem o maior prazer em publicar seus comentários. Reserva-se, entretanto, no direito de rejeitar textos com linguagem ofensiva ou obscena, com palavras de baixo calão, com acusações sem provas, com preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com a legislação nacional.
- O comentário precisa ter relação com a postagem.
- Comentários anônimos ou com nomes fantasiosos poderão ser deletados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem a opinião deste blog.
- Clique aqui e saiba mais sobre a política de comentários.

 
Os pontos de vista aqui publicados são de responsabilidade dos respectivos autores, não representando versões oficiais de quaisquer instituições.
© 2007 Template feito por Templates para Você - Deformado por José Ricardo
▲ Topo