Índices de Criminalidade e Produtividade Policial

sábado, 21 de março de 2009

Os números nem sempre traduzem o real estado das coisas. Dizem que a estatística seria “a arte de mentir com precisão”. Bom, depende de como as variáveis são analisadas, se é que seja possível analisar todas elas.

Sim, porque se presume que há uma melhoria na área de Segurança Pública quando se anuncia o aumento do número de prisões, de apreensões e de operações. Mas, por trás dos números, existe uma infinidade de variáveis que também devem ser consideradas, ao menos deveriam...

Operações - O número de operações pode aumentar 127% e o índice de criminalidade continuar estagnado. É porque existe uma diferença brutal entre quantidade e qualidade. De que adianta fazer 100 operações “faz-de-conta” se apenas uma bem feita surtiria efeito muito mais positivo nos índices de criminalidade. Explico melhor. De que adianta fazer 100 operações numa área despovoada? De que adianta fazer “Operação X” num local onde se precisaria fazer “Operação Y”? Outro detalhe sobre o qual eu já falei em outra postagem, mas que não custa nada repetir, é que para se fazer uma operação com qualidade é imprescindível supremacia de força e diálogo com o policial que trabalha no setor. E mais um detalhe: O policial tem que ser muito inconsequente se cumprir ordem de desencadear, com apenas dois policiais, abordagem a coletivos e vans. Não se tem a mínima supremacia de força! Reitero que para se fazer operação com qualidade é imperioso SUPREMACIA DE FORÇA. E se o policial for determinado a cumprir operação “Tranquilidade nas Escolas” num dia que não tem aula, num final de semana, em recesso escolar, etc. O que o policial iria presumir? O que você iria presumir?

Apreensões - O número de apreensões de arma de fogo pode dobrar e o índice de criminalidade continuar estagnado. É porque não apreendeu a arma que deveria ser apreendida. Todos sabemos que as armas que mais matam são as armas do tráfico. A apreensão de uma arma de um agricultor, por exemplo, não terá tanto reflexo na diminuição dos índices de criminalidade quanto a apreensão de uma arma de um traficante ou de um homicida. E de que adianta apreender o armamento se o proprietário não ficar preso. O traficante que tiver uma arma apreendida certamente comprará outra. Certamente. Não existe traficante desarmado. Da mesma forma, se grande quantidade de entorpecentes for apreendida e o traficante não ficar efetivamente preso, pouco adiantará... Mais drogas chegarão, e o ciclo vicioso continuará em ação...

Prisões - Não adiantar duplicar o número de prisões se quem estiver sendo preso for um monte de “pés-de-chinelo”, e se esses mesmos “pés-de-chinelo” forem soltos na semana seguinte. Se assim ocorrer, o número de criminosos nas ruas continuará o mesmo. Para que tenha reflexo positivo nos índices de criminalidade, é imprescindível que os infratores (traficantes, homicidas, etc.) fiquem efetivamente presos, e presos por um longo período, senão é “enxugar gelo”. E para ter reflexos significativos, é imperioso que se prendam os líderes das quadrilhas, porque os demais são massa de manobra, embora todos mereçam a prisão.

Enfim, nem sempre os números traduzem o real estado das coisas. Urge agir com inteligência, atacar os pontos que precisam ser atacados, fazer as operações necessárias com supremacia de força e com qualidade, apreender e prender com efetividade. Quantidade nem sempre representa Qualidade. Pense nisso!



Gostou desta postagem? Então cadastre-se AQUI para receber as atualizações do Universo Policial no seu e-mail ou no seu agregador de Feed/RSS.

17 comentário(s):

Victor disse...

Bom texto, também já postei algumas ideias sobre o mesmo assunto, é realmente necessário rever e reavaliar os dados que são passados sobre a atuação policial.

José Ricardo disse...

Senhor aluno a oficial Victor, o senhor também escreve ótimas postagens, embora eu discorde de muita coisa que leio lá no Blitz Policial, principalmente quando o senhor dá a entender que os policiais são indisciplinados, desmotivados, descompromissados, etc. Mas isso é assunto para muito debate, então, deixa pra lá... Sobre as estatísticas, certamente é um tema muito complexo, ainda mais quando falamos em Segurança Pública. Não existe uma fórmula única e inacabada. As variáveis são infinitas, e algumas sequer podem ser mensuradas, como a variável das músicas que incitam a violência, como foi bem abordado pelo senhor no Blitz Policial.
Muito obrigado pela participação.

Anônimo disse...

COMO DISSE O CORONEL DO FILME TROPA DE ELITE, "CORPO CRAVEJADO DE TIROS ENCONTRADO NA PRAIA É AFOGAMENTO". E QUEM VAI DISCUTIR, ORDEM É ORDEM!

Anônimo disse...

ASSINO EM BAIXO,MAS INFELISMENTE NA NOSSA INSTITUIÇÃO EXISTEM SEMI- DEUSES QUE SO CONSEGUEM FAZER CONSULTAS A OUTROS DEUSES, CONSULTAM TODO MUNDO QUE ELES ACHAM QUE DEVEM CONSULTAR, MENOS O PRAÇA QUE FAZ AS OPERAÇÕES POIS OS PRAÇAS SÃO COMO MASSA DE MANOBRAS PARA OS SEMI DEUSES. INFELISMNETE ENQUANTO HOVER DUAS POLÍCIAS FICAREMOS NESTES NÚMERO MENTIROSOS DE ESTATITICAS MAL FEITAS PARA SIMPLISMNETE MAQUIAREM OS NÚMEROS DA NOSSA QUERIA PM.

Anônimo disse...

Estranho você comentar sobre esse assunto. Será coincidência? O ano de 2010 está chegando e com ele as eleições para presidente e, certamente, surgirão nas propagandas eleitorais, gráficos de todos os tipos. Mostrando como a segurnança pública tem melhorado sob essa ou aquela administração.Vamos ao primeiro tema abordado: Blitz, os manuais de técnica policial são taxativos quando se referem à suprmacia de força. O policial deve pefir reforço sempre que estiver em número menor do que o grupo a ser abordado. Quando forem apreentados os gráficos dizendo foram desencadeadas x blitz, o povo dirá: -Hooooó! Mal sabem eles que aquelas operações não com dois policiais estão ali fazendo campanha eleitoral. Quantos carros você ve com apenas uma pessoa? Na verdade o correto seria que os policiais pedissem reforço para abordarem duas ou mais pessoas. Ademais começe a reparar, antes de uma blitz tem sempre uma rua perpendicular pela qual o marginal pode eaquivar-se, afinal, quem para em blitz é o cidadão de bem ou quem quizer parar. Qantidade e qualidade só se parecem no substantivo. Prisões aumentaram X por cento: Hoooó! A maioria das ocorrências atendidas são briga de casal então da-lhe "Maria da Penha". A apreenção de drogas aumentou Y por cento. Noossaaa! A lei que manda o usuário assistir palestras educativas diminuiu o medo de ser preso, agora o usuário não tem medo e usa na rua mesmo, se for conduzido não tem problema. E de quebra ajudou o traficante que agora guarda a droga dentro de casa, recebe o dinheiro, entra, pega a quantidade de entorpecente acordada e entrga, se for pego: "Eu sou usuário!" ou você acha que o PM vai entrar sem mandado e correr risco de ser processado pelo "CIDADÃO INFRATOR" e gastar com advogado o dinheiro da prestação do "apertamento". Eu poderia ficar escrevendo páginas e mais páginas sobre esse assunto, mas não vou. Apenas peço a quem ler que reflita. E se o PM passasse a agir apenas em supremacia de força, e se parasse de invadir "caxanga" e se rebocasse todo o carro errado em blitz?(haveria reboque que desse conta)
Mas o que não dá pra esconder é a insegurança que o cidadão de bem sente quando em frente a sua casa uma pessoa foi assaltada ou molestada no seu direito. Também não dá pra amenizar,com gráficos, o sentimento de pensar em sair pra dar uma volta e não sair por medo.

Mário Sérgio de Brito Duarte disse...

Por isso muito te admiro.
Tua reflexão é uma mola poderosa!
Abraços

Alessandro disse...

CONCORDO PLENAMENTE COM SUA OPINIÃO, " ESSA TAL DE OPERAÇÃO PRESENÇA" (y)BATIDA POLICIAL SÓ COM 2 PMS É UMA "JAVA" .
ABRAÇO

Daniella disse...

Gostaria de lhe parabenizar pelo seu blog! Muito bom e com excelentes informações.

Tenho muita vontade de prestar Concurso para PM, porém, com essa crise econômica quase não surgem bons concursos! Governo cortando vagas daqui e dali. E não sobram grandes oportunidades.

Talvez a "menos-pior" oportunidade para o momento seja o Concurso Metrô de São Paulo, que está com vagas de até R$ 4500...

Mas enfim... até o final do ano acredito que surjam concursos bons na área!

Beijos!
Daniella

PM de Minas Gerais disse...

A ações nunca acontecem da noite para o dia.Elas são resultados de uma série de estudos quase imperceptiveis mas tomados com consciência e tendo metas definidas e objetivos bem traçados,com policiais bem motivados,disciplinados.È fundamental para o sucesso das operações e consequente da segurança publica.

José Ricardo disse...

PM de Minas, isso é o ideal, mas e a realidade? Como acontece na realidade? Na realidade, é assim do modo como você falou?

Anônimo disse...

Concordo plenamente que operações são efecientes se resultarem em prisões e os meliantes continuarem presos.

Anônimo disse...

Simples, claro e objetivo!!!
Parabens pela postagem e pelo blog, tá de mais!!!

Anônimo disse...

Boa noite, meu nome é Alessandro e sou Advogado OAB/RJ, e certa vez fui abordado por uma blitz policial e presenciei que não havia um oficial na mesma, apenas um sargento mal qualificado (mal educado), com pouca formação, que se dirigiu a minha pessoa como "elemento", porém o mesmo nem saiba como tratar o seu pai, muito menos um cidadão, sei que a blitz era irregular (sem a presença de Oficial), quando indaguei ao mesmo sobre a FUNDADA SUSPEITA, logo o mesmo não sabia o que era, MEU DEUS, agora eu posso falar: ESSE ELEMENTO NÃO SABE NEM O QUE É FUNDADA SUSPEITA e é policial?, e ainda esta nas ruas? tive medo, pois poderia ser uma falsa blits (BANDIDO), mas, não era, infelizmente era um "policial", ignorância discricionária.

Anônimo disse...

É muito fácil fazer críticas à Polícia mas lendo o comentário do advogado OAB RJ, pergunto a ele se nunca pretendeu se tornar policial e por qual razão pois o mesmo policial sem a verborreia pertinente aos advogados também é o mesmo que enfrenta balas, granadas, fuzis, facas e drogados fora de controle. É bom lembrar também que existe um advogado para defender cada bandido e a OAB não se mexe para acompanhar as mudanças da sociedade. O bandido de hoje não é o mesmo de 40 anos atrás e não se comenta em mudanças drásticas na legislação criminal. Entendo que é necessário diminuir o poder do bandido e aumentar o do policial. Falando em estatísticas,vale uma estatística para fim de conversa: de cada 100 policiais pode haver um bandido mas...de cada 100 bandidos 100 são bandidos. Por esta razão, procurem respeitar e colaborar com a Polícia seja delatando, seja informando. Não podemos ficar omissos e colocar toda a carga para a Polícia porque está em jogo a segurança de todos e precisamos fazer a nossa parte.

Anônimo disse...

COM CERTEZA ESTE TAL ADVOGADO DA OAB/RJ,FOI NOTIFICADO NESTA BLITZ,NÃO EXISTE NENHUMA NORMA NA POLÍCIA MILITAR, QUE PARA SE FAZER UMA BLITZ E NECESSÁRIO A PRESENÇA DE UM OFICIAL;SANTA IGNORÂNCIA, E AINDA TEM CORAGEM DE FALAR QUE E ADVOGADO FORMADO NO RIO DE JANEIRO;TEREI QUE EXPLICAR PARA ELE O QUE E FUNDADA SUSPEITA,PARA NÃO FOI PERDER MEU TEMPO,PELA IGNORÂNCIA QUE DEMOSTROU NÃO IRIA ENTENDER NUNCA.

Anônimo disse...

Esse tal "adevogado" está mal informado. A Polícia está cheia de Bachareis em Direito. Sou PM e sou Bacharel em Direito, mas você é só Advogado, se quiser ser policial terá de fazer o concurso.

Anônimo disse...

Vivemos em um País de faz de conta,o Brasil é igual ao filme mágico de OZ, a Polícia Militar é a rainha louca.

Postar um comentário

Comentários - Regras e Avisos:
- Nosso blog tem o maior prazer em publicar seus comentários. Reserva-se, entretanto, no direito de rejeitar textos com linguagem ofensiva ou obscena, com palavras de baixo calão, com acusações sem provas, com preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com a legislação nacional.
- O comentário precisa ter relação com a postagem.
- Comentários anônimos ou com nomes fantasiosos poderão ser deletados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem a opinião deste blog.
- Clique aqui e saiba mais sobre a política de comentários.

 
Os pontos de vista aqui publicados são de responsabilidade dos respectivos autores, não representando versões oficiais de quaisquer instituições.
© 2007 Template feito por Templates para Você - Deformado por José Ricardo
▲ Topo