Vídeo dos policiais sendo agredidos: o que temos a aprender?

terça-feira, 28 de julho de 2009

Estava dando uma olhada no Orkut a respeito do vídeo que mostra policiais mineiros sendo agredidos e o que eu mais vi foram críticas e mais críticas ofensivas aos policiais. Devemos, sim, criticar, mas a crítica deve ser construtiva, com vistas a tirarmos algumas conclusões sobre o fato, a fim de evitarmos que situações dessa natureza continuem a acontecer. Mesmo com os erros, com as derrotas, sempre temos algo a aprender. Vamos conversar sobre o assunto?

Eu já passei por situações semelhantes, em que quase fui agredido. Existem situações que surgem inesperadamente, do nada. Certa vez, depois de atendermos uma ocorrência, quando passamos defronte a um bar situado numa favelinha, vimos um indivíduo entregando uma bucha de maconha para outro frequentador do estabelecimento. Naquele ímpeto, decidimos abordar os indivíduos. Só que, confesso, agimos totalmente errado. Era apenas eu e meu patrulheiro, numa zona quente de criminalidade, grande quantidade de becos e vielas nas imediações... só poderia dar “merda”. Agimos pelo impulso. Não fomos técnicos nem profissionais. O que aconteceu foi que ambos os indivíduos reagiram à abordagem, frequentadores do bar e transeuntes nos cercaram. Não sei de onde saiu tanta gente. Ficamos cercados, no meio do pequeno aglomerado, tentado algemar e colocar na viatura os dois indivíduos, enquanto tínhamos que afastar os demais circunstantes que tentavam os libertar. Graças à Deus, não era no interior do Estado e o reforço chegou rápido, embora para mim e para meu patrulheiro tenha parecido uma eternidade. Confesso que errei, como errei outras vezes, desprezando as técnicas e a supremacia de força. Mas a gente aprende é com os erros, razão pela qual o que aconteceu com os policias que foram agredidos também nos servem de lição. Como sempre diz o Senhor Sargento Félix, “tolo é aquele que não aprende com os erros dos outros”.

O vídeo que vi somente mostra os policiais já em luta corporal contra um grande número de pessoas. Não sei o que aconteceu antes. Como disse, tem situações que surgem do nada. Talvez tenha acontecido isso. Quando eles perceberam, já estavam em dificuldade e em desvantagem numérica. E aí vem a pergunta: o que eles poderiam ter feito?

Sentado agora, tranquilamente, em frente ao computador eu poderia dizer que eles poderiam ter efetuado um disparo em legítima defesa. Em tese, essa era uma opção razoável e legítima. Por que não fizeram? Essa é a questão principal, a mais importante. Eu tenho minhas teses. Uma delas é de que somos bombardeados por ensinamentos de que só devemos atirar em último caso, que o uso da arma de fogo é excepcional, que seremos processados se cometermos excesso, que temos que respeitar os direitos humanos, que devemos ser peritos em defesa pessoal, etc., etc., etc.,. De tanto ouvirmos esses ensinamentos, nossa mente assimila: “Não atire! Não atire!” Fica no subconsciente.

Às vezes, acho que somos formados a ter medo de sermos processados, de figuramos como indiciados em IPMs ou sindicados em procedimentos administrativos. Não podemos ter medo. Faz parte da profissão, e a formação deveria ser para que o aluno assimilasse que figurar como acusado em IPMs ou Sindicâncias é inerente à profissão, e que não se pode temer tais procedimentos. Se for para usar a arma, que se faça. Não tema as consequências. O uso da força faz parte da profissão. Senão, deveríamos trabalhar desarmados.

Creio que eu e vocês leitores temos muitas histórias de casos semelhantes, em que passamos por situações de dificuldade, tendo muitas vezes que atracar com cidadãos infratores; como diz a gíria, “entrar pra dentro”. Em muitas ocorrências já tive que “entrar pra dentro”. Quando dá para usar as técnicas de defesa pessoal, a gente usa, mas nem sempre é possível. E aquelas técnicas de torcer o dedinho, pegar na mão e virar, não funcionam. É melhor aplicar um "mata leão" ou desferir tonfadas que resolve o problema, ou senão “sentar o dedo”. No serviço operacional, quando “o bicho pega”, não há lugar para frescuras.

No caso concreto, acho que um kit de munição química fez muita falta. Na verdade, toda guarnição deveria ser equipada com um kit de munição química, e deveria ser pago para cada policial um espargidor de gás de pimenta. Ainda falta muita coisa, não é... Todos sabemos que falta.

Não vou falar mais sobre o assunto. Eu quero saber a opinião de vocês, e peço que tenham discernimento e comedimento ao comentar, evitando palavras de baixo calão, ofensas, expressões depreciativas, etc. Lembrem que o fato aconteceu com nossos companheiros, e que a crítica deve ser construtiva, para que situações como essa não continuem a acontecer. O espaço está aberto para quem quiser comentar ou contar suas histórias.



Gostou desta postagem? Então cadastre-se AQUI para receber as atualizações do Universo Policial no seu e-mail ou no seu agregador de Feed/RSS.

37 comentário(s):

Sandro disse...

recebi esse video por email de pms sendo agredidos e resolvi postar>>>
http://www.easy-share.com/1906897071/POLICIAIS AGREDIDOS.mp4 ,
resolvi postar na comunidade do orkut , para debatermos o assunto, muitos criticaram, postaram suas opiniões,foi trsite de ver pms tend o arma tomada, não morrera mde sorte,me disseram que é no interior de mg ( cachoeira de minas). olhando o video em casa e mfrente ao computador.. percebe-se que realmente fatou algo dos pms, deviam ter atirado, e tal.. feito algo, muitos pms tem medo dos ipm's, talvez seja isso que travaram e nao usaram a arma , pois se tivessem atirado.... Na minha opinião pm não pode deixar aquilo acontecer do jeito que foi, veja o video e comente nesse conceituado blog esse assunto, que ta rendendo na comunidade da pm no orkut.

Anônimo disse...

as leis que deveriam ser cumpridas e usadas cotra aqueles que as transgridem,. nos detonam como ratos e poem a populaçao de bem atras de grades e muros. alguem tem que ver isto e basta. DRACK DOS SANTOS>

Anônimo disse...

Para quem conhece os rincões de Minas Gerais certamente isto não é um caso isolado... Com as devidas desculpas, aqueles que tem a função de Cmt no caso, oficiais superiores, não sentem o mesmo que a ponta da linha sente. São operosos na caneta baixando portarias diversas com uma frieza de escrever um carta aos seus intimos, não vivenciam a realidade de uma tropa, vivem " assessorandos " por uma bando de Ps (1,2,3,4,5... ) e uma parcela que os servem sendo dito como puxa-sacos, não conhecem a realidade de uma fração de pequeno porte que normalmente sobrevivem talvez por graça divina, sao carentes desde efetivos, armamentos e principalmente APOIO AO TRABALHO, onde quer queira ou não devemos uma subverniencia aos poderes publicos municipais 'fazendo as sua vontades ' acreditem ! Infelizmente isto não é um caso isolado.

Anônimo disse...

Olá, já servi no interior e sei como a realidade é dura. Enquanto estive num certo destacamento PM, tinhamos a disposição para policiar uma cidade com cerca de 7 mil habitantes 4 revóveres 38, 2 tonfas e uma viatura que dependia da prefeitura para rodar. O rádio nem conto pq funcionava quando queria . O Sgt Cmt do Dst sempre solicitava o conserto do rádio, mas "os entendidos" da unidade diziam que não tinha problema algum. Quando precisávamos de cobertura, esta chegava 40 minutos depois. Assim, íamos levando a segurança na cidade. Já passei por confrontos corporais e graças a DEUS saí ileso, mas houve casos de companheiros feridos. Sei que os militares do vídeo sofrem hoje com as críticas dos outros, mas o que deveriam receber era apoio, pois se estivesse no lugar deles, nesse momento, estaria precisando muito disso. Muitos criticam porque estão aqui, longe da situação, olhando de fora, mas só quem já pasou por uma dificuldade dessas, numa cidade que sequer dispõe de efetivo para cobetura, sabe como é duro manter a segurança e cumprir essa difícil profissão policial, a qual quando não recebe críticas da sociedade , recebe dos companheiros que deveriam apoiar uns aos outros.

Anônimo disse...

Amigos, o companheiro último tem razão, isso acontece todos os dias, infelizmente ou não, este veiculou na net, quem tá em fração menor já vivenciou isso com certeza mais de uma vez, com certeza os militares dessa inusitada abordagem são inexperientes. O governo não dá o espargidor de pimenta, o PM inteligente compra o seu, pois, são R$50,oo que podem salvar uma vida. Com um bastão de madeira e um "spray" e disposição pra encarar dá pra resolver muita coisa, senão, é disparar mesmo. Tenho ficado até sem dormir com pena daqueles companheiros que devem estar "arrasados", estou orando por eles. Parabéns pela matéria!!!
Tb sou PM mineiro.

Anônimo disse...

Gostaria de dizer que o que mais faltou ali foi um espagidor de pimenta, certa vez estava policiando em um carnaval e dois individuos começaram a entrar em luta corporal no meio da multidão no momento de impulso foi so eu e um SGT primeira coisa que fiz foi jogar spray de pimenta nos autores um deles conseguiu fugir prendemos um e a multidão abriu caminho na hora e sairam da frente depois conseguimos localizar o segundo autor e efetuamos a prisão do msm.Santo spray de pimenta.Se não fosse esse espagidor com certeza a multidão iria querer "tirar casquinha" da situação mas como todo mundo saiu tossindo e com a sensação de panico todos sairam de perto.

Anônimo disse...

Necessário se faz ouvir as versões dos envolvidos para se emitir qualquer opinião, pois corre- se o risco de pronunciar-se de forma fantasiosa.
O início do fato não esta bem visível e nem o final.

Anônimo disse...

Olhem este fato foi degradante, pois aqueles infratores tinham que respeitar os militares, que representam a lei, e como cidadãos também, e inclusive os que filmaram são tão baixos que não ajudaram e ainda incitaram, logo os agressores são tão machos, deixo então uma questão: Será que com dois bandidos eles agiriam assim tão valentões ? Esperamos que apesar deste desabono, a instituição tenha dado resposta a comunidade em relação aos infratores e não sabemos da íntegra o que aconteceu, logo estes profissionais se acerquem de mais recursos pra evitarem estes casos e imponham a lei com a força dentro dos meios legais pra quebrar as resisitencias, pois se a polícia um dia cair, a bandidagem tomar conta !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
O prejuízo é de todos, até destes valentões !

Anônimo disse...

Tudo se resume a dois fatores:
Falta de logistica e material humano.

Sub Marcos

shirlene disse...

Sei o quanto é importante ser policial "vigilante da cidade", enquanto a grande maioria repousa em seu lar a polícia não dorme,levando à sociedade a segurança mínima necessária para q possamos dormir.Ser policial não pode ser classificado como mais um servidor do Estado,mas sim O SERVIDOR,que dá sua vida em prol do próximo que nem sabemos quem é!!Sociedade valorize seus policiais,pois eles são os seus heróis reais e os outros perfeitos heróis dos gibis não saem do papel,enquanto que nós simples mortais saímos pelas ruas frias,escuras defendendo suas famílias e as nossas também.

Sgt Luciano disse...

Estava de passagem e li o comentário do autor e como somos amigos de turma e servimos na mesma unidade, resolvi prestigiar seu bolg, se assim posso dizer, e deixar minha opinião sobre o vídeo. Meu amigos, concordo em parte com alguns dos comentários e sobre o que o autor escreveu. Todos sabemos, infelizmente, que na maior parte das cidades do interior do estado nosso efetivo é muito pequeno e o apoio em situações que há a necessidade imediata de supremacia de força é demorada devido a vários fatores como, distância, condições geográficas da localidade, recursos logísticos, etc. Mas, devemos também observar que essas situações ocorrem até com certa freqüência na capital e RMBH, contudo o diferencial que o reforço maciço chega em no máximo 5 minutos a as vezes em um tempo muito menor, não dando tempo de algum desocupado lembrar que o celular que possui tem uma maldita câmera. Somos treinados para preservar vidas e algumas vezes e aliado a outras situações como a estatura física do suspeito e companheiros de profissão não possuír boas habilidades em defesa pessoal, o fato recebermos uma carga teórica de possíveis implicações de procedimentos administrativos e inquéritos que o servidor poderá responder, complicado pelo fato dos representantes do judiciário não entenderem do mesmo "ponto de vista" do policial, que faz com que muitos de nós tenham o receio em empregar a força. Por isso meus amigos, digo aos senhores que leiam sobre o emprego da força e sobretudo observem os colegas mais experientes e inteligentes para que aprendam o momento adequado de usá-la, seja empregando a força de forma não-letal e se caso necessário, também de forma letal para que não sejamos alvo de comentários maldosos como o caso do vídeo.Somos responsáveis por garantir a segurança e uso da força, responder pelo seu emprego faz parte da nossa atividade policial. Reflitam: evitar fazer o uso da força quando necessário por medo de implicações administrativas e judiciais pede ocasionar em lamentações desagradáveis. O caso do vídeo poderia ter proporções irreparáveis contra nossos companheiros de farda caso o suspeito assim o quisesse. Por isso reflitam ainda mais sobre a necessidade de cuidar da saúde e do corpo, pois dependemos deles para trabalhar. Valorizem mais aulas de defesa pessoal ao invés das "Instruções de Futebol". Não esperem, vão buscar este conhecimento em artes marciais em academias, você não estará isento de levar um soco, chute ou sair com um hematoma, mas certamente você saberá dar um resposta eficaz e talvez o que sofreu em nada irá se comparar com os estragos que você ocasionou no suspeito. Por isso siga sim a sugestão e invista em munição química, mas, também em artes marciais. No episódio do vídeo, apesar do físico avantajado do suspeito, do ponto de vista de um praticante de artes marciais com 4 anos de prática, digo, era possível neutralizá-lo. E para terminar, como havia dito que concordava em parte com meu colega, afirmo, torção de articulação da mão e do dedo é tão eficiente como spray de pimenta e bastão. Não é frescura. Essas técnicas funcionam, pois nem sempre, o policial lembra-se de levar bastão ou tonfa estando de serviço a pé ou desembarcando da viatura. Um abraço.

Ednaldo Ferreira disse...

É sempre assim, aprendemos através de erros. Quem passou pela polícia e nunca sofreu consequências dentro do ofício não foi polícia, foi fantoche!

José Ricardo disse...

Sargentão Luciano, companheiro de turma e de Unidade, para torções de dedos e de mãos funcionar o militar deve estar muito bem treinadado, deve ter ótimo condicionamento. No seu caso, como você é expert em artes marcias, funciona. No meu caso e na maioria dos outros policiais, não temos condicionamento para aplicar tais técnicas. Por isso, disse que não funciona. Realmente, fui infeliz nas palavras. Funciona? Funciona, desde que o militar esteja muito bem condicionado, muitíssimo bem treinado.

Já trabalhei em interiorzão e sei que nessas longínquas localidades falta muita coisa. A situação é %$#@&*#@! Onde eu trabalhei, na época, ficamos vários meses sem viatura. Não tínhamos sequer rádio de comunicação. Mas tínhamos o Cabo Esaque, fera em artes marciais, vulgarmente conhecido pelas alcunhas de "rolo compressor", "trator de esteira", etc. Ele me ensinou muitas técnicas eficientes de defesa pessoal, as quais já estou esquecendo por falta de prática. Na verdade, o negócio é treinar, treinar, treinar, a ponto de que o militar aplique os golpes de defesa e ataque instintivamente.

Sargento Luciano e demais comentaristas, cordiais saudações.

DextermilianSD disse...

o que faltou foi logistica! o pm quando está trabalhando ele entraga a sua vida , sem essa que não é todos , só de estar fardado vc vira alvo! não acredita , vai para são paulo , rio de janeiro! em minas isso não deve acontecer jamais ! pelo menos é o que eu acho ! caixão de caixa de fruta para esses marginais ! uma policia forte é uma policia preparada e valorizada!

Anônimo disse...

SENHORES CONCORDO COM ALGUNS COMENTARIOS AQUI TECIDOS DE QUE O INTERIOR NAO POSSUE UMA BOA LOGISTICA PARA O BOM CUMPRIMENTO DA MISSAO, INCLUSIVE EU TRABALHO NO INTERIOR. OS PMS DO VIDEO QUE ME DESCULPEM, MAS EM VARIOS MOMENTOS ELES TIVERAM A OPORTUNIDADE DE CONTER A SITUAÇAO, INCLUSIVE EM MUITAS PARTES O VIDEO PARECE ATE SER MONTADO. FALTOU UM POUCO MAIS DE CORAGEM DOS MILITARES TIPO UTILIZAR A ARMA DE FOGO. COM CERTEZA 2 POLICIAIS CONTRA AQUELE TANTO DE CIVIS DARIA LEGITIMA DEFESA, MAS É O QUE EU SEMPRE DIGO A MAIORIA DAS LEGISLAÇOES É QUE ACARRETAM SITUAÇOES ASSIM TIRANDO O PODER DE INICIATIVA DOS MILITARE, TRAZENDO A INSEGURANÇA PARA ATUAR.

Anônimo disse...

As cidades do interiorzão "bravo", não contam com praticamente nada, somente com bravos PMs que em algumas situações pagam para trabalhar, e quase sempre dependem do município para manter uma viatura rodando e ate mesmo para se ter uma sede para o "destacamento PM". Nossos PMs atuam como policiais, parteiros, juízes de paz, médicos, conselheiro tutelar etc...; ou seja onde outros órgãos do governo não atuam(ou são falhos) abraçam a causa para eles, sei la, através de imposições que, talvez, venham de cima
Será se podemos pegar este fato como exemplo e repensar algumas coisas, seria interessante investir mais em nosso material humano,melhorar a logística das unidades interioranas, aumentar o efetivo?
Podemos pensar também nas leis que acabam por travar os PMs e os deixam praticamente como reféns dos "MAL-FEITORES DA SOCIEDADE", a qual presentam o compromisso de vigiar e proteger.
È isso que a sociedade tem para eles? É este o agradecimento da nossa dita sociedade civilizada?
ESPERO QUE A ESTA HORA ESTES ARRUACEIROS ESTEJAM ATRAS DAS GRADES PAGANDO PELO QUE CRIME QUE COMETERAM E QUE UM DIA ENCONTREM ALGUÉM QUE NÃO SEJA UM DEFENSOR DA SOCIEDADE COMO ESTES PMs QUE NÃO QUISERAM USAR SUAS ARMAS(porque p/ mimm configuraria legitima defesa) E RECEBAM O QUE MERECEM.
TERMINO DIZENDO QUE ANTES DE FAZER CRITICAS DESCONTRUTIVAS COLOQUEM-SE NAQUELA SITUAÇÃO....

Anônimo disse...

SOU POLICIAL MILITAR E OFEREÇO O MEU APOIO AOS IRMÃOS DE FARDA QUE BRAVAMENTE ENFRENTAM CONDIÇÕES DE TOTAL ESCASSEZ DE RECURSOS E ESCALAZS DE TRABALHO LONGAS DE MAIS COMO A DE 24 HORAS POR 24 DE DESCANSO COMO EU MUITAS VEZES PASSEI E PRESENCIEI EM UM DESTACAMENTO QUE TRABALHEI NO SUL DE MINAS , SÃO VERDADEIROS GUERREIROS , MAS PRECISAM SIM SABER DO NOSSO APOIO E NÃO DE NOSSAS CRÍTICAS , POIS AS LEIS MUITO POUCO DÃO RESPALDO PRA PMMG TRABALHAR .
E NÓS DEVEMOS FICAR CIENTES DE QUE UM DIA OU OUTRO PODEMOS NOS ENCONTRAR NA MESMA SITUAÇÃO DELES VISTO QUE O NOSSO DISTINO É TÃO INCERTO E NOS ASSOMBRAM SEMPRE A PARTE DO JURAMENTO A BANDEIRA QUE DIZ :"MESMO COM O SACRIFÍCIO DA PRÓPRIA VIDA ", JURAMENTO ESTE QUE FIZ DE TODO O MEU CORAÇÃO E LEVO COMIGO AONDE FOR , POR ISSO DIGO , LEMBREM-SE DOS BONS CONSELHOS E DO APRENDIZADO CONSTANTE QUE A VIDA OFERECE, PORQUE ESTES PODEM SALVAR SUAS VIDAS.
UM FORTE ABRAÇO AOS MEUS IRMÃOS EM CRISTO E FARDA E QUE ESTÃO DO LADO DA SOCIEDADE DE BEM !!!!SD PM NA 6ª RPM .

sgt Leonardo disse...

Bem, quem já trabalhou no interior sabe que existe duas PM, uma da capital e uma do interior!
Trabalho em uma cidade de 7.000 habitantes sendo 3 PM comigo, ja passei situações dificeis. Exemplo: troca de tiros rádio nao alcança outra cidade, reforço demora para chegar( paisano que chamou).
Resistencia em uma festa e devido a um grande número de pessoas, o autor reagiu dirubou meu colega não sabia se algemava se empurava a multidão. só critica quem não passou por isso.
Este fato não aconteceria se tiversemos armas de choque como as tases, efetivo maior, etc como dissem quanto mais força você demostra menos força você precisa usar.

Danylo Eduardo Costa Ferreira disse...

Sou soldado aluno, percebi inúmeras falhas dos policiais, não por causa de equipamento tido em mãos, mas sim por
falta de treinamento, pois sabendo que se trata de uma rixa, o militar deve pedir reforço e fazer o espalha braza com a tonfa ou até mesmo com o espagidor de pimenta, controlando assim a confusão e se impondo perante aquela sintuação. Fechando assim qualquer tipo de críticas derrubando e denegrindo o decoro da classe.

José Ricardo disse...

Soldado Aluno, no interiorzão não tem reforço, não. É você, seu companheiro e Deus. Para comprar espargidor de gás pimenta, só se o companheiro vier a capital, pois não espere receber tal equipamento do poder público.

O Sargentão Leonardo falou muito bem:
Quanto mais força você demonstra menos força você precisa usar!

Anônimo disse...

Só um recruta pra falar uma bobagem dessa "soldado aluno"... primeiro se forma, atua pelo menos numas 10 ocorrencias de verdade e depois fala alguma coisa..

Anônimo disse...

queridos amigos irmaos de farda,sinto ate arrepios,assim como vcs devem sentir ao ver este video,pois a vontade q sinto e d entrar na tela e neutralizar o oponente,mas como disse nosso colega acima,so estando la para ver como iremos nos sair no calor dos acontecimentos,pois so quem e ou ja foi da rua sabe q area d risco pontos quentes e tal vai tudo por agua abaixo,mas peço a todos uma arte macial como jiu jitsu faz muita falta nesta hora por isso façam ,amigos!pois e um custo de 50 reias mensais q pode pagar sua vida inteira mais tarde,e nao pensem como o cmt da cavalaria,q poilicia nao precisa d supremacia de força....abraços de um fiel cavalariano......

Anônimo disse...

Apenas vendo as imagens,não podemos afirmar com inequívoca clareza os fatos, dado ao amadorismo e falta de no mínimo "senso de cidadania" de quem as gravou e não muito menos de quem as "publicou" na NET...O fato em si, avaliando-o superficialmente é n o minimo lamentável, mas, que está correlacionado ao nosso cotidiano. Construtivamente falando, porque julgar é muito fácil, o companheiro que estava de pé, deveria ter imediatamente solicitado prioridade e apoio à REDE-RADIO, "UU"...Ou mesmo, de maneira "razoalvemente" proporcional, etc. ou seja, "entrado rasgando" naquele marginal que agredia ao PM que caído ao solo, mal conseguia se levantar ou se defender. - E ainda aparecem certos oficiais, felizmente hoje em dia, não sendo em cem por cento, querendo aparecer em cima dos praças, dizendo que eles foram relapsos ou trabalharam mal...- Brincaderia né! Porque se eles por outro lado, tivessem reagido com mais vigor, com certeza seriam punidos por esses mesmos "oficiais" que mal conhecem a realidade "nua e crua" das cidades, se atendo apenas ao comando das frações, etc e a dificil rotina de assinar papéis. Mas, o que relamente importa, é o que pudemos tirar desse triste epśodio, pois, as dificuldades e adversidades são nossas co-irmãs em nossa luta diária pelo bem estar e a paz social. Ehhh! Somos mesmo o mal necessário da sociedade como um todo. "...Eia soldados..."

Anônimo disse...

Como foi dito pelo companheiro no início deste assunto, muitas vezes o policial deixa de lado as técnicas e age no calor do flagrante, pois policial que é policial não gosta de ver o crime ocorrer e não agir, acredito que os colegas que foram vítimas naquele vídeo agiram no calor de um flagrante ou para impedir alguma contenda entre frequentadores do ambiente e acabaram se vendo em situação díficil, em função da fragilidade, que existe em algumas localidades do país, da instituíção a que servem. o que mais marca neste video é ver o prazer da popução, que presencia e até filma o fato, em ver POLICIAS QUE ARRISCAM SUAS VIDAS EM PROL DA SOCIEDADE, sendo acredidos e nada fazem para ajudar e ainda ficam rindo da situação e fazendo comentários maldosos contra aqueles bravos policiais. o que é uma grande desconforto a quem abraçou esta nobre profissão. fica aqui meu repudio como policial militar a estas pessoas que na hora que necessitam só lembram do 190, da Policia Militar.

Anônimo disse...

Eu recebi este lamentável vídeo via e-mail já faz algum tempo e como não poderia deixar de ser, pude perceber que foi amplamente divulgado. Lamento muito por isso, lamento pelos irmãos que passaram por esta situação perigosa e ainda até hoje serem alvos de críticas, conselhos, instruções, um monte de "achismo" que não vão trazer benifício para algo que já ocorreu e que se encerrou de forma pacífica e sem perdas maiores.
Posso dizer que a falta de irmandade, parceria e comunhão é que nos fazem assim alvos de desocupados "baderneiros" que criam situações para que nós PMs (pais, irmãos, filhos, amigos, namoradas, esposas, mães...)sejamos criticados, humilhados, em nada poupados na divulgação de sua imagem e bom desempenho! Isto sim, bom desempenho! Pq aqueles PMs que estão ali sofreram o que sofreram para acima e tudo preservarem o bem maior, que é a vida. Eles eram minoria em uma cidade movida por interesses políticos e regras veladas, a compromissos e gratidão forçada. Naquela praça, além daqueles desordeiros, haviam famílias, pois não sei se sabem, mas nos fds nas cidades interioranas, depois da missa, todos se reunem na pracinha para tomar um sorvete, jogar conversa fora, lugar em que crianças brincam...então por favor, tentem olhar com mais amplitude, tirem essa "venda de civil" que tapa seus olhos! OLHEM SEUS IRMÃOS COMO A SI MESMOS!
Caros colegas, eu trabalho próximo daquele infeliz Dst, aqueles que vcs só viram serem agredidos, humilhados, contidos e etc...são policiais militares heróis, pq trabalham todos os dias sem muita extrutura, meios e condições. Dependem de uma politica de bom relacionamento com todos segmentos da sociedade-inclusive até mesmo algum parente importante daqueles mesmos arruaceiros do vídeo- que possam em parceria lhe ajudar a continuar seu trabalho ali naquela comunidade. Mesmo trabalhando de acordo, alguns PMs ainda são alvos de críticas por parte do Comando quanto à conduta que deveria ter tido ou não quanto aos "parceiros amigos da PM".
Eu sou uma PFem aqui do Triângulo Mineiro e tenho muito orgulho em servir com honradez e afinco juntamente com meus irmãos de farda, que mesmo sem todo o aparato, equipamentos, viaturas, spray de pimenta e etc...que os nossos colegas das "cidades grandes" possuem pra trabalhar, nós nos arranjamos por aqui, talvez nem sempre consigamos acertar...mas agora que fique a pergunta:
"QUEM DE NÓS NUNCA ERROU TENTANDO ACERTAR"????!!!!!!
Sejamos mais perseverantes e crentes em nossas ações, para que não se perda o propósito final.
Abraços.

Anônimo disse...

Todos os comentários são válidos. Infelizmente, como foi dito, a legislação toda parece ser contrária a nós. Faz com que tenhamos medo de atuar. Por exemplo, há vários memorandos que fazem mensão com relação ao expargidor de pimenta, proibindo o uso desse. Particularmente, ano passado tive que fazer uso do espargidor de pimenta, devido a desobediência e consequente resistência de 03 indivíduos à abordagem. Agora, querem me punir por não observar uma norma interna do batalhão que proibe o uso do spray. Como se vê, trabalhar engessado fica dificil.

Anônimo disse...

Também assisti o vídeo e fiquei muito chateado com o que vi, não fiquei surpreso, pois sei que isso infelizmente está se tornando comum nas pequenas cidades mineiras. Nao cabe mim julgar os militares que estavam na ocorrência, mas posso afirmar que no interior praticamente NÃO EXISTE REDE E RÁDIO. Acredito que o que realmente motiva o vagabundo é a maldita impunidade!!!!!!
Hoje em dia a regra é a tolerância!

Anônimo disse...

Trabalho em uma cidade do interior de MG, de 14.000 habitantes e assistir o video dos irmãos de farda. Esta situação acontece em várias cidades do interior e não adianta falar em reforço, armamento pesado, gas de pimenta, porque na maioria os militares contam apenas com um 38 na cintura e uma tonfa. Aqui onde trabalho são 06 militares, só tem duas tonfas, 6 rev. 38 velhos, coletes, ahhh, não tem pra todos não. Quando precisamos de um reforço, demora cerca de 30 minutos da sede da Cia para o Dst onde trabalho. Meus Deus, 30 minutos que vira uma eternidade, 30 minutos que acontece tudo de mais grave. Geralmente quando o reforço chega, a situação mais grave já se passou. É facial criticar, difícil é estar lá e resolver a situação. Quando vi o vídeo senti uma coisa ruim, uma raiva, um suor frio tomou conta de mim. A vontade que tinha era de estar lá e ajudar meus colegas, porque em cidade pequena quando isso acontece, ter que mudar de cidade, pois se perde a moral, ninguem mais confia em vc. Em cidade pequena, caros PM, o que vale mais é a fama que o PM tem, se ele é bom de serviço, "pau pra toda hora", a malandragem teme, caso contrário, toma conta. QUANTAS E QUANTAS VEZES JÁ PEDIMOS ARMAMENTO MELHOR e nada. E AQUELAS PLANILHAS PEDINDO ATUALIZAÇÕES DE DADOS DE ARMAMENTO, EQUIPAMENTO, PARA QUE? NUNCA CHEGAM.......O QUE MAIS DÁ RAIVA é um Oficial ou graduado emgomado, atrás de uma cadeira e um computador, querendo lhe ensinar como trabalhar. Mas a PM é sempre assim. Culpo mais a PM pelo fato, do que os militares.Cabo Júnior

Anônimo disse...

Sou policial civil em outro estado, mas estou INDIGNADO!!! Não vou nem filosofar sobre o motivo ou as prováveis causas do ocorrido, só pergunto: O QUE FOI FEITO DESSES CRIMINOSOS,POR FAVOR??? A PM DE MINAS OS DEIXARAM CONTANDO VANTAGEM??? ELES TÊM QUE TEM UMA RESPOSTA DURA, POIS SENÃO ASSIM TODA POLÍCIA, QUE POR INCRÍVEL QUE PAREÇA, E NÃO SÓ A DO INTERIOR DE MINAS, MAS DE TODO O BRASIL FICARÃO DESMORALIZADAS!!! A Polícia é como minha segunda família, seja civil, militar ou federal,por isso cenas como essas me tiram o sono!!! ESPERO DIAS DESSES VÊ POSTADO NA NET A PUNIÇÃO DESSES CRIMINOSOS!!!

Anônimo disse...

ASSISTAM NO YOUTUBE O VIDEO ""GREVE DA PM TO"",SERVE DE MOTIVAÇAO PARA PMS,BMS E PCS PARALIZAREM TODO O BRASIL,SO ASSIM A PEC 300/08 SERA APROVADA.

Anônimo disse...

Neste caso acredito que caberia o uso da arma de fogo pelos policiais, visto que estavam em desvantagem numérica e confrontavam-se com um grupo extremamente hostil, o que caracterizaria legítima defesa. Certamente que após o primeiro disparo não ficaria mais nenhum valentão para contar a história. Mas concordo com as palavras que um companheiro postou em um outro blog sobre o caso, ficamos tão condicionados a usar a arma de fogo somente em último caso, que acabamos hesitando demais quando seu emprego torna-se necessário. Só espero que a PM de MG tenha dado uma resposta à altura àqueles vagabundos.

Anônimo disse...

Faltou coragem para agir! Não precisava de atirar eu já presenciei uma situação semelhante um pm imobilizado por um campeão de jujitsu, o outro pm siplismente chutou a cabeça do campeão que tonteou e a situação foi invetida. No caso em lide um pm estava imobilizado e o outro ficou em estado de pânico sem saber o que fazer até ser imobilizado também. Não precisava nem ser perito em artes marciais, briga de rua mesmo resolvia um chute baixo na cabeça não precisava nem ter abertura, um bicudão!

Anônimo disse...

enquanto uns estão preocupados com tortura,tpb e direitos humanos e que viatura so pode trabalhar dois pms ou um so no pog,eu estou preocupado com a minha segurança,tenho visto muitos pms apanha na rua se eu tivesse la nessa roça com certeza ja tinha missa toda semana,o paisano ta folgado porque nossas leis virou parque de diversoes,com 20 anos nunca tive poblema porque eu mando estanho puro ,o importante e a nossa vida.

Anônimo disse...

Olá amigos ! Fiquei revoltado com aquela humilhação pela qual passaram os policiais, sem querer julgar , mas eu acho que o que pode ter acontecido é que os policiais passaram do estado de relaxamento mental , diretamente para o estado de Pânico , ou talvez tenha faltado segurança legal ( na mente deles ) que os impossibilitaram de utilizarem as sua armas , pois , por várias vezes aqueles idiotas covardes se afastaram , meesmo que momentaneamente de um dos militares , o que , em tese, daria o tempo suficiente de sacarem a arma e atirarem nos desgraçados. Talvez por inexperiência (não sei se os pm's eram recém formados) ou talvez porque ficaram sem reação diante do inesperado . Ou seja , devemos sempre olhar para as ruas com o olho técnico, sempre esperando o pior , pois se não acontecer nada durante o serviço , pelo menos estaremos preparados (Isto é um simples conselho ) Não quer dizer que os militares envolvidos naquele incidente estão despreparados . Por favor não me entendam mal.

Anônimo disse...

Nesta ação faltou preparo dos pms, pois deviam ter visto que o ESTADO esta fufu para eles e terem ralado peito da festa...
Agora falando sério, cadê aqueles comandantes loucos, que quando acontecia uns fatos destes juntava umas viaturas com os policiais mais COMPREENSÍVEIS e falava "Só voltem quando prendê-los!"????

Anônimo disse...

Um disse que o amigo estava imobilizado pelo CAMPEÃO DE JIUJITSU e ele chutou a cabeça do cara... A pá PQP...
PARA DE LERO LERO!!!
Se fosse um CAMPEÃO de JJ, teria lhe BAIANADO e BAU BAU p/ vc!!!

Anônimo disse...

ja tive em pequenos destacamentos de 2005 a 2010, já passei mais de 6 meses eu e um cabo, sou soldado, já trabalhei sozinho na cidade e atendi ocorrências, quando não dá nada tudo bem, mas quando os matutos lavradores reagem as abordagens a coisa fica preta, familiares entram no meio da ocorrência para não deixar algemar ou arrebatar o preso quando ja algemado, os civis nunca vão te ajudar a não ser depois que você ja tiver apanhado muito, para no outro dia encher a cidade, pois ja levei pancada sozinho e ninguém me ajudou somente "DEUS", por isso devemos prestar muito atenção na supremacia de força, mas tem situações que são inevitáveis, por exemplo você e um colega patrulhando passa em frente a um bar e bebados começam a desacatá-los e uma situção muito difícil, reforço se chegar dura no mínimo Hs 01:40. Hoje graças a "DEUS" os efetivos dos destacamentos aumentaram e ficou mais fácil e seguro trabalhar em cidades pequenas.

Postar um comentário

Comentários - Regras e Avisos:
- Nosso blog tem o maior prazer em publicar seus comentários. Reserva-se, entretanto, no direito de rejeitar textos com linguagem ofensiva ou obscena, com palavras de baixo calão, com acusações sem provas, com preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com a legislação nacional.
- O comentário precisa ter relação com a postagem.
- Comentários anônimos ou com nomes fantasiosos poderão ser deletados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem a opinião deste blog.
- Clique aqui e saiba mais sobre a política de comentários.

 
Os pontos de vista aqui publicados são de responsabilidade dos respectivos autores, não representando versões oficiais de quaisquer instituições.
© 2007 Template feito por Templates para Você - Deformado por José Ricardo
▲ Topo