O que os grupos especiais têm de diferente?

sábado, 31 de outubro de 2009

Desde que li no blog Caso de Polícia o "Manual para Criação de Grupos Especiais", de autoria do Capitão da PMESP Décio Leão, que eu queria falar sobre os grupos especiais. O que essas equipes policiais têm de diferente? O oficial, de forma irônica, criticou a forma como os grupos especiais são criados, seus treinamentos, e chama-os de embusteiros (mentirosos, impostores) e de hordas (bandos indisciplinados).

Acho que o capitão foi parcialmente infeliz em suas ironias. Todo batalhão não quer um grupo especial, todo batalhão precisa de um grupo especial. Claro que esse grupo não precisa de ser um "GATE", mas toda Unidade Operacional precisa de uma equipe com treinamento especial para desencadear ações e operações de maior complexidade ou nas quais exista maior probabilidade do uso da força.

O Senhor Capitão Décio Leão acertou ao dizer que todo grupo especial está fadado à ruína quando apenas quer ser diferente do restante da tropa, quando falta capacidade técnica, quando entre os integrantes do grupo preponderam a arrogância e o orgulho. Está certíssimo o capitão. Agora, eu pergunto: Todos os integrantes de grupos especiais são arrogantes e orgulhosos, sem capacidade técnica? A resposta é NÃO. A grande maioria são humildes, pelo menos na minha Unidade.

No batalhão em que estou lotado, temos um pelotão tático excepcional, assim como grupos de operações e GEPAR também excelentes. Militares escolhidos por terem disposição para trabalhar, por serem capacitados, por amar o que fazem. Um dos comandantes do grupo, 1º Sgt PM, já fez cursos pagos do próprio bolso, inclusive da SWAT. Outros militares também já fizeram cursos sem nenhum ônus para o Estado. Capacidade técnica não lhes faltam, com certeza.

Mas é preciso distinguir que esses grupos especiais não atuam no estilo "GATE" ou "SWAT", ou seja, não tem equipamento nem treinamento para ocorrências do tipo resgate de reféns ou em que seja necessário efetuar o tiro de comprometimento por um atirador de elite. São grupos voltados ao combate da criminalidade violenta, atuando na repressão ao narcotráfico, desencadeando ações de cerco e bloqueio, cumprindo mandados de prisão ou de busca e apreensão, rastreamento e prisão de assaltantes e homicidas, policiamento em zonas quentes de criminalidade, controle de distúrbios civis, etc.

Pelo que vejo, são selecionados para esses grupos os policiais que se destacam no serviço operacional. A qualidade mais procurada é a "disposição". O policial tem que ser linha de frente, tem que ter coragem, tem que amar a profissão.

Enfim, cada equipe especial com sua função, com treinamento especial para um objetivo específico. O GATE atuando em ocorrências de resgate de reféns, explosivos, tiro de comprometimento, e as outra equipes especiais, como Pelotão de Recobrimento Tático, atuando no combate ao narcotráfico, à criminalidade violenta, em zonas quentes de criminalidade, etc. Cada qual na sua especialidade, cada qual no seu quadrado.



Gostou desta postagem? Então cadastre-se AQUI para receber as atualizações do Universo Policial no seu e-mail ou no seu agregador de Feed/RSS.

24 comentário(s):

Anônimo disse...

Eu estou fazendo o curso de formação e gostaria de fazer parte das operações especiais, só que o que eu queria saber era mais pra uma dica do que uma postagem afirmativa, alguns afirmam que para ser das operações especiais o melhor meio é vc se destacar aparecendo outros afirmam que pra vc se destacar vc tem que procurar fikar na sua os chamados moitas ai fika a duvida. mas em relação ao topico sei que quem procura entrar nas Operações Especiais tem amor pela atividade policial

José Ricardo disse...

Não pertenço a nenhum grupo especial, mas vejo que os que lá estão têm uma característica em comum: DISPOSIÇÃO. Tendo disposição para trabalhar, você irá se destacar naturalmente. Frise-se, porém, que você irá se destacar pelo seu trabalho, pelos resultados. Além disso, é preciso amar o que faz, ter interesse em aprender e ter sangue frio em momentos de tensão.

Boa sorte!

Anônimo disse...

Esse é o calcanhar de Aquiles da Polícia Militar. Não só um grupo especial está fadado a ruína, mas toda a Instituição. Muitos grupos de isso e aquilo são criados apenas para disfarçar problemas corriqueiros no batalhão e na cidade. Não se tem a estrutura necessária para suprir estes comandos especiais, mas mesmo assim são criados e depois cobrados para obter resultados. Os policiais, por sua vez, alguns com disposição se aventuram nesse labirinto sem volta, outros por pura vaidade, achando que após um treinamento (muitas das vezes bem fraquinho, diga-se de passagem) se tornarão super-policiais, ficam desesperados para compor estes grupos, além é claro de "escapar" das cansativas e stressantes ocorrências do dia a dia, afinal ocorrências com reféns, assaltos dentre outros, não são tão frequentes como muitos dizem, a não ser é obvio em grandes capitais no país. Mas aí sim concordo que existam estes grupos especiais.
Contudo, em outras cidades (a maioria) onde o número de policiais sempre é reduzido e a cassação de folgas é até rotina, fica inviável este tipo de emprego especial.
São essas sub-divisões que acabam minando o "todo". Sabe por que? Assim diz o PM: - Sou do comando especial, sou do trânsito, sou do canil, não posso atender este tipo de ocorrência. Fala sério!
O policial moderno tem que ser dinâmico e multifuncional. Não ficar somente atrelado, como um robô, a determinado comando para agir.
Talvez seja nesse ponto o grande problema que gera tantos desentendimentos entre policiais. Arrogância,orgulho são apenas alguns dos defeitos que não só o PM, mas que todo ser humano deve estirpar de sua vida. Mas isso ainda é utopia.
Terminando, aqui vai um conselho ao jovem colega acima. Tudo tem seu tempo companheiro. Faça o suficiente e necessário com qualidade, competência e dedicação e no seu devido tempo a oportunidade vai aparecer e o melhor, com reconhecimento. Com mais experiência sua decisão será mais fácil,coerente e até promissora.Com certeza!
Enquanto isso paciência, "gafanhoto"! Paciência...

uuoouoOUUUOP disse...

exelente comentario do anonimo...

Anônimo disse...

SD F. Silva
Intrisicamente, a palavra "especial" deveria referir-se às viaturas chamadas básicas, àquelas que são as primeiras a chegarem nas ocorrências. E quando têm componentes dispostos, comprometidos com o serviço policial, resolvem com êxito situações consideradas de alta complexidade, também.
A única diferença que vejo nesses "grupos especiais" é a vaidade que muitos integrantes têm em relação ao colega de profissão que não faz parte do mesmo "grupo".
Outra informação, todos nós sabemos que para fazer parte de um "grupo especial" basta ter uma INDICAÇÃO. Não é preciso ter disposição, amar o que faz e etc.
Ademais, o importante é que todos os "corpos" trabalhem em conjunto, um dando apoio ao outro, só assim venceremos.


PS: J.R., Tenho certeza que sua intenção não foi essa, porém, NA MINHA ÓTICA, o texto deixou a impressão que disposição só tem quem faz parte dos grupos ditos "especiais". E, na verdade, não é assim. Existem muitos operacionais nas viaturas básicas que sobra disposição e comprometimento.
Peço desculpas por essa crítica, mas é a impressão que tive.
Parabéns pelo blog, sou leitor assíduo.

José Ricardo disse...

Sd F. Silva, a minha intenção realmente não foi dizer que somente têm disposição aqueles policiais que estão em grupos especiais.

Existem várias Polícias dentro de uma só. Na Unidade onde estou lotado, posso afirmar que os policiais que estão no pelotão tático móvel têm disposição, o que não quer dizer que os das viaturas básicas não tenham. Absolutamente, não é isso. Como você disse, existem muitos operacionais nas viaturas básicas que sobram disposição e comprometimento.

Cada Unidade seleciona de uma forma os integrantes dos grupos especiais. Não conheço a realidade de outros batalhões.

Concordo contigo: O importante é que todos os "corpos" trabalhem em conjunto, um dando apoio ao outro, só assim venceremos.

Saudações policiais.

Anônimo disse...

Realmente eles são os bons, nos que trabalhamos nas PACs somos os comuns, o serviço que els realizam com equipe, nos realizamos com uma smples guarnição de dois, armados as vezes somente com o poder de convencimento. Equipe tatica e importante, mas, não e tudo.
Cb Alexandre.

José Ricardo disse...

Cb Alexandre, certa vez, quando fiz o TPB, um sargento da Rotam disse para a turma que os heróis de verdade eram os policiais da viatura de área, os quais, em dupla, sem armamento pesado, atendiam a toda sorte de ocorrências, os que primeiro chegavam aos locais de crime, os que primeiro eram recebidos à tiros, os quem primeiro enfrentavam as dificuldades. Um policial do extinto COE me disse que as maiores dificuldades pelas quais passou foi trabalhando em viatura básica, pois quando trabalhou naquela equipe especial sempre andava bem armado e com grande efetivo. Uma viatura era composta por, no mínimo, quatro policiais, todos de PT, além de armas longas e munições químicas.

Trabalhando em viatura básica, nunca deixei de combater o crime. Um soldado, companheiro de guarnição, certo dia me falou que nem desejava mais ir para o "grupo especial", pois já fazíamos os mesmo que eles. (Quando dava tempo, é lógico. Haja briga de casal, acidente de trânsito e som alto para atender).

Porém, Cb Alexandre, a intenção da postagem não foi definir quem é melhor ou pior, quem são os bons ou ruins, quem tem disposição e quem não tem, quem... O propósito foi criticar o artigo "Manual EPC para criação de Grupos Especiais". Você há de convir comigo que nem todos os policiais dos grupos especiais são orgulhosos e arrogantes. Não podemos generalizar. Cada um fazendo sua função. O importante é que todos os "corpos" trabalhem em conjunto, um dando apoio ao outro, só assim venceremos.

O Universo Policial agradece sua participação.

Anônimo disse...

Os grupamentos especiais são de grande importância, porém nunca serão a melhor tropa, porquê em sua atividade de repressão nos deixamos primeiramente a ordem ter sido rompida ou seja o atividade preventiva falhou então a morte ou prisão dos autores dos crimes mais ou menos violentos, a ordem pode ser novamente estalada porém as sequelas ou traumas das vítima jamais seram retirados por nenhuma força especiais muitas das vezes os militares do policiamento a pé em sua ação de presença eliminam ações de crimonosos e dar descanso ao grupamentos especiais bem como tranquilidade ao cidadão ordeiro.agora se vc acha que e melhor por está em um grupamentos especial vc sozinho nunca vai prender dois autores que apenas usa diferentes rotas de fuga, se liga super "homen".

Anônimo disse...

Na policia Militar de Minas Gerais, existe somente um grupo especial que é o GATE, (Grupo de ações Táticas Especiais), e que desempenha esta função com 100% de sucesso até o momento. Em ocorrências de grande complexidade com refens, bombas, etc, o comando da situação parte das demais viaturas para eles. A sede do Gate é em BH, onde eles treinam diariamente, tem bons equipamentos para cumprir a missão e são bons no que fazem, estão de parabens.
Os outros grupos são importantes é necessários, cada qual com sua missão,
A ROTAM, atua no combate a criminalidade alta em todo Estado se necessário sendo força de manobra do comando Geral, o TÁTICO MÓVEL, é força de manobra do batlhão, o GRUPO TÁTICO, é força de manobra da Cia ou do pelotão, estes todos com a mesma missão, porém com área de atuação delimitada pela unidade que pertencem.
Os integrantes dessas unidades são policiais que na sua maioria gostam do que fazem, mesmo sabendo das dificuldades da missão.
O risco de terem que responder sindicancias e ipms é maior, do que os policiais das viaturas de área, porque estao incomodando criminosos, que tentam de toda forma prejudicarem os militares para intimida-los. E esse risco maior de responder pela atuação é o que impede vários poliais de atuar nas unidades táticas, porque não querem correr o risco, não porque lhes falta disposição de confrontar os marginais, (em sua maioria.
Portanto, cada um trabalha aonde melhor se adaptar, é so lutar e ir pra onde quer, não precisa de indicação, é logico que se tiver indicação o militar vai mais rapido, mas se não tiver ele vai do mesmo jeito, na policia tem lugar pra todo mundo.
Portanto não existe bagunça, a PMMG, é bem organizada.
Está é minha critica ao cidadaão anônimo que deixou a frase: "um grupo especial está fadado a ruína, mas toda a Instituição. Muitos grupos de isso e aquilo são criados apenas para disfarçar problemas corriqueiros no batalhão e na cidade. Não se tem a estrutura necessária para suprir estes comandos especiais, mas mesmo assim são criados e depois cobrados para obter resultados.
Os grupos tem suas missões especificas, baseadas em dados tecnicos e cientificos, não sendo criados ao acaso.

Anônimo disse...

Muito bem cidadão anônimo. Mas vamos esclarecer alguns pontos: O fato de se criar qualquer que seja o grupo específico, obviamente baseado em dados técnicos, como disse, não quer dizer que se tenha estrutura para isso. Sei muito bem que não se cria um grupo especial ao acaso. Para ser mais claro e objetivo, se não me entendeu, o que quis dizer é que a PM não tem a logística suficiente para abraçar o mundo, mas insisti nisso.Depois com a falta de equipamentos, manutenção em viaturas fica com a famosa mendicância com Prefeituras, Empresários, etc. Fato que o Pm é obrigado muitas das vezes a ouvir desaforos na rua por isso. Outro detalhe é a criação desses grupos para dar cargos a oficiais de comando, pois não gostam de ficar na rua.
Quanto ao risco do militar se envolver em IPMs e sindicâncias, discordo de você. No momento que o ser humano veste a farda e sai de sua residência, ele (o militar) já está correndo este risco. E incomodar criminosos os militares das viaturas de área (02) também fazem, muitas das vezes, com mais técnica e competência, que muitos trogloditas que compõem estes Grupos Táticos (04).
Numa coisa concordo com você: na polícia tem lugar pra todos, por isso não estou e nem quero ser de nenhum grupo X, Y ou W. Em momento algum disse que a PMMG é uma bagunça. Aliás "Ela" ainda é um dos poucos, senão o único orgão público que ainda funciona realmente. Somente não concordo com estas avalanches de grupos criados, muitas vezes desnecessários.
Fechando, enquanto essa PM, seja de Minas ou do Acre, não parar com esse negócio de se dividir, muitos problemas virão. E um deles é a ruína. "Dividir para conquistar" - assim disse Sun Tzu- A Arte da Guerra, há mais de 2 mil anos. Mas parece que os "cabeças" destas Instituições não sabem disso ou não tem conhecimento deste livro de cabeceira de todo militar.
Qualquer dúvida estou na escuta.

Anônimo disse...

Obrigado pela resposta, não fiz o comentario com intensào de criar polemica apenas um desabafo, com relação ha alguns colegas que acham que são melhores do que os outros.
Cb Alexandre

Anônimo disse...

Ps : GATE(PMMG) com 100% de sucesso ??????????
Não seja fantasioso e procure se inteirar dos fatos companheiro anônimo. Não é bem assim, falo com conhecimento de causa.
3º Sgt Paulo Azevedo

SD LOURENCO disse...

Já respondendo a pergunta inicial do texto penso que de especial tem um grupo tático ( que seja outro nome) é o treinamento que por sua vez admiro muito. È importante observar ainda que o policiamneto convercional ( vamos dizer assim) perde (na minha forma de ver) em condicionamento físico como por exemplo acontece em unidades especiais. Eu procuro me condicionar fisicamnete e mentalmente para quando surgir qualquer situação adversa eu possa está preparado para agir e tomar as decisões corretas. Agora infelismnte existe alguns que se dizem faca na boca, ganha mais que outro da mesma graduação do simplizim e o peito segura até bala de canhão. Fazer o que né. Pra mim a única coisa que eles ganhão mais do que eu é IPM. ( isso pros facas na boca) pois a grande maioria não é assim pelo menos no 36 que é um exelente BPM. abraços a todos

gomez disse...

todos os comentários feitos tem uma ótica de quem comentou,e isso é óbvio,assim falarei no meu quadrado;a policia é importante como um todo mais de 90% das ocorrências são resolvidas por policiais tido por "comuns",os grupos "especiais"tem sua importância e razão de existir a grande tematica é que eles precisam "coexistir" com a tropa ser "espscial em detrimento do outro é no minimo arrogante.quanto ao anonimo comentario feito pelo oficial do gate de minas gerais,falando da sua policia sem "bagunça" esse discurso não convençe ninguem;será que ele é policial no pais de alice,aquela do pais da maravilha.ESPECIAL é o policial que assume uma viatura muitas vezes sem freio,pneus careca,sem armamento,sem condição de serviço,sem gratificação nenhuma e vai prestar mais uma jornada de duro serviço em escala sobrecarregada,e isso na sua policia dos sonhos;sem bagunça.bem pertinho do sr. a doutrina dos grupos especiais são muito interessante quando as coisa dá errada eles semprem se safam, o comando geral fala por eles.e alem do mais, essa coisa de 100% de aproveitamento,nenhum grupo no mundo tem esse êxito.tamanha igenuidade,pra não dizer "utopia",só pode ser porque o nobre policial está noutro QUADRADO.sem mais vou ficando tambem no meu QUADRADO.

Anônimo disse...

anônimo disse:
Terminando, aqui vai um conselho ao jovem colega acima. Tudo tem seu tempo companheiro. Faça o suficiente e necessário com qualidade, competência e dedicação e no seu devido tempo a oportunidade vai aparecer e o melhor, com reconhecimento. Com mais experiência sua decisão será mais fácil,coerente e até promissora.Com certeza!
Enquanto isso paciência, "gafanhoto"! Paciência...

Eu digo espere com paciência que vc vai ver um peixe tomar seu lugar, haoahoahoaha. Não sei onde vc trabalha mas aqui a escala de Rotam é muito boa, se é boa, é pra peixe. É a regra de todo lugar. Não é boa? É boa sim, escala de 6 hs diárias, segunda tem treinamento, humpf... treinamento de 2 hs ou menos, ou manutenção no lugar de treinamento. Quando tem op. sem-terra, a diária é próxima de 120 reais por dia. Acontece o mesmo quando tem operação próxima à fronteira. Fica uma semana lá e volta. Não estou dizendo que é um mar de rosas, mas que é melhor que a RPA (rádio patrulha) isso sim é.

GOMES disse...

esse anõnimo ai ta e com dor de cotovelo,e não sabe o que diz.ocorrências comuns e que não fujam aos esforços do policiamento ordinario devem ficar a cargo de vtrs básicas,táticos móveis,etc...,tropas especiais, como o gate/mg,têm sua atuação voltada para ocorrências de alta complexidade,onde estrapolam-se esses esforços,pois treinam para isso.esse papo de que tem que ser multifuncional é balela,situaçoes especiais requerem intervenções especiais.agora, sei que existem muitos pms de área que são bons,pois já fui,agora querer se igualar e achar que tem que ser tudo igual, ai já é demais.VESTIR A FARDA PRETA NÃO É FACIL,TEM QUE MOSTRAR QUE MERECE.NÃO É PARA QUEM QUER, E SIM PARA OS POUCOS QUE PODEM.CAVEIRA!

marco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
marco disse...

todos nos somos importantes. nao devemos substimar ninguem. agora, os policiais dos gurpos especiais dedicam suas vidas as vezes suas horas de folga etc... os caras realmente amam o que fazem, semtem prazer quando realizam uma prisao, estao sempre caçando, as vezes arriscam o distintivo para prender, deveriamos respeitar mais esta gente, deveriamos estar mais irmanados,deveriamos preocupar com outras questoes que realmente sao importante e nao tecer comentarios que todos sabemos que sao tendenciosos tanto da parte dos que defendem a basica como o policiamento especializado. tem lugar pra todos gente, serviço eh o que nao falta. serviço sobra, e sobra inclusive a voce que fica ai passeando e que so lembra de criticar quem ta trabalhando, lembres-se que um dia nao vai dar pra voce resolver a ocorrencia na labia ai tera que contar com o policiamento especializado para ai cobertura. eu ja trabalhei na basica, ja cansei de resolver ocorrencia na labia, e sei tambem como eh dificil engolir sapo, muita das vezes porque o meu contigente era pequeno e que se fosse resolver da maneira certa ia dar extresse, e ai como eramos so dois, administravamos o problema. eu cansei de criticar os caveiras, achando que os metodos utilizados no curso eram banais, e que aquilo tudo era besteira, porem quando estava la no rio no alemao, eu vi que os caveiras sao realmente diferenciados, e na minha primeira noite quando na troca de tiro os pilas dando tiro de 762 eu vi que nada tinha vivido ainda... ai eu vi como eh o comportamento de um operaçoes especiais, eles me passaram tranquilidade e seguraram a onda. o policial de operaçoes eh um policial que ja foi testado, e voce que critica sera que o foi? aqui na nossa policia nos vivenciamos algumas trocas de tiros onde o marginal atira para evadir, nao vivenciamos situoçoes de combate real, onde como eh o caso do rio de janeiro onde o marginal esta tao bem armado quando o policial, e esta ali no morro a sua espera e nao vai vazar como os calças cagadas daqui. ai nos vemos nossos colegas que so lembram da parte corrupta do rio para criticar, agora eu te pergunto, voce ja ouviu um 762 cantar em sua direçao? e se ouvisse o que faria? sera que ficaria ai contando vantagem e criticando? entao meu amigo começe a envestir em conhecimento profissional,e procure ser cursado, para estar preparado para o combate, ele pode pintar a qualquer hora, e nos temos que estar preparado. e independente de estar satisfeito com o seu comandante, esteja sempre vigilante. o perigo esta em nossa volta. nos temos somente um turno pra tirar, o horario do bandido eh integral, e ele esta te observando, e so espera um vacilo seu. seja para agir ou ferrar com a sua vida. bandido tem mais raiva de policia doque policia de bandido. lembrem-se todos nos somos importantes, mais deixaremos de ser quando achar que a nossa funçao eh menos ou mais importante que a funçao do outro.

Anônimo disse...

esse cap foi mal en definir grupo especial, com inbusteriro fasso parte de um grupo especial e somos muiito bem treinedos capacitados e não inbusteiro.

Anônimo disse...

Faço parte de um GATE de unidade do interior de MG. Trabalhei antes disto no policiamento ordinário e na viatura de setor. Meus companheiros que lá deixei, são meus camaradas. Sempre dou apoio a eles e sou apoiado por eles também. Amo a PMMG. Meus amigos da Banda de Música, da SAS, da ADM,ROCCA, Cavalaria, enfim, todos. TODOS NÓS formamos a nossa PMMG. Cada um permaneça na vocação em que foi chamado. Somos várias engrenagens em uma só máquina. Todos em sincronia.

Praça o Herói disse...

A verdade é a seguinte:
Têm muchiba nos grupos especiais e no Policiamento Convencional. O que te desanima é levar sua filha de 5 anos doente para o hospital em uma moto FINANCIADA juntamente com sua esposa não tendo dinheiro nem para compar um carro. Ainda quer que eu vibro. Viva a bandidagem, VIVA o Anestesia e os seus coronéis comprados cheios de privilegios e vantagens nos seus contra-cheques em quanto a tropa que atua na ponta da linha mora em favelas ao lado dos marginais. Viva o Comando. Boa noite........

Anônimo disse...

Olha colegas, conheço grupos que de especiais não têm nada. Dormem 20 horas e descansam as outras 4 de serviço; passam o dia na academia do Batalhão ou dormindo no alojamento separados deles.Saem às ruas dão uma voltinha e retornam para o descanso; enquanto isso a viatura convencional se quer pode tomar um banho, pois os superiores alegam que estão de serviço 24 horas. Olha, o curso que eu vi, se é que se pode chamar aquilo de curso, os cara só faziam bater nos alunos, gritar nos ouvidos dos outros, chingar as mães, as irmãs dos caras. chamei isso de judiversão: uma mistura de diversão com judiação. ne descansam

Anônimo disse...

Hum, eu fico olhando, os colegas só fazem apanhar em alguns grupos durante o curso, não vi nada de abordagem ou defesa pessoal, mas estão preparados para dá aulas daquilo que não aprenderam; fala sério.

Postar um comentário

Comentários - Regras e Avisos:
- Nosso blog tem o maior prazer em publicar seus comentários. Reserva-se, entretanto, no direito de rejeitar textos com linguagem ofensiva ou obscena, com palavras de baixo calão, com acusações sem provas, com preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com a legislação nacional.
- O comentário precisa ter relação com a postagem.
- Comentários anônimos ou com nomes fantasiosos poderão ser deletados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem a opinião deste blog.
- Clique aqui e saiba mais sobre a política de comentários.

 
Os pontos de vista aqui publicados são de responsabilidade dos respectivos autores, não representando versões oficiais de quaisquer instituições.
© 2007 Template feito por Templates para Você - Deformado por José Ricardo
▲ Topo