Desmilitarização das Polícias Militares

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Ouvi hoje uma entrevista do comandante-geral da PMERJ, Excelentíssimo Senhor Coronel PM Mário Sérgio de Brito Duarte, defendendo a continuidade da polícia militarizada. Não entendo essa posição conservadora do senhor oficial. O militarismo na polícia trata-se de evidente dicotomia. Uma atividade intrinsecamente civil sendo realizada por uma organização militar, por profissionais que devem respeitar as garantias e liberdades individuais do cidadão, o Estado Democrático de Direito, mas que eles próprios não gozam de cidadania plena.

Alguns ainda tentam defender o militarismo sob a alegação de que algumas ações policiais têm caráter militar. Ora, não há que se confundir adotar o modelo militar em situações específicas com agrilhoar profissionais de segurança pública a um retrógrado militarismo, que lhes nega a cidadania e o acesso aos direitos constitucionais garantidos a todos os trabalhadores. Como exigir que um profissional respeite um direito que lhe é negado? É possível dar o que não se tem?

Do mesmo modo que o Senhor Coronel PM Emir Larangeira, eu não aceito de modo nenhum ver um policial nas ruas protegendo o cidadão e, ao mesmo tempo, podendo ser recolhido preso, encarcerado, porque saiu do serviço cinco minutos antes. E pensar que esse policial será o mesmo que, nos dias seguintes, estará controlando o trânsito para nossos filhos atravessarem a rua em segurança. Com qual motivação ele cumprirá a árdua tarefa de proteger a sociedade?

Não que eu ache correto sair mais cedo do trabalho. A questão é a proporcionalidade da pena, a diferença de tratamento que é dada a um civil e a um militar. O civil pode desacatar o policial, agredi-lo, e pela Lei nº 9.099/95 não ficará preso. Responderá em liberdade.

Na minha opinião, não é razoável adotar o modelo militar na segurança pública. Não podemos ter a visão equivocada de que o crime é apenas mais uma guerra a ser combatida em território hostil, sob pena de envenenarmos a relação entre o policial e o cidadão. A polícia não pode ser vista como um exército de ocupação. O cidadão infrator não pode ser encarado como um inimigo, muitos menos como um inimigo pessoal.

Um dos objetivos do treinamento militar, talvez o principal, é internalizar no aluno os pilares da hierarquia e da disciplina, a obediência irrestrita aos superiores, o fiel cumprimento do regulamento disciplinar e das normas castrenses. Balzac insinuava que "a vida militar exige poucas ideias". Ainda estão registradas na legislação militar sanções administrativas e penais para quem debate assunto atinente à disciplinar militar, para quem critica atos do governo, para quem se reúne para discutir ato do superior, mesmo que esse ato tenha prejudicado a coletividade e seja manifestamente ilegal ou imoral. De certa forma, é um cerceamento da liberdade de expressão, da liberdade de reunião e da livre atividade intelectual.

Por falar em leis, por que um Código Penal diferenciado para o policial militar, mais rigoroso, com crimes específicos? Correto? Se a resposta é positiva, então vamos criar um Código Penal Médico, um Código Penal de Engenharia, um Código Penal de Mecânica...

Os pilares da hierarquia e da disciplina não podem estar acima dos princípios expressos e reconhecidos da Administração Pública: Legalidade, impessoalidade, publicidade, transparência, moralidade, motivação, eficiência, especialização, entre outros. Na verdade, os princípios são muito mais substanciais, atendem muito mais ao clamor público, do que os pilares do militarismo. Do que vale disciplina sem eficiência? Os princípios, sim, são importantes. A Polícia Militar é uma instituição pública, que deve servir ao povo. Logo, exige-se que trabalhe dentro da legalidade, com impessoalidade e moralidade; exige-se transparência em suas ações, publicidade dos atos e das normas administrativas. Hierarquia e disciplina são inerentes a qualquer instituição, pública ou privada.

No militarismo, existem muitos pesos, mas poucos contrapesos. O policial militar deve estar sempre pronto para cumprir a missão, a qualquer hora do dia ou da noite (peso), mas não tem direito a hora-extra nem a adicional noturno (contrapeso). O militar não pode sindicalizar (peso), então como ele vai reinvidar seus direitos (contrapeso)? O policial não pode fazer greve (peso), então como ele vai cobrar dos patrões (contrapeso)? Eu poderia citar outros exemplos, mas creio que já deu para compreender que existe um desequilíbrio nessa "balança", que o ônus nem sempre vem acompanhado do bônus.


A principal tese de defesa contra a desmilitarização das PMs é a alegação de que os militares estaduais cairiam na "vala comum" do sistema previdenciário dos servidores públicos civis. Muitas vezes, para dar dez passos para frente, é preciso dar um para trás. É preciso lembrar também que o compromisso de toda instituição pública é com a sociedade. O foco do sistema não pode ser o próprio sistema.

Ademais, com poucas palavras é possível persuadir a sociedade e os governantes de que os policiais necessitam de um tratamento diferenciado, sobretudo nos sistemas de saúde e previdenciário, em vista da carga de estresse da profissão, dos riscos de morte, invalidez, lesão corporal, degeneração do estado de saúde mental, de contágio por doenças, assim como das responsabilidades civis, administrativas e penais inerentes à atividade policial. O princípio da igualdade consiste em tratar os iguais de forma igual e os desiguais de forma desigual, na medida de suas desigualdades, objetivando alcançar a igualdade plena.

A desmilitarização é um caminho sem volta. Foi registrada nos Princípios e Diretrizes da 1ª Conseg como sendo um dos objetivos a serem alcançados. Embora a desmilitarização não resolva os problemas da segurança pública, libertará os policiais militares da condição de subcidadãos, trazendo-lhes a cidadania plena. Abrirá um caminho para a tão sonhada unificação das policiais estaduais e, consequentemente, para o ciclo completo de polícia.

Leia também:
Enquete
Você é a favor da desmilitarização das Polícias Militares?
Sim
Não



Gostou desta postagem? Então cadastre-se AQUI para receber as atualizações do Universo Policial no seu e-mail ou no seu agregador de Feed/RSS.

146 comentário(s):

sd Lourenço disse...

Na Polícia Rodoviária Federal não existe militarismo e funciona, pelo menos internamente, e sem falar nos salários. E o que é melhor acaba com a Justiça Militar, uma vez que existem coronéis juizes que nem se quer tem curso de direito e vai julgar alguém. È bom acabar com esse troço mesmo.
abraços

Anônimo disse...

A opinião da reportagem é instigativa e prejudicial à formação de juízo sobre o assunto. Em particular, discordo "in totum" com tal assertiva e tenho entendimento sermelhado ao do Sr. Cel Cmt-Geral da PMERJ. A profissão que abraçamnos sempre teve suas peculiaridades e optamos pela defesa da sociedade quando escolhemos prestar o concurso e sermos agentes de defesa social. Não aceito mudança de conceito sob pena de nos transformarmos em um bando corrupto e libertino de agentes. O controle é imprecindível e falta à muitas instituição do Sistema de Defesa Social de muitos Estados de nosso País. Evoluir e transformar, adequando-se o modelo à realidade, SIM. Mudar para banalizar e corromper, NÃO.

José Ricardo disse...

Anônimo, olhando pela sua ótica, somente o militarismo impede a corrupção e a libertinagem, principalmente de agentes públicos. Então quer dizer que minha mãe, enfermeira de uma prefeitura, é corrupta. Meu pai, mecânico industrial, também é corrupto e libertino. Nossos colegas policiais civis, rodoviários federais, agentes da PF, guardas civis, agentes penitenciários, são todos corruptos, libertinos e corrompidos. Afinal, na sua visão, o militarismo é uma panaceia, o remédio para todos os males.

Nossa profissão realmente tem peculiaridades, mas nem por isso temos que ter menos direitos que as demais pessoas, pelo contrário, deveríamos ser iguais a todos, a fim de que cidadão proteja cidadão.

As instituições civis também seus regulamentos, suas normas internas.

A discussão é válida. Entretanto, é preciso fundamentar nossas opiniões. Argumentos falsos, premissas enganosas ou generalistas (sofismas) distorcem a realidade e não levam a uma conclusão verdadeira.

Exemplo de sofisma:

"Os fazedores de projeto não merecem confiança. Ora, este homem fez um projeto. Logo, este homem não merece confiança." - Stuart Mill

Anônimo disse...

Toda instituição tem que ter um código de conduta, não quer dizer que precisa ser necessáriamente militar. Polícia se faz com treinamento, aperfeiçoamento e condições dígnas de salário e logística.Quanto a previdência, é lógico que a instituição terá que ter e se o Hospital que se antes era HPM (Hospital Policial Militar), pode muito bem se chamar (HSP), Hospital do Servidor Policial.

Anônimo disse...

PM do Ceará diz,o militarismo na instituição policial só mostra como nosso pais,parou no tempo pois só paises sub-desenvolvidos adotam o militarismo em suas polícias,os defensores do militarismo são pessoas,que por não terem capacidade de comandarem ao não ser com a impozição do militarismo,essas pessoas não intendem que não presiza ser miltar para ser comandante,ser comandante e primeiro de tudo cuidar e defender seus comandados,ter uma bao formação não só militar e pensar primeiro nos outros antes de sí.

Anônimo disse...

Sou 1 Sgt e concordo plenamente com o Sd Lourenço, a Polícia Rodoviária Federal, funciona perfeitamente sem o sistema militar, e logicamente sem Justiça Militar. E como é que pode um coronel que nem formado em direito pode ser juiz do Tribunal de Justiça Militar?? (cabide).
Precisamos sim de reconhecimento, melhores condições de vida, bons salários, boa logística e treinamento. Prestamos serviçõs melhor ou no mínimo igual a PRF ou PF, por que que temos que ser pessimamente remunerados?
Nos arriscamos muito mais que os acima citados e somos discaradamente discriminados.

Anônimo disse...

Sou a favor da desmilitarização porque o policial de menor graduação em muitas das vezes tem competência e sabedoria para tomar decisões importantes, mas no momento, se tiver um graduado superior, o militar (Soldado) não pode decidir, e assim vai até ao Coronel, quando se trata de Oficial e Comandante a sua opinião não vale nada se for subordinado.

Wladimir disse...

Enquanto tivermos mentes estreitas vamos precisar de argumentos largos para que o militarismo se sobreponha em nossas vidas profissionais. Pessoas com queda para ditatura acham que a polícia pertencem a eles, porém, um dia a base da pirâmidade não vai aguentar tantas lamúrias e imposições, e dessa forma, vai se partir e já sabemos o que acontecerá com a nobreza.

Anônimo disse...

CONCORDO TOTALMENTE COM A MATÉRIA...VAMOS LUTAR PELA DESMILITARIZAÇÃO POLICIAL MILITAR!!!!

José Ricardo disse...

Senhores, vamos discutir o tema, mas debatendo ideias, mantendo o nível de respeito, sem passarmos para ofensas e acusações sem provas, generalistas. De outra forma, terei que retirar a postagens.

Espero a colaboração de todos.

Anônimo disse...

Já vi que o cidadão que apoiou a idéia do Cel. do RJ é um Oficial de polícia, pois defende o militarismo com veemência, achando que se deixarmos de sermos militares, enveredaremos no mundo da corrupção. Porém o que parece é que está com medo de perder o poder e as regalias que os mesmos têm. Temos que sermos livres do militarismo, pois somos tratados como bichos nos interiores dos quartéis, depois querem que tratemos os cidadãos de bem e até mesmo os infratores com dignidade e respeito, sendo que não somos respeitados de forma alguma pela maioria dos nossos superiores, que fazem de tal comportamento, uma verdadeira arma contra toda sociedade. Abaixo ao militarismo!

Anônimo disse...

Li todos os comentários, não devemos nem ir ao céu e nem no inferno, há várias questões na PM que devam mudar, estou na PM a 19 anos, nesse tempo a PM sofreu várias mudanças, e sempre para melhor, com passar do tempo os militares, principalmente os oficiais, estão com a cabeça diferente, são pensamento mais modernos que os antigos com aquelas idéias arcaíca de sermos uma policia carrasca principalmente com os próprios militares.
Mas há de pensar direito, pois a desmilitarização temos algumas vantagens, mas perderemos também algunas vantagens preciosas, dentre elas, poderíamos ser comparado ao cidadão comum e aposentadoria com 65 anos de idade, sendo que a maioria de nós aposentamos por volta dos 50 anos, e ainda no mundo civil não existe posto inediato após aposentadoria.

José Ricardo disse...

Anônimo, realmente, nesses mais de 20 anos de promulgação da Constituição Federal, a Polícia Militar vem tentando se adaptar ao texto da Carta Magna. Mas será que ainda não existem resquícios da ditadura militar, época em que as vontades individuais preponderavam sobre o Direito e as leis?

Prezado anônimo, você fala que seríamos comparados ao cidadão comum. Quem bom que fosse assim, pois atualmente os militares estaduais são subcidadãos, visto que lhe são tolhidos uma série de direitos garantidos aos cidadãos e aos trabalhadores brasileiros.

Sobre a aposentadoria, cito o exemplo dos policiais civis de Minas Gerais, que se aposentam com 30 anos de serviço, de igual modo que os policiais militares. Como falei na postagem, o princípio da igualdade consiste em tratar os iguais de forma igual e os desiguais de forma desigual, na medida de suas desigualdades. Sendo assim, nossa aposentadoria continuará sendo com 30 anos de serviço, pela carga de estresse da profissão, pelos riscos, etc.

Sobre o posto imediato, realmente existe a possibilidade perdemos esse direito. Mas, caro anônimo, a vida é assim mesmo; muitas vezes, para dar dez passos para frente, é preciso dar um para trás. Podemos perder esse direito, mas, em contrapartida, ganharemos o direito de nos sindicalizar e de fazer greve, o que fortalecerá sobremaneira nossa luta por melhores salários e condições de trabalho, além de ganharmos os direitos garantidos a todos os cidadãos, a todos os trabalhadores: liberdade de expressão nos termos da Constituição, adicional noturno, hora-extra, etc.

Agradeço o modo respeitoso do comentário.

"Uma sociedade é livre na medida em que propicia o choque de opiniões e confronto de idéias. Desses choques e confrontos nasce a Justiça e a Verdade, garantido o progresso e auto-reforma dessa sociedade". Stuart Mill

Anônimo disse...

Achei muito produtivo o debate e respeito, com veemência, todas as opiniões e posturas, mesmo as radicais e de interesse particular. Penso que desmilitarizar nos prejudica como instituição. Particularmente, tenho 20 anos de serviço na Polícia Militar de Minas Gerais, passei pelas graduações de Soldado, Sargento, cadete e aspirante e, realmente, sou Oficial. Tenho carater profissional formado nos cursos que participei e me orgulho em pertencer e atuar numa Corporação como a que pertenço. Receio pelas transformações que ela possa sofrer em decorrência de interesses mundanos e pessoais de profissionais que quetionam os nossos pilares e o quarteto que mantém nosso conceito (lealdade, honestidade trabalho e disciplina). A formação militar é a base de formação de todas as polícias do mundo. Algumas, somente, não ostentam a nomeclatura "militar" mas a essência é militar (treinamento, regulamento, regimento e outros mecanismos de controle). Entro nessa discussão por jamais ter tido qualquer problema com o militarismo policial, assim como também vários bom militares (sejam Oficiais ou Praças) com quem atuei. E sim, fui expectador de desvios de conduta de militares que, sim, foram e são contra o militarismo e outras formas de controle e manutenção do bom carater e moral da tropa, com raras exceções. Jamais desejei criticar a opinião de alguém e se o fiz, me desculpem, somente desejei colaborar, emitindo minha opinião sem influenciar ou instigar ninguém. Obrigado

Anônimo disse...

Tinha que ser um OFICIAL!!! Estamos próximos de acabar com a farra das estrelas... Justiça, Paz, Lealdade.

Anônimo disse...

anônimo disse...
caro oficial desmilitarizar as policias estaduais é estremamente nesesario para nós PMs(OFICIAS E PRAÇAS)poi s assim sendo iremos ter uma policia cidadã de verdade com todos os direitos que um cidadaõ goza e naõ se preoculpe com a sua patente pois a desmilitarização naõ siguinifica dizer que perdera sua sestrelas é uma conquista sua, apenas dara ao policial direito de ser tratado com mais humanidade pelos seus superiores e gonvernantes.

Anônimo disse...

Sabemos que Hierarquia e Disciplina, é o que sustenta as bases da polícia militar, porém, muitos se tornam escravos deste sistema tão arcaico e obsoleto,onde "manda quem pode e obedece quem tem juízo". Falta uma coisa muito importante, que deveria ser incorporado aos pilares da instituição, como a valorização do ser humano em primeiro lugar, como pessoas que erram, que tem defeitos, sentimentos, orgulho pŕoprio, dentre outras coisas, que cada um tem em particular. Afinal de contas, somos humanos devido aos inúmeros defeitos que temos, e a grande capacidade de cometer erros, porque se não fosse assim, seríamos seres divinos.

José Ricardo disse...

Senhor oficial, a hierarquia (graduação de autoridade) e a disciplina (observância de preceitos ou normas) é inerente à qualquer instituição ou empresa, o que não quer dizer que sejam necessariamente os pilares, a base.

Se a empresa não atender bem ao cliente, se não prestar um serviço de qualidade, se os recursos logísticos e humanos não forem empregados com eficiência, com certeza ela estará fadada ao fracasso, mesmo que a hierarquia e a disciplina sejam cobradas com rigor. O foco da empresa não pode ser a submissão do funcionário, mas sim a satisfação do cliente e a eficiência.

Recentemente, foi feita uma pesquisa a pedido do Ministério da Justiça na qual 72,2% dos entrevistados reconheceram que há mais rigor com as questões internas - como exigir botas perfeitamente engraxadas - do que com fatores que afetam, de fato, a segurança pública. Na minha opinião, a pesquisa demonstra que o militarismo está desfocando o que de fato é importante.

Senhor oficial, é completamente falso, infundado, esse arqumento que o senhor usou de que quem defende a desmilitarização tem desvios de conduta. Não consta em minha ficha disciplinar nenhuma punição. Esse argumento do senhor é desarrazoado e distorce a realidade.

O enfoque não pode ser controlar, controlar, controlar... O enfoque deve ser a segurança pública, serviço de qualidade. E mais, o profissional precisa ser tratado como ser humano, e precisa ter direitos, do mesmo modo que os demais cidadãos. Já disse, mas repito, que pela legislação castrense não temos cidadania plena. Precisamos nos libertar dessas amarras. Precisamos de uma "Lei Áurea".

Senhor oficial, os policiais militares precisam e querem ser cidadãos. O caminho, a desmilitarização.

JORGE ROBERTO SANTOS disse...

OFICIAL, SE VOCÊ NÃO É FAVOR DA DESMILITARIZAÇÃO, ENTÃO POR QUE NÃO REVELA SEU NOME? VIU, ATÉ VOCÊ ESTÁ AMARRADO A UMA LEGISLAÇÃO MILITAR QUE LHE FAZ TEMER O DIREITO CONSTITUICIONAL DE LIBERDADE DE EXPRESSÃO. TALVEZ O TAL CONTROLE QUE VOCÊ TANTO FALA SEJA DE EXPRESSÃO DO PENSAMENTO, DE MUDANÇAS, DE EVOLUÇÃO...

Anônimo disse...

Ainda não revelou o seu nome? mostre sua cara... pois como o senhor mesmo defende, o militarismo é um mar de rosas... não aguento ouvir mais essas afirmativas que o militarismo é bom, o militarismo é isso, militarismo é aquilo, bla, bla, bla..... tudo conversa fiada. a verdade é que estamos em uma jaula, e logo nos libertaremos, deixando de sermos animais selvagens dominados pelos adestradores com seus chicotes, onde seremos realmente livres da covardia, da humilhação, do desprezo, da falta de dignidade, da falta de respeito com o ser humano... teremos assim condições de tratar o cidadão como realmente merece, ou seja, da mesma forma que somos tratados por nossos superiores, colocando em pratica tudo que aprendemos nos centros de formação. Só depende de nós. "Prefiro morrer de pé que viver ajoelhado" (Che)

Anônimo disse...

Lamento expressar-me e ferir o brio de muitos. Tentei somente colaborar e enrriquecer o debate. Minha posição é está e a favor de manter nossa Instituição imaculada e referencial para a Nação. Não temo perder qualquer posição ou direito, pois já estão garantidos (irredutibilidade desalários, patente e outros), temo nos transformarmos em algo que nos fará desvalorizar e perdermos nosso conceito e valor social, e até mesmo nossa função para "N" instituições que já competem com nossa missão e almejam nosso lugar (segurança privada por exemplo). Não possuo vaidades e jamais tive qualquer problema com relação a tratamento de subordinados. Pratico e recebo o companheirismo em minha Unidade e tenho a reciprocidade com minha tropa que não é pequena. Não vejo o cenário descrito pelos comentários em nossa Região, mencionando desrespeito, humilhação, atrito, competição e animosidade entre Praças e Oficiais. Tal relação, sim é prejudicial, arcaica e até mesmo irresponsável, nção colaborando em nada com nosso crescimento social e conquista de direitos. Não devemos nos agredir ou competir. Devemos nos unir e trabalharmos juntos com companheiros que somos, sem qualquer depreciação de qualquer lado. Acho que alguns perderam os sentimentos e desejos que os impulsionaram a prestar o concurso para ser apenas POLICIAL MILITAR, mormente de Minas Gerais. Vejo que a vocação para a carreira policial é um fundamento tão importante quanto o desejo de querer ser policial. Fui recentemente apresentado ao site por um outro Oficial e acho uma grande colaboração em conteúdo e informação para a comunidade policial. Parabéns ao gestor. É minha opinião e respeito muito à todas manifestações, mas, em que pese ser Oficial, sou um policial, amo minha profissão desde Soldado (onde um bom, tempo permaneci) e entendo que nossa Polícia está no caminho certo com nossos comandantes (a evolução e latente e evidente). Obrigado.

Anônimo disse...

FIM DA DITADURA INSTITUCIONAL VELADA! E FIM AO MILITARISMO! SE O MILITARISMO FOSSE ÓTIMO A PF, RECEITA FEDERAL, PRF, MPU, TJ, STF TERIAM O RCONT COMO REGULAMENTO! E AO AMIGOS DO MILITARISMO DECADENTE! VÃO PARA O INFERNO!! ABRAÇOS!

Anônimo disse...

Gostaria de manifestar-me sobre o assunto, pois infelizmente, alguns companheiros de farda tem a "síndrome da perseguição", pois acham que o simples fato de serem militares são prejudicados durante a carreira. Ora, vários desses que sofrem essa tal "síndrome" nunca sequer foram nem punidos, mas insistem em cultuar que o militarismo deve acabar. Para esses, o militarismo representa apenas prestar continência ou obediência aos seus superiores hierárquicos, mas esquecem que várias vantagens que possuímos hoje estão atreladas ao fato de sermos militares. Gostaria de que refletissem que se desmilitarizarem nossa PM, perderíamos muito, seríamos tratados como servidores comuns, perderíamos Instituto de Previdência próprio, assistência médica/odontológica própria, para nós e nossos dependentes, nossa aposentadoria passaria a ser regida pelas regras comuns, além de diversos outros prejuízos. Desmilitarizar as polícias é tudo o que os governos estaduais querem, pois a economia seria enorme para os cofres públicos e nós, combatentes do dia-a-dia cairíamos literalmente na "vala comum", aí fica a pergunta: você prefere prestar continência e manter todas essas vantagens ou virar um "paisano" e ter que enfrentar filas do IPSEMG com seu filho doente, além de todos esses prejuízos que listei? Cuidado com pessoas infiltradas que disseminam essa idéia apenas com propósitos pessoais, além do que várias pessoas que coadunam com essa idéia nem militares são, mas adorariam ser, e como não conseguiram alcançar seu sonho disseminam essa idéia de acabar conosco.
Outro exemplo: procure saber a quantidade de pessoas que estão interessadas em prestar o serviço militar nas Forças Armadas. São inumeras pessoas que tentam mas não conseguem. Procurem saber a relação candidato/vaga para os concursos na PMMG em qualquer dos níveis hierárquicos. É muita gente querendo entrar pra PM.
Quem nao quer ser militar é simples: dê baixa do serviço e arrume outra coisa pra fazer !!!

Anônimo disse...

Congratulo-me com o posicionemtno do companheiro. Antes de entrar para a Polícia Militar, almeja, deseja a qualquer custo, se submete ao rigoroso e justo processo de seleção que, pelo visto ainda não conseguiu 100% de eficácia. Reitero a quetão da vocação por entender que, não basta o desejo, vontade e motivação para ser Policial Militar, é imperioso que se tenha a vocação para tal. Julgar e desejar mudanças que não trará benefícios que se pensam que irá trazer não construirá uma instituição emlhor e terminará por penalizar a sociedade a quem se destina nossos serviços. Melhor alternativa aos insatisfeitos e, como bem manifestou o companheiro, com "síndrome de perseguição", optarem por outra carreira ou profissão por falta da verdadeira vocação. Os sintomas se mostram evidentes na presente matéria.

José Ricardo disse...

Senhor oficial, se o senhor não teme o militarismo, peço que se identifique. Mostre-nos que o senhor é de fato um cidadão e não teme ser punido por exercer sua liberdade de expressão. Sendo anônimo, você está querendo vender um carro da Volkswagem estando num da Fiat. Contraditório.

O senhor apresenta diversos argumentos, mas não prova nenhum. Faz afirmação sem fundamento, sem comprovação e não explica o porquê. Logo, seus argumentos não passam de falácias, sofismas.

Ora, no Brasil, o número de profissionais da segurança privada já supera o número de policiais militares. A segurança privada já está tomando nosso lugar há muito tempo. Por que será? Será que não estamos falhando em nossa missão?

Como o senhor mesmo disse, é preciso nos unir, mas não só praças e oficiais. É preciso unir as polícias. A sociedade não entende mais por que duas forças policiais no Estado. Na verdade, ninguém mais entende. É consenso que as polícias estaduais devem ser unificadas, a fim de dar eficiência ao serviço policial. Chega de retrabalho. O ciclo completo de polícia é essencial para a agilidade das investigações, para uma melhor prestação de serviço de segurança pública.

O que o senhor chama de evolução, eu chamo de adaptação à Constituição Federal, promulgada há mais de duas décadas. A adaptação está ocorrendo por força da lei máxima do país.

Toda instituição deve buscar o interesse público. O foco do sistema não pode ser o próprio sistema. E o interesse público exige o ciclo completo de polícia. É como a lenda da renovação do bico do águia. Com o passar do tempo, a instituição fica obsoleta. É preciso uma renovação. É hora de escolher se quer morrer ou reciclar. No caso da águia, ela começa a bater com o bico em uma parede até conseguir arrancá-lo. Após arrancá-lo, espera nascer um forte e renovado bico, com o qual irá depois arrancar todas as suas unhas. Quando as novas unhas começam a nascer, ela passa a arrancar então as velhas penas. E só após esses longos e dolorosos cinco meses é que ela sai para o famoso voo de renovação e para viver mais 30 anos.

A renovação muitas vezes é dolorosa e traz resistências, mas é necessária para não morrermos.

Senhor oficial, os policiais não se perderam, eles querem é ser policiais, e não militares. A vocação deve ser para policial, e não militar. É isso.

Para o anônimo que não se identificou (contraditório, defende o militarismo e não se identifica. Medo?), repito o que já disse: Muitas vezes, para dar dez passos para frente, é preciso dar um para trás.

Anônimo disse...

Caro mediador e autor do Blog, parabenizo-o, novamente, pelo trabalho, iniciativa, informação e colaboração legislativa disponível no blog. Recentemente tive contato com o Blog e, conforme já disse, apresentado por um outro Oficial. Com profundo respeito, aceito vossa posição a respeito do assunto. Entendo eu ser complexo e sensível pela importância que traz (promoção de mudanças profundas). Analisando a nossa Instituição, vejo muita evolução e seriedade e não consigo, impelido por vossa visão, vislumbrar tanta poda de direitos e desrespeito como mencionado pelos vários comentários. Identificar-me entendo desnecessário, pois traria para o lado pessoal discordâncias que podem ser manifestadas e transformadas em colaboração. Acho que não entendi mal, mas o Blog não tem fundamento profissional e construtivo? Minha opinião jamais foi imposta, somente expus meu ponto de vista e argumentos que entendo serem fundamentados pela experiência e vivência profissional particular este colaborador. Iniciei Há pouco minha colaboraão, mas se ofendo ou agrido qualquer outro participante ou o próprio mediador, peço desculpas pois não foi a intenção e a partir desta mensagem, não mais me manifestarei apesar de continuar, como já fazia, a visitar o Blog que possui valioso acervo legislativo e informativo. Mais uma vez me desculpe e obrigado pela oportunidade. Um fraterno abraço a todos (concordantes e discordantes) e sejam felizes em sua profissão que, repito é maravilhosa e muito importante à Sociedade. Obrigado.

Anônimo disse...

foi tarde.

José Ricardo disse...

Senhor oficial, creio que o senhor não esteja ofendendo ou agredindo ninguém, principalmente a mim. Estamos discutindo ideias. Se divergimos, é somente em nossos pontos de vista. Nunca levo essas discordâncias para o lado pessoal.

A questão é que o senhor não fundamenta suas opiniões, o que leva a conclusões falsas. Para se chegar a uma verdade, é preciso que as premissas sejam verdadeiras. É o chamado raciocínio dedutivo. Ou seja, é preciso provar. Exemplos:

- Todo vertebrado possui vértebras. Todos os cavalos são vertebrados. Logo, todos os cavalos têm vértebras.
- Todo metal conduz eletricidade. O mercúrio é um metal. Logo, o mercúrio conduz eletricidade.
- Todo homem é mortal. Sócrates é homem. Logo, Sócrates é mortal.


Darei exemplos de algumas afirmações do senhor sem base comprovatória:

"Não aceito mudança de conceito sob pena de nos transformarmos em um bando corrupto e libertino de agentes." - (A partir de quais premissas o senhor afirma que a desmilitarização irá nos transformar em um bando corrupto e libertino?)

"E sim, fui expectador de desvios de conduta de militares que, sim, foram e são contra o militarismo e outras formas de controle e manutenção do bom carater e moral da tropa, com raras exceções." (Todos os militares que são contra o militarismo possuem desvios de conduta? A partir de qual fato/dado/premissa verdadeira o senhor prova essa afirmação?

Senhor oficial, sua contribuição é importante. Acontece que vou até o fim para defender meu ponto de vista e não aceito que sofismas sejam transformados em realidade. Só isso, nada de pessoal, de ofensas, de ferir o brio...

Se eu conhecesse o senhor, poderíamos rir juntos desse nosso debate. Para mim, essa nossa divergência de opinião em nada afetaria nossa amizade, caso fóssemos amigos. Afinal, opinião cada um tem a sua.

O blog estará sempre aberto para o senhor expressar seu ponto de vista. Se bem fundamentado, melhor ainda.

Anônimo disse...

Sou contra a desmilitarização das policias militares. Estava lendo alguns comentários acima e algum nobre companheiro, escreveu que dentro dos quartéis é tratado como um bicho e depois tem que tratar bem o cidadão na rua.Pois é, o fato de um superior hierárquico tratar alguém mal isso não dá o direito para nós policiais tratarem mal o cidadão de bem....o problema não está no fato de ser ou não militar..... pois se desmilitarizar as pms, ficaram os policiais com os seus vícios, com suas arrogâncias o que deve ser realizado é um trabalho doutrinário para mudar o pensamento dos integrantes das pms .Superior é superior hierárquico, mas é um ser humano como os outros, apenas nessa empresa tem um cargo superior...os pms devem sim ter respeito e obediência aos regulamentos mas o que cada um pensa, os princípios que cada um tem deve também pesar nas tomadas de decisões...

Anônimo disse...

Entendo que o tema de desmilitarização pode trazer importante crescimento a (s) PM (s), sem dúvida a condição de subcidadãos é uma realidade tanto na formação do policial militar quanto na operacionalidade do militar formado. No entanto, a desmilitarização pode não ser a solução definitiva. Como postado anteriormente a PM desde a CF/ 88 já passou por diversas “adequações”, e na minha opinião perderíamos menos com mais adequações, em vez do desmilitarismo total; embora não seja a realidade, acho que pode-se alcançar tratamento humano para todos os níveis de hierarquia e exercício pleno de todos os direitos constitucionais dentro da instituição como militar.

Anônimo disse...

HEBERT CB PMMG
Podem até desmilitarizar mas o processo deve ser lento e gradtivo.
Nós policiais militares somos a Força publica do estado e nossa atual geração esta pagando pela ditadura militar"carregamos o estigma de sermos militares.
Sou a favor de uma mudança gradativa e o primeiro passo a PM de Minas já deu EXTINGUIU O RDPM.
Agora acho que todo regulamento e regulamentação seja disciplinar ou não deve passar por uma comissão de justiça para estudos comprobatórios se é ou não Constitucional.
Tudo deveria submeter-se a Constituição Federal do Brasil.
Assim o art.5º que trata da dignidade da pessoa humana seria mais observado e cumprido dentro dos quartéis.
Saudações milicianas a todos irmãos de ideais.
Hebert CBPM PMMG

José Ricardo disse...

Convidaria todos que chegaram até aqui a acessarem os links abaixo e lerem a reportagem da revista época.

* Nossos policiais estão sofrendo

* Tortura, assédio moral, corrupção: é o que mostra a maior pesquisa já feita nas polícias do país

Trechos:

"E qual é a razão desse tipo de “treinamento”? “Eles tratam o policial como um animal, dizem que o PM tem de ser um animal adestrado. Depois, soltam esse animal em cima da sociedade”, diz."

"Se o diagnóstico feito pelos próprios agentes é confiável, a situação que eles vivem é desalentadora: um em cada três policiais afirma que não entraria para a polícia caso pudesse voltar no tempo. Para muitos deles, a vida de policial traz mais lembranças ruins do que histórias de glória e heroísmo."

"Em Manaus, um oficial que prefere não se identificar conta que foi impedido de sair do serviço no Dia das Mães. “Eu estava saindo e me perguntaram se eu tinha servido água no jarro do instrutor. Eu tinha esquecido”, diz. “Eles me fizeram passar o dia enchendo um bebedouro de 300 litros com uma tigela onde só cabiam 300 mililitros”, afirma o PM, que publicou num blog imagens de alunos fazendo flexões com a cara virada para um meio-fio imundo."

"A pesquisa que mostra velhos vícios também revela o desejo de mudança e derruba velhos mitos, como o de que há uma resistência grande dos agentes à unificação das polícias. Apenas 20,2% dos policiais se declararam a favor da manutenção do modelo atual, que mantém PM e Polícia Civil separadas, uma atuando no patrulhamento, outra na investigação. Para 34,4% dos policiais ouvidos, o ideal seria a unificação das duas forças, formando apenas uma só polícia civil, dita 'de ciclo completo' – ou seja, encarregada de patrulhar, atuar em conflitos e também de investigar os crimes."

" 'O resultado mostra que há uma disparidade enorme entre o que dizem os comandos, algumas associações de policiais, os governos e o que quer a massa dos policiais. Os policiais querem a unificação. Se ficarmos ouvindo apenas as lideranças, estaremos manipulados por alguns grupos e lobbies que querem manter o estado atual porque se beneficiam dele', diz o ex-secretário nacional de Segurança Luiz Eduardo Soares, coautor do estudo e também de livros como Elite da tropa e Espírito Santo."

"Uma situação que Ribeiro define muito bem: 'A polícia hoje está doente e coloca a sociedade em risco. Esse modelo já demonstrou que não dá ao cidadão a resposta adequada, e a prova disso está nas ruas todos os dias. É preciso fazer alguma coisa já'."

Jeferson Santos disse...

O que dizem os oficiais a respeito da desmilitarização? A mesma coisa que diziam os senhores de escravos sobre a abolição. Que é necessário controlar. Que esse é o único meio de controlar. Alardam revoltas, indisciplinas, e casos onde o militarismo é a única resposta. E quando a revolta é fruto do militarismo? E quando a indisciplina é a voz de um ser humano que não consegue conter dentro de si o asco que tem diante das injustiças?

Sabe qual foi a justificativa dos oficiais da Marinha sobre o uso da chibata que culminou com o episódio “revolta da chibata”? Que a chibata era o único meio de controle e disciplina viável para as coisas funcionarem.

Talvez se nós mudássemos a condição de narrativa discreta sobre o que ocorre dentro de nossas instituições, como um folclore maldito, que ensina como um mito grego verdades mentirosas, que perpetuam a viabilidade da injustiça, talvez se narrássemos e dermos voz aos absurdos, os homens bem vestidos, cheirosos, respeitosos, que entregam relatórios que desacreditam na viabilidade da desmilitarização fossem questionados, a voz, que neste momento é considerada insurgente, seria ouvida.

Anônimo disse...

Boa tarde, senhores!

Não sou e nem estou Oficial, mas gostaria de deixar minha modesta reflexão, e sei que é muito modesta mesmo, sobre esse complexo assunto.

Com relação ao Oficial que é a favor da permanência do militarismo nas IMES, não é de bom alvitre respeitá-lo em seu pensamento? Assim não é feito com relação as praças que pensam diferente?

Olha, José Ricardo, alguém acima disse algo sobre "Sindrome de Perseguição". Ele falou demais?
Então vejamos: se o Sgt é correto, se quer conduzir o serviço conforme a norma ele é taxado de "lixo", e... "perseguidor"... Resultado? Ninguém quer mais trabalhar com ele pois a Rádio Peão se fez ouvir.

Ah, e o Oficial? Bem, se ele for correto, se quer conduzir o serviço conforme a norma ele é chamado de "lixão", "perseguidor" e "Gato Afir Yole"...

Alguém tem dúvida de que nos falta mais profissionalismo para sabermos separar o pessoal do profissional?

Será que se nós perdemos o status de militar, quem nos garante que não cairemos na "vala comum" da Previdência Geral? Será que continuaremos recebendo na inatividade o mesmo valor que recebíamos na ativa?

Senhores, vejam pelo lado positivo. Já imaginou que a continência é boa? Explico: se você não combina com o policial A ou B, e se eles forem seus superiores, você nem precisa conversar com eles, basta apenas fazer a devida e sair de perto...

Assim como precisamos de argumentos para justificar a desmilitarização também carecemos deles para sustentar a permanência do militarismo nas IMES. Muita coisa mudou na nossa gloriosa PMMG e muita coisa ainda existe para mudar - para melhor, é claro.

Como havia dito acima, essa foi uma reflexão modesta, apenas uma idéia para que nós reflitamos ainda mais um pouco sobre esse assunto.

Abraços,

Brothervip

José Ricardo disse...

Brothervip ou seja lá como você se chama, respeito sua opinião, mas o seu discurso é o mesmo de sempre.

Sobre a vala comum da previdência, não vou ficar a todo momento repetindo o que já disse na postagem. Se ficarmos atrelados somente a isso, nunca iremos avançar.

Os partidários do militarismo sempre focam a disciplina e o controle. Se você ler a postagem, verá que pouco se fala sobre isso, até porque a disciplina e a hierarquia existem em qualquer instituição, pública ou privada. Dar enfoque apenas nesses "pilares" é pensar muito pequeno.

Se as coisas mudaram, foi porque houve luta, foi porque um cabo morreu, foi porque muitos foram expulsos, foi porque os praças lutaram para acabar com o RDPM, foi porque o governo está preocupado com resultados... Nada veio de graça, não houve nenhuma bondade nessa história.

Repito que respeito todas as opiniões, mas vou defender o meu ponto de vista até o fim.

gomez disse...

é interessante o tema desmilitarização para as policias militares.polêmico não deixa de ser para aqueles que defendem a atual forma de policia,pois eles pensam iguais aos seus antecessores centenários.desmilitarizar é atual e irreversivel.um regulamento que trata profissionais como especiais e não lhes dão o "bonus" de especial é no minimo contraditório. o militarismo é muito importante para quem serve ao estado sentado a mesa dos governantes,banqueteando-se com suas delicias.a pesquisa feita com os policiais de todo brasil,mais de sessenta mil entrevistados que não sentam em mesa alguma,muitos deles nem na prória mesa.pois tem de se virar no balcão da padaria próxima da ronda.essa forma de policia abandonou o homem policial,sozinho sem escolhas,no "front" inimigo,e isso,a mais de século,isso mesmo;já que muitas das nossas policias militares tem mais de 180 anos. que militarismo vergonhoso que não cuidou dos seus, como cuidaria dos outros.olhando para o retrovisor da história das pms,verdadeiramente somos servidores especiais;sem direitos,sem voz,sem salários,sem auto-estima,sem salários dignos,sem moradias.queria substituir aqui a preposição sem,pelo á preposição com,mas com a atual forma de policia só seria possivel assim;com vergonha,com fome,com medo,com dividas.talvez dai tenha surgido a palavra COMandado,aquele que está debaixo de COMando;é por isso,e por "unas coisitas" mais, que chegou a hora do DEScomando militar nas pms brasileira.termino por aqui sem nenhum ressentimento,pois ainda sou um militar de direito,mas não tenho a convicção do fato,por isso,vai a frase do celébre Gandhi,quando aprisionado pelos colonialistas ingleses:" aprisiona-se um homem,mas não os seus ideais". até outro comando.

Anônimo disse...

Caro José Ricardo,

"(..)Se ficarmos atrelados somente a isso, nunca iremos avançar". Tratar a nossa previdência como "somente isso" é não considerar a dimenão do que isso representa. Com militarismo ou sem ele, a nossa previdência é uma conquista também e, é claro, é algo que se deve considerar.

"Os partidários do militarismo sempre focam a disciplina e o controle". É verdade, eles vislumbram isso mesmo. Concordo que nesse quesito não há coerência neles. Alguém já disse que hierarquia e disciplina existe até no Céu, e olha que lá não tem Coronel...

"Se as coisas mudaram, foi porque houve luta (...)". Óbvio que houve e sempre haverá luta quando se pretende mudar algo. Nenhuma luta por mudança é tranquila. Ninguém desconsiderou o esforço que resultou no derramamento de sangue e expulsão dos nossos companheiros. Não é esse o debate.

O que quero dizer, isso sim, é que mesmo no militarismo temos algumas coisas boas que foram conquistadas a duras penas e que não podemos deixar escapar das nossas mãos.

No mais, respeito sua opnião e as dos demais companheiros. Acredito que com essa consideração e respeito é que podemos avançar ainda mais em busca de um futuro melhor para nós que estamos no mesmo barco.

Abraços,

Brothervip

José Ricardo disse...

Brothervip, muitas vezes, para dar dez passos para frente, é preciso dar um para trás. Até quando acabou a escravidão os escravos perderam alguma coisa, como o abrigo (senzala), a comida, etc. A vida é assim, feita de escolhas.

Um promotor, em início de carreira, quanha cerca de R$ 20.000,00, ao passo que o salário base de um Coronel da PMMG não chega a R$ 7.000,00. O salário de um policial rodoviário federal em início de carreira é de R$ 5.815,2, enquanto o salário base de um soldado da PMMG não chega a R$ 2.000,00. Com essa diferença, dá para pagar várias e várias vezes o melhor plano de saúde do país.

Dessa forma, reafirmo que, se ficarmos atrelados somente a isso (previdência), nunca iremos avançar. Continuaremos pensando pequeno.

Respeito todas as opiniões, mas vou defender o meu ponto de vista até o fim.

Anônimo disse...

Caro José Ricardo,

Não imagino ninguém que quer progredir tendo que dar um passo para trás. Mas tudo bem, é seu modo de ver as coisas.

Será que os escravos perderam alguma coisa? Deixar de morar em Senzala foi perda ou ganho? É lógico que foi ganho. Ganhou-se a liberdade!!!

É verdade, companheiro, ganhamos muito pouco. Quem dera que ganhássemos igual a alguns órgãos que você mesmo citou. Mas a verdade é que, pelo menos por ora, não ganhamos.

Ou você não entedeu ou não me fiz entender. Concordo que o Militarismo não faz bem nenhum ao serviço que prestamos. Com ele ou sem ele o serviço irá ser prestado da mesma forma, e o cidadão não quer saber se quem o atendeu é um policial militar ou não.

Repito: temos algumas coisas boas. Elas não podem ser esquecidas. Imagine ir para a reserva ou aposentaria percebendo o que ganham os trabalhadores do INSS. Incide sobre seus rendimentos um certo Fator Previdenciário que NÃO os deixa receber na inatividade o que ganhavam na ativa. E a cada ano seus rendimentos se achatam.

Se mudarmos para um modelo de Polícia que não seja militarizada, que então seja. Eu também desejo isso. Mas alguns dos nossos avanços não podem ser esquecidos. Cito a questão da Previdência porque me ocorre isso no momento. Isso, meu caro, não é pensar pequeno é pensar grande.

Abraços,

Brothervip

Anônimo disse...

Caro José Ricardo,

Antes que me esqueça, quero parabenizá-lo pelo blog.
É importante um espaço assim para podermos trocar ideias sobre diferentes temas. Temas que muitas vezes refletem a nossa própria diversidade sobre um assunto em particular.

Se me permite, gostaria de sugerir um assunto para uma futura pauta: Perturbaçao do trabalho/Sossego Alheio.

Abraços e vida longa ao blog,

Brothervip

José Ricardo disse...

Pois é Brothervip, os escravos ganharam a liberdade. Qual o preço da liberdade, de ser como os demais cidadãos livres, de ter cidadania plena? Se eles tivessem pensado: E agora, iremos dormir no relento, e agora, temos que esperar uma safra inteira para termos nossos próprios alimentos, e agora...

A vida é como um jogo. Exige escolhas. Imagine um jogo de damas. Muitas vezes, para vencer, é preciso perder algumas pedras. Na verdade, acho impossível ganhar um jogo de damas sem perder nenhuma pedra.

Gostaria que a desmilitarização não acabasse com a paridade entre ativos e inativos. Claro que gostaria. Mas a vida é um jogo, é preciso movimentar as peças, fazer o lances e esperar a jogada do adversário. Não sei o que pode acontecer. Como disse na postagem, com poucas palavras é possível persuadir a sociedade e os governantes de que os policiais necessitam de um tratamento diferenciado, sobretudo nos sistemas de saúde e previdenciário, em vista da carga de estresse da profissão, dos riscos de morte, invalidez, lesão corporal, degeneração do estado de saúde mental, de contágio por doenças, assim como das responsabilidades civis, administrativas e penais inerentes à atividade policial.

Entre o sistema previdenciário e ser um cidadão pleno, prefiro a última opção. Com direito à greve e à sindicalização, teremos muito mais força para brigar pelos nossos direitos, para exigir melhores condições de trabalho e salário condizente com a complexidade da profissão.

Sobre o assunto sugerido, será estudado.

Grande abraço.

Anônimo disse...

SOU MILITAR, POSSO FALAR SOBRE O ASSUNTO, COM BASTANTE PRECISÃO, NÃO SERIA NESCESSARIO UM REGULAMENTO POS GUERRA, PARA SER FIEL AOS DEVERES DENTRO DA AREA PROFISSIONAL, EM ACATAR ORDENS DE SUPERIORES, QUANDO O RESPEITO MAIOR ESTAR EM ATENDER A SOCIEDADE EM SI! A REALIDADE DO ''MILITARISSIMO'' É OUTRA, OBDC O TOPO DA PIRÂMEDE,UMA MINORIA, QUE TEM SUAS REGALIAS INTOCAVEIS.(...). UM PAÍS COMO O BRASIL, NÃO PRECISA DE MILITARISMO, A PRÓPRIA HISTORIA JÁ NOS ENSINA ISTO. PRECISAMOS SIM, É DE UMA POLICIA MODERNA, DENTRE TANTAS CÓISAS,IGUALDADE COM RESPEITO, AO TRABALHADOR DE CARGO MAIS SIMPLES, PORÉM ÚTIL, AOS PATAMARES MAIORES, NEM TANTO ÚTIL...

Anônimo disse...

Quero aqui expressar minha opinião, respeitando desde todas que aqui estão postadas.Sou a favor sim da desmilitarização da polícia porque não vejo resultados favoráveis nesse sistema que aí está, veja bem, a revista época publicou recente uma pesquisa feita sobre a instituição polícia militar e vemos que tem dados alarmante sobre a saúde de nossos policiais entre outros. Chamo a atenção de que por trás de uma farda acima de tudo e de todos existe um ser humano, uma pessoa igual aos demais trabalhadores desse país, uma pessoa que não tem só deveres a cumprir mas tem direitos, direitos esses que lhes são negados como por exemplo direito a adicional noturno, risco de vida, insalubridade, greve, sindicalização, entre outros, então como que estamos vivendo em um país democrático e que parte de seus trabalhadores são regidos por um sistema árcaico, pra não dizer ultrapassado e que a história mostra coisas inaceitáveis como por exemplo até certo tempo atrás o praça não tinha o direito de estudar e que aqueles que insistiam eram perseguidos, temos visto que a ideologia e sim senhor, não senhor ou de-me a baixa!vemos que na PM existe uma disparidade enorme entre oficiais e praças vou aqui citar só um exemplo, um oficial quando entra na PM tem toda um pespectiva de crescer, ou seja, tem suas promoções em dia, enquanto que o praça na maioria dos estados da federação entram na PM não tem se quer esperança de ser um cabo a sua grande maioria termina sua carreira como um soldado que por sua vez cheios de doênças físicas e psicológicas se alguém duvidar é só fazer uma pesquisa e todos vão ver que iso é só uma das enúmeras diferênças existentes entre a polícia dos oficiais e a polícia dos praças.Então como queremos caminhar em país que vem a cada dia lutando pra uma qualidade de vida melhor para seus trabalhadores, vem qualificando os seus profissionais enquanto que na PM que pensa muitas das vezes é taxado, é punido, é persseguido, é humilhado, será que as legislações vigentes é só para alguns e outros não? outro exemplo claro é a maneira de punir veja só, um cidadão comum que comete um crime(homicídio)e ele é preso pela polícia, em seguida é ouvido pelo delegado e depois vai para o banco dos réus e lá está o promotor de justiça o defenssor ou advogado e juíz para dá a sentença final pois bem, tem toda um hierárquia de julgamento, enquanto que na PM o mesmo que acusa é o que julga e dá a sentença, porque esse modelo de julgamento?vamos párar e refletir nós enquantos seres penssantes temos que seguir rumo as melhorias ou darmos um passo atrás porque temos medo de enfrentarmos o futuro? DESMILITARIZAÇÃO JÁ! IGUALDADE PARA TODOS POIS NÃO EXISTE DOIS BRASIL, DUAS CONSTITUIÇÃO, DOIS POVOS, EXISTE SIM TRABALHADORES CUMPRIDORE DE SEUS DEVERES E QUE SÓ QUEREM TER ASSISTIDO OS SEUS DIREITOS, SOMOS CIDADÃOS INTELIGENTES!

Ana disse...

Parabens!!!!
Foi a melhor postagem q já li a respeito da desmilitarização da PM.
Não pude ler os comentários dos colegas, depois eu volto pra ler e comentar. pq hj to correndo. Mas nao pude passar sem um elogio.

Anônimo disse...

A PC é uma "polícia civil" desuniformizada. O q ele faz melhor? O q ela tem melhor que as PMs? Resposta: NADA!!! Viraremos uma polícia civil desmilitarizada...

Policial da Guarda disse...

Pra mim a PM nunca deveria ter saído dos quartéis. A Guarda Civil Metropolitana é a saída para a crise existente. Ela é o modelo de polícia a ser seguido pelos militares. A segurança pública é exercida no município, logo é dever da Guarda atuar pois ela é municipal e está preparada para mostrar o porquê de ele está aqui. As ruas e a vida das pessoas são um bem maior, mais do que os bens municipais. Cabe a PM ser chamada apenas em caso específicos e de conflitos de choque. A polícia Civil, a PF, a PRF e a Polícia Municipal são instituições civis e mais próximas da sociedade. Ninguém gosta da PM na segurança pública, já que ela é truculenta e despreparada para lidar com o povo humilde. Polícia é para todos e não para alguns. Será aprovada em breve a PEC 534/02 e seremos elevados a políciais municipais. Estamos aqui pra somar...

Anônimo disse...

vc é um cómedia, dizer que só o militarismo, evita a corupção, certamente vossa exelencia deve se lembrar dos 20 anos de ditadura militar em nosso , onde vossa exelencia estava esta época, onde havia corupção e os orgão de impresa não podiam publicar e nem informar a sociedade, realmente vossa exelencia é uma comédia..............

Anônimo disse...

tabem sou a favor da guarda municipal mostrar que tem seu valor. Guarda armada nas ruas já...

Anônimo disse...

Ao anônimo das 10h14,

Amigo, você diz o seguinte: "... sou a favor da Guarda Municipal mostrar que tem seu valor". Não sou GM e sei muito bem que eles têm grande valor com armas ou sem elas. É claro que se trabalhassem com armas de fogo - a exemplo de alguns estados - isso lhes auxiliariam muito em seu ofício.

Até mais,
Veterano

Anônimo disse...

Acho que deveriamos todos dar baixa e entrar pra Policia Civil. Vamos lá, todo mundo pra P1 assinar a baixa!!!! Eu sou o primeiro da fila!!! Quero ir pro IPSENG!! Podem desativar o Hospital Militar!!! Melhor ainda, vamos pro SUS! Acho que trabalhar de PA até os 50 anos de idade eh muito pouco!!!

Anônimo disse...

e pra quem gosta de constituição... acho que tem um artigo lah que eh previsto a PM. Mas eu ACHO, nem deve ter... tem um lah que preve a PRF e PC tb, quem n gostar... querendo ou n a PM eh um dos concursos hj mais faceis de passar, principalmente depois de 2005. Ae entra um monte de gente querendo mudar muitos anos de tradicao depois que leu apenas uns dois textos. Vamu pensar minha gente, vamu pensar!!! Tem coisa ruim na PM mas tem muita coisa boa... parem de reclamar!

Anônimo disse...

coros colegas militares,observei o descontentamento com a instituicao vejo que esta nade mais e que uma empresa falida que tenta a todo custo se mostrar competente,a visao democratica se resume em circulo militar oficial,em qualque que seja a empresa o faxineiro nao entra como diretor diferente do militar que 1 dia de academia determina ordens ao sub de 30 anos de profissao deixo a reflexao e correto,nao estou que queixando mas seja justo com o homen

Anônimo disse...

sou militar com orgulho, quem não aguentar pede baixa

Anônimo disse...

Sempre vai haver discussão pois os comandantes são a favor do militarismo porque não querem perder sua autoridade de poder fazer o que quiser com a vida do praça! e os praças são contra porque são tratados como aninais por esses individuos, muitas vezes esses oficiais morrem de medo de bandidos e nunca teriam coragem de tratar um ladrão com a mesma forma que trata um soldado!
E eu sou praça, então quero que os comandantes se F....!

Anônimo disse...

Amigos, a GCM é a saída pra situação existente. Onde há guarda civil a criminalidade reduziu drasticamentee as PMs o que fizeram? Aumentaram os contigentes militares onde havia guardas atuantes. Pra quê? Pra combater o poder de polícia que as guardas estavam atuando. Militar é pra guera. Sou totalmente a favor de as GCMs voltarem ao patrulhamento das ruas de onde nunca deveriam ter saído, pois sem ela a PM não faria nem a mentade... kkkk

Anônimo disse...

Concordo com o anônimo das 10h48min!

Quem não quiser ficar - com todo respeito digo isso -, ou não aguentar, tem a liberdade de ir pra uma outra colocação que seja lhe pareça melhor... Aqui (na PMMG), estamos por espontaneidade e não por coação.

Anônimo disse...

Embora avançada em alguns pontos, entre eles o da cidadania, a carta constitucional de outubro de 1988, retrocedeu no item segurança pública, pois ainda persiste em manter a vinculação das instituições policiais dentro do reservado à " Defesa do Estado e das Instituições Democráticas ", mesmo título onde estão inseridos o Estado de Defesa, o Estado de Sítio e as Forças Armadas. Observa-se que os constituintes vinculam as forças policiais a primazia da defesa do Estado, como sempre ocorreu, dedicando adjetivamente uma função policial a tais órgãos encarregados da segurança pública. Contreiras (1998 : 54-55) faz importantes observações sobre esse período, assinalando entre outros fatos , o "lobby" que se formou quando do debate constituinte a respeito do lugar da polícia na ordem constitucional:
" O coronel Sebastião Ferreira Chaves foi ao congresso em 1988 e tentou convencer alguns parlamentares a mudar o sistema policial dos Estados. Sua maior frustação foi causada pela reação do Deputado Ulysses Guimarães. APRESENTEI MEU PROJETO AO DEPUTADO, MAS ELE DISSE QUE JÁ NÃO PODIA MUDAR NADA PORQUE TINHA UM COMPROMISSO COM O GENERAL LEONIDAS PIRES GONÇALVES, Ministro do Exército do governo Sarney".
O modelo brasileiro é contraditório e contraproducente, pois diverve da visão moderna de polícia ao nível mundial, ao inverter o sentido da função civil da segurança pública, engessando a estrutura e ainda o lado comportamental dos integrantes das polícias militares,que a bem da verdade são militares e não policiais, como a destinação constitucional da polícia faz supor.

Anônimo disse...

Em primeiro lugar os guardas municipais são reféns de vereadores e prefeitos, andam sob ordens deles, há um tempo atrás um guarda municipal multou uma parente de um vereador e na outra semana ele foi escalado por retalhação para trabalhar de guarda em um cemitério das 19:00 hs às 07:00 da manhã. A Guarda Municipal ou até mesmo a Polícia Civil quando se mete em encrenca e se vê acuada, de imediato pedem socorro a Polícia Militar. Infelizmente ou felizmente a Polícia Militar é um braço forte do Estado; até o seu curso de formação é mais exigente do que qualquer outra Polícia; a susentação dela é a hierarquia e disciplina. A melhor tropa de confronto em conflito de favelas no Brasil é o Bope que é da Polícia Militar do Rio de Janeiro; porque ela exige de seus homens a hierarquia e disciplina, pois se ela não for militarizada ninguém irá querer cumprir ordens, esse negocio de vestir camisa de operações especiais e por arma na cintura e sair pra rua pagando de bichão não esta com nada, o que manda e ter treinamento constante e aparecer quando for o momento. Não basta querer aparecer; basta ser bom; em muitas Delegacias de Policia, Detetives não cumpre ordem de Delegados e fazem o que querem. Policia Militar, ousadia de muitos e vitória de poucos. Sou um praça da Polícia Militar com muito orgulho, se algum policial militar quer a desmitarização da PM que peça baixa, pois a Polícia Militar não é uma casa de mãe joana, que todo mundo manda e ninguém que obedecer ordem e cumprir tarefas.Para uma instituição ou até mesmo uma empresa se prosperar ela tem que ter comando e hierarquia para que alguém obedeça ordem, pois se não no futuro essa instituição sem rumo fale. A Polícia Militar é que mantém a ordem pública, pois qualquer quebra do sossêgo e vandalismo seja até mesmo por outras instituição estadual é a tropa de choque da Políca Militar que é acionada para restabelecer a ordem e por moral, nos baderneiros; em qualquer cidade do Brazil ou até mesmo um distrit, tem representante da Polícia Militar. Um forte abraço a todos....

Anônimo disse...

Caro amigo concordo com você plenamente, é a unica instituição que atende a população é o 190 da Polícia Militar e o 193 do Bombeiro Militar que, estão pronto para qualquer ação 24 horas, seja ela em calamidades ou até mesmo em shows artisticos com grande aglomeração de pessoas, se algum integrante da Polícia Militar quer a desmilitarização que peça baixa e vai para uma instituição polícial que não é militarizada, pois as Policias militares do Brasil é uma instuição bicentenária, que é respeitada e nunca coaduana com qualquer ato delituoso de seus integrantes, pois quando há desvio de conduta por parte de seus integrantes ele apura e se comprovar a irregularidade ela puni e exclui dos quadro da corporação.Por isso sou contra a desmilitarização.

Anônimo disse...

ALO PESSOAL MUITA ATENÇÃO, VOCES SABIAM QUE SE ESTIVER ACIMAUM MILHAO DE ASSINATURAS E LEVADAS AO PODERES LEGISLATIVO A REIVINDICAÇÃO PODE SE TORNAR LEI. LUTE PELOS SEUS DIREITOS. ESTÃO QUERENDO CONTROLAREM A VIDA DE VOCES E NO CASO DO SR QUE CITOU ACIMA PEDE BAIXA SE NÃO ESTIVER SATISFEITO, ELE É O DONO DA INSTITUIÇÃO? ESTAMOS NO ESTADO DEMOCRATICO DE DIREITO.

Anônimo disse...

Todos nós policiais militares conhecemos a regra do jogo infelismente ou felismente a policia é miltar e não civil, se algum integrante que está na PM e é a favor da desmilitarização, entrou na polícia errada, pois é muito fácil resolver essa questão preste concurso para policia civil, e seja feliz; estamos vivendo num pais democrático ninguém é obrigado a ficar em um emprego forçado; tem muito cidadão passando fome no Brasil por falta de emprego e as vezes trabalhando em serviço pesado e desumano porquê não tem outro meio para sobreviver, antes de reclamar devemos olhar para trás. Para mim; um curso de formação polícial deveria ser no minimo 24 meses ou seja 2 anos de formação e carreira unica todos deveriam começar pelo primeiro posto,e trabalhar na rua, os homens das polícias seja civil militar ou federal deveriam receberem treinamentos constantementes, seja ele de tiro prático e defesa pessoal,educação física pesada, treinamento de rapel, paraquedista e aulas de legislação jurídica direitos humanos e primeiros socorros;infelismente no Brasil só tem duas polícias forte para o combate; é o Bope da Polícia Militar do Rio de Janeiro e o Core da Polícia Civil do Rio de Janeiro, pois estas instituições apesar de ganharem um péssimo salário são a que mais arriscam a vida no Brasil, e seus homens são mais bem treinados. O resto das policias de outros estados precisam fazerem estágio nas favelas do Rio de janeiro, para aprenderem o que é ser polícia de verdade, para ser um policial bom de verdade ele precisa de muito treinamento constantemente principalmente no vigor físico e na utilização de armamento e defesa pessoal; seje ele um policial civil ou policial militar. basta querer ter ousadia e técnica para ser bom realmente e exigir melhores salário. Antes das instituições policiais exigirem curso superior para o cidadão entrar na instituição deveria primeiro aumentar o tempo de duração do curso para 24 meses no minimo seja ele de delegado ou detetive, soldado da PM é policial federal.Só para se ter uma ideia um curso de investigador ou seja detetive nunca poderia ser menos de 24 meses muito menos o de um soldado da pm, um curso de delegado e períto a mesma coisa curso com duração de 2 anos na academia e fazendo estágio e plantão em delegacias da capitais. Em fim o governo federal deveria assumir as policias estaduais. pagar um salário digno para o polícial e com isso trânsferir e fazer remanejamento dos policiais para outros estados do Brasil, ou seja como é feito com os militares da forças armadas, e por delegado e oficiais para atuarem na linha de frente junto com praças e detetives, pois com isso a segurança pública no Brasil iria dar um avanço muito grande no combate à criminalidade e a população iria ter mais segurança; com isso iria acabar com aqueles policiais que só querem ficar escondido no interior criando barriga, despreparado e conivente com a criminalidade;se quer ser um policial de verdade não basta ser civil ou militar; basta ser bom.....

Anônimo disse...

essa babozeira de militarismo para a policia militar já esta fora de epoca,porque todas as ocorrências atentidas pela mesma estão envolvidas com cidadãos civis,e vamos respeitar a mentalidade de alguns comandantes,que nada tem a oferecer aos seus subordinados.

Anônimo disse...

se falando em hieraquia e disciplina.
disciplina é o respeito que as pessoas oferecem as outras é colocar a etica profissional em ação é respeitar o direito dos outros sem menospreza-los é ter educação e dicernimento para com outros,infelizmente isso não aprendemos no militarismo.
hierarquia seria o respeito que a coorporação teria com seus subordinados,mas isso não acontece,porque o profissional não tem seus direitos respeitado usa-se o R-QUERO porisso que os policiais de vergonha estão insatisfeito,chega de tanta demagogia ,militarismo só presta para o auto-escalão que nada faz,se eles estivessem na rua todos os dias junto com seus subordinados trocando tiros ,perdendo as noites, levando pedradas ,sendo xingados de todos os nomes, humilhados por uma sociedade que não entende o belissimo trabalho feito por homes que trocam suas vidas sem pensar e nem medir as conseguencias para propocionar a paz para todos.

GOMEZ disse...

o comentarista acima,que deseja que o curso para o policial militar seja no minimo de dois anos,ou ele é um oficial ou um maluco mesmo.perguntem a qualquer pm o que se faz no curso de soldado durante 12 meses; RALAÇÃO.coisa de recruta sonhador das forças armadas.aulas de legislação os nossos instrutores são os mais preparados,voçês precisam vêr eles quando são escalados,tem é mesmo medo das ocorrências.uma das melhores tropa do mundo são os fuzileiros navais,lá o curso é de 120 dias e esta formado um fn a elite das forças armadas brasileira.militarismo é tão bom que até quem está debaixo do jugo se sente dono,vê esses ai mandando quem não gosta dá baixa.o outro de pm de minas gerais está na melhor policia do mundo,duvido muito que o tal comentarista seja um praça. para refletir:porque dois jovens sonhadores e que tem os mesmos sonhos entram na mesma corporação,só que um vai para o CFO e o outro para o CFSD.o mais MILITAR vai ter suas promoções sem nenhum atropelo ele tem a certeza de que chegará ao mais alto posto,com todas as regalias;pra não dizer injustiça que o MILITARISMO lhe confere.já o outro sonhador desafurtunado segue sua trajetoria lutando contra tudo e todos,até,pasmén!contra a prória instituição e essa é a sua maior rival,com um estatuto e regulamento ultrapassados que o mantem na condição de sub empregado. as estatisticas revela que o profissional que mais sofre depressão,alcoolismo e o mais trágico,suicidio é o policial militar.algo realmente está errado,quem sabe são as fontes de pesquisa ou os " pseudo vitimados ".eu teria uma sugestão quem sabe se esses policiais fossem para a pm do pais de alice,aquela do pais da maravilha que o comentarista acima está que só tem tudo de bom.ela mesmo,a pm de minas gerais.onde o soldado recebe todo o material de trabalho e trabalha com os melhores equipamentos,mas tem de voltar pra casa de "busão".EITA!INGENUIDADE.

Anônimo disse...

GENTE, ACORDA, A CAUSA DO PROBLEMA DA VIOLÊNCIA E SEGURANÇA PÚBLICA NO BRASIL E NO MUNDO NÃO ESTÁ NA POLÍCIA.

A POLÍCIA É SO UM ELO DA CORRENTE E DOS MAIS FRACOS, PORQUE É MAIS VISTA, MAIS FÁCIL DE ATINGIR, UM ALVO VISÍVEL.

O PROBLEMA TODO ESTÁ ENRAIZADO NA CULTURA DO POVO, NA PROSTITUIÇAO MORAL E ECÔNOMICA PROMOVIDA POR POLÍTICOS E EMPRESÁRIOS.

AI A COISA VAI DESCENDO E SUBINDO, FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS DE VÁRIOS SETORES ENVOLVIDOS EM CORRUPÇÃO: JUIZES, PROMOTORES, MINISTROS, SECRETÁRIOS, FISCAIS, ATÉ UM FAXINEIRO, ETC.

PORTANTO, SENDO MILITAR OU CIVIL, NÃO VAI FAZER COM QUE A POLÍCIA SEJE MAIS EFICIENTE NA PRESTAÇAÕ DE SERVIÇO.

VÁRIOS FATORES DEVEM SER ANALIZADOS, UM DELES É: O POVO QUER UMA POLÍCIA EFICIENTE?

PORQUE, QUANDO A GENTE DEPARA COM UM CIDADÃO COMETENDO UM CRIME OU CONTRAVENÇÃO SEJA DE QUALQUER ESPÉCIE, APARECE PESSOAS ATÉ DO OUTRO LADO DO MUNDO FALANDO QUE O DITO CUJO, É A MELHOR PESSOA DO MUNDO, DEMONSTRANDO TOTAL CONIVÊNCIA COM AS COISAS ERRADAS E TOTAL APOIO AO INFRATOS DAS REGRAS QUE APRÓPRIA SOCIEDADE CRIOU.

FAZEM DE TUDO PARA ATRAPALHAR O NOSSO TRABALHO.

A SOCIEDADE TEM QUE RENOVAR OS SEUS VALORES SE QUISER UM HORIZONTE MELHOR PARA OS SEUS DESCENDENTES, PORQUE PARA NÓS, NO NOSSO TEMPO, CERTAMENTE NÃO HÁ MAIS ESPERANÇA.

Anônimo disse...

TEM MUITA GENTE QUE ACHA O MILITARISMO RUIM, QUE SER PRAÇA É RUIM, QUE SÓ OFICIAL QUE SE DA BEM NA POLÍCIA.

EU NÃO CONCORDO, PORQUE O CIDADÃO QUE FEZ A PROVA PRA SOLDADO PODE FAZER PRA OFICIAL, SE NÃO QUISER PODE FAZER PRA SARGENTO.

A PESSOA TEM QUE SABER O QUE QUER FAZER DENTRO DA PM, SER UM OFICIAL E GERENCIAR, SER UM SARGENTO, CB, SD DA ADMINISTRAÇÃO, DA POLÍCIA COMUNITÁRIA, DA REPRESSÃO(TÁTICO, ROTAM, GTC, ETC), PATRULHA ESCOLAR, PA, POV, BASE, ETC.

TEM LUGAR PRA TODOS, A PESSOA TEM QUE DECIDIR, NÃO ADIANTA FICAR RECLAMANDO, ESPERANDO A INSTITUIÇÃO MUDAR, A GENTE É QUE TEM QUE MUDAR.

A GENTE TEM QUE PENSAR, PROJETAR E EXECUTAR NOSSOS OBJETIVOS, NA POLÍCIA E FORA DELA.

O MUNDO NÃO É PERFEITO E SE VAI SER NADA NOS GARANTE E NÃO HÁ INDÍCIOS DE QUE VENHA A SER.

PORTANTO VAMOS LUTAR POR MUDANÇAS, EVOLUÇÃO, REFORMA NO MILITARISMO DE MODO A ATUALIZA-LO ÀS REALIDADES ATUAIS DA SOCIEDADE, MAS SEM MELANCOLISMO, REVANCHISMO E REVOLUÇÃO.

PORQUE O MILITARISMO AINDA É UM MEIO MUITO EFICIENTE DE ENSINO, CONTROLE, DISCIPLINA, HIERARQUIA, ETC.

ANTES DE DESCARTARMOS O MILITARISMO DEVEMOS PENSAR NUM MODELO MUITO MELHOR DE ORGANIZAR E MANTER A POLÍCIA. PORQUE ATÉ AGORA NINGUÉM MOSTROU UM PROJETO DE UMA NOVA POLÍCIA QUE ATENDA AOS ANCEIOS DA SOCIEDADE.

TENHO CERTEZA QUE SE UM DIA A PM, FOR DESMILITARIZADA VAI HAVER GRANDE DECEPÇÃO, POIS AS ESPECTATIVAS SERÃO FRUSTADAS, PORQUE EXISTE UM VIRUS DA IMORALIDADE CORROENDA A SOCIEDADE E ELE NÃO TEM CURA É COMO A AIDS, SÓ TEM RÉMEDIO PARA DEIXAR A SOCIEDADE SOBREVIVER EM MEIO A SUA LOUCURA.

Anônimo disse...

A MELHOR IDEIA !
É SIMPLES, PRIMEIRO FAÇA-SE UM PLEBICITO DENTRO DAS CORPORAÇÕES E SE PONHA EM FOCO DOIS TEMAS:
1°)VOCÊ É A FAVOR DA DESMILITARIZAÇÃO,E OU;

2º)VOCÊ ACHA QUE O MILITARISMO NECESSITA DE UMA REFORMA NO REGIME QUE VISE OFERECER AO MILITAR LIBERDADE E CONDIÇÃO DE CIDADANIA PLENA COM A EXTIÇÃO DO RD/PM E A CRIAÇÃO DE UM CODIGO DE ÉTICA FUNDAMENTADO EMBASADO NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DO BRASIL.

APARTIR DESTE PLEBISCITO O TEMA QUE VENCER, SOFRERÁ AS MODIDIFICAÇÕES, OU SEJA : SE FOR O 2ºTEMA O VENCEDOR DAR-SE-A PARA ELE, TRATAMENTO SEMELHANTE AO DOS ´POLICIAIS RODOVIÁRIOS, MAIS CONSERVA-SE A PENAS O ROTULO MILITAR MANTENDO-SE AS PATENTES

Anônimo disse...

OS POLICIAIS RODOVIÁRIOS FEDERAIS E AS GUARDAS MUNICIPAIS SÃO FARDADOS E NEM POR ISSO SÃO MILITARES.

O QUE PRECISAMOS É UM CÓDIGO DE ÉTICA EMBASADO NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL OU A DESMILITARIZAÇÃO.

TAMBÉM É URGENTE A UNIFICAÇÃO DAS POLICIAS PARA ASSIM FAZER O CICLO COMPLETO DE POLÍCIA E PRESTAR UM SERVIÇO MELHOR A SOCIEDADE.

NÃO IMPORTA SE A POLÍCIA ESTADUAL SERÁ MILITAR OU CIVIL, MAS QUE ESTEJA PREPARADA PARA SERVIR A SOCIEDADE EO ESTADO NO COMBATE AO CRIME E QUE SEJA UMA INSTITUIÇÃO JUSTA COM SEUS INTEGRANTES.

SD ANÔNIMO...

Anônimo disse...

Olá, sou afavor da desmilitarização, contudo já dou minha contribuição para tal fato, não tenho um coturno brilhando (mas limpo sempre que possível), não tenho fardas vincadas (sempre muito bem lavadas), não faço somente a continência (desejo também um dia e pergunto como vai a família), não trato somente o oficilato com respeito (trato também todos os praças com o mesmo ou maior respeito), cumpro meus horários como meus pais sempre me ensinaram (não por medo de levar CANETADA), assim como o cidadão comum o superior é quem determina como será meu tratamento, se for educado eu serei educado, se gritar eu gritarei mais alto, se agredir serei obrigado a reprimir a injusta agressão, tenho pouco mais de 5 anos nas fileiras da PMMG, e ainda não tive grandes problemas!

Parabens pelo Blog... SD Melo

Hamurabi disse...

Gostaria de parabenizar o Sgt Ricardo por seus posicionamentos firmes e convictos a respeito do assunto.

Ao meu ver, alguns comentários favoráveis ao militarismo são as mesmas ladainhas de sempre e não são convincentes para a manutenção do militarismo nas Polícias Militares.

Acredito que o militarismo emperra o avanço pois atrapalha a convivência dentro das instiuiçoes militares e prejudica o tratamento para com o cidadão, nosso cliente.

A Polícia deve ser apenas POLÍCIA e o Policial deve ser tratado por POLICIAL e não por MILITAR. A sociedade e os policiais só tem a ganhar com isto.

Quem não quer deixar de ser militar que peça baixa e vá para o Exército, Marinha ou Aeronáutica.

A unificação é fato e será verdade (é apenas uma questão de tempo).

Contrários ou a favor, todos ganharemos com isto. O reto é pura vaidade.

Anônimo disse...

Confesso que não tinha uma opinião completamente formada sobre o assunto, oscilava entre a desmilitarização e a continuidade do modelo atual. Essa longa discussão serviu para espancar um pouco estas dúvidas, sempre ouvia argumentos, na totalidade deles, vazios e sem razoabilidade, mas os que li aqui, foram ricos em fundamentação. Agradeço aos companheiros pelo plus.
Tenho certeza que a partir de hoje consigo argumentar com mais precisão sobre esse assunto que permeia nossa rotina.

Anônimo disse...

Referente à desmilitarização, em tempos de paz realmente é uma necessidade, nada justifica a existência de leis militares onde os órgãos do poder judiciário civil existem, ainda há aqueles que de forma errónea usa dessa ferramenta para satisfazer o seu "EGO" em detrimento ou constrangendo outrem, se realmente existe alguém tão preocupado com a manutenção da disciplina,justiça, etc....pode começar por seleccionar melhor os candidatos e os alunos antes que maus profissionais venham a denegrir a instituição na qual irá servir durante muitos anos, também proporcionar aos integrantes um ambiente saudável para o desempenho das suas funções e melhor atendimento ao público.

Anônimo disse...

O MILITARISMO É O MAIOR SISTEMA DE ALIENAÇÃO JÁ CRIADO PELO HOMEM E O MAIS PERVERSO DELES. AS MAIORES DESGRAÇAS DA HUMANIDADE FORAM FEITAS POR MILITARES DESDE DA ANTIGUIDADE QUE FICARAM CONHECIDAS PELOS SEU EXERCITOS DE CRUELDADE ATÉ A COMTEMPORANIEDADE COMO A BOMBA DE HIROSHIMA E O MASRECE DOS JUDEUS. PAULO FREIRE DISSE QUE O PENSAMENTO NÃO PODE EVOLUIR SEM A CRITICA, POR ISSO A PM COM ESSES CONSERVADORES QUE PASSAM A NOITE DECORANDO O REGULAMENTO PRA RECITA-LOS NAS FORMATURAR MATINAIS NÃO CONSEGUEM FAZER PROGRESSO NESSA INSTITUIÇÃO, SABEM APENAS OBECEREM CEGAMENTE AS ORDENS DO GOVERNO. NÓS SOMOS A MAIOR INSTITUIÇÃO DESSE PAIS E SOMOS OS MAIS DESVALORIZADOS, DESACREDITADOS, DISCRIMINADOS E TANTAS OUTRAS COISAS, POR QUE ISSO ACONTECE? SE O MILITARISMO COMO ALGUNS DEFENDEM É TÃO PURO, TÃO HONESTO E TANTAS OUTRAS COISAS? TODOS NÓS SABEMOS QUE A BASE DA PIRAMEDE SEMPRE CARREGOU O TOPO NAS COSTAS, E SEMPRE MASSACRADAS POR ELE. EU ACREDITO EM MUDNÇAS ASSIM COMO TEVE NO PASSADO COMO A REVOLTA TENENTISTA E A REVOLTA DA CHIBATA, JÁ PENSOU SE ESSES GRANDES ACONTECIMENTOS TIVESSE OCORRIDO NESSE PAÍS AINDA ESTARIAMOS SENDO PUNIDOS COM CHIBATADAS. O MILITARISMO NUM RESPEITA NEM O QUE DEFENDE COMO A ANTIGUIDADE, SE NÃO OS COMANDANTES DAS POLICIAIS SERIAM OS MAIS ANTIGOS E NÃO OS QUE SÃO TITULARES DA BABAÇÃO DOS GOVERNOS ATUAIS,ATÉ AS FORÇAS ARMADAS FICOU SUBORDINADO A UM CIVIL. TODOS NÓS SEJAMOS PRAÇAS OU OFICIAIS, JÁ FOMOS VITIMAS DE ABUSOS ISSO É FATO E INEGALVEL OU O S SENHORES OFICIAIS NÃO LEMBRAM DOS TROTES NAS ACADEMIAS? DAS SITUAÇÕES VEXATORIAS A QUE FORAM SUBMETIDOS? DAS PUNIÇÕES ABSURDAS POR QUE DEIXARAM O CABELO OU A BARBA OU A FARDA FORA DO PADRÃO? TODO ESSE TRATAMENTO DESUMANO TODOS NÓS PASSOS É A PEDAGOIA PUNITAVA QUE RECEBEMOS NA NOSSA FORMAÇÃO. DERUBAR GRANDES ESRTUTURAS DE TRADIÇÕES ANTIGAS PARECE UMA MOTANHA QUASE IRREMOVIVEL MAS NÓS SABEMOS QUE ATÉ OS MONTES SE MOVEM. ASSIM FOI NA REVOLUÇÃO FRANCESA. ESSA CEGUEIRA QUE NOS ALIENA NOS FAZ ATÉ PENSAR NOS FATODS SOCIAS COMO SE ELES FOSSEM NATURASI SEMPRE EXISTIRAM E SEMPRE VÃO EXISTE, MAS TUDO QUE EXISTE NA SOCIEDADE FOI CRIADO PELO HOMEM E ELE TEM UM PODER INCRIVE DE RECRIAR SEMPRE.

Anônimo disse...

A QUEM SERVE O MILITARISMO? SE NÃO AOS GOVERNOS QUE MASSACRAM A POPULAÇÃO? TIVEMOS NOSSAS DUAS MAIORES VIRTUDES CERSSEADAS COMO A LIBERDDE DE EXPRESÃO E A LIBERDADE DE LOCOMOÇÃO, A LIBERDADE COMO DISSE CECILIA MEIRELES: ESSA PALAVRA QUE HÁ QUEM EXPLIQUE E NIGUÉM QUE À NÃO ENTENDA, POIS ALIMENTA O SONHO DE TODOS NÓS COMO DISSE RATZEL: A LIBERDADE É UMA VIRTUDE CONQUISTADA A DURAS PENAS E DRUMON DISSE QUE É O DESTINO DE TODOS OS HOMENS. SER POLICIAL É MUITO BOM, MAS SER MILITAR É UMA CRUZ PESADA MENOS PARA OS OFICIAS SE NÃO VEJAMOS. O SOLDADO ENTRA NA POLICIA E NÃO SABE AONDE VAI CHEGAR, MUITOS PASSAM A VIDA TODA COMO SOLDADOS E SE APOSENTAM COMO SOLDADOS OS TIRNTA E CINCO ANOS NO MESMO SERVIÇOE PELO MENOS AQUI NO PIAUÍ É ASSIME DUVIDO QUE ENTTROU LUGAR É DIFERENTE, O MESMO QUARTO DE HORA COM FUZIL NA MÃO EM PÉ, NA RUA FAZENDO OSTENSIVO, O QUE É DESUMANO UMA PESSOA COM MAIS DE 50ANOS CORRENDO ATRAZ DE BANDINDO. SE FOR SAIR CABO FAZ UM CURSO DE SEIS MESES PRA AUMENTAR 50 REIAS NO CONTRACHEQUE, SE FOR SAIR SARGENTO MAIS OUTRO CURSO DE SEIS MESES PRA AUMETAR 70REAIS, PRA SAIR PRIMEIRO SARGENTO E CHEGAR ATÉ SUB-TENETE MAIS OUTRO CURSO, PRA SAIR OFICIAL MAIS OUTRO CURSO DE 12 MESES AÍ AUMENTA O SALARIOSIGNIFICAMENTE POR QUE UM SEGUNDO TENETE GANHA MAIS DO QUE O DOBRO DE UM SOLDADO E O SERVIÇO DIMINUI, MAS INFELIZMENTE SÓ CHEGA A TÉ CAPITÃO. SEM FALAR QUE NO NOSSO ESTATUTO A ESTABILIDADE DO PRAÇA É DE 10 ANOS E A DO OFICAL ASSSIM QUE É NOMEADO OFICAL, PRO ASPIRANTE SAIR SEGUNDO TENTE ELE NUM FAZ OUTRO CURSO NEM PRA SER PRIEMRIO TENTE, NEM PRA SER CAPITÃO, SÓ PRA SAIR OFICAL SUPERIOR É QUE FAZ UM CURSO DE DOIS MESE DE ADAPTAÇÃO E PRONTO, O SALARIO DE ASPIRANTE ATÉ CORONEL A DIFENÇA ENTRE AS PATENTES NÃO É DE 50 REAIS, É ACIMA DE QUINTOS E DE ASPIRANTE A CORONLS O SALARIO TRIPLICA AÍ NOS PERGUNTA POR QUE OS PRAÇAS RACLAMAM TANTO DE AUMENTO SALARIAL. SEM FALAR QUE PRA RUA AO MENOS AQUI VOCÊ SÓ VER TENENTE DE CAPITÃO ATÉ CORONEL É SÓ NO QUARTEL SENDO BUROCRATA, RECEBENDO GRATIFICAÇÕES DISSO E DA QUILO.OFICIAL NÃO CONCORRE A ESCALA DE 24 POR QUARENTA E OITO. EU NUNCA VI AQUI CORONEL NA RUA FAZENDO ABRODAGEM OU TROCANDO TIRO COM ASSALTANTE, TEM DELES QUE NUNCA NEM FIERAM ISSO NUNCA NEM PREDERAM NIGUÉM POR ISSO QUE NOS JULGAM COM SEVERIDADE POR QUE NÃO SABEM O QUE É ESTA NA RUA SENDO POLICIAL, POIS É ASSIM NA PM OS PRAÇAS SÃO POLICIAIS E OS OFICIAS SÃO MILITARES. MESMO ASSIM MUITOS OFICIAS TEM MUDADO UM POUCO O PENSAMENTO, CONHECI ALGUNS COMO CONHECI ALGUNS PRAÇAS ALIENADOS TAMBÉM. MAS ACREDITO QUE A MUDANÇA ESTA PRIMEIRO EM NOSSA MENTE SE NOSSA MENTALIDADE NÃO MUDAR SE NÃO CONSEGUIRMOS EXERGARA AS MAZELAS QUE HÁ NO MILITARISMO QUE PREJUDICA A TODOS NÓS E A SOCIEDADE ISSO NUNCA VAI MUDAR.

Anônimo disse...

EU GOSTO DE LER OS COMENTÁRIOS DOS COMPANHEIROS, MAS SERIA MUITO BOM ESCREVEREM COM MAIS ATENÇÃO, COM MENOS ERROS DE PORTUGUÊS, DE FORMA QUE NÃO ATRAPALHE O ENTENDIMENTO DO TEXTO.

Anônimo disse...

Srs, boa noite,
Assunto muito interessante. Confesso que não li todos os posts. Mas os que li, alguns de alto nível e com argumentações consistentes.

Enquanto SD da PMMG, sempre fui defensor da desmilitarização. Porém, fiz o curso de Sgt, e aí, talvez alguns pensem: "vai exercer função de comando, então é a favor do militarismo para poder mandar"! Espero que todos que lerem minha opinião possam pensar e se manifestar somente no que eu vou defender, mas com certeza vou aceitar opiniões contrárias.

Respondam: excluindo os políticos, quem nesse país pode aposentar aos 48 anos (ou até mesmo antes), com proventos integrais, com promoção trintenária, 6º ou 7º quinquênio (ou ADE para quem não o tem), senão os militares? Quem nesse país consegue ganhar mais na inatividade do que na ativa, senão os militares? Quer receber sua aposentadoria pelo INSS, que está quase quebrando?

Temos um CAPÍTULO ESPECIAL na Constituição Federal, que nos diferencia dos civis. É isso que legitima todas a vantagens elencadas acima, e outras que não foram citadas. Sim, somos diferentes, temos regulamentos diferentes, enfim, somos ESPECIAIS, não é verdade? Temos uma profissão estressante, trabalhamos com pessoas que não sabem comandar (como em qualquer atividade civil), mas, por serem humanos, erram, concordam?

Temos um regulamento rígido, concordo com todos que afirmam isso. Mas se você trabalha corretamente, esse regulamento lhe prejudicará?

Ainda, não é qualquer pessoa que tem condições de ser militar. O processo seletivo é concorrido e diferenciado. É concurso público: quando você entrou, sabia (ou deveria saber) como é aquela instituição. Mas se você quer mudanças, pense nas consequências dessas mudanças; o que, individualmente, vai lher trazer de vantagens. Temos uma cultura imediatista: tem que ser para hoje, agora. Mas não pensamos lá na frente, daqui a 30 anos, quando todos estaremos na inatividade, jovens, com vigor para curtir a família e com o sentimento do DEVER cumprido. Ora, dever é obrigação, certo? Temos obrigaçoes a cumprir, que não são IDÊNTICAS às do médico, do advogado, do polícial civil, dos demais policiais. Mas temos obrigações inerentes a condição de militares. Vejam bem: somos pedagogos da cidadania, temos um pouco de conhecimento em psicologia, emergências médicas, amplo conhecimento jurídico e técnico-policial, etc...

Mas entendam o meu raciocínio: eu não gosto de jiló! Haverá um festival de jiló no bairro onde eu moro. Tudo que haverá nesse festival será a base de jiló! SUCOS, DOCES, POLPA, E ATÉ VITAMINA!!! O QUE EU VOU FAZER NESSE FESTIVAL, SE EU ODEIO JILÓ!!!

Companheiros, se alguns não gostam do militarismo, estão no lugar errado. Você não está preso. Pode pedir baixa, basta apresentar na P1, SRH, enfim, como queiram. As mudanças são naturais e ocorrem em qualquer lugar. Mas temo mudanças que tragam significativas alterações em minha perpesctiva de vida profissional. E ainda, há uma infinidade de profissões que você pode escolher, estão aí, em nosso ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO. Sim, democrático até para quem QUER SER MILITAR, quer ter uma vida um pouco mais rígida que os demais, não é verdade?

Enfim, somos especiais e acredito que devemos pensar em preservar alguns direitos que somente serão mantidos pelo fato de sermos ESPECIAIS, MILITARES DO ESTADO. Se houver a desmilitarização, não pensem que o que temos atualmente, será mantido no futuro, meus amigos. Nossa aposentadoria não poderá ser diferente que a do cidadão civil. Afinal, também seremos civis. Pensem...

Anônimo disse...

Amo o militarismo, sou totalmente contra a desmilitarização, amigos no time que esta ganhando não se mexe, parem com essa idéia absurda, esta no sangue de todos os combatentes policiais do nosso Brasil, ser militar é orgulho, é sonho realizado, apesar de não sermos bem pagos ainda temos esperança que Deus vai nos ajudar nessa parte, abraços a todos o PM(s) do nosso Brasil!!!!!!!!

Anônimo disse...

Li diversos comentários sobre o assunto e gostaria de expor os meus:
Estou na PM há aproximadamente 25 anos, e nunca gostei do militarismo, seja na sua forma mais simples, contudo, quando iniciei a minha carreira profissional, eu já sabia o que iria encontrar, pois havia acabado de sair do EB e à época o RDPM não passava de uma cópia do RDE (Regulamento disciplinar do Exército). Nestes vários anos de caserna houve muitas mudanças, porém, acredito que possa haver muitas ainda para acontecerem. O bom militar (Policial Militar) para mim e o qual a sociedade quer é aquele que respeita os Direitos básicos dos cidadãos, pois também fazemos parte desta sociedade e quando não estamos de serviço, desejamos ser bem tratados por todos; que os nossos familiares sejam respeitados e para isso, o mínimo que se deseja de cada um de nós é uma boa prestação de serviço, para a qual, bem ou mal, recebemos, e de tal forma, antes de tudo, devemos ser bons profissionais, para que esta mesma sociedade, que as vezes nos critica, possa nos ver com outros olhos, independente do que acontece no interior dos quartéis.
obrigado pela palavra!!!

WENDERSON disse...

SOU FAVORÁVEL A DESMILITARIZAÇÃO, E OS TEXTOS AQUI PUBLICADOS POR AQUELES QUE SÃO CONTRA A DESMILITARIZAÇÃO DEIXOU A IMPRENSÃO DE RECEIO, MEDO DE SER COMPARADOS A CIDADÃOS CIVIS OU COM PREVIDENCIA E ASSISTENCIA À SAÚDE.
ORA SENHORES, DEVO LEMBRA-LOS QUE OS ATUAIS REGULAMENTOS E ESTATUDOS NADA MAIS SÃO QUE LEIS, E LEIS SÂO VOTADAS E MODIFICADAS À TODO INSTANTE, ENTÂO, SE DE FATO A DESMILITARIZAÇÃO OCORRER BASTA NOS MOBILIZARMOS PARA MANTERMOS OS NOSSOS ATUAIS DIREITOS. COMO JÁ DITO PELO COLEGA ACIMA, A POLICIA CIVIL DE MINAS CONQUISTOU O DIREITO DE SEUS INTEGRANTES, SE APOSENTAREM AOS 30 ANOS DE SERVIÇO, ASSIM COMO PROMOÇÃO POR TEMPO DE SERVIÇO, O MESMO DIREITO DADO AOS MILITARES. PENSEM NISTO?

Anônimo disse...

Danilo
Acho de suma importância este debate, porém não há como concordar com o Sr. José Ricardo quando diz que "com poucas palavras é possível persuadir a sociedade e os governantes de que os policiais necessitam de um tratamento diferenciado, sobretudo nos sistemas de saúde e previdenciário", ou então vivemos em outro mundo, com políticos e sociedade que valorizam a polícia, e, aliás não posso comprovar esse pensamento, é só questão de percepção.

Anônimo disse...

Sou plenamente contra a DESMILITARIZAÇÃO. O que mantém as PPMM de todo o País perene, são os conceitos basilares que só se vêem no atual sistema organizacional e estrutural. Aqueles que querem a desmilitarização, e pregam essa mudança, são os descompromissados com a causa militar, os anarquistas e baderneiros... enfim, os que que gostam de ver o circo pegar fogo. Não querem seguir o regulamento militar, que vá para a PC. Lá, por não existir regulamento, pode-se fazer o que quiser, até roubar e achacar; nem hierarquia, existe, O detetive entra na sala do delegado, sem pedir licença, senta na mesa, o chama de "chefe", passa a mão na b... deste e tá tudo certo. Questão de liberdade, promiscuidade e uma dose de "rabo preso"... e por aí vai. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Anônimo disse...

Acredito piamente que uma desmilitarização ou uma fusão das duas polícias estaduais, com um código (ou um regulamento interno)baseado na Carta Magna iria significar um avanço em termos de democracia e de aproximação entre povo e polícia, pois uma polícia una é fortalecida, e isso significaria prejuízo para o lado criminoso da sociedade,pois uma família unida, é uma família forte, senão veja o exemplo dos EEUU onde nós assistimos pela tv a polícia de Nova YORK com seu segmento fardado e outro paisano e naturalmente com um salário digno de um defensor da lei.Estou na reserva e me lembro de um companheiro aqui do Rio de Janeiro que deu baixa da PM e foi morar nos EEUU onde sua irmã (casada) já residia à algum tempo e lhe deu abrigo e onde ele ingressou na policia dos EEUU, e após 05 anos ele regressou ao Brasil à passeio e foi no nosso quartel e através de fotos e documentos ele nos contou sua vitória pessoal.E para encerrar este relato este colega contou que os americanos ficavam admirados pela eficiência ao abordar os cidadãos americanos, pois este colega é de origem nordestina e é baixinho e os americanos são altos.Parabéns ao policial brasileiro.

Anônimo disse...

os que defendem a desmilitarização das pms,sabem porque a querem,seria impossivel 70% desses estarem errados,os que desejam tais mudanças,provaram das injustiças de serem "especiais".já os que defendem o atual sistema de seres "especiais",ou eles são estrelas,que nem nos quarteis brilham mais,na verdade estrela de oficial de policia só são bem aceita para serem moço de recado dos governadores,ou ser serviçal nos forum;conheço um montão deles servindo cafezinhos para o meretrissssimos ou qualquer coisa do tipo. desculpe-me o desabafo,é que aqueles que defendem o militarismo para as pms,se portam como se eles fossem donos delas,e por que não dizer,dos homens que ali estão,eles não cuidaram da tropa,se venderam e até eles esqueçeram que eram militares, largando a tropa sozinha no "front" inimigo.nenhum pm que ter esse titulo de "especial" sem receber o bônus.só para o estrela ai de cima,chegou a hora de mudar o comando e pouco importa quem vai mandar nela,se os delegados, não sei,se os presidentes de associações,muito menos. nós cansamos de tanto descaso sustentado por um rdpm que torna"ESPECIAIS" em "INCAPAZ" sem nenhum trocadilho.para o etrela ai de cima,não precisa ficar atormentado,eles vão arrumar um jeito de aproveitar as estrelinhas quando o DESCOMANDO chegar.sem ressentimentos pois admiro o militarismo;não nas pms,mas nos quarteis.

ISAC MARCIO DANTAS LOGNUINHO disse...

Sou policial militar há 18 anos, vivi os primeiros passos dessa luta pela desmilitarização das Polícias. Participei ativamente do primeiro movimento que se formou em todo o País que ficou conhecido com MUP – Movimento pela Desmilitarização e Unificação das Polícias, juntamente com dezenas de companheiros, fui punido severamente por defender tais mudanças (trinta dias de cadeia e rua) fiquei 05 (cinco) anos fora (desempregado)passando todo tipo de necessidade, mas não me arrependo de nada...

Não existe vitória sem luta...

Hoje já podemos colher os frutos.

Aqui em Brasília, nos anos seguintes ao movimento, (e que por mais que alguns tentam desqualificar e desarticular) podemos bater no peito e comemorarmos algumas importantes conquistas:

• Acabamos com o rancho e foi implantado o valor no contracheque;

• Passamos a receber auxílio fardamento em dinheiro no contracheque;

• Programas habitacionais para PMS E BMS;

• Aprovado e implantado o Plano de Carreira, que por mais que uns criticam é um grande avanço tendo em vista que antes o Policial Militar ingressava como soldado e iria embora soldado; hoje pode ir a subtenente sem precisar fazer qualquer prova e se caso queira estudar pode ingressar no quadro de oficiais administrativos (QOPMA) e aposentar no posto de Major;

• Aprovada e implantada a Gratificação de Risco de Vida no valor de 1.000,00 R$;

• Exigência do nível superior para ingresso na Corporação (reconhecimento e valorização);

• Faculdade gratuita para Policiais Militares que ainda não possuem o nível superior (inclusive eu estou cursando – TECNOLOGIA EM GESTÃO EM SEGURANÇA E ORDEM PÚBLICA – UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA);

• Instalações dignas para nossas Unidades (quartéis);
• Novos equipamentos e viaturas;

• Humanizarão das relações PRAÇA X OFICIAIS, hoje o praça sendo qualificado pode ocupar funções que outrora só eram ocupadas por oficiais, os praças hoje podem ser instrutores (respeito, reconhecimento e valorização);

• Abertura política (hoje o praça pode assumir funções na estrutura do Poder – na administração pública e desempenhar vários outros papeis no Estado) temos hoje praças subsecretários, assessores e administradores;

• E agora aumento salarial, já garantido.

E muito mais...

Podemos falar mais sobre isso

ISAC MARCIO DANTAS LONGUINHO

061 8125 82 32 / isacmarcio@gmail.com

O MUP não morreu!

Anônimo disse...

nãosou a favor da desmilitarização , quem não concorda , sabia quando entrou na PM , agora q estão na Corporção fikam aí dando opinioes drúxulas . Vão estes q não conseguem se habituar no sistema procurar outro emprego e trabalharem 10 hs por dia com patrão , gerente , encarregado e até mesmo o próprio colega de função enchendo o saco e a sua paciência . E o pior ganhar um salário mínimo de fome e miséria q quando aumenta não passa de dez ou quinze reais POR ANO NÃO SE ESQUEÇAM . Muitos de vocês não sabem o que querem , se acontecer de desmilitarizarem as PMs , com certeza vocês mesmos que foram a favor , vão com certeza fazer várias criticas ao novo sistema e às vezes vão refletir : SERÁ QUE A DESMILITARIZAÇÃO FOI BOA PARA NÓS . E AGORA COMO VOLTAR ATRÁS ? Pensem com a cabeça e não tomem decisões preciptadas .

Anônimo disse...

Alguns opinantes neste espaço verborragem maçantemente: “a porta da rua é a serventia da casa”, praticamente exigindo que os descontentes com o militarismo se retirem da PM.

Respondo-lhes que isso não ocorrerá, muito pelo contrário, o que irá sair pela porta da rua brevemente será o militarismo, guardião dos Praças e Oficiais autoritários e prepotentes, geralmente babá-ovos dos superiores e governantes.

O militarismo nos órgãos de segurança pública no Brasil tem seus dias contados, tenham a certeza disso.

Anônimo disse...

Alguns anti-desmilitarização argumentam, embora com outras palavras: “Escravos, aqui na senzala vocês tem abrigo, alimento e segurança. O que serão de vcs sem a escravidão? Pensem nisso!”.

Anônimo disse...

Atualmente, Oficiais só são respeitados em suas casernas, por seus subordinados e inferiores hierárquicos, mas fora, nas ruas, não gozam da admiração da população, que os vêem com enorme antipatia.

Algo não está errado nisso?

Por que será que nos EUA os policiais, que são civis, são vistos com respeito e admiração.

Anônimo disse...

Militarismo na Polícia, só se for na Polícia do Exército PE), na Marinha (SP), na Aeronáutica (PA), corpos de segurança devidamente aquartelados, cujas funções são internas, intramuros, mas jamais na sociedade, em órgãos de repressão à criminalidade civil.

Anônimo disse...

Da mesma forma que temos um paleolítico José Sarney no Senado da República, ainda temos uma POLÍCIA MILITARIZADA no território brasileiro. É lamentável. Vamos renovar, minha gente!

Anônimo disse...

CONCORDO TOTALMENTE COM A MATÉRIA...VAMOS LUTAR PELA DESMILITARIZAÇÃO POLICIAL MILITAR!!!!E tem mais no Estado de são Paulo existe sim o "bico" regularizado , é o famoso EAP,onde muitos oficiais aproveitam, pois estão em serviço e mesmo assim recebem para dar instrução, e na maioria das vezes 90% sem aproveitamento. ISSO É O MILITARISMO GENTE .........

Anônimo disse...

A desmilitarização é um grande marco para a banalização de todo um sistema que possui história, honra e compromisso. Onde o combate ao crime exige disciplina e caráter, não é desmilitarizando que resolve os problemas e sim excluíndo das fileiras os sem caratér e aproveitadores que só pensam em ganhar dinheiro sem trabalhar. estes policias deveriam pedir exoneração e deixar sua vaga para quem realmente merece. A sociedade não pode permitir que essa idéia se torne real, pois a sociedade prefere o militarismo que é sério, centrado, profissional do que este sistema que querem aprovar. Imagine uma viatura onde ao invés de ter homens fardados terá homens vestindo bermuda e camisa sport. que cena maravilhosa e respeitosa!!!!!!!!!!! Desmilitarização nunca!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

BEM O DEBATE SOBRE A DESMILITARIZAÇÃO DAS POLICIAS CONTINUA SERA QUE SERA BOM OU RUIM PARA SOCIEDADE POIS ESTE É O FOCO QUE DEVE SER ILUMINADO NÃO A GUERRA DE VAIDADES ESTABELECIDAS POR NS E OUTROS, NO MEU MODESTO PONTO DE VISTA PASSOU E MUITO DA HORA DE DESMILITARIZAR TODAS AS POLICIAS DO MUNDO, O MILITARISMO SO CONTRIBUI PARA UMA IMAGEM PESSIMA PARA A INSTITUIÇÕES QUE TEM COMO TEVER PROTEGER A SOCIEDADE, TENHO CERTEZA QUE GANHARIAMOS MUITO DESMILITARIZANDO AS POLICIAS, POIS NOS TORNARIAMOS PROFISSIONAIS, QUANTO AO COMENTARIO DO CORONEL ACIMA, TALVEZ ELE TENHA RAZÃO, POIS SUA FAMILIA DEVE TER SIDO FORMADA POR LADROES, ARRUACEIROS E MARGINAIS DE TODA ORDEM POIS, AS MAIORIA DAS FAMILIA BRASILEIRAS E ENTIDADES CIVIS SÃO HONESTAS E ORDEIRAS NÃO NECESSITANDO DO MILITARISMO COMO FORMA MORAL E UNICAMENTE CERTA. JÁ É TEMPO DE ORGANIZAR-MOS UMA EMENDA CONSTITUCIONAL NA FORMA DE AÇÃO POPULAR PARA DISCURDIRMOS ESTE ASSUNTO PROPONDO APRESENTANDO AO CONGRESSO ESTE TEMA DE DESMILITARIZAÇÃO DAS POLICIAS POIS COM CERTEZA É O ANSEIO DE TODA UMA SOCIEDADE.

Anônimo disse...

A sociedade não aceita mais uma Polícia Militarizada!

Anônimo disse...

Acho que aqueles que discordam de quem fez esse comentário, são pessoas que têm a cabeça de papel que se não marcharem direitos merecem ser preso no quartel.
Pessoal sou militar-bombeiro, e no meu curso de soldado aprende que o mais importante do que o combate ou resgate é andar com o coturno brilhando e a farda com um vinco, meu DEUS quanto atraso, tudo bem que essa fosse uma recomendação mas, não uma obrigação ou uma prioridade quanto a de combater um incêndio ou resgatar/salvar uma vitima, a barba rasgando o couro dificulta ainda mais na operação e o medo de danos na farda nos evita de realizar um combate com mais eficiência, é uma pena tudo no mundo evolui, não sou contra a Disciplina e a hierarquia com consciência e urbanidade entra superiores e subordinados, mas os tempos são outros e se em vez de aulas de teatro em ordem unida os cursos oferecerem aperfeiçoamento técnico, formaria melhores profissionais e seria melhor pra sociedade

Anônimo disse...

É claro que os oficiais na maioria não concordam com a desmilitarização, pois são grandes beneficiados por ela. Eu acho que o foco da policia tem que ser segurança publica e não o tanto de senhor que temos que falar durante o nosso turno de serviço. Logicamente tem que se fazer um estudo bem detalhado da situação para que não percamos muito, mas se for preciso perder alguma coisa para isso acontecer, então que percamos, não podemos é continuar nesse modelo onde se preocupam mais com hierarquia e disciplina do que coma dignidade da pessoa que está atras da farda. Para mim é mais importante o respeito que temos pela pessoa, seja oficial, seja praça e esse é conquistado e não imposto. Então fim para o militarismo.

Anônimo disse...

Sr Jose Ricardo, fico feliz como vem tratando as discussao levantada aqui. Com paciência,tolerancia e inteligencia. Sou policial militar e entendo que as exigencias do regulamento interno destoam dos principios fundamentais.A preferencia é dada ao sistemas em detrimento dos humanos e nisso esta uma inversão de valores ja que a lei primeira (nao digo somente em termos legais, mas eticos,filosoficos,espirituais,humanitarios) é a de reconhecer no outro um ser de possibilidades.Limitar ( e delimitar) isso em normas engessadas é negar ao outro suas possibilidades de agir no mundo e portanto de se reconhecer como ser-no-mundo-com-o-outro-no-mundo, impedir que emancipe a si proprio.Não permite o gozo da autonomia necessaria para que reconheça seu compromentimento com o outro e logo sua responsabilidade com o mundo.

Anônimo disse...

mais uma fez vou manifestar-me sobre este assunto, acabei de ler algumas dos comentarios e vejo que a desmilitarização se torna cada vez mais forte pois não ha argumento valido para se manter o modelo atual, quero contar uma estoria da carochinha, era uma vez um senhor chamado "estado", este senhor necessitava vigiar toda sua terra, pois era um grande feudo, incubiu ao seu chefe de caça que desenvolvesse uma arma capaz de vigiar toda sua terra, prometendo ao chefe de caça muita recompensas,pricipalmente titulos de nobreza, então tal chefe de caça procurou entre os suditos do reino uma classe de pessoas que se interessase em defeder o reino, mas sua procura foi em vão, quem em sá consciencia defenderia aquele vasto reino, em troca de tão pouco,um prato de ração e local para dormir, decepcionado viu em um certo animal, propriedade capaz de cumprir esta ardua missão e começou então a adestrar cães e viu que era muito eficiente pois o cão trabalhava o dia todo sem reclamar, o tempo foi passando e o cão foi afeiçoando ao Senhor feudal, então o chefe de caça não gostando da atitude do cão, resolveu imfligir-lhe tratamento agresivo, todo dia quando passava perto dos animais ele lhes chutava na cara e davam choque, retirava o prato de comida no meio de sua refeição, faziam que os animais correcem o dia inteiro, preparando-os fisicamente mas enfraquecendo sua capacidade de reação, os animais chegaram a uma fadiga mental tão grande que não mais reconheciam a quem deveria proteger, pois estavam mecanizados a atacar a todos que chegavam perto do feudo, inclusive aos suditos do senhor feudal, alguns foram sacrificados outros presos em canis, os que ainda restaram estavam mentalmente doentes, muitos queriam fugir mas ja estavam velhos e não sobreviveriam fora do feudo,outros gostavam do chefe de caça pois sempre cumpriam sua missão e recebiam mordomias e desta forma permaneram fortes, bem visiveis, prontos a agir, pois ladravam toda vez que um cão tentasse escapar do feudo, abanava sempre o rabo quando o chefe de caça pasava perto dele, como dizesse estou aqui.desmilitarização já

SCHNEIDER ESTRATÉGIAS disse...

Segurança pública não é para militares. É claro que a desmilitarização causará mudanças de comportamento. Mas disciplina existe em qualquer lugar, até na igreja. a alegação de que não haverá controle sem as regras militares, significa fechar os olhos para a existência das outras polícias. Apenas faço uma referência ao seguinte: A polícia é o órgão estatal com o direito de usar a força quando necessário, então as regras de controle tem de ser diferentes das usadas em qualquer outro órgão público.

Anônimo disse...

QUANDO ENTREI NA PM/BA, ERA COMUM DIZER QUE O SOLDADO NÃO PODERIA SABER MAIS QUE O CB, SENDO ASSIM PATENTE ACIMA.
HOJE 25 ANOS DEPOIS ( CONTINUO SOLDADO, A PM BAIANA NÃO POSSUI PLANO DE CARREIRA.)as coisas mudaram, os últimos concursos públicos tem incorporados uma gama de novos soldados com cursos superiores , acadêmicos ... deixando até mesmo oficiais em situações embaraçosas, devido o pouco conhecimento geral, bem como o desenvolvimento intelecto... resta porém o MILITARISMO como pano de fundo, para separar e proteger o sistema pos - guerra. Apesar de favorecer em muito a sociedade, o Estado regido pelos governantes, não tem o interesse em tais mudanças, pois acarretaria em direitos dos mais fracos sendo estes maioria, e a maioria faz a força e o diferencial no nosso atual regime. Fato difícil de entender sendo que ninguém irá perpetuar no poder dos estados. hoje Governador amanhã? ex. Eu porém continuo militar!

geraldo lopes disse...

Entendo a complexidade da questão, que me desculpe o Oficial, não existe essa de conhecer a regra do jogo diante de arbitrariedade o que existe diante disso e posicionar de forma proativa e buscar responsabilizar o arbitrario para que cesse a sua conduta e entenda que não é ele dono da Instituição militar, mas um servidor e como tal deve respeitar as leis e esta é a regra do jogo, pois, cada militar tem a função de garantir o direito dos outros então deverá ter o seu garantido, porém no mais das vezes o que temos visto é a submissão à carrascos que a pretexto de moralizar tem cometido arbitrio e desrespeito à lei (regra do jogo), portanto, se tornando marginal. Na verdade tem faltado coragem às vitimas para judicializar os processos diciplinares, para verem garantir os seus direitos e responsabilizar criminal e civilmente os agentes de abuso de poder, escondidos atrás das patentes militares como se fossem inatingíveis.

fagner disse...

Achei ótimo o texto sobre desmilitarização e creio que deva ser um debate constante. Dos comentários que li acima pude notar um fato alarmante. O direito a liberdade principalmente o de expressão, garantido a todos pela constituição de 88, mesmo em um debate saudável como esse, não existe para nós policiais militares. Por que dessa afirmação? Porque inúmeros militares ainda se identificam como “anônimos”. Isto demonstra que ainda estamos presos pelo medo das conseqüências do militarismo arcaico em que aquele que questiona algo é tratado como desertor e que a pena de morte se faz necessário.

Vi também em um comentário em que uma pessoa afirmou que se perdêssemos o militarismo poderíamos ser comparados com o civil e assim poderíamos até mesmo perder a aposentadoria dos 30 anos. Creio que isso seria um risco. Todavia das vezes que vou ao Hospital Militar observo inúmeros reformados na fila de medicamentos crônicos com a saúde de um idoso de 75 anos, mas com a verdadeira idade de 55. Valendo ressaltar que aqueles que chegaram a tão sonhada reforma, tiveram sorte que muitos outros policiais não tiveram e que perderam suas vidas no campo de batalha.

Não pude deixar de notar também um comentário de que se virarmos “paisanos” perderíamos uma série de vantagens como sistema previdenciário entre outros. Não tenho competência para dizer se o que conquistamos até agora (sistema previdenciário, plano de saúde, etc.) fariam ou não parte de um “direito garantido”. Todavia talvez se tivéssemos a oportunidade de reclamar nossos direitos, seja ele por greve ou não, quem sabe não poderíamos ter hoje um sistema previdenciário ou plano de saúde bom, mas talvez poderíamos ter um salário digno que nos desse condições de não nos vangloriarmos do nosso plano de saúde, mas sim de quantos planos de saúde poderíamos ter em função de nossa renda.

Li também que mencionaram que os concursos para a Policia Militar são extremamente concorridos o que demonstra a vontade de muitos de pertencer a tão gloriosa instituição. Mas isso não é uma relação correta. Os mais antigos vão concordar com que falo: inúmeras pessoas estão prestando concurso para a PM não pela instituição, mas sim pelo salário, que não é bom, mas não deixa de ser melhor do que o de outras profissões. Sou apaixonado pela profissão de policial militar, mas se eu soubesse, antes de entrar, que eu perderia minha liberdade, perderia minha saúde, que seria desvalorizado, que perderia minha segurança, talvez hoje eu não teria tanta certeza em entrar para a PM.

Percebi o comentário de um oficial acima em que ele afirma que “sua tropa”. Espere! Ela não é do Senhor, ela é da sociedade. Só um comentário. Espero que não entenda como uma ofensa. Mas não pude deixar de notar que muitos aqui estão ansiosos por vê-lo em descrédito e tal comentário só piora.

Contudo o que mais me alarmou foi os comentários de alguns dizendo que ”se não está satisfeito pede baixa”. Vejo em alguns filmes americanos em que o “cara” insatisfeito sai e entra na polícia quando quer e caso queira ficar fora arruma emprego rápido em qualquer outro lugar. A passagem que citei é só o que pude observar e não sei se é a realidade do país de lá. Mas aqui sei que quando se entra na polícia é um caminho sem volta e aquele que sai será taxado eternamente como “EX-PM”. Mesmo que seja um promotor de justiça, mas será sempre um “EX-PM”. Nossa cultura não admite “EX-PM” e levar essa discussão para este lado é fechar os olhos para os problemas e não querer procurar a solução.

Para finalizar não quero me posicionar contra ou a favor do militarismo, mas ultimamente tenho reparado que nossa instituição está mais militar do que polícia. Isso não é bom. Com ou sem militarismo não devemos parar de lutar contra a criminalidade e pelos nossos direitos. Continuarei lutando. Do meu jeito. Estou dentro do sistema e sei como ele funciona. Se quiser mudá-lo tem primeiro que fazer parte dele. Respeitando a hierarquia e disciplina, engolindo sapos e regalias e lutando contra a eterna “picuinha”. Mas uma hora isso acaba....continua

fagner disse...

De tudo o que falei só não podemos esquecer de algo: o primeiro nome que vem escrito nos brasões de nossas fardas é a palavra “POLÍCIA” e depois a palavra “MILITAR”. Não se esqueçam: somos primeiros POLICIAIS e em segundo (e não menos importante) MILITARES.

Para quem sabe ler um pingo é letra: ”No mundo sempre existirão pessoas que vão te amar pelo que você é, e outras, que vão te odiar pelo mesmo motivo.”

Mais uma vez parabenizo pelo texto e debate acalorado que ele proporciona.

Anônimo disse...

eu sou contra pois meu sonho de seguir a carreira militar na pm muitos jovens sonham em seguir a carreira na pm
entao tem q continuar com o militarismo

Anônimo disse...

ei amigo vc é coronel, porque só eles gostam deste sistema, que nos obriga as vezes de ver um coronel fazendo compra com a viatura do estado, e com ele não acontece nada. ver um coronel ser assaltado em um carro da pm, com uma fem e ninguem fazer nada, e se fosse um praça estaria desta forma, ou ele ja teria sido mandado embora para dar exemplo. cai na real, gosto de ser militar mas desse jeito é melhor acabar, ai deixaremos de ser escravisados desta forma que somos.;

Anônimo disse...

ei amigo vc é coronel, porque só eles gostam deste sistema, que nos obriga as vezes de ver um coronel fazendo compra com a viatura do estado, e com ele não acontece nada. ver um coronel ser assaltado em um carro da pm, com uma fem e ninguem fazer nada, e se fosse um praça estaria desta forma, ou ele ja teria sido mandado embora para dar exemplo. cai na real, gosto de ser militar mas desse jeito é melhor acabar, ai deixaremos de ser escravisados desta forma que somos.;

Anônimo disse...

saiba que sei ler e sei que pingo sempre vai ser pingo, se tirar militar não vai fazer falta nenhuma.

Anônimo disse...

FIM DO MILITARISMO JÁ

Anônimo disse...

ESSA MERDA DE MILITARISMO VAI ACABAR, A MAIORIA DOS JOVENS Q HOJE INGRESSAM NA PM TEM OUTRAS IDÉIAS E TUDO CAMINHA PRA A DESMILITARIZAÇÃO

Anônimo disse...

Amigos

Sou português, cabo da GNR, uma força congenêre da PM aí no Brasil e, curiosamente nos temos o mesmo problema que voces, queremos a desmilitarização e criação de uma polícia única, porque esta condição militar por cá so serve os interesses dos oficiais e dos sargentos.
Se quiserem visitar o nosso forum não-oficial, dedicado aos militares da GNR e não só, o link é: http://forumgnr.virtuaboard.com

Um abraço e bom Natal
Eduardo

Anônimo disse...

Fica este video, com o militarismo no seu melhor!
GNR "castiga" soldado que não limpou cascos de cavalos e não fez a barba há 15 anos!"

http://www.youtube.com/watch?v=J9ML8NhDGYE&feature=player_embedded#at=61

www.forumgnr.com

Anônimo disse...

vamos nos unir para pedir de uma vez por todas a desmilitarização das policias de todo brasil, esta medida é mais do que necessaria pois o sistema militar não tem nada a ver com a segurança publica, é logico que alguns que defedem o sistema não querem peder seu posto pois que empresa daria a um incompetente um cargo de gestão sem a devida preparação, somente a PMMG tem esta capacidade, pois basta ficar sentado e esperar cair em seu colo a promoção é o caso de muitos oficiais da PM, estes sim, mal preparados em gerir a coisa pública, mais que sofre com todo este processo é a sociedade, pois os policiais mais antigos estão desmotivados e só esperam a aposentadoria ou o fim da pena, os jovens policiais sofrem as conseguecias pois não tem com quem aprender as nuances da profissão e muitos acabam tombando no cumprimento incorreto da profissão vemos isto claramente em nosso cotidiano, policiais entram em ocorrencias comuns e acabam morrendo, o militarismo é um fungo em nossa instituição e precisa ser combatido, em uma instrução recente um sargento queria pregar para os praças sobre a DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA, fiquei boqueaberto com tanta presunsão, nossa instituição não incorporou nem sequer o direito de primeira geração,que consiste em respeito pelos direitos individuais e fundamentais, nosso codigo de etica é constituido de regras generalitas, incompriensiveis a luz do direito positivado, essa instituição não respeita direitos individuais,coletivos, principios basicos,e querem falar sobre DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA, é muita incoerencia, a farda realmente atrofia a mente, principalmente se tiver estrelas nos ombros elas apertam a cabeça,abra sua mente desmilitarização já.

Anônimo disse...

a mentalidade militarista chega as raias da loucura, estou sob um procedimento administrativo de uma comuniçao disciplinar, recentemente a p1 abriu vista ao processo, verifiquei que a pretençao punitiva do estado ja se esgotou, mas o que mais me surpreendeu foi a posição de uma capitã que me disse que a PMMG não reconhecia a prescrição, ora esta so na policia militar mesmo acontece estas aberrações juridicas punição ad eterno.

Anônimo disse...

eu sou contra o militarismo, pois é um sistema arcaico e humilhante. eu acho ridículo aquelas continências, são coisas retrógradas, o nosso país tem que caminhar a passos que visem o futuro, isso sem contar que muitos, por péssimos salários fazem bicos para complementar sua renda. É uma pena que nosso Brasil tem ideais reincidentes num passado cruel . fora militarismo!

Anônimo disse...

Quem não quer ser militar peça baixa e faça concurso para outra instituição. Acho errado ser tão crítico com a instituição que estamos servindo e que é de onde tiramos nossos proventos. Lógico que tem de haver outras mudanças, mas é totalmente ridículo eliminar todos os preceitos que existem a tanto tempo e que agora vêm se adequando a uma realidade mais humana. Concordo com vários pontos que os colegas levantarama acima, como a questão do CPM que nos pune muito mais do que os civis são penalizados. Mas basta vermos como o surgimento do Código de Ética representa uma evolução na instituição e mesmo com ele vejo vários desleixados e despreocupados com questões básicas como a apresentação pessoal. E as continências são ato de demonstração de respeito, o que é errado é alguns cabeças-quadradas que não reseitam seus superiores e outros que se acham muito acima de seus subordinados. Pois se for ver a realidade, o puxa-saquismo das repartições públicas é muito pior do que prestar continência.

Anônimo disse...

E só pra constar do comentário anterior, sou 2ª CL e vejo que muitos colegas que estão entrando comigo estão nessa por falta de opção, porque não conseguem emprego que pague o equivalente ao nosso salário tão criticado. Nosso salário tem que aumentar e muito, mas em contrapartida sempre existirão os que entram pelo salário e viram um bando de muxiba. Se desmilitarizar e acabar com algumas punições mais serveras para algumas condutas, imagina a anarquia que vai virar, sendo que atualmente já é do jeito que é em algumas localidades. As vielas e os guetos vão vira campo de guerra civil.

Anônimo disse...

bom dia, espero que este post seja um dos ultimos, pois quando postar novamente espero que as policias de todo o pais não seja mais militarizada, espero que os que desejem ser militar se seja, transferido para o nosso valoroso exercito brasileiro, porque lá sim é lugar de militar, policia é coisa de sociedade civil organizada, cuja suas mazelas deveram ser tratada por uma policia desmilitarizada, bem formada, voltada a respeitar as leis do pais, e ser e estar sob seu julgo, cuja sua organização seja decorrente da lei constitucional e não de estatutos proprio que mais são aberrações juridicas, que são impostas aos membros dessas instituições, que os direitos e deveres dado a todo cidadão, seja dado aos policiais dos estados, espero que isto ocorra logo.

Anônimo disse...

olha estava desligando o computador mas, mas certas postagens não podem passar batido pois elas provem de pessoas que continuaram a historia caro colega não pre julgue aquelas carcaças que você ve por ai, pois elas já foram policiais ativos e iludidos como você, não repita palavras que você ouviu e não aprendeu o significado, quem nos dera sermos um pais anarquista, sem politicos corruptos, sem empresarios querendo levar vantagem em tudo a custa da ultima gota de sangue deste povo, tão sofrido e sem esperança, estude e cresça na profissão e na vida nosso futuro esta na suas mãos.

renatohpinto disse...

vamos nos mobilizaodo para desmilitarizamos as policias de todo o brasil

Anônimo disse...

Espero que acabe o mais rapido possivel com o militarismo na PM, não tem necessidade alguma de ser militar..precisamos um uma polícia que tenho direitos e não só deveres!
****Gostaria de saber dos colegas se tem algo marcado para a discussão sobre o assunto?? e se tem algo previsto para o fim do militarismo????

Anônimo disse...

E só pra constar do comentário anterior, sou 2ª CL e vejo que muitos colegas que estão entrando comigo estão nessa por falta de opção, porque não .......... perdoe o aluno ele não sabe oque diz...quando ele vira polícia ele vai saber do que se trata!

Anônimo disse...

Prezados policiais,
Algumas reflexões:
Creio que todos ingressaram em uma instituição MILITAR. Se não gosta do militarismo, por que ingressaram nele?
Você é quem deve mudar e não a profissão que escolheu (ou alguem foi forçado a entrar; aliás, o concurso é "apertado).
Outro ponto para reflexão: se acabarem com o militarismo, quem vocês acham que continuará mandando na "nova polícia": os praças? "Me ajuda aí!!!" Na PF e PC é o delegado, no Tribunal, o Juiz e na empresa privada o dono....isso é a hierarquia e continuará existindo, mas em vez de chamá-lo de capitão, coronel etc, vai chamá-lo de "chefe".
Mais um ponto: se você acredita em papai noel, gnomos e fadas, provavelmente vai acreditar que "de repente", por deixarmos de ser militares, tudo melhorará e os problemas da humanidade serão resolvidos....conheça, antes, duas instituições militares policiais, uma na França e a outra no Chile (país sulamericano), para descobrir o que é eficácia....
Para terminar....você gosta de contar suas férias anuais e prêmio para se transferir para a reserva? gosta da paridade? da promoção trintenária? infelizmente, o civil não tem isso....pense nas coisas boas que você tem e nas suas prerrogativas e vamos melhorar o que achamos ruim. Procure conhecer sobre o assunto antes de nos brindar com sua ignorância e opinião sensacionalista e demagoga.
PS. só pra constar, sou Oficial!

Anônimo disse...

comentando o post acima caro oficial, você vive no brasil e no seculo vinte e um, sua viseira foi lhe imposta por quem seus pais, a sociedade ou o status quo que um coronel lhe prometeu,olha antes de sermos policiais somos sociedade e enquanto sociedade quero e exijo uma polcia de qualidade e sei que isto so sera possivel se fomos desmilitarizados, se de contaram a velha fabula que perderemos o hpm, o ipsm e outras vantagens desculpe mas te enganaram sei que você é oficial e com certeza é mais um que não teve a oportunidade de estudar terminou o segundo grau, e achou-se realizado conm seu curso do CFO, se você estudar mais um pouco vera que o seu mundo podera crescer muito leia mais, demagogia são as ideias que lhe imprimem em seu sub consciente e lhe impedem de ver um mundo sem esta maldita pelicula militar. estou acabando de assistir um reportagem da tv e vi que presos vão trabalhar marchando sera que você gostaria de ser comparado a um presidiario, se você for novo abra os olhos veja um mundo diferente hierarquia e disciplinar não esta vinculado ao militarismo, penso logo existo com certeza você ja ouviu esta frase pena que não compreendeu.ha descartes tambem lamenta.

Anônimo disse...

BOA TARDE SENHORES E SENHORAS, RESPEITOSAMENTE DEIXO MINHA OPINIAO. SOU TOTALMENTE A FAVOR DA DESMILITARIZAÇAO DA PM, VISTO QUE NAO HA NESSECIDADE DE UM REGIME DE 1940, SER APLICADO EM UMA INSTITUIÇAO DE SEGURANÇA PUBLICA EM PLENO SECULO XXI. SO NAO APOIA ESSA MUDANÇA A CLASSE DOS OFICIAIS, PORQUE SAO BENEFICIADOS DENTRO E FORA DA CORPORAÇAO. DEIXO COMO EXEMPLO OS PROCEDIMENTOS DICIPLINARES, ESONERAÇOES, PUNIÇOES E PAD PARA EXCLUSOES, SAO COISA PARA OS PRAÇAS. OS OFICIAIS SE VEEM COMO SENHORES DONOS DA INSTITUIÇOES (PM)E PATROES DOS PRAÇAS. SO QUEM ESTA DENTRO OU JA ESTEVE PRA ENTENDER O QUE DIGO. SEI QUE NAO POSSO DIZER MUITA COISA, MAIS A COISA E FEIA. ISSO TEM QUE ACABAR PARA MELHORAR. DESMILITARIZAÇAO JA.

Anônimo disse...

Boa tarde senhores, a questão da militarização não condiz com certas acertivas feitas durante o assunto, já no começo da discussão foi falado de quem julga, isso é competência funcional e não vai acabar, pode sim ser mudado o militarismo e continuará alguém lá em cima julgango esses questões, más achar que ter curso de direito vai fazer a diferença estão totalmente enganados, pois uma das classes que rimos muito de pouco conhecimento são os advogados ("principalmente os de porta de cadeia", quanto a hierarquia funcional isso não vai acabar nunca, qualquer instituição tem. E as que não respeitam são as piores, claro que alguém que tenha capacidade deve estar a frente. Não vejo o fim do militarismo como a salvação, e sim a educação, essa sim pode mudar os homens e consequentemente as instituições.
Bom como sabemos a POLÍCIA MILITAR nos orgulha e faz a diferença na sociedade, e acredito que isso se deva pela obediência ao regulamento.
Só para concluir sou formado sim em direito, e também a favor da hierarquização e vejo que as mais respeitadas e as de maiores sucessos são das instituições militares.

Anônimo disse...

Caros "xará" (anônimo),

Infelizmente, não podemos nos identificar neste post, pois sofreríamos represálias. Sou o oficial do comentário acima, cujo amigo "anônimo" solicitou que eu estudasse mais. Certamente, minha titulação é compatível com as funções que exerço, o que não significa que deixarei de estudar, pois o faço por vocação.
O problema do colega e de outros não é o militarismo e sim, ter um "chefe". Ser mandado é difícil, principalmente, quando você acha (tem certeza) que aquela pessoa não é mais competênte que você. Isso faz parte da vida e das instituições, incluindo as privadas, com seus respectivos donos.
No entanto, mandar também é difícil, sobretudo quando você identifica que aquela pessoa que está ocupando um cargo público só pensa no que a "sociedade" tem a fazer por ela, quando está sendo paga para servir.
Experimente ser cliente do serviço 190 (sem se identificar como militar) e saberá do que estou falando.
Não se preocupe, a continuar nesse passo, qualquer instituição será extinta, militar ou não.
Nesse sentido, sua contribuição será efetiva.
Por fim, caro "anônimo" estudado e inteligente, se o militarismo acabar e a nossa instituição ainda existir no futuro, vou permitir que você me chame de chefe.

Anônimo disse...

Bom dia senhores

Sou o anônimo do comentário do dia 31 de maio e venho através desse informar que o que foi dito pelo oficial no comentário supramencionado (28 de junho)é a realidade, não é a instituição e o militarismo que incomoda e sim ser subordinado, e isso em qualquer instituição tem, até mesmo nas instituições civis. Agora é totalmente verdade a trágica informação, "ligue para o 190 e não se identifique com PM". Como POLICIAIS devemos primeiramente buscar uma melhoria da qualidade do serviço, tentar se desligar do militarismo está sendo a prioridade, isso não vai mudar a qualidade do serviço, nem da instituição. Buscar o fim do militarismo é remar um objeivo próprio não o da sociedade.
Importante lembrar vai sempre ter alguém como chefe, e a hierarquia vai continuar, o que vai acabar é a marcha, a continência, etc, más não o escalonamento hierárquico.

Fiquem com Deus

Anônimo disse...

infelismente, acho que o caminho é a militarização que resolverá este país corrupto em que estamos.

Anônimo disse...

Pois é... defensores do militarismo escrevem, escrevem e escrevem, mas nenhum expõe a realidade deste sistema injusto e extremamente tendencioso. Estou a quase 8 anos na polícia militar e o que vi até agora é um regime que coloca para comandar viatura um policial que por ser mais "antigo" faz as escolhas e toma as decisões, não aceitando a opinião do mais "moderno", simplesmente pela arrogância de ter um posto/graduação mais alto. Só que o triste é que se vier um superior dele e passar uma recomendação igual a opinião dada pelo subordinado, o policial vai e aceita de pronto. Cansei de ver procedimentos disciplinares serem abertos por escolhas erradas dos ditos mais antigos... e não estou falando de arbitrariedades, mas sim do policial comandante escolher erroneamente qual providência tomar. Estou cansado de ver serem cobradas taxas de segurança pública para empenho de 10 policiais e no final ao assumir o serviço deparar com 20 colegas, sendo que este excedente está saindo de graça para o organizador do evento. Estou cansado de ouvir frases ridículas como "vc quer ser feliz ou ter razão?" De ver superior gritar e colocar o dedo na cara de subordinado ou tb perseguir ou transferir policial por estar "enfezadinho" com o coitado do subordinado. Este maravilhoso mundo do faz de conta que tantos outros policiais apontam que vivem em suas áreas eu nunca vi... na realidade eu desejo mesmo saber que áreas seriam estas em que trabalhar dentro deste regime é este paraíso onde TODOS os direitos são respeitados, a democracia impera e não há EGO prejudicando o serviço. Este regime militar infelizmente cria a permissividade para que se pise no ser humano e isto é uma coisa que qualquer cristão não poderia tolerar. O mais engraçado é a hipocrisia pura de ver denúncias concretas de coisas erradas sendo transmitidas pelos noticiários e ainda vir representantes de comunicação organizacional alegar diante das câmeras que "isto jamais poderia acontecer, é inadmissível na PM. Vamos investigar e punir exemplarmente os culpados!" Fala sério... dói ver este mundinho de faz de conta. Se devemos ser promotores da justiça, moral e humanidade, tb desejo para mim este mesmo tratamento. Falemos a verdade aqui, não ficar de "estória" para boi dormir...

Anônimo disse...

Estou a quase 8 anos na polícia militar e o que vi até agora é um regime que coloca para comandar viatura um policial que por ser mais "antigo" faz as escolhas e toma as decisões, não aceitando a opinião do mais "moderno", simplesmente pela arrogância de ter um posto/graduação mais alto. Só que o triste é que se vier um superior dele e passar uma recomendação igual a opinião dada pelo subordinado, o policial vai e aceita de pronto. Cansei de ver procedimentos disciplinares serem abertos por escolhas erradas dos ditos mais antigos... e não estou falando de arbitrariedades, mas sim do policial comandante escolher erroneamente qual providência tomar. Estou cansado de ver serem cobradas taxas de segurança pública para empenho de 10 policiais e no final ao assumir o serviço deparar com 20 colegas, sendo que este excedente está saindo de graça para o organizador do evento. Estou cansado de ouvir frases ridículas como "vc quer ser feliz ou ter razão?" De ver superior gritar e colocar o dedo na cara de subordinado ou tb perseguir ou transferir policial por estar "enfezadinho" com o coitado do subordinado ....

COM CERTEZA É MENTIROSO....8 ANOS DE POLÍCIA SÓ E VIU ESSE MONDICOISA?!?!?!?!?! E DIZ QUE ESTÁ "CANSADO" DE VER UM TANTO DE COISA ERRADA!?!?!?! ENTÃO LARGUE DE SER OMISSO E BOTA A BOCA NO TROMBONE!!! EU ESTOU NA CORPORAÇÃO HÁ 19 ANOS, SOU 2º SGT E NÃO TENHO NADA A RECLAMAR DO MILITARISMO....MAS SE FOSSE OUTRO MODELO DE POLÍCIA EU ME ADAPTARIA A REGRA DO JOGO E, SE NÃO AGUENTASSE, SAIRIA FORA.....ESSES QUE RECLAMAM DO MILITARISMO SÃO PESSOAS INDISCIPLINADAS E SEMPRE SE ACHAM MELHORES DO QUE OS OUTROS....FAÇAM-ME O FAVOR....ESTUDEM, ESTUDEM, ESTUDEM...CHEGUEM A CORONEL E ABRAM MÃO DE QUALQUER REGALIA QUE LHE SEJA OFERECIDA!!! EITA HIPOCRISIA!

Anônimo disse...

A questão pra mim é simples: Eu via com "bons olhos" o ingresso na Polícia Militar da turma mais nova, com novos ideais, em busca do melhoramento desta corporação pela sua cada vez mais polida capacidade crítica e criativa. " um diamante é valioso desde o seu estado bruto, até seu polimento e formato final." O processo de integração do PM vai muito além da Escola de Formação, prossegue no cotidiano e na interação com os demais." o homem é mais produto do meio do que da sua formação!" A corporação pode e deve mudar para e pelo seus integrantes, porém, a recíproca é verdadeira. Antes de voçê se tornar um severo defensor de uma mudança, principalmente se esta for radical, busque conheçer o porque deste estado atual, o que estará em jogo com a mudança, as raizes, a história, os herois e o sangue derramado sobre este uniforme. E, se nada disto te persuadir a pençar um pouco, demonstre através de exemplos práticos e fieis, que mecânica seria mais adequada. Seja ousado! e defenda a causa sem rancor, sem o extremo do militarismo, ou do militante magoado ou a procura de palanque com os velhos argumentos de que sofreu sob o "jugo da ditadura", ou até dos magoados que tentaram muito, mais não cerraram fileira nesta corporação para poucos bravos!

DAVI MOTA disse...

Boa tarde para todos. Percebo o interesse de muitas pessoas que não são militares e até alguns que o são, na desmilitarização das PMs. Sou Sargento PM há 25 anos. Reconheço que ainda existem muitas conquistas a serem alcançadas, como por exemplo, o fim do RETP (regime especial de trabalho policial), recurso utilizado pelo Estado para não pagar horas extras aos policiais, inclusive os civis. E ainda muito mais avanços que, necessariamente, hão de vir em um futuro próximo. Ora,sabemos que cada policia prevista tem sua atribuição constitucional e peculiar. Portanto, policiais militares brasileiros, não comam comida estragada que lhe ofereçam. Somos a maior instituição da Nação, respeitada pelo povo e com uma história que nenhuma outra possui. Claro está que existem setores da sociedade interessadas em desestabilizá-la para lançá-la na vala comum. Somos diferentes e especiais, por isso incomodamos. Vamos lutar por direitos e vantagens salariais, mas de modo sereno, sempre filtrando as opiniões falaciosas. Tomemos cuidado com essa intelectualidade bandida que tenta se infiltrar em nosso meio.
Abraço a todos!!!

SGT SANTOS disse...

Sou militar a 21 anos,estou acompanhando o desenvolviemnto de nossa polícia militar, posso dizer que já mudou muito,não considero que o militarismo nos coloca no sub mundo da sociedade, que somos piores que os demais,somos apenas diferentes,por isso temos estatuto próprio. O militarismo é a única identidade que ainda que nos resta e nos mantem.Estou certo que com a perda desta identidade certamente iriamos acabar,o produto que oferecemos a sociedade, a segurança publica,não da lucro para ninguém, qualquer firma de segurança é capaz de nos substituir,fato que já esta acontecendo.Todos nos em qualquer firma teremos uma missão a ser cumprida, teremos que produzir ou seremos mandados embora,muitas da empresas não pagam horas extras,colocam no banco de horas, podemos também pleitear estas horas. Os professores podem fazer greves através de seus sincatos, porém não conseguiram nada ate agora, fato que acontece também com a PC.Só temos porte de arma porque somos militares, fato impresindivel em se trantando de segurança publica.As incriços para o CTSP passam de 10 mil, para a ESA, passou de 41 mil, concluimos que esta bem concorrido.Vamos lutar por direitos e vantagens salariais, mas de modo sereno, sempre filtrando as opiniões, sem demostrar desespero de causa.

Anônimo disse...

Concordo com o SGT santos
Como um serviço de VITAL importancia como a policia se tornaria um serviço qualquer?Imagina a policia em greve enquanto ocorre um crime, quem iria proteger a sociedade?O militarismo é dificil sim mas é necessario na nossa sociedade.Já vi comentarios dizendo que existem paises que adotam a ideia de policia desmilitarizada, mas quantos anos estao as suas sociedades mais avançadas que a nossa?Se tivessemos indices de corrupçao parecidos com os da Europa seria totalmente a favor da desmilitarizaçao.Ela é que mantem e garante uma policia firme e honesta(na maioria) pelo fato das puniçoes serem mais graves, e traz beneficios tambem, principalmente depois na hora de se aposentar.Espero que alguem que nao concorde ponha suas ideias para discutirmos saudavelmente e quem sabe algum dia apresentar uma proposta com base em fatos e nao suposiçoes.

Anônimo disse...

SI DESMILITARMOS IMEDIATAMENTE AS POLICIAS DE TODO O BRASIL DAREMOS UM GRANDE PASSO,POIS ESTAREMOS NOS LIBERTANDO DO JULGO DO ESTADO.

Anônimo disse...

O QUE DEVE MUDAR REALMENTE E A MENTALIDADE DOS GOVERNANTES, POIS A CADA GOVERNO O QUE TEMOS É PROMESSAS E MAIS PROMESSAS. DEVIAMOS SER TRATADOS COMO HOMENS DE VALOR QUE ARRISCAMOS NOSSAS VIDAS PELA SOCIEDADE E O QUE GANHAMOS EM TROCA? UM SALÁRIO QUE NOS FORÇA A TRABALHAR EM OUTRA FUNÇÃO PARA PODERMOS COMPLEMENTAR A RENDA, GOSTO DA POLICIA E DE UMA POLICIA SERIA, MAIS SE EU SOUBESSE QUE ENTRARIA PARA A POLICIA NA MINHA EPOCA E FICARIA TANTO TEMPO SEM UM AUMENTO SEQUER, NÃO TERIA ENTRADO. A VERDADEIRA MUDANÇA NO MOMENTO ATUAL SERIA ACABAR COM A DISCRIMINAÇÃO COM OS PRAÇAS E CRIAR UMA UNICA POLICIA MILITAR, ONDE O SOLDADO ENTRARIA NA ACADEMIA, ESTUDARIA TODAS AS MATERIAS PERTINENTES À POLICIA E TAMBÉM DIREITO, FILOSOFIA, PSICOLOGIA E DIREITOS HUMANOS E PUDESSE CHEGAR A CORONEL DEPOIS DE SE FORMAR EM UMA PÓS GRADUAÇÃO EM DIREITO.

Anônimo disse...

GRANDE PENSAMENTO! SO QUE O GOVERNADOR QUE QUISER FAZER ISSO VAI TER QUE SUAR A CAMISA E TAMBEM ESBARRARÁ NA OPOSIÇÃO DOS OFICIAIS SUPERIORES PORQUE A VERDADE DEVE SER DITA, MUITOS FILHOS DE OFICIAIS ENTRAM NA ACADEMIA PARA SIMPLESMENTE COMANDAR, MAS NESTA NOVA MENTALIDADE DE POLICIA, ELE TERIA QUE TRABALHAR NAS RUAS E ISSO E MEIO ARRISCADO, ENTÃO NÃO SERIA UMA BOA IDEIA DEIXAR O FILHO NUMA SITUAÇÃO DIFICIL, POR OUTRO LADO, PARA A SOCIEDADE SERIA UMA SITUAÇÃO TOTALMENTE INTELIGENTE PARA QUEM QUER MUDAR A MENTALIDADE DE UMA POLICIA ARCAICA E COM UM REGULAMENTO TOTALMENTE DITATORIAL, PARA UMA POLICIA FORMADA POR HOMENS COM O PENSAMENTO NO DIREITO E NOS DIREITOS HUMANOS, ALEM DO PENSAR FILOSOFICO E COM NOÇOES DE PSICOLOGIA.

Anônimo disse...

Esse militarismo é absolutamente arcaico.

Anônimo disse...

Concordo com a desmilitarização da PM, é um sistema não mais condizinte com a nossa realidade, mas trata-se de mudanças na constituição, crie que ja existe até uma pec em relação ao assunto. Enquanto isso não acontece, vamos lutar para mudanças no sistema de promoção de praças da pmmg. vi uma materia bastante interessante neste site: www.informativopolicial.com.br

Anônimo disse...

estou cansado mas quero a ultima palavra, demilitarização já
é chegada a hora vamos nos mobilizar para acabar com este regime autoritario e nojento cheio de pervesidade e assedio moral, na policias militares de todo o brasil não existe hieraquia e disciplina a muito temp, o que existe é o assedio moral diario e a subviniencia explita e covarde.

Anônimo disse...

apreciei bastante o tema sobre o grande debate da demilitarização,o que engraçado é que um país em que só se fala em democracia ainda exista essa instituição policia militar.onde seu principio está ligado diretamente há extinta ditadura militar onde era e ainda é o braço de ferro do ESTADO usada para nada mais que reprimir toda a sociedade ainda que diga ser pacificadora pois não importa se somos militares ou seremos só policias estaduais sempre faremos nossos serviços com dignidade e respeito pois o militarismo só ensina a reprimir sem direito de dignidade não vivemos e compomos a policia militar para sermos só um soldado de guerra para o ESTADO pois temos familia e temos que ter cidadania para sermos respeitado como policiais da sociedade....

Anônimo disse...

Muito interessante o debate aqui exposto sobre esse tema, a desmilitarização da PM.Além de desmilitarizar, é preciso também criar carreira única nas polícias estaduais unificadas. É preciso acabar com essas duas portas de entrada nas polícias. Quanto à manutenção do militarismo, que a defende ou é oficial e pouco trabalhou nas ruas, em serviço operacional ou é praça que também não trabalhou nas ruas e não sofreu as contradições do militarismo, aplicado à realidade da polícia. Quanto à "vala comum" a que seriamos atirados com a desmilitarização, acredito que é possível preservar as conquistas, como previdência própria, como a que os senhores têm aí em Minas Gerais. Agui no Paraná, nós policiais militares inativos recebemos pela Paranaprevidência, um instituto ao qual pertencem todos os funcionários inativos do estado. Mas existem estudos para se criar uma previdencia própria para os militares estaduais. Mas para desmilitarizar as forças estaduas, é necessário mudanças na CF.Essas conquistas podem perfeitamente serem preservadas, se formos considerados uma categoria especial de servidores civis, devido às peculiaridades da atividade policial. Tudo é questão de representatividade na Câmara Federal, onde é muito dificil acontecer alguma coisa, devido aos Lobbies fortes dos poderosos, que não querem mudanças para não perderam privilégios. Obrigado ao responsável pelo blog pela oportunidade para expressar minha opinião.

Anônimo disse...

Caros companheiros,

Temos que nos unir, a fim de conseguir adicional periculosidade, enfim quer serviço mais perigoso que o nosso? Agora , é preciso disciplina para manter uma tropa de mais de 45000 combatentes e se não o tiver sei não.. Somente a gloria pode lhe proporcionar descansar aos 48, 50 anos, com bom salário e ainda curtir os netos e família!!! Ahh e o nosso Hpm tbm , muitos os invejam e já tentaram nos tomar duas vezes, 2002, 2004 Atençãooooooooo temos que ficar atentos!!!
O DIREITO NÃO SOCORRE OS QUE DORMEM!!!

Anônimo disse...

Realmente a Polícia Militar evoluiu bastante e hoje está de certa forma se amoldando de acordo com os preceitos constitucionais, contudo, acredito eu como Militar que sou, que o nosso maior problema hoje é com o publico interno, pois, com relação à tropa a Instituição Polícia Militar, não quer evoluir, não quer garantir ao Militar o respeito aos seus direitos constitucionais advindos com a CR/88, mas atua de forma autoritária e arbitrária, através de regulamentos, resoluções e memorandos, que na maioria das vezes são inconstitucionais, porém são aceitos, porque interessa aos Oficiais superiores, aos Juízes Militares, aos políticos, manter o controle da tropa, mesmo que de forma arbitraria e ilegítima.

É por isso que nós Policiais Militares queremos a desmilitarização ou uma Polícia Militar mais justa com a tropa, porque os oficiais superiores não querem respeitar nossos direitos constitucionais e sim, querem nos massacrar com regulamentos arcaicos, para manter hierarquia e disciplina e para satisfazer os desejos dos mais poderosos.

Anônimo disse...

O mais importante para nós Policiais Militares não é a desmilitarização e sim mais humanização da Instituição com o seu público interno, garantindo aos Militares os direitos constitucionais da CR/88.

Precisamos de uma justiça militar imparcial, que atue dentro dos preceitos constitucionais, que se necessário tenha Juiz Militar que seja praça também, para que dessa forma ela seja mais democratica e legitima. Certamente seria uma quebra de paradigma, um evolução, transformação.

Ou que se acabe com a justiça militar, que tem atuado de forma parcial, punindo na sua maioria os praças com julgamentos injustos.

E não adianta dizer que temos que sair da PM, porque não concordamos com as regras atuais, pois, queremos ficar aqui e queremos transforma-la, da mesma forma que a transformamos através da revolução de 1997 em MG, que se expandiu para outros estados da federação.

Anônimo disse...

Queremos uma Polícia Militar, mais humana e mais justa com o público interno.

Queremos uma Policia Militar com o ciclo completo de Polícia, com carreira única e menos postos e graduações.

Queremos uma Polícia Militar que seja valorizada, com um salário condizente com as responsabilidades dos Polciciais e que possa garantir a sua dignidade humana.

Com isso não precisa desmilitarizar, pois, mudando a forma não quer dizer que ela será mais eficiente, mas se ela evoluir, o policial saira ganhando e a sociedade muito mais, pois terá um agente mais preparado e motivado para trabalhar em prol do cidadão.

Postar um comentário

Comentários - Regras e Avisos:
- Nosso blog tem o maior prazer em publicar seus comentários. Reserva-se, entretanto, no direito de rejeitar textos com linguagem ofensiva ou obscena, com palavras de baixo calão, com acusações sem provas, com preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com a legislação nacional.
- O comentário precisa ter relação com a postagem.
- Comentários anônimos ou com nomes fantasiosos poderão ser deletados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem a opinião deste blog.
- Clique aqui e saiba mais sobre a política de comentários.

 
Os pontos de vista aqui publicados são de responsabilidade dos respectivos autores, não representando versões oficiais de quaisquer instituições.
© 2007 Template feito por Templates para Você - Deformado por José Ricardo
▲ Topo