O que pensam os profissionais de segurança pública no Brasil

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Convido todos os leitores do Universo Policial a lerem aqui, aqui e aqui a reportagem da revista Época sobre uma pesquisa inédita feita com 64 mil policiais em todo o país pelo Ministério da Justiça em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). De acordo com a reportagem, o estudo mostra, em números, não só quanto o policial brasileiro é despreparado, mas também como ele é humilhado por seus superiores, torturado nas corporações e discriminado na sociedade.

Trechos:
E qual é a razão desse tipo de “treinamento”? “Eles tratam o policial como um animal, dizem que o PM tem de ser um animal adestrado. Depois, soltam esse animal em cima da sociedade”, diz.
Se o diagnóstico feito pelos próprios agentes é confiável, a situação que eles vivem é desalentadora: um em cada três policiais afirma que não entraria para a polícia caso pudesse voltar no tempo. Para muitos deles, a vida de policial traz mais lembranças ruins do que histórias de glória e heroísmo.
Em Manaus, um oficial que prefere não se identificar conta que foi impedido de sair do serviço no Dia das Mães. “Eu estava saindo e me perguntaram se eu tinha servido água no jarro do instrutor. Eu tinha esquecido”, diz. “Eles me fizeram passar o dia enchendo um bebedouro de 300 litros com uma tigela onde só cabiam 300 mililitros”, afirma o PM, que publicou num blog imagens de alunos fazendo flexões com a cara virada para um meio-fio imundo.
Entre os policiais de alta patente, 41,3% disseram que fingiriam não ter visto um colega recebendo propina. Já entre os praças, o porcentual cai para 21,6%. Chama a atenção o número dos superiores que ainda tentariam se beneficiar da propina: 5,1% dos delegados e 2,8% dos oficiais da PM disseram que pediriam sua parte também, em comparação a 3,7% dos policiais civis e 2,1% dos praças.
A pesquisa que mostra velhos vícios também revela o desejo de mudança e derruba velhos mitos, como o de que há uma resistência grande dos agentes à unificação das polícias. Apenas 20,2% dos policiais se declararam a favor da manutenção do modelo atual, que mantém PM e Polícia Civil separadas, uma atuando no patrulhamento, outra na investigação. Para 34,4% dos policiais ouvidos, o ideal seria a unificação das duas forças, formando apenas uma só polícia civil, dita “de ciclo completo” – ou seja, encarregada de patrulhar, atuar em conflitos e também de investigar os crimes.
“O resultado mostra que há uma disparidade enorme entre o que dizem os comandos, algumas associações de policiais, os governos e o que quer a massa dos policiais. Os policiais querem a unificação. Se ficarmos ouvindo apenas as lideranças, estaremos manipulados por alguns grupos e lobbies que querem manter o estado atual porque se beneficiam dele”, diz o ex-secretário nacional de Segurança Luiz Eduardo Soares, coautor do estudo e também de livros como Elite da tropa e Espírito Santo.
Uma situação que Ribeiro define muito bem: “A polícia hoje está doente e coloca a sociedade em risco. Esse modelo já demonstrou que não dá ao cidadão a resposta adequada, e a prova disso está nas ruas todos os dias. É preciso fazer alguma coisa já”.



Gostou desta postagem? Então cadastre-se AQUI para receber as atualizações do Universo Policial no seu e-mail ou no seu agregador de Feed/RSS.

30 comentário(s):

Anônimo disse...

Sd Hugo

Tive a oportunidade de ler a matéria do periódico e também de participar da pesquisa. Pelas conclusões, nós militares, vivemos situações parecidas em todos os estados brasileiros.
No meu ponto de vista, o militarismo é um método ultrapassado, pois todos evoluiram e até mesmo quem ingressa, hoje, nas instituições militares possui nível de conhecimento muito superior como os de antigamente.
Pelo menos, a matéria do periódico é de boa intenção, levando ao conhecimento do público a vida na caserna e dessa vez, não ficaram sacrificando a polícia em mais uma ocorrência que tivesse acontecido.
Logo, eles estão preocupados em melhorar nossa polícia e valorizar nossos profissionais.

Jeferson Santos disse...

A realidade veio à tona, cientificamente comprovada. A caixa preta foi aberta. Para os que tanto gostam de números, de estatísticas, aí estão elas.

Anônimo disse...

ENTREI NA POLÍCIA VOCACIONADO. MAS DIANTE DE TUDO QUE VI E VIVI, NÃO HÁ VOCAÇÃO QUE SUPORTE...

Anônimo disse...

Finalmente a sociedade está acordando para a realidade. Somente com sua participação efetiva e compromissada o destino da segurança pública será mudado. Este com certeza é o primeiro passo para um novo tempo. Pesquisas com aqueles que estão realmente vivendo e sofrendo as árduas horas no trabalho policial e muito informação, sem disfarces, são os ingredientes para uma Nova e Moderna Polícia. Mais ainda é muito cedo para comemorar algo nesse Brasil.
Outro fator importante que deve ser analisado profundamente é a extinção do militarismo na Polícia. Para aqueles que a defendem com unhas e dentes, acredito ser o melhor caminho entrar para o Exército, Aeronática ou Marinha. Nessas instituições sim, serão felizes. Marchar o dia inteiro e dar ordens para jovens sem destino, além de que o relacionamento com a população é mínimo. Qualquer semelhança com nossos oficiais terá sido mera coincidência, ok???

Quando um político tem interesse financeiro, muita coisa pode melhorar. Com a aproximação de eventos esportivos mundiais (Copa do Mundo 2014 e Olímpiadas 2016) acredito que vá existir mais interesse e investimentos na área de segurança pública. Porém, prezado colega leitor, não se iluda achando que o Governo está solidário com nossos problemas. O que existe é apenas um interesse mesquinho desses políticos vampiros que temos nesse país.

José Ricardo disse...

Realmente, a pesquisa traz em números o que pensam os profissionais de segurança pública, e olha que também foram entrevistados pessoas com poder decisório, como oficiais e delegados. Imaginem se a pesquisa se limitasse em ouvir apenas a base.

O que mais me impressionou foi a pesquisa na qual 72,2% dos entrevistados reconheceram que há mais rigor com as questões internas - como exigir botas perfeitamente engraxadas - do que com fatores que afetam, de fato, a segurança pública. Fez-me lembrar da história abaixo:

O gerente de vendas recebeu o seguinte fax de um dos seus novos vendedores…

'Seo Gomis o criente de Belzonte pidiu mais cuatrucenta pessa. Faz favor toma as providenssa, Abrasso, Nirso.'

Aproximadamente uma hora depois, recebeu outro:

'Seo Gomis, os relatório di venda vai xega atrazado proqueto fexando umas venda. Temo que manda treis miu pessa. 'Amanhã tô xegando. Abrasso, Nirso. '

No dia seguinte:

'Seo Gomis, num xeguei pucausa de que vendi maiz deis miu em Beraba. To indo pra Brazilha. Abrasso, Nirso.'

No outro:

'Seo Gomis, Brazilha fexo 20 miu. Vo pra Frolinoplis e delá pra Sum Paulo no vinhão das cete hora. Abrasso, Nirso'.

E assim foi o mês inteiro.

O gerente, muito preocupado com a imagem da empresa, levou ao presidente as mensagens que recebeu do vendedor.

O presidente escutou atentamente o gerente e disse:

'Deixa comigo, que eu tomarei as providências necessárias'.

E tomou.

Redigiu de próprio punho um aviso e fixou no mural da empresa, juntamente com as mensagens de fax do vendedor:

'A parti de oje nois tudo vamo fazê feito o Nirso. Si priocupá menos em iscrevê serto, mod vendê maiz.'

Acinado,

O ' Prizidenti.'

Anônimo disse...

O militarismo tem seu lado ruim mas também o bom. Teremos nós que passar para o IPSENG? Reformar com 35 anos de serviço? andar com brinco e barba no meio da rua?

Temos que tirar os maus militares e não somente criticar o sistema.

E sobre a unificação, os países mais modernos do mundo não passam por isso, ao contrário, existe inclusive um tipo de concorrência entre policias. Claro que não em todos os países. E o Brasil, que é o país do oba-oba, a unificação não seria boa, pois perderiamos muitos direitos e prerrogativas.

Anônimo disse...

Hoje, o exército, prestes a ter tb o poder de polícia, busca este direito justamente por serem militares e para poderem ser julgado pela justiça militar. Vc companheiro, no uso de suas atribuições, gostaria de ser julgado pela justiça comum? quem fala que sim é porque não conhece o sistema judiciário.

José Ricardo disse...

Eu gostaria, pelo menos teria certeza que o juiz é formado em Direito, que passou num concurso para estar ali.

Anônimo disse...

Após dez anos de serviço descobri, é melhor andar com as botas brilhando, ao invéz de prender bandido. Depor nas horas de folga numca mais, minha família precisa da minha compania em casa, e tem outra, tenho que fazer o trabalho da facudade pois a pm não me libera nem um minuto mais cedo, bom quanto mais burros somos melhor pra eles

Anônimo disse...

Assim é fácil falar, simplesmente ver as coisas superficialmente. Para melhorar falta muita coisa e nao só acabar com o militarismo. E faculdade, curso superior, nao eh sinonimo de integridade. Não abaixe o nível da conversa, nao pense que vc esta sempre certo pois nao esta. Conheço e muita gente, em todos os níveis, injustas, "formadas", que pra vc equivale a um nivel intelectual alto... infelizmente... aprenda a ver os dois lados da moeda. Um abraço

Anônimo disse...

esta ultima foi pra vc jose ricardo

Anônimo disse...

Para mim a polícia pode continuar sendo militar, porém, deve reformular seu codigo, seu regimento interno, atualizando eles de acordo com a realidade atual, para que o policial tenha maior liberdade para trabalhar, não sendo necessário se preocupar com coisas impertinentes. A unificação, tendo uma unica polícia e militar para fazer o ciclo completo de polícia. Isso seria muito bom, acompanhado de varias mudanças nas estruturas da policia, para absorver o novo sistema com eficiencia. Um exemplo, seria a redução de cargos hierarquicos, plano de carreira, ensino superior para candidatos ao cargo de policial, etc.
O militarismo, como sistema administrativo funciona muito bem, pois não acho recomendavel acabar com o militarismo e sim atualiza-lo para que ele esteje em sintonia com o sistema. Reformas em outros orgãos também seriam benvindas e ajudariam mais ainda.

Anônimo disse...

cconcordo !!a instituição policial militar assim como toda segurança pública no brasil é uma instituição falida e necessita urgentemente de uma nova reformulação.os tempos mudarm o crime está organizado e a polícia não. a polícia precisa de menos patrões.o plicial não pode ser leal auma instituição que o despreza e o trata como bichos. os regulamentos podem até moldar os habitos dos policiais mas jamais as ideis e o conhecimento que o policial carrega consigo. por isso a melhor forma do policial se livrar desse sistema ultrapassado é se informando cad vez masis a respeito dos seus direitos do direito do cidadão e se intruir cad vez mais.

José Ricardo disse...

Anônimo das 16:00, eu não sou dono da verdade e, em nenhum momento, abaixei o nível da conversa. Antes de escrever qualquer postagem, analiso o assunto sob variados ângulos. Mas defendo o meu ponto de vista até o fim.

Grande abraço.

Anônimo disse...

Ao josé ricardo..

olha o que vc disse "Eu gostaria, pelo menos teria certeza que o juiz é formado em Direito, que passou num concurso para estar ali."

Tiradinha boa a sua. Comentario muito "inteligente". Como formador de opinioes tem que ter cuidado o que fala, pois uma maioria que nao tem opiniao própria vai logo a favor de qualquer coisa que le. Vide Globo, SBT, etc. Textos bonitos soh impressiona leigos. Vou deixar este assunto quieto, um abraço.

Anônimo disse...

Nível academico não traz apenas integridade social, moral... também eleva o nível de conhecimento, cria habilidade em ser crítico, mas nunca cético. Você começa entender por que as coisas são assim arcaicas, concordo plenamente quando alguém fala que o policial tem que ser um idividuo social, entedendo porque as coisas estão dessa maneira, analisar politicamente o porquê. Será que as tecnologias e o mundo moderno não deixou as PMs de fora? VAI SABER

Anônimo disse...

com 95% das faculdades sucateadas, onde jah vi gente formada em ciencias da computacao que n sabia anexar um arquivo no msn? Nao que ele seja obrigado, mas realize uma pesquisa de 10 segundos no menu. Faculdade de Direito? dá um tiro numa arvore que cai 15 advogados.. faculdade eh bom para os poucos que sabem aproveitar, inclusive nos, PMs que fazemos a maioria Direito, esperando uma bocada, sem ao menos gostar da área... sem comentários, a realidade do Brasil, de minas, e dos mal informados que falam o que nao sabem esta dificil de aguentar

Anônimo disse...

e anonimo de 11 de Novembro de 2009 13:58, fica esperto, faz unipague que vc melhora, e muito.. e integridade moral e social se aprende em casa, e nao com um bando de gente numa sala que nao se aprende quase nda

Anônimo disse...

Bom! sei que a realidade hoje de nosso país é herdada de heranças culturais do passado certo. Quando alguém cita a palavra social, ela não deve ser soada como uma palavra paternalista para os agressores da sociedade, mas sim para o cidadão de bem, infelismente estamos pagando um preço alto pela nossa profissão principalmente quando alguma falha nossa cai na mídia eles que o formam não tem dó nos arrebentam, sei também que uma sala de aula não faz nenhum profissional, pois não é a faculdade que faz o aluno e sim o aluno que faz a faculdade, trazendo novos conhecimentos e o mais importante que esse mesmo conhecimento seja compartilhado com todos de forma mutua.
Trabalho e moro numas das regiões mais violentas do Brasil e sei o quanto é difícil, principalmente se não existir um trabalho de inteligêcia policial, fica complicado pra nós. É isso que eu prego nada mais. valeu gente!!!

Anônimo disse...

o cidadão que defende o militarismo , deveria fazer um exame de sanidade mental,devemos defender a liberdade, a igualdade, justiça para todos , andar na contra mão da sociedade; como eu já disse o cidão que devende o militarismo, não deve ser normal, tem que fazer um exame de sanidade mental.....................................

Anônimo disse...

de novo...

a quem NAO defende o militarismo, principalmente se for Cabo/Soldado, entra pra PC, aproveitar seus 35 anos de serviço e IPSENG. Agente ganha o mesmo tanto que Soldado, e nao venha com conversa que gosta da POLICIA MILITAR DE MINAS GERAIS, jah que vc defende o FIM DO MILITARISMO. Eu como SOLDADO defendo o militarismo e pronto. Sinto ORGULHO disso, será que vc consegue entender??? Ou vc pensa em ser Policial Militar Civil de Minas Gerais? Isso existe? Abra os olhos, pq vc segue uma maioria (ou nao) que nao tem opiniao propria.

Anônimo disse...

Sou Soldado e prefiro o Militarismo do que a Polícia Civil do jeito que está. A PC não tem efetivo, equipamentos, viaturas, estrutura necessária para realizarem o trabalho deles. Por causa de vários anos de abandono do Estado a corrupção tomou conta da PC.
O sistema precisa ser reformado, tem que ter uma única Polícia, Militar ou Civil, que faça o ciclo completo de polícia.
O certo é que tem que ser organizada, estruturada, com respaldo legal e pessoas preocupadas em defender a sociedade e o Estado Democratico de Direito.
Mas a sociedade tem que querer essa Polícia eficiente, enquanto isso não acontecer vamos ficar vendo e ouvindo um monte de pessoas influentes falarem que tem que mudar e uma festa de palpiteiros toda hora, mas mudança mesmo só no pensamento e aquela sensação de frustação e país atrasado rodeará a nossa imaginação sempre.
Nós policiais na maioria queremos esta mudança, mas acho que a Elite da sociedade não quer e não esta preparada, pois estão emersos na corrupção, vivem pelo dinheiro, luxuria, sexo e poder. Os pobres, a classe média, que se danem, é o que pensam.
Cabe a sociedade em sua maioria se mobilizar exigindo mudanças na organização das policias, do judiciario, do sistema prisional e das leis.
Porque se o cidadão vai ficar preso ele tem que ter condições dignas de se socializar, não pegar o cara e jogar na cela e querer que ele regenere do dia paro outro de qualquer maneira. Se pega um cara e joga ele na numa cela cheia de presos, sem higiene, e outras mazelas o que ele tem que fazer é tentar fugir, só um doido pra querer ficar num lugar subhumano.
Enfim a sociedade tem que trabalhar junto com o Estado para o bem de todos e não de uma parcela da sociedade(elite corrupta).

Anônimo disse...

quem devende o militarismo vai para as forças armadas, lá é que é o serne do militarismo, não militarismo feito nas coxas,aleijado, um monstrengo , frankisten...............

Anônimo disse...

militarismo é para o inimigo externo ou seja defesa da soberania do Brasil , não do cidadão brasileiro; o povo brasileiro não merece ser tratado como inimigo do Brasil e sim! como cidadão do Brasil.........................

Anônimo disse...

quem defende o militarismo , não quer servir o povo brasileiro , mas sim , mamar nas tetas do tetas , segundo suas próprias consupiciencias, esconder atrás de pseudo poder, que não defende o cidadão ,mas uma minoria, que se esconde atrás de um falso poder; se aproveitando das migalhas da burguesia, uma policia clientelista , assistencialista e paternalista.................................

Anônimo disse...

bom para quem gosta de militarismo vai para o iraque pra voce ver o quanto é bom, ou melhor tenta entrar na legião estrangeira la é legal voce vai amar.

Anônimo disse...

Bom eu penso o seguinte, o governo não tem outra forma de controle para a pm a unica ferramenta que tem e o militarismo entendero estamos num jogo de cartas marcadas. é mais fácil dar ordem unida doque ensinar gramática, é a coisa esta estática.

Anônimo disse...

O que o cara de cima falou tem certa razão, o militarismo é um meio de organização e controle e de certa forma eficiente.
Devemos sempre ponderar quando queremos mudanças, para que elas se vierem e quando vierem não nos prejudique ainda mais.
Eu penso não na extinsão do militarismo nas policias e sim na sua reformulação de acordo com os padrões modernos, compatíveis com o Estado Democratico de Direito.
O cidadão entra na Polícia como soldado, se quiser é só estudar e fazer um concurso interno para sargento, (CFS), ou faz o CFO, caso não queira fazer nada é só aquardar a promoção e ir para a reserva como 3º Sargento, na pior das hipóteses.
O cara tem que saber o que quer da Polícia e o que quer ser e fazer dentro da Polícia. Se for oficial vai ficar no máximo uns 12 anos na área operacional se quiser, senão sempre vai ter uma moita te esperando, porque na área operacional atua na maioria os Soldados, Cabos e Sargentos e alguns Tenentes, mas o policial que queira ou necessite pode conseguir uma vaga na administração e ficar fora dos BOs da rua. Portanto o militarismo não é tão ruim assim, depende da unidade, isso varia muito, e do Estado também, aqui em Minas Gerais, o Código de Ética esta bem melhor que o RDPM, os militares tem mais direitos, não tem prisões administrativas, pelo que eu saiba, mas ainda deve e pode melhorar, para que a policia e os policiais possam acompanhar a evolução da sociedade em prol do seu progresso.
Realmente em vários Estados da Federação, ainda não houve uma reformulação e se aplica o RDPM, estas policias realmente tem muito a reclamar, porque o RDPM é anterior a CF88 e nele não estão elecandos os preceitos constitucionais que vão de acordo os Direitos Humanos e ainda, tem o Código penal Militar o qual todos nos Miltares estamos sujeitos e que contem artigos já ultrapassados. Portanto isso da margem para o cometimento de várias arbitrariedades contra os militares.
Defendo uma nova Polícia que faça o cilclo completo de polícia, não importa que seja Militar ou Civil, mas que tenha mais organização e condições de atuar no cumprimento de sua missão em prol da sociedade, na defesa dos bons e justos.
Mas deixo claro que prefiro o militarismo, não como está, mas com a sua reformulação, abarcando os preceitos constitucionais.

Soldado Anônimo.

Anônimo disse...

Não quero aqui defender se polícia deve ser militar ou não, polícia tem que ser polícia e isto é o que importa. É bom entender que militarismo é uma forma de administrar,inclusive o caos de uma guerra. Militarismo é meio,não é fim, um exército regular tem por finalidade a guerra e como meio a administração militar, uma força de guerrilha pode não ser militar e ter como finalidade a guerra. Um médico no Exército, não deixa de ser médico por ser militar e exerce normalmente o mister da medicina dentro da prória Força a que pertence e fora dela.Uma polícia tém por finalidade a segurança pública é não perde este foco por ser militar. A Guarda Civil Espanhola é militar, a polícia nacional francesa é militar, a polícia nacional italiana é militar, a Polícia Montada do Canada é militar, a policia inglesa é militarizada, a polícia americana é militarizada.
As táticas e técnicas das açoes políciais, das mais simples as mais complexas, têm por berço a infantaria, as táticas de contrôle de distúbios da polícia de choque, com emprego de escudos, capacete e bastões, tem sua origem nas legiões romanas. A ordem unida, tão propalada e imcompreendida, é o exercício mais prático que existe de trabalho em equipe, não sendo exclusividade dos militares, pois, a preparação física de jogadores de futebol, basquete, volei, ginástica calistenica etc, é efetivada por ordem unida. Estes comentários tem por finalidade esclarecer, não apenas criticar. Para ser militar, assim como, para ser policial, tem que ter vocação, os rebeldes sem causa e os insatisfeitos de plantão que procurem um lugar onde possam ser úteis de acordo com suas vocações, não é o bacharelismo nem tão pouco a militarização ou a desmilitarização da polícia que vai resolver o caos em que se encontra a segurança pública no país.

MARCELO disse...

Infezlimente vivemos numa falsa demicrácia, onde a sociedade cobra + ações, empenho, equilibrio, postura, disciplina, treinamentos adequados e respeito com a sociedade, porém, o que nós recebemos do Estado, de nosso comandantes e da sociedade?
O Estado que remunera péssimamente o profissional e dá maus condições de trabalho, e dentro de noosa segunda casa "quartel" como dizem os nossos superiores..... somos humilhados, tratados e usados como peças descatáveis, onde não podemos reivindicar nossos direitos..... DIREITOS.. KKKKKK RISOS. O que isso? Na atividade policial direitos sãos apenas para o escalão superior, onde desfrutam de todas mordomias de um sistema onde só eles são beneficiados,com ultilização indiscriminada de viaturas "transporte pessoal e de seus familiares" e de vários policiais que ficam a sua disposição
VEJAM SÓ QUE ABSURDO DA LEGISLAÇÃO.... UM CIDADÃO QUE MATA EM ACIDENTE DE TRÂSITO, É CONDUZIDO PARA A DELEGACIA PRESTA ESCLARECIMENTO E É LIBERADO EM SEGUIDA, RETIRANDO DO SEIO FAMILIAR UM PESSOAL QUERIDA E AMADA E O MAIOR BENS TUTELADO PELA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA. E O POLICIAL É PRESO, FLAGANTEADO, HUMILHADO POR APENAS UM SIMPLES DESINTENDIMENTO COM SEU SUPERIOR, TENDO QUE FICAR PRESO EM XADREZ POR 90 (NOVENTA) DIAS. QUE VERGONHA... CADÊ OS DIREITOS HUMANOS.......
POLICIAL NÃO É HUMANO, É APENAS UM SERVIDOR DE ULTIMO ESCALÃO, ONDE É COBRADO PELAS SUAS AÇÕES, E NUNCA RECONHECIDO PELA SUA DEDICAÇÃO, RISCO A PRÓPRIA VIDA E UM SALÁRIO DE VERGONHA..... ESSA É A REALIDADE DO POLICIAL
MARCELO, POLICIAL, BRASILEIRO NATO, CUMPRIDOR DE TODAS AS SUAS OBRIGAÇÃOES E UM CIDADÃO COMUM....
C I D A D Ã O..... S E R Á?
COM A RESPOSTA, TODAS AS AUTORIDADES

Postar um comentário

Comentários - Regras e Avisos:
- Nosso blog tem o maior prazer em publicar seus comentários. Reserva-se, entretanto, no direito de rejeitar textos com linguagem ofensiva ou obscena, com palavras de baixo calão, com acusações sem provas, com preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com a legislação nacional.
- O comentário precisa ter relação com a postagem.
- Comentários anônimos ou com nomes fantasiosos poderão ser deletados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem a opinião deste blog.
- Clique aqui e saiba mais sobre a política de comentários.

 
Os pontos de vista aqui publicados são de responsabilidade dos respectivos autores, não representando versões oficiais de quaisquer instituições.
© 2007 Template feito por Templates para Você - Deformado por José Ricardo
▲ Topo