Poucos enxergam as correntes

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Fecho os olhos e imagino o recém-nascido elefante preso por correntes a uma estaca. O elefante puxa, força e tenta se soltar. Apesar de todo o esforço, não consegue sair. A estaca certamente é muito pesada para ele. O pequeno elefante tenta, tenta, e nada. O atrito com a corrente lhe provoca ferimentos e dores muito fortes. Depois de nove, dez, dezoito, trinta e seis ou quarenta e oito meses, já cansado e muito lesionado, ele aceita o seu destino. Neste momento, está domesticado, a corrente está no subconsciente. Um simples barbante é capaz de causar a submissão desse enorme animal.

Os elefantes são adestrados para servirem aos seus donos, a qualquer hora, a qualquer dia, sem reclamar de nada, sem exigir conforto, alimentação, abrigo e descanso. O animal deve dedicar-se inteiramente ao serviço. Obediência irrestrita, cega. O dono manda, o elefante obedece. Jamais questiona as ordens. Missão dada, missão cumprida.

Já adulto, quando o elefante gesticula seu descontentamento, o dono logo lhe mostra algo parecido com uma corrente; pode ser uma corda ou um simples barbante. O grande animal logo se resigna, pois o autofluxo do pensamento lhe traz recordações dos ferimentos e das dores do adestramento. O elefante aceita seu destino, aceita a prisão.

O elefante não sabe a força que tem. Com mais de cinco toneladas, ele é capaz de arrancar uma árvore, de puxar um caminhão morro acima. Mesmo que não arrebantasse as correntes, poderia com facilidade arrancar a estaca do chão e fugir.

Assim como o elefante, o homem também pode ser adestrado a ser submisso, a ser cegamente obediente, a nada questionar. É só adestrá-lo com correntes, algo que lhe provoque dor ou sentimento de negação do próprio ser. Claro que falamos de correntes no sentido figurado Mas essas correntes existem, embora poucos as enxerguem.

Às vezes, as correntes são sutis, quase imperceptíveis. Obrigar a pessoa a andar com as mãos para trás, de cabeça baixa, sem motivo, apenas para mostrar quem é que manda, que a pessoa deve apenas obedecer, sem questionar, sem procurar uma lógica, uma explicação para aquilo. Se não cumprir, castigo, muitas vezes velado, escuso, obscuro. Notas, serviços, perseguição... A corrente está lá, se você fizer força, ela vai cumprir com o objetivo de prender e de machucar. A dor é para moldar a submissão irrestrita. Animal não pensa. A vida animal exige poucas ideias.

Depois de domesticado, o homem está pronto para cumprir a missão a qualquer hora do dia ou da noite, sem exigir hora-extra, adicional noturno, auxílio transporte, auxílio periculosidade, equipamentos de proteção... Nada, o homem não exige nada. Apenas cumpre, sem reclamar, sem procurar uma lógica, sem ponderar. Foi domesticado a ser obediente, submisso. Tudo pelo interesse do dono, de seus caprichos, de suas idiossincrasias.

O homem não sabe a força que tem. Se unido com seus pares, ele é invencível. Mas, ao lhe mostrarem algo semelhante a uma corrente, ele logo se resigna. O autofluxo do pensamento lhe traz recordações das dores da domesticação. A corrente está no subconsciente. Ele pensa que não pode, que não tem força...

As correntes estão lá, encarcerando-o, mas ele não vê.

Referências:



Gostou desta postagem? Então cadastre-se AQUI para receber as atualizações do Universo Policial no seu e-mail ou no seu agregador de Feed/RSS.

30 comentário(s):

Anônimo disse...

Nem no holocausto a subversão resultou em algo produtivo. Incitar qualquer manifestação coletiva em Instituição Militar é Motim. Não é bom para a tropa, para a sociedade ou mesmo para o interessado.

José Ricardo disse...

Anônimo, é apenas uma singela história, mas, pelo que você disse, acho que você enxerga as correntes.

Já ouviu falar de guerra assimétrica? Talvez seja uma locução um tanto que pouco conhecida da maioria das pessoas. É conceituada, basicamente, como uma guerra irrestrita; é a guerra dos fracos contra os fortes, a guerra dos pobres contra os ricos. É fundamentada no desgaste; tem o objetivo de exaurir o inimigo, desgastá- lo internamente, de tal modo que, com o correr do tempo, ele estará enfraquecido física e psicologicamente que se mostrará incapaz de uma violação política. O objetivo central é a imobilização operacional do adversário. A imobilização do adversário significa sempre numa guerra o começo da vitória. Assim o é também na guerra assimétrica. O maior objetivo deve ser o de mitigar intelectual e moralmente o adversário.

É uma estrategia vitoriosa, que não pode ser desprezada. Na guerra do Vietnã, os vietnamitas usaram as estratégias da guerra irregular e venceram a maior potência do mundo, os Estados Unidos.

Nossa guerra é diferente. Não visa destruição ou morte. Guerreamos para propalar a verdade. Lutamos contra os sofismas que são usados para enganar o povo ou para esconder a realidade. Nossas munições são as palavras, as imagens, os vídeos...

Anônimo disse...

Qualquer semelhança será mera coincidência......... Reflitam !!!!!!!!

Anônimo disse...

o texto fala só de elefantes?
- Qualquer "paisano" entra cheio de sonhos, de vontade de mudar o mundo, mas com o passar do tempo, 9, 12, 30, 36 meses, ele e "donimado" pela lei do mais forte, a lei que impera o mologo, o superior fala e o subordinado esculta, sem direito a opiniao e muito menos discordar.
- todos que estao no "topo da cadeia alimentar", sao a favor de continuar essa ditadura velada.

José Ricardo disse...

Senhores, o texto fala de elefantes e de homens. Peço moderação nos comentários, senão vou ter que apagá-los.

Se acham o texto metafórico, utilizem também de metáforas, sem citar instituições, cargos, graduações, postos, etc.

Anônimo disse...

Excepcional texto! Parabéns... A PMRN agradece!

Anônimo disse...

Utopia. Que inimigo? Que adversário? Fazemos parte de uma empresa organizada por escalões. Somos profissionais organizados e temos chefias, subchefias e corpo de funcionários como qualquer empresa. A idéia faz uma metáfora comparativa com nossa empresa, porém de forma subversiva e incitando conflitos e disputas que não existem integralmente. Na empres pública como na privada há o eterno e já obsoleto dilema de se cultuar a divergência e "combate" do funcionário com a chefia em todos os escalões. Isso já era...

Anônimo disse...

o cara ai de cima é do topo da cadeia alimentar... se o militarismo fosse essa maravilha, as empresas privadas usariam o modelo. lol noob

Anônimo disse...

parece até pm carioca...

Anônimo disse...

Pq PM Carioca? Qual o problema? Estamos ou não no mesmo barco??? Não devemos subjulgar. Questão de ética...

Anônimo disse...

São entendimentos de duas classes diferentes! Oficiais querem que o militarismo continue para cumprimentos de seus desejos e vaidades! Outra classe e a dos praças que não aguentam mais esta infeliz vida de escravidão e ditadura institucional velada! Fora com militarismo imbecil! Se militarismo fosse ótimo a Policia Federal, a Receita Federal, STF, STJ, MPU seriam militares!
Texto maravilhoso que explica a nossa vida! Vou colocar na minha CIA! Abraços!

Anônimo disse...

fico omaginando, a pec 300 está em carater de urgencia na camara, porem nada é resolvido, é muita reunão, discussão, votar que é bom não acontece.
Já imagino se nós realizassemos reunião toda vez que somos empenhados em uma ocorrencia, discutissemos e votassemos qual o melhor melhor modo para resolver tal ocorrencia, não realizariamos trabalho algum.
Nós trabalhamos sobre pressão o tempo todo e resolvemos tudo da melhor forma possivel, ou somos punidos, imagina se tivesse a urgencia da camara, consertariamos o mundo...

SD Lourenço disse...

Bacana o texto. Pela minha humilde sabiência é uma comparação a boa e velha Gloriosa PMMG. È importante destacar que aquela frase que os políticos gostam de destacar " Aos amigos tudo! Aos inimigos, a lei"; quando se faz uma comparação é motivo de dizer que é motim ou transgressão disciplinar agora quando vem do outro lado( e vcs sabem de que lado estou dizendo) aí não, pode ser tudo menos crime militar e transgressão. Exelente texto
abraços a todos

Anônimo disse...

Belo Texto! No militarismo , escutamos: Está ruim! pede para sair! na vida civil , escutamos : está ruim ! lute para melhorar! não sou contra o militarismo, pelo contrário ,sempre gostei da disciplina , mais tenho algo que é muito mais forte e que me faz seguir lutando. A etica...não se ganha, não se compra , não se conquista, ou vc tem, ou não tem...para o anônimo , digo: motim , e crime militar , mais dentro de mim , se algum dia meu coração , estiver me orientando para um outro caminho , concerteza o seguirei.

Anônimo disse...

Bom dia Caros colegas, compreendo cada reflexão mas quero lhes dizer que não somente os militares, mas todos nós estamos no mesmo barco.Estamos a todo momento sendo condiconados como o pequeno elefante; na vida profissional, política e até nos relacionamentos pessoais. A técnica é utilizada até mesmo pela própria mídia para nos fazer consumistas disciplinado. Leiam a história de Pavlov condicionando seu cachorro aí você terá literalmente o significado da sociedade que vivemos.

Anônimo disse...

Fico indignado quando escuto vez ou outra ,alguns colegas nossos dizendo a seguinte frase : "você ganha mas não leva", quando fazem alusão a questionarem algo de errado cometido por superior à pessoa do reclamante.Superior hierárquico seja ele praça ou oficial,assim como qualquer funcionário pùblico,fazem somente aquilo previsto em Lei.Devemos lembrar sempre que antes de sermos militares,somos cidadãos e temos nossos direitos como tal.O que quero dizer com isso é o seguinte : Se algum superior agiu com você de uma maneira seja ela qual for, e você tem plena certeza de que a atitude dele não foi a correta,faça valer o seu direito,acionando-o na justiça.Isto não é motim ou qualquer outro crime militar é meramente exercer um direito seu, caro colega! Apesar de alguns acharem,superior não é Deus.Ele está acima de você apenas na escala de responsabilidades,nunca,jamais humanamente falando.Ao lidar com um superior, você deve respeitá-lo primeiro como ser humano e depois,como somos militares,com respeito ao seu posto ou graduação.mas nunca com medo ou com desrespeito para com ele,pois assim estará comentendo um crime e poderá pagar por isso. Estará perdendo a razão e dando por conseguinte, seu direito para os outros.Observo também que algumas pessoas falam de superior como se ele já nascesse assim.Ajuda aí companheiro!! Estamos falando de Polícia Militar.Tem uma frase que diz o seguinte:Se não pode contra eles, junte-se a eles.Ah! faço aqui uma ressalva,quando estiver lá faça a diferença.Não estou puxando o saco de ninguém,pois sou funcionário público e ralei muito para chegar onde estou e meu pagamento vem dos contribuintes assim como o sou também e não do bolso de superior hierárquico.Está esperando o quê meu caro! ao sair deste site ou utilizando ele mesmo pois traz muita informação interessante,vá dar uma papiradinha.Como o nobre colega citou no comentário acima,não estou no "topo da cadeia alimentar",contudo já cansado de injustiças,que diga-se de passagem, em todo lugar existe.Estudei em casa e galgei dois degraus na hierarquia.

Anônimo disse...

PMMG
Já ouvi muito estas histórias, sobre o elefante e sua grande força, mas comparações como estas fazem-nos refletir que realmente somos domesticados para o trabalho "regulamentado", por que não dizer submisso aos graus elevados...
Nas instituições militares isso é feito, porém somos colocados a este "sofrimento" quando somos adultos e não como crianças. Trabalhamos e não requeremos nossos direitos por causa de algumas diretrizes, mas creio que isso vai mudando de devargazinho, assim como o elefante acostuma com a corrente o homem acostuma com as mudanças lentamente.

Anônimo disse...

que fique calro! Militar se trata de uma profissao. Fuzil, guerra, inimigo, matar,defender a patria cumprir ordem sem questinar, morrer sem questionar. amor a patria tem que superar as necessidades vitais no campo de batalha. o militar esta acima do tempo.
Policial outra profissaoÇ comunidade, servir a sua ciddade, conhecimento legal de seus atos, proteger a vida. contudo ainda acho que o exercito poderia ser usado para trazer ordem ao caos como no RJ, Fortaleza, que se tornaram campo de guerra.

Anônimo disse...

o boi, o cavalo, o leão , o carro, não sabem a força que tem.
O ser humano tem a capacidae de pensar e expor suas idéias.
A mão que toca o violão se for preciso faz a guerra e já disse o poeta.

Anônimo disse...

SGT,de juiz de fora, estamos sempre acorrentados a alguma coisa, talveis com moderação e justiça isto seja saudavel, mas dentro deste contexto o que esta acontecencendo conosco aqui em nossa cidade é um desrepeito muito grande, pois estamos ficando quase 24hs a disposição da delegacia de policia civi, para sermos ouvidos.... isto pq nunca tem oficial para ser ouvidos... isto ainda vai dar merda....

Anônimo disse...

Concordo com as idéias de alguns companheiros... Apesar de ser novo de praça (5 anos), e analisar as inumeras histórias que ja ouvi de inumeros praças antigos, vejo como a PMMG mudou, e muito, nestes ultimos anos. As pessoas que estao começando hj (tenentes), muitos de minha turma de soldado pro exemplo, daqui a alguns anos irao estar em patamares altos e serao oficiais superiores e como a consciencia deles em relacao a PM em geral eh muito diferente dos que estao no alto hj em dia. E nem vem falar que se aplica a todos a regra de "pra conhecer o homem eh soh dar poder a ele", pq qdo falamos isso generalizamos inclusive a nos mesmos, qdo estamos de servico na rua e alguns se acham melhores que os outros. Quem pensa isso que nao pode ser oficial, pq pensa que esta sempre certo e nao ouve outras pessoas. Tenham certeza que daqui a medio prazo as coisas vao mudar pra bem melhor. Nao adianta querer mudar as coisas do dia pra noite tb. Um abraço a todos os irmãos de farda!!

Anônimo disse...

Parabéns ao anônimo das 16:27 de 15nov, embora tenha pouco tempo de sv vc demonstra maturidade intelectual e profissional alusiva a nossa profissão.

gomez disse...

utilizando tambem a metáfora,faço aqui o meu comentário;tem elefante que gosta da corrente.e a corrente aqui é o regulamento,que disciplina seres especiais,talvez por estarem amarrados a dura corrente;com seus elos de sofismas. a ingenuidade do elefante aqui é tão grande,que ele enxerga mudanças no topo da piramide,talvez a esperança de mudança do pobre elefante o faz crêr no irreal.é que ele não sabe que as grandes transformações,aqui chamada por alguns elefantes de "motin",nunca vieram do topo,mas sempre da base.a história quase que na sua totalidade se escreveu assim.sou pm aqui em nosso estado fizemos três greves,uma dela muito antes dessa feita ai pela pm de minas gerais que resultou tão grande e belo movimento das pms do brasil.o corpo do elefante tentou romper as cadeias do engano,mas a cabeça precisava das corrente.aqui no nosso estado,tivemos muitos praças condenados,sem menção de um unico oficial.por isso comparar essa tropa a elefante,é uma injustiça,o elefante tem uma das melhores memória do mundo animal,esse elefante pm se esqueçe rápido. mas é claro,nobre comentárista anônimo,essa dita de ofereçer poder pra descobrir que é o homem,é uma verdadeiro engano,"pois não é o poder que corrompe os homens,mas revela os corrompidos".A FRASE NÃO É MINHA.tomo-a emprestada.eles são formados fazendo correntes,o resto da tropa é formada com as correntes nos pés.vá dizer ao peru que está sendo cevado,que o dono dele é ruim,ele não acreditária.toda bondade do seu dono,está na sua prória barriga;todo investimento e bondade,é visando o dia da ceia. embora respeitando cada comentário não podia omitir a minha e tão somente minha opinião.

Anônimo disse...

eu já disse volto arepetir o cidão que defende o militarismo , defende também a injustiça , a truculencia , a arrogancia e a estupidez, isso não é ser humano isso é um animal irracional, isso é uma besta!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

se vc quer poder seja um banqueiro ou um multimilhonario, seviço publico vc , apesar de ter uma alta patente , não passa de um simples vassalo, o poder esta nas mão de quem tem dinheiro ; esse poder ficticio, alguns acha que tem, somente tem poder ditadores e tiranos , imperadores, pq eles são a propria lei e legislão com mão de ferro, o que paassa disso mera balela e conversa fiada, quem tem poder nesse pais é quem tem dinheiro, não tem tem um podersinho ficticio e se acho o grande ditador de chales chaplin

Anônimo disse...

o militarismo é muito mesquinho e subserviente e prolifera a ijustiça ea corupção, na minha opinão são parasitas da sociedade, que vivem de migalhas e esmolas dos senhores feudais ( a burguesia) e ainda se acham privilegiados, é o tamanho do cerebro, nasceram para ser subserviente ( escravos), que pena......................................

Anônimo disse...

O tratamento do militar inferior hierárquico é degradante, vexatório, humilhante, não é condizente com os direitos humanos. Quem já fez cursos de SD e de SGT (Período de adestramento)é que que sabe o quanto é sofrido e humilhante.
Alguns Pobres coitados de pouco dicernimento e com tendências mais agressivas e depravadas tomam tal modelo de adestramento como exemplo no tratamento dispensado aos cidadãos.
Colegas acima citaram que se superiores hierárquicos te tratarem de forma discrepante às leis é só correr atrás dos seus direitos e boa. Mas acontece que a legislação é pouco favorável ao pequeno elefante e mesmo que este consiga fazer algumas pequenas cócegas, se reside por exemplo em Juiz de Fora, com sua casa e sua família tudo bonitinho, vai parar lá em Unaí ou Teófilo Otoni em razão de "necessidade do serviço". É assim que funciona, quem enxerga as correntes sabe!
Quanto dinheiro o governo perde com adestramento de ordem unida. Tem até professor remunerado. Isso é coisa de Exército. Por que o elefantinho que trabalha no atendimento comunitário tem que ficar fazendo voltinhas pra lá e pra cá? P q tem que fazer acobracias com fuz...? Com certeza só pra satisfazer o ego e a vaidade de quem está em cima na cadeia alimentar por que na atividade fim não tem utilidade nenhuma. Ao invés de perder tempo com a manutenção da arrogância, por q não ofereceram cursos de inglês para os elefantinhos que vão lidar com uma multidão de turistas internacionais na Copa do Mundo que tá vindo aí!
O militarismo na polícia é desnecessário, obsoleto e não condizente com o contexto atual em que os Direitos humanos são o tema principal de discussões entre as grandes nações. O Direitos Humanos são hoje a representação da evolução do ser humano na vida em sociedade. O militarismo é um apanhado de leis arbitrárias que servem apenas para degradar as condições humanas de muitos pessoas. Exemplos temos recentes em países africanos, só arbitrariedade, fome e violência. No BR se o regime fosse bom não tinha acabado. O civil que viveu a época sabe! Quantas pessoas sofreram, desaparecerem, morreram ou foram torturadas? Quantas liberdades foram cerceadas?
Veja bem a PRF ou DPRF fazem um ótimo trabalho e não precisam ser militares. Polícia precisa é de boa técnica, bons recursos, inteligência, funcionários bem qualificados. Não precisa de elefantes adestrados que andam de cabeça baixa com as mãos pra trás.
Sou um elefante que vê as coisas desse jeito e tenho esperança que um dia vou encontrar "meu queijo".

Anônimo disse...

vejam bem

estamos vivendo transformacoes sociais que comecam a cobrar o preco deste sistema infeliz, como dizem " Para que o mal triunfe basta que os Bons nada facam"
De que lado voce esta? seu trabalho eh em beneficio proprio ou em beneficio da sociedade?

gomez disse...

de que lado voçê está? é a pergunta do anônimo masoquista,querendo bancar o herói sem glória,empunhando o estandarte com ícone de elefante acefálo;igual a velha lenda da "mula sem cabeça",pergunte qual o lado que o juiz está,ou um congrecista? é lógico que diante do "holofotes" eles estarão do lado da sociedade...pergunte anônimo masoquista,porque um juiz do estado estado mais pobre desse continental pais ganha mais de 20.000,00 sem comular os benefícios.sem contar 60 dias de férias. e os congrecistas esses nem se fala tem até auxilio paletó,chega por aqui,não preciso mais falar deles. agora esse infeliz comentarista anônimo,ignora as condições de vida de um pm,só o fato de se vestir uma farda já somos alvos vivos para defender uma sociedade tão mesquinha e egoista quanto esse pseudo herói,com discurso pra sociólogo ouvir."sai pra lá coisa ruim".policiais militares são mortos as centenas todos os anos,muitos deles deixam as familias desamparadas até mesmo da "numis";dinheiro mesmo.elas não recebem a pensão;pergunte porque?.por isso mesmo,qum cuida deles,dos seus,talvez voçê sabe?,excelsa satisfação de um dever cumprido,ou comprido.quanta hipócrisia,isso é um aviltamento a todos aqueles que nomeados por esse podre estado arregimenta uma polícia de farda pra midia noticiar,mas que os despede para o "front" inerme... esse elefante masoquista e acéfalico viveria muito bem na india,na seleção de castas."melhor é um cão vivo do que um leão morto".ecl."aqui salomão exalta o poder de se estar vivo". que beneficio é este que esse pobre elefante fala? em favor da sociedade mesmo que em desfavor de muitos.eita quanta ingenuidade!

Anônimo disse...

é muito interessante o que alguns colegas disseram acima, uns mencionaram que mobilização pela conscientização é motim
faseamos o motim se este for o único caminho pela liberdade devemos então nos preparar para tal ato. é melhor morrer tentado do que passar uma medíocre existência reclamando de nunca ter tentado, com certeza vc sim é um covarde.

Postar um comentário

Comentários - Regras e Avisos:
- Nosso blog tem o maior prazer em publicar seus comentários. Reserva-se, entretanto, no direito de rejeitar textos com linguagem ofensiva ou obscena, com palavras de baixo calão, com acusações sem provas, com preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com a legislação nacional.
- O comentário precisa ter relação com a postagem.
- Comentários anônimos ou com nomes fantasiosos poderão ser deletados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem a opinião deste blog.
- Clique aqui e saiba mais sobre a política de comentários.

 
Os pontos de vista aqui publicados são de responsabilidade dos respectivos autores, não representando versões oficiais de quaisquer instituições.
© 2007 Template feito por Templates para Você - Deformado por José Ricardo
▲ Topo