Grito de socorro

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Após publicar o post "Profissão ou escravidão?", recebi um e-mail e prometi ao autor que iria publicá-lo no blog, como forma de mostrar a escravidão à qual estamos submetidos. Substitui todas as palavras que pudessem identificar o policial militar por "?". Meus comentários são desnecessários, pois o texto fala por si só.

Venho aqui "gritar" um pedido de socorro. Socorro é a palavra certa para isso. Trabalho no Destacamento PM de ?, pertencente ao ? BPM, e estamos vivendo aqui uma tremenda INJUSTIÇA, uma gigante INCONSTITUCIONALIDADE. A historia se resume assim:

Foi editado pelo Comando da ? RPM, um memorando que altera a escala de serviço dos destacamentos para 5/1, ou seja, 5 dias de trabalho de 8 horas, por 01 dia de folga.

Até aí, não há tantas lágrimas. O problema que o memorando trás que nenhum policial militar poderá se deslocar da cidade onde esta lotado durante os 5 dias de serviço. Isso quer dizer que eu, que sou casado, tenho um filho de 2 anos, pai de familia, e que moro apenas a 8 KM de ?, não posso me ausentar da cidade durante os 5 dias de serviço, mas apenas 01 dia por semana.

Senhor, eu imagino o peso do que estou escrevendo para o senhor. Estamos sendo obrigados a ficar "encarcerados" nos Destacamentos. Gostaria de poder ter gravado uma ligação da minha esposa chorando perguntando se eu não podia ir para casa, que ja havia 3 dias que eu estou em ?. Nossa gloriosa PM?, que tanto me orgulho, está nos maltratando, muito mais do que a lei maltrada o mais perverso criminoso.

Caso o senhor desejar, eu envio o memorando para o senhor. Estou pedindo, estou implorando para o senhor interceder por nós. Eu acredito no senhor. E quero ressaltar ao senhor que estou me identificando nessa mensagem, porém, se alguém souber dela, eu sofrerei repressalias. O senhor sabe que é verdade! Peço, sobre a proteção de DEUS, que minha identificação fique apenas com o senhor. Que essa mensagem funcione como uma mensagem anônima, pelo medo que eu tenho de ser perseguido.

O memorando refere-se ao problema que o Estado vizinho sofreu com a criminalidade, porém a própria PMERJ não esta mais impondo nada aos integrantes daquela co-irmã.

Nós, aqui do interior, ao qual já sofremos com escalas monstruosas, com faltas de recursos, estamos tendo que ficar presos no trabalho. Por favor, olhe por nós. Procure saber desse memorando, desse sobre-aviso, dessa escala. Eu fico dias sem ver meu filho de 02 anos! E eu não moro a 100 km de onde trabalho, não moro a 400 km. Moro numa cidade vizinha de 8 km de distancia. Parece um absurdo, mas é a realidade que estamos vivendo. Tem dias nessa escala de 5 por 1, que não tenho folga. Um exemplo é nesse proximo sabado, onde eu trabalharei das 20h de sabado até as 04h do domingo. Porem no domingo é minha folga, só que como eu posso dizer que estou "folgado no domingo", sendo que estarei de trabalho até as 04h? E depois das 4h da manhã? Sera que eu conseguirei passar o domingo com minha familia, ou terei que dormir para ja na segunda-feira, voltar de serviço as 10h da manha?

Senhor, tudo isso esta provado na escala pregada nos celotex dos destacamentos da nossa região. É um absurdo o que estamos vivendo. Estou implorando por um dos mais simples direitos constitucionais: o direito de ir e vir. O direito de se locomover em teritorio nacional em tempos de paz. Por favor, mantenha o sigilo do meu nome. ESTAMOS SOFRENDO!



Gostou desta postagem? Então cadastre-se AQUI para receber as atualizações do Universo Policial no seu e-mail ou no seu agregador de Feed/RSS.

38 comentário(s):

Anônimo disse...

é essa malandragem, que os comandantes regionais, usam, tem o respaldo legal para editar memorandos, baseados e adequados ás demandas de cada região.
e, na maiorira das vezes, ainda que seja respeitado o descanso previsto em lei, que já é um abuso, são ainda mais perversos com os militares.
Aonde está o comando da instituição.
aonde está a valotização do policial, a gestão para as pessos da instituição, que nosso comandantre geral finaliza todas as mensagfens enviadas pelo P.a,

Pura balela.

Anônimo disse...

E tem gente aqui em BH reclamando da escala 3 x 2...

Às praças impõe-se uma das "lógicas" do sistema:

"Nada é tão ruim que não possa piorar!"

VIVA a Gloriosa e Bicentenária, cujo Patrono foi por Ela enforcado e esquartejado... !!!

E VIVA de nossos Comandantes heróicos, sapientíssimos, Doutos Ilustríssimos Membros da Carreira Jurídica do Estado de ????? ??????, Arautos dos Direitos Humanos e da promoção da Paz Social, que, se hoje não podem nos enforcar, nos escravizam com escalas massacrantes e sob o respaldo da lei... !!!

Anônimo disse...

Caro colega,
Já comandei Dst PM e sei como é a realidade. O fato de o militar residir fora traz certas dificuldades durante o serviço. O efetivo reduzido faz com que seja necessário acionar os colegas fora de horário de serviço. Mas hoje sabemos que não justifica a vontade do Cmt de querer manter o PM na cidade sede da Fração. No Btl onde trabalho há vários exemplos de militares que trabalham em sede de Dst e moram em outras cidades. Isso é um direito do militar, quer queira ou não o Cmdo. Em caso de algum evento que justifique a necessidade de permanência do militar na Fração poderá ser determinado que permaneça. É necessário que observe a legislação para que o militar do Dst possa exigir com fundamentação os seus direitos. E é importante que tudo seja documentado, pois quando se colhe um recibo/protocolo pode-se ter certeza que haverá uma resposta, portanto, coloque no papel, evitando que fique só nos comentários, reclamações, etc. Atualmente o militar é bem instruído e, sendo assim, não precisa ter receio de perseguições, desde que tenha embasamento para exigir seus direitos. Boa sorte.

Anônimo disse...

Será que é assim mesmo? Será que basta apenas colocar no papel, mediante recibo/protocolo, com o devido embasamento, e ter certeza de resposta sem receio de perseguições.
Será que é tudo assim tão bonitinho, tão belo quanto o azul do céu?
A história e a memória viva de muitos policiais militares nos mostram exatamente o contrário.

Anônimo disse...

é meu amigo, a verdade que nossos comandantes estão mesmo querendo que o estado de minas gerais se torne um rio de janeiro, se é que já não se tornou né. quem sabe com a desmilitarização não melhore e eles percam o estatus??? fique com deus meu amigo.

Anônimo disse...

companheiro, te indico três caminhos: comissão de direitos humanos da assembléia ( não por você, eles adorariam estressar a PM ); imprensa sensacionalista ( prato cheio para eles ) e por ´´ultimo nossos representantes no legislativo ( que por sinal andam meio sumidos ).

Anônimo disse...

Amigo, essa questão, juridicamente, se resolve na área cível, via mandado de segurança. Procure o advogado de sua associação ou particular. Defensoria pública também pode impetrar esse remédio. Seu comandante, embora seja militar, também deve cumprir os princípios do direito administrativo e constitucional. Nestas duas áreas do direito um bom advogado encontra fundamentos suficientes para pedir, liminarmente, a suspensão dos atos abusivos, sob penal de multa diária. Em meu Estado o TJ já tem jurisprudência firmada sobre esse tema.

Anônimo disse...

Ao amigo do post:
Estude, camarada. Estude para sua ascenção profissional, o que vai levá-lo a sair desse destacamento, ou mesmo para buscar outra colocação no mercado. Do contrário, terá que aguentar o rojão (infelizmente é a realidade!). Converse com sua esposa sobre essa situação e peça um pouco de paciência.

Também já sofri numa certa Cia destacada, numa certa cidade de Minas. Só consegui sair de lá por meio de concurso. Sobretudo, apegue-se a Deus.

Anônimo disse...

A PEC 21 SOBRE A DESMILITARIZAÇÃO EM 2011 RETORNARA A PAUTA PARA VOTAÇÃO, DEVIDO ESTES ABUSOS, ESTA PEC ESTA SE FORTALECENDO

Anônimo disse...

Caros colegas,
Um dos colegas coloca em seus comentários acima, postado em 20 de dezembro de 2010 17:24, que não é tão simples assim. É lógico que não é, mas será que é melhor cruzar os braços e ficar choramingando por aí, para o colega, para a esposa, que vai surgir uma solução? O que eu quis mostrar é que pra tudo tem que ter um início, atitude, ou deixar do jeito que está. Leve o assunto apenas "de boca" e veja o que ocorre; palavras voam, e como voam. Enquanto houver medo de perseguições e represálias haverá alguém para tirar proveito. A coisa não é bem assim. Esse problema, como disse outro colega, se resolve fazendo cursos e foi assim que resolvi o meu, pois a PM abre as portas para todos, isso não se pode negar. Além disso falta sermos um pouco otimistas e não ficar só "metendo a ripa" na Corporação como muitos fazem. Se a PM fosse tão ruim as pessoas procurariam outras oportunidades. A colocação do colega do Dst é pertinente, mas deve-se ter paciência, pra tudo há um jeito, basta ter fé e agir. Abraço.

Anônimo disse...

Voce,esta perdendo tempo,va ao ministério público,denucie,protele uma ação de incontitucionalidade ncontra a intituição,e uma de abuso de autoridade e tortura psicológica,contra o comando,tenha atitude,pense na sua familia.

Anônimo disse...

vai para sua casa miliciano, tudo que esta abaixo da constituição e infraconstitucional e em conflito com a nmesma e inconstitucional, ou seja, pode ir para seio de sua famila, qualquer represária acerca do fato, peça um habeas corpus preventivo a um advogado. espero ter ajudado.

Anônimo disse...

Caro amigo mal entrei na PMMG e já estou estressado com essas coisas. Já saiu uma droga de portaria que nos obriga a ficar 3 longos anos nesses lugares de sofrimento e dor. O pior é que eles querem que a gente estude e se forme no curso superior, mas como fazemos isso se estamos em locais sem estrutura alguma... Perdemos o direito de movimentar por interesse próprio. Desculpa se usei este espaço para desabafar mas alguém precisa fazer algo... Mudei de estado para fazer o curso, minha esposa me acompanhou e agora nem ela tem oportunidade de crescimento. Fique com Deus caro amigo de Farda torço por você. Se nos unirmos e divulgarmos este site entre nossos companheiros podemos angariar mais benefícios para nós, pois estaremos com mais pessoas nos apoiando nessa luta.

Anônimo disse...

Tenho vontade de pedir baixa , quando vejo um abuso deste, que vergonha. Tem razão quando um jovem diz "DEUS ME LIVRE DE SER POLICIA ", Temos que ter um emprego para poder viver dignamente mas não viver para ter o emprego.
Se Ainda fossemos bem pagos!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Leia a separata do BGPM nº 40 de 2010, a aparte da INSTRUÇÃO Nº 3.03.05/2010-CG. Neste documento expedido pelo Comando Geral da PM diz que: A restrição ao deslocamento do militar de Dst PM e Sdst PM em seu horário de folga ou "DESCANSO" só é permitida como uma "EXCEÇÃO". Talvez isso lhe ajude. (Boa Sorte)

Anônimo disse...

é simples de resolver essa situação, apesar dos colegas não acharem. A constituição é clara quanto ao direito de ir, vir e permanecer. É só sair normalmente, não tem que ter medo de questões disciplinares meu amigo. Quando chegar da 2ª instância, com certeza vc não será punido. E essas infrações disciplinares são bem fáceis de se conseguir o arquivamento via judicial.

Só que não leve nada por lado pessoal, certa vez levei para o lado pessoal questões de escalas e tomei ferro. Simplesmente saia e espere a "parte disciplinar" chegar, não tenha medo. Só não deixe de recorrer, que é certo vc ganhar.

Se levar pro lado pessoal é perigoso te transferirem, ai é outra história, ok? Não pode arrumar confusão com o que você está certo, repito. Não tenha medo de comunicações infundadas e inconstitucionais!! um abraço

Roberto disse...

Quero dizer a esse Policial que: Trabalhei em DPM.E aqui se trabalha 30 dias pra folgar só 05. Isso quando mandam substituto pra nós, é o chamado "arejamento". Minha esposa com meus filhos quando queriam me ver, ela enfrentava barco, ônibus tudo que fosse preciso, onde eu estavesse, porque a escala era ou é assim ainda, não sei como está agora, porque já estou desaquartelado com 30 anos de serviço. Mas meu amigo a família é o maior bem que o ser humano pode ter na vida, é uma benção de Deus. Se seu Comandante não resolver o seu problema, vá ao Ministério Público, pois no RDPM ou Código de Ética, não sei como é aí na sua corporação, com certeza a assistência a família está em um de seus artigos, ainda mais quando se tem um filho de 2 anos, na qual vc relata. Me solidarizo com tigo, corra atraz de seus direitos. Não fique com medo de perseguições, caso isso aconteça, Procure um advogado para que entre com uma ação contra quem lhe perseguir. vá lá companheiro é um direito seu, está na Constituição! LUTE, SE APEGUE COM DEUS.Pois somente Ele é a solução. OK? "Coloque uma coisa na sua cabeça, não existe lei no mundo que te impessa de ver tua família!, de estar com à família!!!!!!" "Na Polícia temos que cumprir Leis, Regulamentos e Determinações, des de que não sejam absurdas. Mas também temos Leis que nos ampara, principalmente o de dar assistencia a nossa família e de acompanhar o desenvolvimento dos filhos, ainda mais com 2 anos" Não tem assistente socialou psicologo no seu quartel? Que Cmt é esse? Com certeza ele está com a família dele todos os dias, não é? Desculpem a minha revolta mas é porque eu me preocupo com meus subortinados.

Anônimo disse...

RENATO DISSE....

COMPANHEIRO, ISTO NÃO EXISTE E CERTA VEZ UM COMANDANTE DE BPM, POR INFELICIDADE BAIXOU UM MEMORANDO COM O MESMO CONTEUDO, NA MESMA HORA EU E VARIOS OUTROS COMPANHEIROS DE FARDA, MANDAMOS PARA UM DEPUTADO QUE REPRESENTA A CLASSE NA ASSEMBLEIA DE NOSSO ESTADO COPIA DA ESCALA E DO REFERIDO MEMORANDO. NÃO SEI O QUE OCORREU DEBAIXO DOS BASTIDORES, MAS SEI QUE O REFERIDO MEMORANDO FOI RECOLHIDO. ENVIE COPIA DO MEMORANDO E A ESCALA PARA UM REPRESENTATE DA CLASSE DO SEU ESTADO.

fernando disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
fernando disse...

É companheiro estou na mesma situação que você, longe da familía, pois moro em outro estado e também tem um filho pequeno 1 ano e 8 meses não deixo minha família por pmmg quando estou de folga não dou satisfação da minha vida pessoal,apenas vou embora e deligo o telefone. Pois hoje na nossa "gloriosa" o pm de folga fica dando satisfção "folga é folga" e as vezes somos nós mesmo os culpados desses abusos, não tenha medo de nada apenas lute pelos seus direitos, não temos culpa da falta de pms nos DST, mais sempre damos um jeito de abraçar tudo por isso sofremos tanto, tenho apenas 3 anos de polícia é já pedir a motivação de servir a pmmg, pois alguns "comandantes" ainda querem dar a famosa chave de divisa, pregam tanta coisa tantos direitos dos cidadãos, mais e o nossos direito, estamos sendo tratado pior que os famosos "cidadãos infratores", tudo é papel e caneta paciência. li uma matéria da pm bahia que falava o seguinte quem trabalha muito erra muito, quem trabalha pouco erra pouco, quem não trabalha não erra, e quem não erra é promovido. fica com Deus.

Edenilson de Sousa Rodrigues disse...

escala em destacamento não pode ser 5 por 1...ele deve ter uma forma do pm trabalhar hj e amanha, e nesse intervalo de descanso o que acontecer ele atende, ai ele sai de folga de 48.Serviço de policia, principalmente daqueles que estaão nas rua não é igual serviço de comércio. PM meche é com bandido, mazela social. O psicologo recebe um bom oredenado para atender as pessoas no seu consultório, no maximo 4 a 5 pacientes, de segunda a quinta . Já o PM ele tem que ir la, ouvir todos os envlvidos , ser pedagogo da sociedade, então, pode-se concluir que há um desgaste psicologico do PM. e ele não pod ficar ali 5 dias ininterruptos e ainda por cima ser poribido de sair da fração. em um destacamento com poucos pm's, trabalha hj a noite , amanha dois turnos-um de dia e outro a noite-, a no outro dia so trabalha d dia e sai para 50 horas de folga, ou seja , ele fica 46 horas no destacamento e trabalha 23 horas com 23 horas de descanso e folga 50 horas para recuperar. É sío ver quantos relacionamentos extraconjugais existem entre os PM's e quantos problemas isso trás, quntos PM's viciados em bebida, barzinho, baralho, etc...é para se refletir.

Anônimo disse...

VAI PRA BETIM, NESTA CIDADE NÃO TEM ABUSOS...RSRSRS

Anônimo disse...

caros companheiros viagem tranquilos e se por ventura você for punido ou ameaçado, não se despere, recorra,e digo mais toda comunicação disciplinar que o militar levar ele deve recorrer até a ultima instância so assim o judiciario saberá das atrocidades que ocorre dentro das unidades militares, quando sua comunicação disciplinar chegar ao cmdo geral e ele ainda insistir em manter sua vil posição recorrar ao governador pois ela será enviada AGE(advogacia geral do estado) para analise previa pode ter certeza uma hora o judiciario vai se cansar de ver tanta imcopetencia de gerenciamento da PMMG e os absurdos que profissionais de segura publica estão expostos, temos a triste cultura de sermos comunicados disciplinarmente e deixamos de lado o recurso, muito dos policiais estao sendo punidos ainda na primeira instancia, vamos acordar para esta realidade.

Anônimo disse...

Caros colegas de Farda, estou vivendo uma nova esperiência na Polícia, trabalhando em um DST PM, eu tiro o chapéu pra quem trabalha em DST, pois carrega um fardo mais pesado, ainda não consegui adaptar, às vezes, ficar de serviço 24 horas, tirar a farda tomar banho e fardar novamente, até quando vão perceber, que é necessario valorizar/incentivar o Militar que trabalha em DST, poi como foi comentado por um colega, se o Militar não tiver pé no chão, corre o risco de envolver com bebidas alcoolicas, desestruturando a família. Nem tudo é tão ruim que dure para sempre, que possamos ter essa esperiência como um aprendizado em nossa carreira. Um abraço a todos, e tenha fé em Deus, que as coisas possam melhorar.

Anônimo disse...

Visto que não é de hoje, que oficiais acham que estão acima de Deus e da propria lei, ainda mais quando tem cargos de comandantes, digo ( CMT de região, batalhão, CIA Idependente e etc, etc !!!!!!!!!)
Meus amigos, não podemos deixar isso passar batido, não é de hoje que isso acontece, esses mesmos comandantes passam por cima de memorandos do CMT Geral, leis Estaduais, Federais e muito mais, acham que são Deuses; Meus amigos não funciona assim, para acabar com essa arbitrariedade, temos que saber do regulamento, vamos dispenssar uns poucos minutos de nosso tempo para ler o regulamento e assim podemos bater de frente com esses Deuses, exemplo é o antigo CMT do 33° BPM de betim, que criou um memorando obrigando o PM a cumprir uma escala de serviço de 6 ou 7 horas, logo apos a baixa hospitalar, esse infeliz desconhecia um memorando do comandante geral de 1998; ( Conheçam seus direitos, para não ficarem escravos de ditadores)!

Anônimo disse...

É simplesmente um absurdo, não tenho comentário a fazer. Resta orar e pedir a Deus que nos ajude contra o sistema de rolo compressor que esmagam os pobres pracinhas.

Magnum.44_BR disse...

... Aos plenos 46 anos de idade bem vividos, ainda lembro-me dos tempos de infância onde sonhava em me tornar um dos personagens heróicos, retratados em filmes ou seriados de TV, ambientados em tramas policias, em cenários de guerra, ou no velho oeste americano... Onde o "mocinho" estava sempre imbuído do verdadeiro espírito de justiça, à favor dos oprimidos, ou em luta pela própria vida... E como sou oriundo e, consequentemente, sofri influência, de uma família com vários militares de carreira que integram ou integraram as nossas 3 FA's, e também de vários policiais civis e militares, era inevitável que meus sonhos de carreira profissional tendessem para essas áreas... Maaasssss, desde muito jovem aprendi a visualizar e avaliar as possíveis facetas, circunstâncias, e consequências das minhas decisões... E, comecei a perceber que não valeria abrir mão de certos princípios, e da minha liberdade de pensamentos e discernimentos em prol de um sonho utópico... Definitivamente decidi que não me arriscaria submeter-me, voluntariamente, à uma "lavagem cerebral", a "obediência cega", e muito menos à total submissão... Pois estaria abdicando da condição básica e intrínseca de cada indivíduo... Minha decisão me impediu, entre outras coisas, de usufruir de muitos "bons valores", ensinamentos, e demais prerrogativas peculiares da vida de um militar... Mas, me preservou, entre outras coisas, o direito e a liberdade do simples ato de subscrever o meu comentário e/ou minha opinião com a minha identificação... E assim o faço.


Nelson de Azevedo Neto
(Um humilde cidadão)

Anônimo disse...

Muitos de nós chegou a participar de uma reunião com o Cmt Geral, ano passado, em campanha política velada pelo atual Governador Antonio Anastasia, e uma das preocupações demonstradas pelo Cmt foi a respeito dos Destacamentos PM, disse inclusive que estes mereciam e receberiam atenção especial, mas não sei quando isso vai acontecer, é que cada Região tem seu Cmt regional, com suas percepções e vontades, nem sempre alinhadas com as diretrizes do Cmt Geral. E como fiscalizar os desmandos que estes nobres senhores fazem? Os Cmdos Regionais são como Igrejas, cada uma com o seu Padre, ou Pastor, e as pessoas são diferentes, alguns mais, outros menos competentes, alguns honestos, outros não, alguns humildes, outros vaidosos, etc.

Anônimo disse...

é companheiro, nós das policias militares de um modo geral, estamos sendo encurralados com memorandos absurdos e inconstitucionais, simplesmente pelo prazer dos cmts saberem que tem poderes.Mas como muitos de nossos colegas disseram, nos temos direitos, só não estamos tenho a coragem de usa-los. Só que isso tem que mudar, no seu caso você tem que correr atraz dos seus direitos. Um grande abraço e tenho fé que isso vai mudar pra você.

Anônimo disse...

Infelizmente o abuso de poder dos oficiais estão maqueados pelos memorandos e decisões internas da polícia militar.
Os militares do interior trabalham em escalas abusivas e não têm a quem recorrer.
Se um militar apresenta um atestado médico e não trabalha um dia de serviço, é escalado abusivamente em seu dia de folga.

Falta justiça e respeito na PM!!!!

Anônimo disse...

Sobre este mesmo assunto vejam a matéria "Atenção Comandante Geral da PM, Entidades de Classe, Sgt Rodrigues , Direitos Humanos... cadê vocês?" através do link: http://renataaspra.blogspot.com/2011/02/atencao-comandante-geral-da-pm.html#comments

Boa noite a todos

Anônimo disse...

olá caros colegas de farda,eis o meu relato:

Trabalhei em um certo dst PM, e igual a maioria dos militares, fui impedido de visitar a minha familia por força de um destes "memorandos". ate que minha mae um dia me ligou e disse ter acontecido um problema com meu pai, estava de folga e quando passei no dst pm pra pegar minha roupa, um destes "deuses Cmt" me disse: Com ordem de quem vc vai viajar? vc nao sautorizado a sair de forma nehuma, pasmem, isto depois que eu contei o que estava acontecendo.
Eu subi na minha motoca e quando o senhor sgt cmt veio em minha direçao eu disse: Nao e o senhor, nao e memorando e cmt nenhum que vai impedir que eu saia. O sgt disse: VOU COLOCAR NO PAPEL... eu disse: pode colocar e quando eu voltar vou trazer um papel do meu advogado para o senhor tambem, quero ver que força terrestre vai me impedir de socorrer meu pai...
Bom, ja passou 3 meses e ate hoje nada chegou pra mim...
Temos que acabar com esta escravidao, e so procurar nossos direitos

Anônimo disse...

ESTOU LOTADO EM UMA DESTACAMENTO ONDE A ESCALA ACREDITE É DE 48X48H, ESTOU AQUI A TRES ANOS,QUERIA QUE NOSSOS COMANDANTES TRABALHASSEM AO MENOS UM MÊS EM DST PM, AQUI FAÇO TODO SERVIÇO DO CMT DO DST , SERVIÇO DE ADM, ESCALA , GRAFICOS, E QUANDO ESTOU DE FOLGA AINDA ME LIGAM PARA AJUDAR O CMT DO DST RESPONDER DOCUMENTOS QUE ELE NÃO SABE RESPONDER, SOU SD E FAÇO SERVIÇO DE CMT, DEVERIAM VALORIZAR MAIS OS MILITARES LOTADOS EM DST, QUANDO VC ENTRA DE FOLGA JÁ ESTA PENSANDO EM BEBER PRA TIRAR O ESTRESSE. ATÉ QUANDO OS MILIATRES DA PMMG E TODOS SERAM MASSACRADOS PELOS GOVERNANTES COM ESTE SALARIO DE MISERIA.

Anônimo disse...

gostaria de parabenizar o companheiro pelo grito de injustiça,mas em nossa vida tem hora que devemos abrir a mente e denunciar os abusos;pois calarmos e ficarmos a mercê destes abusos é sofrer duas vezes.Caro amigo levante a cabeça,junte as provas faça sua reclamação por escrito ao ministerio publico,o qual é guardião da sociedade;não fique dando gosto a eles se torturando neste local,em qualquer outro lugar sera melhor que ai.em sua denuncia escolhe o local que quer ir para não ficar no comando do denunciado.Tenha um bom dia e coragem.(Quando uma causa é justa,cedo ou tarde triúnfa.SIMON).

Anônimo disse...

É um grande absurdo. Em pleno século XXI ainda existe este regime de semi-escravidão nas PMs. Tenho vinte anos de serviço e, no início da minha carreira passei por algo pior que isto. Muitos podem não acreditar, mas eu entendo, É realmente inacreditável. Como sou do interior, entrei na Gloriosa por necessidade, por falta de opções de emprego, como a grande maioria das pessoas naquela época. mesmo assim, ainda no curso de formação, passei a gostar da função policial militar e sempŕe procuro trabalhar da melhor forma possível. Hoje me encontro na sede do batalhão e me sinto no céu, devido ao que passei em frações destacadas. Servi em uma fração onde nós trbalhávamos mais de trezentas horas mensais, isto mesmo, mais de trezerntas horas mensais e só podia ir em casa um dia por mês. Tinha vez que eu chegava no ônibus das dez horas e retornava para o destacamento no ônibus das dezessete horas. Eu não podia exercer o direito de ir e vir. Me sentia como estivesse cumprindo pena em uma colônia penal. Nossa escala de serviço mensal previa dez plantões de vinte e quatro horas (240 horas) e dez turnos de seis horas Sessenta horas) e ainda tínhamos de atender ocorrências policiais, principalmente na zona rural em nosso horário de descanço. Isto se deve ao fato de que está previsto que somos policiais vinte e quatro horas por dia. Hoje vejo que muita coisa mudou, mas sei que ainda existem os abusos. Há cerca de seis anos atrás estive reforçando um destacamento onde o previsto seria o efetivo de seis PMs e no entanto só havia um PM destacado lá. Lá quando havia uma ocorrência, a população não dizia que iria solicitar a polícia e sim que iriam chamar o soldado fulano. Hoje em dia, mesmo que tenha aumentado o efetivo das frações destacadas, ainda assim, o policial destacado passa por muitas dificuldades. Acho que um policial destacado deveria ter alguma vantagem financeira sobre os policiais das sedes. Seria hora, ou melhor, já passou da hora de algum político, representante da classe, elaborar um projeto de lei para beneficiar esses heróis que passam vários anos longe de suas famílias, ralando noite e dia para cumprir seu juramento de defender e proteger a sociedade, "mesmo com o sacrifício da própria vida".

Anônimo disse...

AGRADEÇO A VCS EM NOS DAREM ESTE ESPAÇO PARA QUE POSSAMOS DESABAFAR NOS PROBLEMAS VIVIVOS NA CASERNA, E QUE NOSSOS VALOROSOS IRMÃOS DE FARDA DENUNCIEM TODAS AS ARBITRARIEDADES QUE SÃO SUJEITOS EM PLENO 2011.(ISTO É UMA VERGONHA ). FQUEM TODOS COM DEUS.

Anônimo disse...

Boa tarde sou do interior de minas e há 14 anos já sou cabo na pm quer dizer que a quatro anos atrás era para mim ser promovida e mias um ou dois anos ja seria 2º sgt.e o pior e que quando eu for fazer o curso corro o risco de ser destacado novamente sendo que já fiquei 10 anos no dest.se nossos cmts olhassem bem isto é uma injustiça pois sd novos estão fazendo o cfs e estão ficando na sede sendo les solteiros moram com os pais e nos casadosa deixamos nossas esposas e filhos aderiva.somente um desabafo pois sei que o meu socorro vem do senhor que fez o ceu e a terra.

Anônimo disse...

Em menos de 1 minuto você estará assistindo TV de graça www.tvhd.com.br

Postar um comentário

Comentários - Regras e Avisos:
- Nosso blog tem o maior prazer em publicar seus comentários. Reserva-se, entretanto, no direito de rejeitar textos com linguagem ofensiva ou obscena, com palavras de baixo calão, com acusações sem provas, com preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com a legislação nacional.
- O comentário precisa ter relação com a postagem.
- Comentários anônimos ou com nomes fantasiosos poderão ser deletados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem a opinião deste blog.
- Clique aqui e saiba mais sobre a política de comentários.

 
Os pontos de vista aqui publicados são de responsabilidade dos respectivos autores, não representando versões oficiais de quaisquer instituições.
© 2007 Template feito por Templates para Você - Deformado por José Ricardo
▲ Topo