Desamparados

domingo, 16 de janeiro de 2011

Recebi um texto muito interessante, que aborda a questão do desamparo jurídico e psicológico a que estão submetidos os policiais militares quando praticam ações legítimas. No último artigo que publicamos, de autoria do Sargento Carvalho, foi levantada a importância de trabalharmos em estrita observância aos princípios legais e ao Estado Democrático de Direito. Observem, porém, que, mesmo quando nossas ações são legítimas, ficamos desamparados, o Estado nos vira as costa, tendo nós que arcamos com todas as pesadas custas financeiras de um processo criminal, sem falar no desamparo psicológico. Obs.: (Retirei os dados que pudessem identificar o policial autor do texto, trocando-os por "?").

Sou o Número ? da POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE ?, CABO PM ?, casado, pai de uma filha, já nos quase 18 (dezoito anos) de serviço, hoje lotado no ? BPM, exercendo as funções de relator de B.O e comandante da Guarda de Quartel, na cidade de ?. A minha história é a seguinte:

Primeiramente pedir desculpa pelo meu português não tão preciso e procurar ser o mais breve possível. Neste ano de 2011, segundo uma escrivã da 1ª Vara de Justiça da Comarca da cidade de ?, eu e o meu colega Cabo PM ? estamos agendados para irmos ao TRIBUNAL DO JÚRI por cometimento de homicídio ocorrido no ano de 2004 durante atendimento de ocorrência, ocasião que na época, pertencíamos o Pelotão PM daquela cidade.

A vítima ? era um pedreiro, alto e de porte físico avantajado onde armado com um facão investiu para o nosso lado e foi alvejado com 03 (três) disparos de arma de fogo (revólver), 02(dois) efetuados pelo Cabo ? e 01 (um) meu, e no dia dos fatos apresentava comportamento agressivo e fortes sintomas de ter ingerido bebida alcoólica ou outro tipo de substância.

No local, a presença policial e a parlamentação foram completamente ignoradas, e se não bastasse, a sua mãe na tentativa de arrematar o facão de sua mão, acabou sofrendo um contragolpe e em seguida lançada na parede do corredor de acesso a entrada do quintal da casa, vindo a cair ao solo desacordada e logo após socorrida prontamente pelo Sargento ?.

O motivo da ligação ao 190, é que o solicitante/pai, relatou que tinha mais de 05 (cinco) anos que não vinha conversando com seu filho/vitima, por questões familiares e relacionado também à herança, onde após o agredir expulsou-o também da residência e aguardava a POLÍCIA MILITAR na esquina da rua de sua casa.

O mais interessante deste episódio é que, nesse dia, encontrava-me previamente escalado nos 4º e 1º turnos com horários compreendidos das 19:00h às 07:00h na GUARDA DE CADEIA, ocasião que, a viatura do turno composta somente por 02 (dois) militares e comandada pelo 3º Sargento PM ? e motorista Cabo PM ?, por volta das 00:20h apanhou-me com o intuito de reforçá-la para em seguida deslocarmos ao local com supremacia.

Agora Caros Senhores! Quero aqui expor as minhas angustias: Depois do acontecido vem àqueles famosos procedimentos; Comandante de Pelotão comunicando o fato para o mais antigo do ? BPM e este por sua vez, determinando o deslocamento de uma oficial , a qual conduziu todo o APF (Auto de Prisão em Flagrante), e que por sinal muito bem feito, transparente e realizado sem alteração. Mas, vamos lá...

Autos encaminhados para nossa Justiça Militar, que após examiná-los entenderam que a ação foi legítima e sem restar sombras de dúvidas acabaram emitindo os respectivos Alvarás de Soltura, onde não ficamos mais de um dia presos.

Infelizmente lamento que, naquele dia e ano de 2004, tanto nossa Polícia Militar e o Estado de ?, passava por mudanças e uma delas mais incisiva na área de Segurança Pública, a qual carecia de mais recursos. Não obstante, digo o Estado, é porque, se no dia dos fatos a nossa guarnição PM tivesse, por exemplo, equipada de uma Espingarda/CBC calibre 12 e municiada com cartuchos de elastômero (borracha) como é na maioria das viaturas de hoje, acredito eu, que o desfecho dessa história poderia ter sido outro.

Ora, é óbvio que nenhum Policial Militar é preparado para ceifar a vida de ninguém, e sabemos mais do nunca, que hoje, quando somos submetidos a treinamentos e instruções é para cada vez mais, estarmos capacitados em sermos uma Policia mais eclética e pacificadora possível onde o “Socorrer e Proteger” estarão sempre incutidos em nossas mentes. Depois disso, penso que o Estado terá que investir muito pesado ainda no seu braço forte POLÍCIA MILITAR em armamentos e equipamentos não-letais, para que militares iguais a mim não fiquem tão órfãos na hora de ter que explicar a justiça se sua ação foi legal ou não. Porque nessa história toda o que estar me deixando triste e intrigado, é que desde do dia do APF , as audiências do processo no Fórum de ? e por fim o Tribunal do Júri, eu não tive e nem terei o apoio da Instituição no tocante a minha defesa e nem sequer com os honorários do advogado que acabei de contratar, onde cobrou o preço simbólico de R$ 6.000,00 (seis mil reais) para me defender e sendo solidário ainda, em dizer que acha absurdo um Servidor do Estado em ato de serviço e principalmente dentro das excludentes de ilicitude ter que por meios próprios custear sua defesa.

Então fica aquela pergunta dentro de mim que não quer calar... Poxa vida! Eu não cometi nenhum tipo de desvio de conduta para estar tendo que gastar com advogado assim, e será por que certas coisas são tão unilaterais para nós? Onde vejo que é notória a existência e operância de órgãos como os das Promotorias de Justiça, Corregedorias e Ouvidorias de Polícia e até mesmo dos Direitos Humanos, mas, para o meu caso não existe nenhum, e não só meu, como de diversos policiais desse Estado.

Falam-se das assessorias jurídicas existentes em certos batalhões... mas para que? Segundo o assessor jurídico do próprio batalhão que pertenço, ele me disse que já tem uns quatro meses que ele não defende mais militares em casos isolados, e sim, só os interesses da instituição, conforme força de um documento vigente. Tão somente foi categórico em poder estar dando uma olhada no meu processo orientando-me a não ficar na inércia e indicando-me um bom advogado gabaritado em júri para se for o caso contratá-lo.

Então veja os senhores! Eu de serviço, todo certo, APF cumprida na íntegra, preso por um dia, e agora sabe o que sinto? É o que falei anteriormente “Um verdadeiro órfão” e sem diagnosticar as outras coisas: Desde 2004 até 2010 não fui inicialmente assistido psicologicamente e nem se quer juridicamente, onde continuei trabalhando normalmente por 06 (seis) anos ininterruptos nas ruas, graças a Deus sem quaisquer problemas e com relevantes serviços prestados a população.

São devidos os motivos que também aqui elenco, que solicitei do meu comandante de companhia a minha retirada das ruas, tendo em vista que o julgamento se aproxima e encontro-me endividado e desmotivado para trabalhar no serviço operacional, compartilhando com a indignação dos meus colegas de farda que não param de perguntar - Porque você saiu da rua? E ao responder-lhes, procuro não perpetuar muito o meu descontentamento e nem servir de um câncer para eles.

Onde só sei que agora é restar pedir primeiramente a Deus por nossa absolvição e depois a compreensão dos Senhores Comandantes do Alto Escalão da POLÍCIA MILITAR, Deputados Estaduais e Federais, Psicólogos, Sociólogos, Promotores de Justiça, Secretários de Governo, Governador de Estado e demais autoridades, que juntos estudem uma solução para isso. Quero também aqui reforçar, junto aos meus superiores diretos, o desejo de permanecer trabalhando na Guarda de Quartel, local este que tenho muito apreço e único até agora que encontrei apoio. É o meu desabafo!



Gostou desta postagem? Então cadastre-se AQUI para receber as atualizações do Universo Policial no seu e-mail ou no seu agregador de Feed/RSS.

46 comentário(s):

Anônimo disse...

Fica aqui meus sentimentos de protesto, lhe dou total apoio em sua completa indgnação.
Sou leigo no assunto porém creio que apos o trasito julgado todos irmãos que passam por situação parecida possa entrar contra o estado para ser ressarcido, chama ação regressiva. Porém muitos nao fazem isso uma vez que tem receios de ir contra o Estado, e ainda digo mais tem que processar nao só por ressarcimento(danos materias) mas tambem pelos danos morais e pscoligicos.
Este é o eu ponto de vista sei que nao fara muita diferença para vc, mas sou PM a pouco tempo e já estou indgnado com a corporação uma vez que não visam o bem estar de seus funcionarios, nao os amparam e só que suga-los. Temos que ter coragem e lutar pelos nossos direitos. Somos HUMANOS e merecemos ser tratados com respeito e dignidade.

Anônimo disse...

Amigo, deixo aqui os meu sincero apoio a vc e seu colega, e dizer que vc agiram de maneira correta, pois de acordo com a insuficiência de materiais que haviam na época, associado com a desordem mental do autor devidos a drogas lícitas ou ilícitas, relacionado com a estrutura física e o objeto usada pelo que causa medo e pânico às vítimas, além de ter agredido severamente a própria mãe, e o próprio pai, e no momento sem outros PM para dar apoio como acontecem nas grandes cidades, digo, vcs agiram de maneira correta, baseada nas excludentes de licitudes, ou eram vcs a ficar vivos ou ele. Tenho certeza que vcs serão absouvidos, pois o olho que tudo ve sabe disso.

Sgt Carvalho disse...

Prezado Amigo,

Compartilho a sua indignação e achei um absurdo o fato do assessor jurídico do seu BPM dizer que só defende interesses da instituição. Quer dizer que uma ação legítima de um policial não tem nada ver com os "interesses da instituição"? Simplesmente ridículo. Mas fique tranquilo, você será absolvido e sugiro que após o trânsito em julgado, entre com uma ação contra o seu Estado para ressarcirmento dos honorários que você pagou.

Um abraço e muita paz!

Anônimo disse...

NA POLÍCIA MILITAR PAGA - SE PARA TRABALHAR , IMAGINE SE , AO CONTRATARMOS UM PEDREIRO ,ELE TIVESSE QUE COM SEUS RECURSOS PRÓPIOS FORNECER O CIMENTO , TIJOLOS ETC.SÃO ESTES OS HOMENS (POLICIAIS ) QUE NO MEIO DA MADRUGADA , ALGUÉM (QUALQUER UM)CHAMA E PRONTAMENTE SÃO ATENDIDOS.COM QUE PENSAMENTO OS POLICIAIS EXERCEM SUAS FUNÇÕES ?SERÁ QUE O RECEIO DAS DESPESAS COM NOSSAS ATRIBUIÇÕES NÃO TEM PESADO EM NOSSAS DESISÕES?

Anônimo disse...

É um absurdo o que estão fazendo com o Senhor, com certeza será absolvido, e quando tudo isso acabar peça transferência de sua unidade. Sei que a PM é a mesma em todo o estado, mas se seu comandante tivesse te apoiado a situação poderia ser outra. E confie em Deus, Ele é o único que pode tudo.

SD VENÂNCIO. disse...

COMO PODEMOS SER A LINHA DE FRENTE DA DEMOCRACIA , SE O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO NOS RESERVA CONDIÇÕES DE VIDA TÃO HUMILHANTES , QUE NOS FAZ , HOMENS TÃO FORTES ,PARECERMOS FRÁGEIS COMO VIDRO.

Anônimo disse...

Concordo plenamente com sua indignação,mas sem querer ser cruel com sua situação, esta relação de distintas autoridades públicas que citou não estão nem aí com você e muito menos sabem que existe. Portanto, confie somente em Deus pois tenho a convicção que vai vencer esta batalha.
Orfão da PM ? Todos somos, companheiro! Desde o primeiro dia que entramos. E tem gente que ainda acha boa a instituição.

Anônimo disse...

Verdadeiro absurdo !

Imagino que assim como vc amigo, devem ter centenas na mesma situação infelizmente.Também sou leigo no assunto contudo, não vejo outra saída, vcs através de(advogado constituído) deverão acionar o estado fazendo valer seus direitos.

Boa sorte a todos !

Anônimo disse...

aqui meu camarada , nos estamos aqui mesmo estarrecido, com seu problema, lamento em nao poder ajudar vcs, mas que DEUS possa tar abençoando todos vcs. e que no final tudo dara certo.fica com DEUS

Anônimo disse...

Meu querido irmão de farda, não sei o seu nome, a corporação em que pertence, batalhão, onde mora, etc... tudo ficou no anonimato, foi bom que seja assim. Olha quero aqui lhe dizer uma coisa só, não é novidade que o Estado vire as costas pra nós! Não é novidade que temos que arcar com dispesas com advogados para nos defender, pelo simples fato de ter em nome da "Lei" e na defesa da sociedade, ou de terceiros ou da própria vida ou da guarnição, ter que tirar a vida de um elemento enfurecido, que para a sociedade de um modo geral, o Policial foi arbitrário, foi ingnorante, em que talvez com um golpe de defesa pessoal, poderia mobiliza-lo, e assim por diante. Mas quero completar dizendo-lhe que sou evangélico, sirvo a um Deus que tudo pode, e vc pode ter certeza que se vc se apegar com Deus ele te livrará, uma vez que pude observar nesse depoimento que vc agiu em legítima defesa sua, da Guarnição, e de terceiros (a mãe dele), que o unico recurso, foi alveja-lo com um tiro. Aconteceu comigo, no ano de 1999, quando de serviço na vtr, por volta das 01h da madrugada, um certo elemento embriagado ou drogado, desarrumou em uma boate, deu porrada em mulheres que ali estavam, inclusive uma grávida, na perceguição, conseguimos coloca-lo no camburão da vtr depois de uma luta corporal incessante, depois na porta da delegacia me deu um pisão e fugiu, fua atraz derrubei ele no chão três vezes e na quarta vez ele se levantou virou-se para mim e pulou em mim tentando me tomar a arma, mas só que eu fui mais rápido e o alvegei na perna esquerda na altura da coxa. Prestei socorro levando para o hospital. no outro dia os parentes deles estavam no Batalhão cobrando do meu comandante providências para que o mesmo fosse transportado para capital de avião, tanto que não houve necessidade pois o mesmo não corria risco de vida. Na DP todas as vítimas estavam lá para me dar apoio e testemunhar a meu favor enquanto que um tio dele queria me pegar de qualquer geito e me matar... bom, no final da história, o mesmo foi autuado em flagrante delito por agressão, resistência a prisão. Sabe o que aconteceu depois, o tio dele que queria me matar, veio até a mim me pedir que retirasse a queixa. Mas eu disse a ele que se a coisa fosse ao contrário se fosse eu o acusado, ele estaria pronto pra me matar, então eu disse a ele que procurasse um advogado para defender seu sobrinho porque não tiraria a queixa até porque não foi somente eu a vítima nessa história. Bom depois fui transferido de lá, e não sei o que foi feito do mesmo. Só sei dizer que para alguns Comandantes, o praça nunca está certo! essa é a realidade na qual se vive em nossas corporações. Mas meu amigo confia em Deus que Ele irá te absolver, em nome de Jesus.

Anônimo disse...

Fica aqui minha solidariedade ao companheiro e irmão de farda...Na minha humilde opinião, as unidades deveriam ter um advogado (talvez até mesmo um militar bacharel em direito) para que pudesse auxiliar nós militares em casos semelhantes como estes, e não somente "interesses da unidade". Agora fica algumas perguntas: Foi feito o APF dos dois militares? Mesmo com autoria indefinida? Ou os dois foram os autores? Complicado, heim....Alguém pode sanar minha dúvida quanto a legalidade ou não do APF?
Um fraterno abraço.
Rocha, Sd PM

Anônimo disse...

É O JEITO É NÃO FAZER NADA MESMO.

Anônimo disse...

é sempre assim mesmo essa palhaçada !!!

sou agente da Febem e vo te falar se a gente se defende num caso de rebelião e acaba derrubando algum marginal, estamos ferrados, lamento por vc amigo, mas nossa situação é bem essa mesmo viu ....tenho amigos que após agir em legitima defesa, tiveram que abandonar suas vidas neste país, fugir para lugares como o Paaguai, e sumir do mapa porque se enquadraram no crime de tortura.....agora fala pra mim desde quando se defender de um vagabundo que vem pra cima de vc com naifas afiadissimas é tortura ?????

pois é tb não sei mas de uma coisa eu sei :

o ESTADO não está nem ai para nemhum de nós !!!

seja POlicia Civil, militar ou os Agentes que trabalham nos Sistemas !!!

lamentavel !!!

Anônimo disse...

Em relação a armas nao letais parece brincadeira o que foi falado no meu batalhao.Eles recolheram todas as muniçoes de borracha e disseram que agora só quem fizer um curso poderá usar esse tipo de armamento,pois segundo eles estariam ocorrendo muitos casos de uso de muniçao de borracha no estado.Eis a questao...será que nestes muitos casos teria sido melhor se tivessem usado munição real?
Acho que estao precisando rever os conceitos.Teriam de dar graças a Deus por isso.

Anônimo disse...

SENHORES(AS); O EMPREGO DA ARMA DE FOGO PARA AÇÕES "LEGITIMAS" NÃO CONSTITUI CRIME. COMPANHEIRO, VC AGIL, UTILIZANDO O ARMAMENTO QUE LHE TINHA NO MOMENTO, NÃO É HORA PARA LAMENTO DO "SE" TIVESSÉ ISSO OU AQUILO. MELHOR RESPONDER UM PROCESSO DO QUE IR PARA A "TERRA DO PÉ JUNTO". BOA SORTE NO SEU JULGAMENTO. COBRA DO SEU COMANDANTE, ASSESSORIA JURIDICA.QUE POR SINAL EXISTE PARA ASSESSORAR OS COMANDANTES DE RPM, BPM, NAS MOVIMENTAÇÕES DE "PRAÇA".

Adriano disse...

caro colega de farda, agiu de forma correta, sem dúvida. foi profissional em todo o momento. e com certeza será absolvido neste processo.
e nós militares temos que usar este exemplo para continuarmos nossa luta por melhores condições de trabalho, melhores sálarios. temos o poder em nossas mãos de mudar em muito nossas polícias, mas para isso temos de deixar de lado o custume de sermos omissos por muitas vezes. niguém irá dar-nos nada de graça, precisamos lutar para conquistar nossos objetivos. Boa Sorte á Todos Irmãos da Segurança Pública.

Anônimo disse...

anonimo de SETE LAGOAS

colega força que a justiça divina vai olhar por você pois quando você, pois quando você entrou na corporação foi obra divina, então agora pode ter certeza que DEUS esta do seu lado, foça e fé são meus sinceros votos.........

Anônimo disse...

sgt augusto
compartilho sua angústia e gostaria de comentar que aqui em minas, num passado recente, houve uma reunião (chamada geral) com o advogado da região de polícia militar na qual trabalhava, e ele foi categórico em dizer que se envolvêssemos em questões jurídicas seríamos "jogados aos cães". Houve protestos de nossa parte mas o exemplo do companheiro mostra esta dura realidade.

Anônimo disse...

É uma crueldade oq fazem com os seus funcionários esta empresa que tanto prega os direitos humanos, e nós policiais, por acaso nao somos humanos??? Aqueles de direito tem que recordar, que por trás desta farda muitas vezes banhada pelas lagrimas da sociedade que nós sem ao menos saber quem são, os abraçamos em situaçoes que muitas vezes ponham nossas vidas em riscos, e sem pensar lá esta os homens que fazem a frente do Estado para servir e proteger, dai surgem as duvidas; MAS E O ESTADO EM UMA OCASIÃO DESTA ONDE ELE ESTA, PARA ABRAÇAR AQUELE QUE O REPRESENTOU COM DIGNIDADE??? DEIXO AQUI MEU ABRAÇO A ESTES IRMAOS DE FARDA, QUE TENHO CERTEZA QUE JAMAIS SERÃO PUNIDOS.

Anônimo disse...

caro companheiro,
infelizmente o motivo da sua indignação é o mesmo para tantos outros irmãos de farda, quem executa o árduo trabalho de defender a sociedade diariamente nas ruas sabe que é pagar para trabalhar, pois se acontecer algo que saia um pouco da normalidade com certeza terá dezenas de órgaos cobrando uma resposta que os agrade, inclusive os viculados aos direitos humanos, e o valor de tudo isso sai de nossos bolsos.Deus estará conduzindo o seu júri e com certeza vc sairá inocente.
Abraços

JRB disse...

Da uma lida em nosso Texto: Os Direitos Humanos em face do Policial Militar - no blog www.TEMDENDE.blogspot.com e segue a gente também. Abraços!

Anônimo disse...

Esta é uma realidade que poucos ousam expressar publicamente. Eu também estive enrolado com processo, fiz tudo nos moldes da lei e ainda não foi o suficiente. Procurei a defensoria publica, advogados de associação de classe que me aconselharam a assinar a suspensão condicional.Tenho certeza que se na época tivesse condição financeira de pagar um advogado gabaritado e no mínimo um pouco interessado, teria sido absorvido facilmente. Depois de tudo fica o temor de que aquela ação policial legítima que enfrentamos diariamente, possa estar trazendo os mesmos transtornos. Que justiça é esta, que pune trabalhadores essenciais da sociedade, transformando o dever de um policial em um crime que se confirmado compromete toda uma carreira e uma família. Só o Senhor Deus é por nós.

Anônimo disse...

é isso ai a policia militar se tornou politica e na politica as coisas funcionam assim...que Deus te abençoe.

Anônimo disse...

É lê o trecho desse e você vê um filme na sua cabeça...
Li atentamente seu relato/desabafo e, meu me pergunto até quando nós iremos segurar nossas mentes, impulsos. Não somos homens de ferro. Somos iguais a quaisquer cidadão, apenas temos o direito e o dever de cumprir e fazer cumprir a Lei, e quando a fazemos, aí o que acontecesse.
Deus te proteja e te dê forças irmão, serás vitorioso.

Anônimo disse...

Companheiro fica aqui minha solidariedade. Entrei a pouco na corporação e logo vi como funciona as coisas, o seu caso parece único mas quem trabalha na rua sabe que a qualquer hora estamos sujeitos a isso. Essa é uma instituição falida, onde opera o interesse de poucos. Por isso penso que o bom policial é aquele que entra de serviço e sai do mesmo modo que entrou, ou seja, fazendo somente o necessário.

jose elizeu disse...

Caros Irmãos de Farda.
Essa ocorrência em que você se envolveu é quase que rotineira nas grandes cidades, não com o mesmo resultado. Mas nesse caso não tem como não ser legitima defesa sua e de terceiros. Estão indo a jurí popular pelo que eu entendí, Jurí popular não é só quando o homícidio doloso contra a vida. Esses procedimentos são simplismente pra cumprir as formalidades mas com certeza serão absolvidos. Quanto ao estados nos assistir com defensores mantidos pela corporação na minha cidade tem ja em funcionamento esse tipo de assistencia pelo menos está disponivel não sei vai funcionar a contento, apesar de eu nunca ter precisado. Mas esse tipo de ocorrencia envolvendo faca principalmente, voces fizeram o certo. Tem um video de uma ocorrencia de um garimpeiro na nicaragua em que uma guarnição de seis policiais na certeza de que consguiriam conter o garimpeiro que portava uma faca e apos discussão com a mulher; ele matou um policial e feriu tres ou quatro. Então voces estão com a consciecia limpa de dever cumprido o elemento que foi morto tentou mata-los e se voces ficasse pensando em apoio da pm do seu estado em direitos humanos. Infelizmente é muito rápido e a decisão tem que ser acertada e foi.
Parabéns que Deus como sendo justo direcione os julgadores para que se faça justiça.

Anônimo disse...

à todos pm,finjam que trabalham...só isso...faço isso há 5 anos...

Anônimo disse...

Muito bom vou fazer a mesma coisa, se eu ''trabalho tomo ferro se nao trabalho tomo ferro do mesmo jeito'' entao vou fingir que trabalho!!!

Anônimo disse...

A pmmg a cada dia vem demonstrando uma preocupaçao muito grande em ser uma excelente empresa, empresa como outra qualquer que presta bons serviços ao seus clientes.De uns tempos pra cá a PMMG tem preocupado muito com a concorrencia de mercado e prestaçao de serviços,para tanto, ela Estuda, inova,elabora fonte de pesquisa no intuito de como melhorar o seu produto final,a exemplo é o lob recente da tal " imagem institucional". Ela está esquecendo a cada dia o que é ser e fazer policia e que por trás dessa prestaçao de serviço, dessa empresa, está o ser humano, homem policial e o bandido, e que nessa combinaçao está a açao eficaz e energica do policial a fim de salvar vidas. essa é sim uma empresa, mas uma empresa diferente,que vive constantemente na linha tênue entre a vida e a morte, onde seus protagonistas principais nao sao os diretores da empresa e sim os obreiros,os executores, não usam túnicas e nem andam bem alinhados com seus uniformes, porque o serviço nao permite. Estou cada dia mais convicto: eu pertenço a uma empresa e dela depende meus filhos e minha esposa, nao importa onde eu trabalho, que aparato policial eu tenho, que roupa eu uso,que arma eu uso,o que nao posso é ficar sem pertencer a essa "empresa".

Anônimo disse...

é isso mesmo colega. Quando adolescente adorava filme de policia e bandido e, Certa vez, quando soldado recém-formado, eu vi um capitão médico atrás da mesa, eu pensei:nao me importa se sou soldado,eu quero é ser feliz nessa vida, quero trabalhar na rua combatendo os bandidos e nao quero ficar atrás de uma mesa e ganhar como um médico".e hoje?o que voces acham que penso disso?...

Anônimo disse...

viva a PMMG. Chega de choradeira. Vamos trabalhar.....

Anônimo disse...

Colegas devemos parar de trabalhar feitos camelos, pois na hora da ajuda do Estado, dá nos as costas. E para mim o estado nada mais é do que o conjunto da sociedadade, em que só pensa no momento, em só pede ajuda na hora do sufoco. temos que deixá-los a merce dos problemas deles. Digamos assim, em vez de resolvermos briguninhas, problemas de familia, QRU de herança, devemos é apenas consolarmos as partes, exemplo, "fazer oque né minha senora", "o senhor que quis assim" "nao posso fazer nada""meu negocio é catar ladrão".

Anônimo disse...

Temos é que lutar para morar bem, comer bem, viver bem.
Para que possamos precisar do minimo da segurança publica

Anônimo disse...

É parceiro... mão é facil ser policial... mesmo agindo certo, comprovadamente escrito no Boletim e amparado pela excludente vamos à juizo na Justiça comum e temos que pagar para sermos defendidos por um advogado decente. Boa sorte para vc e fica mais um motivo para exigirmos melhores condições de trabalho e salariais.

Anônimo disse...

Amigo. Concordo plenamente contigo. Mas não podemos contar com nossos comandantes e muito menos com o sistema. Somos apenas mais um número. Se morrermos ou formos excluídos, entra em nosso lugar outro número, com mais dígitos e, no caso de sermos excluídos, com menos direitos no que diz respeito a vantagens nos vencimentos, ou seja, fica mais barato para o Estado contratar um policial jovem no lugar de um "Praça Velho" que foi excluído. Assista ao filme "Tropa de Elite dois" e vc verá a pura realidade de como funciona o sistema. Boa sorte no seu processo.Ah! Tenho mais de dezenove anos de serviço, sempre gostei do serviço operacional, contudo, estou há dois anos trabalhando em guarda de quartel, justamente para evitar problemas nas ruas e ficar como vc está, desamparado, endividado, enfim, em um mato sem cahorro.

Anônimo disse...

Isso acontecia antigamente....
Hoje para ajudar temos as patrulhas de correção da ?????!!!
Agora com elas temos o amparo e a orientação legal de que sempre precisamos!!!

Anônimo disse...

Com a falta de proteção que os policiais têm e pelo fato de não encontrarem apoio na hora do apuro, quando agem legitimamanete, á policia acaba se tornando fraca, pois os policiais que fazem a policia ser ou não eficiente, a maioria dos policias entram na instituição com um desejo muito grande de ajudar a sociedade a resolver seus problemas, mas na verdade encontram deficiências e medo.Hoje em dia se um policial age legitimamaente durante certa ocorrência recebe criticas e desconfiança de seu superiores e pares, sera que eles não percebem que amanhâ serão eles, o problema não precisa ser procurado ele cai nas mãos dos policiais e mais cedo ou mais tarde quem critica e não protege poderá estar passando pela mesma dificuldade. Não devemos acobertar quem comete crime e sim aquele que ao tentar resolver uma situação acaba tendo que usar meios que são tidos como violentos pela população, mas para os policiais e pessoas ligadas a profissão entendem que é um ato licito e profissional. Já esta na hora dos policiais receberem maior proteção quando executam sua funções para que nao seja inserido no meio da corporação o medo de atender aos chamados, pois se não se tem proteção quem vai querer se ariscar.

Anônimo disse...

Policiais acordem!
O governo não quer mais gastos carcerários que onerem o estado com nenhum bandido. Isso não dá lucro e não gera impostos. Enquanto polícia querer resolver tudo, vai trazer prejuízo para o estado(É isso que o GOVERNO pensa). Está aí a diferença de salário entre policiais e o pessoal da justiça. Há muito este pessoal acordou e são eles os maiores beneficiários de aumento de salário. Enquanto vocês ganham mízeros 10% de aumento este povo ganha 60%. Está aí o segredo de porque os senhores são punidos e passam por esses tipos de probelmas. Isso é para vocês acordarem e aprenderem a maquiar as estatísticas como o governo quer. O pessoal da justiça é cobrado pelo tanto de processo que se acumula e prescrevem sem serem mechidos? Isso oneraria o Estado se fosse feito todos os trâmites que a lei determina. E lei no Brasil foi feita para não funcionar mesmo. Acordem pois o bandido que você policial prende, sai primeiro da delegacia que você. Em muitas delegacias eles saem depois , para não lhes dezanimar. Governo não quer ninguém na cadeia, é por isso que foram feitas leis que permitem penas auternativas. Cobram produção das polícias! Mas que produção é esta. Polícia não é nenhuma industria e não gera ganhos para o Estado. Polícia foi feita para separar ricos de pobres, Vigiar patrimônio de ricos, porque pobre não tem nada mesmo. Nunca vi rico permanecer muito tempo na cadeia, principalmente se o cara for dono de alguma empresa que gera lucro pro Estado. Pensem em formas alternativas de se fazer polícia, atualmente esta está muito defazada.O absurdo é o tal de flagrante em que o sujeito só pode ser preso naquele momento. Depois que o cara corre, esconde no mato ou em casa de parentes, mesmo que tenha cometido o crime mais horrendo pelo motivo mais fútil, passa o tempo em que o flagrante é anulado, o bandido desfila pelas ruas na cara dura em fazem piadas dos policiais que não podem mais prendê-los, porque se isto fizerem cometem o tal crime de abuso de autoridade.E aí a sociedade diz que polícia não consegue resolver os problemas que a deixa refem dos criminosos. E a culpa em vez de ser do governo cai em quem? Em vocês, bons Policiais. Eu tenho certeza que se todos os que passam pelas mãos da polícia fossem punidos com penas que fossem mais duras só para os criminosos contumazes, os problemas sociais ligados a segurança pública já estaria há muito em sua maioria resolvidos. Sem contar direitos humanos em todos os seguimento sociais, sejam ong's, assembleias legisletivas, ministério dos direitos humanos, etc. Disso tudo não é preciso falar, porque vocês já conhecem a história. Obrigado pelo espaço neste Blog.

Anônimo disse...

Parabéns para a imprensa mineira, conseguiram prender 04 policiais do Btl Rotam e agora conseguiram fazer com que um deles suicidasse na cela. Até quando seremos vítimas dessa conspiração? O policial sempre é condenado antes da ação transitada e julgado. Estamos Revoltados. Greve já. Viva a PMMG.

Anônimo disse...

desejo lhes boa sorte ,infelizmente estamos ficando de maos e pes atados . estamos ficando orfaos em nossas acoes seja ela legal ou nao .

Anônimo disse...

Isto serve para que nós nunca façamos além do que devemos. O que quero dizer? Pararmos de ficar correndo atrás de prejuízos dos outros. Quantas vezes nós já fizemos isso é o recebemos em troca? A crítica covarde dessa sociedade hipócrita que não nos merece. É uma sacanagem que stão fazendo conosco. Sempre tem alguém para nos punir. Mas, para nos auxiliar é sempre assim. Nos deixam na boca do leão.

Anônimo disse...

Respondi por um Homicídio bem parecido com o seu, mas foi bem antes, em 1993.O cidadão votimado investiu contra mim a foiçadas, eu cheguei a desviar de algumas e a foice chegou a tocar minha divisa na manga da camisa, sendo efetuado apenas um disparo.No dia do julgameto, 40 dias após os fatos, eu cheguei no Fórum Lafaete sem advogado e apareceu um Advofado no corredor me procurando, dizendo que iria ser meu advodado. EU fui ouvido em audiência e julgado logo em seguida, sendo absolvido pelo próprio promotor.Também não tive nenhum apoi posocolígico e a experiência que tirei da situação é que nunca devemos deixar um infrator chegar tão perto da gente com uma foice nas mãos como eu deixei.No seu caso, se voce chegasse ao fórum sem advogado, eles seriam obrigados a nomearem um para voce, como ocorreu comigo.No meu caso e tendo certeza de ação legítima, como no seu caso, eu jamais gastaria um centavo com advogado.tenho 25 anos de serviço e so trab na rua até hoje e fatos desta natureza pode ocorrer a todo momento, como terei condições de pagar um advogado, cada vez que for necessário o uso da força letal, não posso pagar para trabalhar.Com certeza voce será absolvido.Acho que falta união dos integrantes para mudarmos isto.

Anônimo disse...

ESTOU SENDO CONDENADO POR TORTURA, VEJA BEM PRENDEMOS SETES PESSOAS ENTRE TRAFICANTE E USUARIOS DE DROGA.PASMEM ELES NOS DENUNCIARAM E A PROMOTORA MANDOU Q A PM APURASSE,BEM FOI FEITO TAL APURAÇAO,POREM FOMOS ABSOLVIDO NAS DESÍDIAS APRESENTADAS NA APURAÇAO.SENDO TAL FATO FOI PARA O CMT,QUE POR SUA VEZ NAO ACEITA A DECISAO DO CONSELHO DE ETICA. PARA QUE SERVE O CONSELHO QUE NAO TEM AUTONOMIA, SENDO Q TUDO VAI POR AGUA ABAIXO SE ELE(CMT) NAO CONCORDAR COM TAL DECISAO. AH O TJMILITAR MANDOU DE VOLTA PARA JUSTIÇA COMUM ALEGANDO Q NAO CABE A ELE ,ESIM A JUST COMUM.

Anônimo disse...

CARO COMPANHEIRO FICO SEM PALAVRAS AO VER SUA SITUAÇÃO POIS NOS COBRAM TANTO E NOS OFERECEM TÃO POUCO. a PERGUNTA É COMO TRABALHAR MOTIVADO FRENTE A UMA SITUAÇÃO DESSAS?????

Anônimo disse...

A POLICIA MILITAR,SE CONSIDERA UMA EMPRESA,CONTUDO NÃO DA NENHUM DOS DIREITOS QUE TODO TRABALHADOR POSSUI;NÃO DESMERECENDO O CARTEIRO,MAS GANHAM PERICULOSIDADE DEVIDO AO FATO DE TEREM QUE ADENTRAR EM ALGUMAS ÁREAS QUE POSSAM OFERECER RISCOS AOS MESMOS,E O POLICIAL(POLICIAIS ESTES QUE TRABALHAM NAS RUAS),E NÃO AQUELES QUE SE ESCONDEM ATRÁS DE MESAS E QUE ADORAM QUESTIONAR A ATITUDE DE QUEM REALMENTE TRABALHA.UM DIA QUEM SABE TEREMOS ALGUÉM QUE TENHA CORAGEM DE BATER DE FRENTE E PLEITIAR NOSSOS DIREITOS,E NAO FICAREM ESPERANDO CARGO DE CONFIANÇA,PORQUE UM DIA PODEM PRECISAR DE QUEM ESTA NA LINHA DE FRENTE.

Anônimo disse...

E MUITA ARBITRARIEDADE,TEMOS QUE DENUNCIAR.

Postar um comentário

Comentários - Regras e Avisos:
- Nosso blog tem o maior prazer em publicar seus comentários. Reserva-se, entretanto, no direito de rejeitar textos com linguagem ofensiva ou obscena, com palavras de baixo calão, com acusações sem provas, com preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com a legislação nacional.
- O comentário precisa ter relação com a postagem.
- Comentários anônimos ou com nomes fantasiosos poderão ser deletados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem a opinião deste blog.
- Clique aqui e saiba mais sobre a política de comentários.

 
Os pontos de vista aqui publicados são de responsabilidade dos respectivos autores, não representando versões oficiais de quaisquer instituições.
© 2007 Template feito por Templates para Você - Deformado por José Ricardo
▲ Topo