Discriminação Nacional

domingo, 2 de janeiro de 2011

Carlos Henrique Ferreira Melo (*)

A revista Veja, edição 2.141, de 2 de dezembro de 2009, publicou um artigo muito elogiado, inclusive por policiais, sob o título "sem medo da verdade", uma excelente matéria que demonstra a realidade sobre o que pensa a sociedade a respeito dos policiais militares e toda a carga de discriminação e preconceito por que passam.

No subtítulo "No rumo correto", buscando ressaltar a capacidade profissional de um oficial da Polícia Militar de Minas Gerais, consta a seguinte frase:

"Não fosse pela farda, o comandante da Polícia Militar de Minas Gerais, coronel Renato de Souza, 46 anos, em nada lembra um policial, gestos suaves, vocabulário preciso, ele parece mais um acadêmico. É quase isso.

Presença constante em seminários e congressos sobre segurança pública, Souza tem um currículo de tipo ainda incomum no Brasil, mas que começa a ser usual nas melhores polícias do mundo..."

Da análise do referido comentário, no mínimo, depreende-se que para o editor os policiais militares são semi-incultos, violentos e arbitrários, sendo incomum e raro que os profissionais de segurança pública possam ser educados e cultos.

Tal comentário, correspondente ao estereótipo existente no imaginário popular, inserido em uma publicação formadora de opinião representa uma demonstração explícita de preconceito e discriminação, que necessita de reparo imediato. Assim, na condição de policial militar, não me permito o silêncio sem promover os esclarecimentos que o caso requer.

O desconhecimento público do processo educacional dos policiais militares no Brasil, não raro, gera comentários dessa natureza, alimentados voluntária ou involuntariamente pela mídia. Em verdade, para nós, policiais militares, não se constitui novidade, em reuniões de trabalho, apresentações, encontros, seminários, ou até mesmo no convívio social ouvirmos elogios do tipo: "Você é muito educado, competente e inteligente. Nem parece policial!" Elogio ou ofensa?

Para ser um policial militar é necessário passar num dos concursos mais concorridos no país, em qualquer unidade da federação, constituído de exames intelectuais, psicológicos, médicos e físicos, para depois cursar, no mínimo, dez meses para ser soldado e três anos para ser oficial.

Os cursos oferecidos pelas Academias das Polícias Militares são considerados de nível superior, tanto que o exame para admissão é equivalente ao do vestibular, e após a conclusão do curso, o oficial, com o seu diploma reconhecido pelo MEC, pode matricular-se como aluno especial nas universidades públicas e privadas.

Cumpre ressaltar que ao ingressar na PM mais da metade dos aprovados, tanto nos cursos de formação de oficias como nos de soldados, já possuem nível superior ou estão em curso. Na Bahia, por exemplo, mais de 70% dos alunos do Curso de Formação de Oficiais possuem nível superior.

O processo de busca de conhecimento dos policiais não para por aí. Para terem acesso aos postos e graduações que constituem a hierarquia da Corporação, internamente são exigidos dois cursos de especialização "lato sensu" para os oficiais e um para os praças, em sua grande maioria efetivados em convênio com as universidades.

Bastaria uma pesquisa rápida, no próprio estado de Minas Gerais e nas outras unidades da federação, para que o nobre jornalista pudesse perceber que o currículo do Sr. Cel PM Renato Souza não é de um tipo tão incomum no Brasil.

Certamente, em todos os postos e graduações, do norte ao sul do Brasil, existem muitos homens e mulheres com o perfil pessoal e profissional do Cel. Renato, mas sem a visibilidade que o exercício do cargo de Comandante-Geral proporciona, pois, via de regra, os critérios usados pelos Chefes do Executivo para escolha dos que ocupam os cargos públicos do alto escalão governamental, em todas as áreas, inclusive na segurança pública, passam bem longe da competência profissional.

Se o nobre jornalista quiser prestar uma valiosa colaboração à segurança pública deste país, sugiro-lhe que seja mais cuidadoso com suas palavras e se quiser criticar, que o faça, velada ou explicitamente, aos "Donos do Poder", pois a eles cabem as críticas e a responsabilização pelas escolhas que fogem de tal padrão.


*Autor: Major da Polícia Militar da Bahia, comandante da 39ª CIPM, especializado “lato sensu” em Gestão Estratégica em Segurança Pública (CEGESP-UFBA), em Defesa Social e Cidadania – UFPA e professor da Academia de Polícia Militar do Estado e da UNEB.

Nota: Este artigo foi enviado para publicação por um leitor do blog. Envie também o seu.



Gostou desta postagem? Então cadastre-se AQUI para receber as atualizações do Universo Policial no seu e-mail ou no seu agregador de Feed/RSS.

24 comentário(s):

Anônimo disse...

nota-se que o nobre jornalista, e formador de opinião, não levou em conta também que todos os militares são doutores em seguraça publica, que além de trabalhar cuidando da população, dão suas vidas por isso, sem sequer reclamar de nos dias em que a população resolve fazer das ruas uma festa, seus soldados são tirados do seu convívio familiar para lhe dar tranquilidade e isso nem sempre é reconhecido. será que no dia de folga ou férias do nobre jornalista, que ele estivesse na praia curtindo com a família, ele largaria sua família e iria para atender uma ordem do seu chefe, será.

Anônimo disse...

A culpa disto todo é a propria PM,nossos cursos tem que ser divulgado na mídia,poucos sabem como e a formação de um policial militar, o numeros de materia que tenhos no curso de formação.Agora todo o policial tem uma boa educação, mas em certa ocorrencia temos que usar da estupides se quizermos por ordem na casa.A pupolação e mal educada não tem conhecimento das leis,derespeitas as autoridade prova disto são as inumeras ocorrencia de desacato e desobediencia- agora fazer palesta para pessoas educadas que tem uma auto nivel de conhecimento, ai meus amigos , ate eu uso de palavra bem colocadas -não se pode afirmar que o policial e mal educado e mal preparado para lidar com a pupolação cada ocorrencia exige uma postura do policial.O unico que nos compeernde é Deus.

Anônimo disse...

Se o comentário acima é de um policial militar, vai de encontro com tudo o que ele quis dizer, pois em sua comentário disse que todo policial tem boa educação mas estupra o português dessa forma. Aprendamos a ler e a escrever, o policial não é estúpido, às vezes precisa ser enérgico, vigoroso e sempre cumpridor das leis.
Necessitamos de reconhecimento sim por parte das autoridades e da população, mas com inteligência e trabalho, mas obviamente devemos primeiramente fazer o dever de casa, aprender o básico, o cruxial para não saírmos falando nem escrevendo "abóbora" por ai.

Anônimo disse...

Companheiros de fardas,precisamos melhorar o português,o REDS ja tá chegando em nossa região,não dá para a PM pagar mico.

Anônimo disse...

Certa vez atendi a uma pertubação do sossego,a solicitante era uma médica que estava de férias na minha cidade, ela tem casa de verão.Após fiquei sabendo que ela comentou com a visinha que eu não parecia policial "tinha muita educação",Que desconhecimento.

Anônimo disse...

A realidade é triste, entretanto, são muitos os policiais mal instruídos.

Anônimo disse...

Tem razão. Ademais são muitos os que apesar de serem instruídos, não conhecem os princípios da boa educação. Com o mesmo pau que dão em Chico, dão em Francisco. Não sabem diferenciar vítima de infrator...

SdPMAM disse...

Caros irmãos de farda, é uma realidade que nos agrava dentro e fora de nossos quartéis.
Sou amazonense. Existem colegas aqui que estão concluíndo doutorado. No entanto não é dado à eles oportunidade de por em prova conosco o conhecimento adquirido. O RDPMAM reza que o praça não pode estudar(pasmem!).
Outra que eles tendo o conhecimento, só podem instruir ou ensinar, SE auxiliares de um oficial.
Convenhamos que isso não é absoluto. Pois em meu CFSd tive instrutores praças. Mas isso mexeu com o brio de muitos oficiais.
NO CFO último, houve até processo rolando porque o Sd Ary, instrutor de Comunicações e Tecnologias, foi interpelado por um aluno-oficial do por quê estar lecionando a matéria se este era praça. Foi um bafafá!
Por outro lado temos Sd's, CB's, e SGT's que não tem nem o ensino médio completo. E por esse fato, não obtem suas promoções. E isto refletirá aonde? Me digam.
É lamentável.

Anônimo disse...

Dentro de um geral percebo tambem que muitos optam por fazerem bicos constantemente sem preocuper-se com seu nivel intelectual e não me falem que é por necessidade por mandam suas familias de avião para cidades de parentes e vivem uma situação de sumbis só se preocupandp com bicos que possam elevar sua conta bancaria não se preocupando se quer com sua SAUDE.

Anônimo disse...

Caros irmãos de farda, boa noite!

Tenho absoluta certeza que o comentário do "nobre" jornalista foi lamentavelmente INFELIZ. E que esse denegriu toda classe policial, principalmente policial militar, durante sua matéria.

A imprensa só sabe criticar, fazer sensacionalismo, e jogar um monte de “besteirol” em suas revistas, quando se trata de segurança pública. Sou Soldado de 1ª Classe da gloriosa PMMG e em minha turma, CTSP 2007, mais da metade dos discentes já tinha nível superior de escolaridade.

Infelizmente para a sociedade, por culpa de IMCOMPETENTES como esse jornalista, nos temos a imagem de meros "guardinhas", como é mostrado nas novelas cheias de "besteirol" da TV globo, onde os IMCOMPETENTES roteiristas não sabem diferenciar um policial militar de um policial civil, pois o que é mostrado é um policial ostensivo (PM fardado) sendo comandado por um delegado de policia judiciária (policial civil); sendo que o PM geralmente é burro, analfabeto, ignorante, despreparado e muitas vezes corrupto.

Então vos digo que em meu concurso para Soldado PMMG a relação era de 42 candidatos / vaga. Ou seja, muito mais concorrido que a maioria dos vestibulares para jornalismo heim nobre repórter!

Em fim só tenho a lamentar que pseudos jornalistas, que provavelmente são ex-maconheiros (talvez nisso eu esteja enganado, pois sabe como é esse pessoal: “uma vez maconheiro sempre...”), ex-hippies e ex-pseudo comunistas (pseudo comunistas sim, pois na maioria das vezes são filhinhos de papai que vieram de classes mais favorecidas, não estão nem ai para população que vive na miséria e não conhecem a realidade fria das ruas como um policial) fiquem por ai difamando nossa classe sem ter um mínimo conhecimento na área necessário para escrever uma matéria decente sobre segurança pública (exceção feita a profissionais competentes como o ex-Capitão da PMERJ Rodrigo Pimentel).

Policial Militar Anônimo (orgulhoso de ser PM)
E ACIMA DE TUDO CIDADÃO E PROFISSIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA QUE FALA COM CONHECIMENTO DE CAUSA

Um forte abraço a toda família policial militar e civil e que Deus nos abençoe e nos proteja!

Anônimo disse...

Ufa! Dizer mais o quê, né!...

Anônimo disse...

Coronel Renato não tem culpa de tal comentário do repórter da revista que, por incrível que possa parecer, é o que realmente imagina toda a população brasileira de todos os policiais militares. Lógico que felizmente não é mais assim. Agora, que o Coronel Renato é "porreta" ahhhhhh isso é mesmo. Inteligente, dinâmico, com visão holística, educado, trabalhador, com curriculum invejável mesmo. Não podemos culpá-lo pela inveja de muitos que queriam ser como ele é e não conseguiram. Discuta e brigue com os repórteres, com as reportagens e com o povo brasileiro mas deixem nosso Comandante Geral da PMMG, uma das mais respeitadas do Brasil, de fora, pois é nosso legítimo representante. O resto é conversa fiada e dor de cotovelo mesmo.

Anônimo disse...

o amigo que fez alusão a questão dos bicos está totalmente equivocado em seu comentario, pois quem realmente vai para as ruas fazer o corpo a corpo com a criminalidade e com a comunidade ordeira são os soldados, cabos e sargentos em sua maioria, estes representam a base das isntituições policiais; eu nao tenho formação em nivel superior de ensino, ja fiz "serviços paralelos" ao da PM, nem por isso me discuidei de participar de cursos dentro da instituiçao e fora dela (Profissionalizantes); cada um tem o livre arbitrio de escolher o que quiser para si, e assim assumir as responsabilidades de cada decisão tomada; o chamado "Bico" é uma infeliz realidade contudo melhor o policial que necessita fazer algo para complementar seu orçamento trabalhando de forma honesta, do que se envolver com trafico de drogas, propina, crime de qualquer forma, pois são duas coisas que nao se misturam "Policia" x "Bandido";

Ressalto que nao vivemos numa sociedade igualitaria, onde todos recebemos a mesma educaçao (ensino de qualidade) e acesso real aos meios que nos propiciem desenvolver como cidadãos em nossa plenitude.

Ainda, gostaria de dizer que me orgulho de ser um miliciano da PMMG, e o Sr Cel Renato é uma pessoa iluminada, que está conduzindo a Gloriosa Policia Militar de Minas Gerais, a um ciclo de evolução continuada, para isso está buscando investir no homem através dos treinamentos, dos cursos, modernização.
Por isso temos a confiaça do povo mineiro e o reconhecimento no mundo inteiro.

Anônimo disse...

Fico muito grato pelas colaborações dos milicianos,tendo em vista que os PMs tem percebidos que as soluções para uma melhor instituição policial começa pela qualificação e pelo envolvimento de seus profissionais com as adversidades do cotidiano policial.Desta forma,acredito em uma polícia mais valorizada e bem preparada,não graças a nossa elite intelectual,política e economica.Pois,numca almejarão uma força policial preparada e independente para fazer segurança pública e delinear o cumprimento da lei de forma geral,ou seja, em todas as instâncias sociais.contudo,acredito,sim,numa possibilidade de PMS que contribuirão para a formação de uma nova e competente instituição,contruida por quem sempre realizou um mdos mais nobres serviços prestados à sociedade mesmo com o risco da própria vida.Por isso,afirmo,é possível uma PM,ou seja,ja existe uma nova PM,que se estrutura para melhor servir.No entanto, quem possui o poder ideológico e midiático não consegue enxergar.

Anônimo disse...

TOMEI CONHECIMENTO DE QUE EXISTE UMA PATRULHA DA CORRO PARA FISCALIZAR O FARDAMENTO DOS MILITARES EM SERVIÇO,TUDO BEM SOMOS MLITARES E O IDEAL SERIA QUE TODOS SE APRESENTASSEM COMO O DETERMINADO,MAS IDEAL TAMBEM SERIA QUE HOUVESSEM MAIS POLICIAIS,QUE OS TATICOS POR MUITAS VEZES NÃO TRABALHASSEM SO COM TRES MILITARES,QUE OS PMS DO TRANSITO TRABALHASSEM PELO MENOS EM DUPLA,QUE AS BLITS DOS BATALHÕES DE AREA ABORDASSEM COM MAIS MILITARES.TEMOS QUE PRIORIZAR NOSSAS METAS E ATITUDES,ESTAMOS NUMA GUERRA INTERNA NA QUAL PERSEGUIMOS NOSSOS COLEGAS AO INVES DE SERMOS SOLIDARIOS,ISSO NOS ENFRAQUECE COMO INSTITUIÇÃO,AS P5 VIVEM FALANDO DE DIREITOS HUMANOS QUE TEMOS QUE TRATAR BEM A SOCIEDADE,SERA QUE SOMOS BEM TRATADOS,SERA QUE TRATAMOS BEM NOSSOS COLEGAS,PORQUE A ACADEMIA NOS ENSINA A SER ARROGANTES E GROSSEIROS COM NOSSOS SUBALTERNOS,E QUEREM QUE SEJAMOS EDUCADOS COM OS CIDADÃOS?VC É NA RUA O QUE VIVE EM CASA (ACADEMIA DE PMMG) AO INVES DE PERDER EFETIVO COM ESSA PATRULHA DA CORRO,ESSES MILITARES DEVIAM AMPLIAR O EFETIVO QUE ATENDE A SOCIEDADE,ATUAR EM AÇÕES PREVENTIVAS,NÃO INCENTIVAR QUE TODOS ANDEM COM FARDAMENTO IMPECAVEL,MAS SEM EFETIVIDADE,ISSO É UMA AÇÃO DE COMPLETO DESISTIMULO AO MILITAR.TEMOS QUE TER ORGULHO DA NOSSA POLICIA,ORGULHO DOS NOSSOS COLEGAS E PRAZER DE PODER ESTAR PERTO E PODER AJUDAR.

Anônimo disse...

Parabéns ao Sr. Major pelo texto.

Infelizmente este tipo de comentário do jornalista em questão é basicamente tudo o que toda a população pensa do policial militar. Quem nunca ouviu um solicitante dizer: " Este vagabundo tá precisando de uma surra". Um comentário incitando o PM a resolver o problema alheio com uma agressão ao autor, mas que se o faz é rapidamente crucificado por outras pessoas e pela vítima/solicitante.Não que o autor não mereça ( e quem somos nós para julgá-lo), mas ficar se prontificando a fazer o personagem de "carrasco da sociedade" é nos dias de hoje sinônimo de idiotice crônica. É por estas e outras que a população tem a cultura de relacionar o PM a um completo "homem das cavernas". Basta verem as novelas onde sempre tem um delegado de terno e gravata, culto e educado (somente com as pessoas civis), chamando aos gritos o soldado/cabo/sargento a cumprir suas ordens, que por sinal,muitas das vezes absurdas para nossa realidade. Nesse contexto, temos a população fanática por programas desse tipo que acreditam piamente nessa suposta maneira de se fazer segurança pública.
Já disse em outras oportunidades e repito: enquanto não se investir e melhorar a " EDUCAÇÃO " nesse país, nada vai mudar na segurança pública. O resto é pura fantasia e demagogia.

Anônimo disse...

Sgt augusto
primeiro parabens ao autor pele qualidade do texto. Gostaria de comentar que como assinante da revista "isto é" e leitor assíduo de outros jornais percebo sempre a maneira sarcástica que policiais e/ou militares são tratados, e via de regra discriminados. E´certo que grande parte da tropa tem estudado e se aperfeiçoado, mas mesmo assim, pessoas como eu que não cursaram muito menos pretem frequentar universidade prestam serviços de qualidade à população. De que adianta diploma universitário na hora de correr atrás de bandido, em becos ou no mato?

Anônimo disse...

Caros irmãos, confesso que os cursos de formação de soldados ainda precisa melhorar muito,mas muito mesmo. São de péssimas qualidades.Praticamente aprendemos mais a marchar, dar continência,e obedecer cegamente às ordem dos superiores. Sobre abordagem, defesa pessoal e direito, por exemplo, quase nada ou nada aprendemos. Na verdade somos aterrorizados lá dentro.

Anônimo disse...

Certo dia, um professor meu disse que um colega seu foi abordado por policiais militares, e o mesmo teceu o seguinte comentário: "Apesar de serem policiais, foram gentis comigo".

Dr cana disse...

A título de conhecimento no Rio Grande do Sul a maioria dos Brigadianos possuem curso superior,muitos soldados são formados em diversas áreas -direito,enfermagem,informática,jornalismo,etc...Para ingressar como oficial é necessário curso superior.Não basta ter cultura e conhecimento,a um ditado que" a educação quem de berço",muitas pessoas são bem instruidas,mas mesmo assim são arrogante e não tem humildade nem entendimento...Já pensou um policial com apenas o ensino médio ter que lidar com um ignorante que se acha o tal,pois exerce uma função importante..Tá falado.Haja paciência...

Anônimo disse...

GOSTARIA DE LEMBRAR O ILUSTRE JORNALISTA QUE EDUCAÇAO E BONS MODOS NASCEM NO BERÇO, NO SEIO DA FAMILIA.EDUCAÇAO E COMO UMA PEDRA PRECIOSA QUE NECESSITA DE SER LAPIDADA,AS ESCOLAS,FACULDADES SAO APENAS INSTRUMENTOS QUE MUITOS PRECISAM PARA QUE AJA ESSA LAPIDAÇAO.QUANTO A POSTURA CORRETA DO POLICIAL NO ATENDIMENTO A POPULAÇAO, CABE A CADA UM DE NOS.REALMENTE TEMOS POLICIAIS ESTUPIDOS,MAS NAO SAO CULPA DESTES,O MAIOR CULPADO E A PROPRIA SOCIEDADE,E ESSE REPORTE FAZ PARTE DESSA SOCIEDADE.CADA UM TEM A POLICIA QUE MERECE.SEJA EDUCADO,AO CONTRARIO............

Cláudio Roberto disse...

Meu sonho é entrar para a Polícia Militar de Minas Gerais. Mas tenho 34 anos, já estou fora de forma. Parece um sonho distante. A concorrência é alta nos concursos. Para mim seria uma honra. Sem modéstia, se eu fosse político, acho que o salário básico deveria ser no mínimo R$ 4mil de entrada. Arriscar a vida nesse país que está violento por culpa principalmente do povo não é fácil. A questão é que a PMMG é muito competente no que faz e já ouví falar tempos atrás que é a melhor PM do Brasil. quem diria, hein. Agora educação nada tem a ver com profissão e geralmente a grosseria acontece por recíproca, nunca ouví falar em policial que teve de exceder sem motivo.

Anônimo disse...

TEMOS VISTO NOS ULTIMOS DIAS A IMPRENSA MASSACRAR NOSSA PMMG DEVIDO O OCORRIDO NO AGLOMERADO DA SERRA, FALAR MAL DOS POLICIAIS, EXIGIREM PUNIÇÃO ETC. ESSES MESMO POLICIAIS OS QUAIS A IMPRENSA FALA MAL, SÃO AQUELES QUE QUANDO EM OCORRENCIAS MERITORIAS, A IMPRENSA COMPARECIA, INCOMODAVA, QUERENDO INFORMAÇÕES, PARA DEPOIS DIVULGAR DANDO ENFASE A AÇÃO DELITUOSA DO PRESO E NÃO A AÇÃO MERITORIA DO POLICIAL. PARA A IMPRENSA É MAIS VANTAJOSO O POLICIAL ERRAR A ACERTAR. O POLICIAL QUE ERRA DA MAIS AUDIENCIA DO QUE O POLICIAL QUE ACERTA. E A IMPRENSA QUE SEMPRE AJUDAMOS FORNECENDO INFORMAÇÕES NÃO SE ACANHA EM NOS CRITICAR, NOS MASSACRAR E NOS DENEGRIR DIANTE DE TODA A NAÇÃO. FALAM MAL SEM DÓ. SEM SE PREOCUPAR COM O FUTURO RESULTADO DAS APURAÇÕES, JÁ CONDENAM PREMATURAMENTE. NÓS POLICIAIS NÃO PRECISAMOS DA IMPRENSA PARA REALIZARMOS NOSSO TRABALHO, A IMPRENSA SIM PRECISA DE NÓS PARA REALIZAR O TRABALHO DELA. NÃO SE ILUDAM, TENHAM A CERTEZA DE QUE SE UM DIA ERRAREM OU SE PELO MENOS RESTAR DUVIDA ACERCA DA LEGALIDADE DA AÇÃO DE UM DE VOCES, VAO SER MASSACRADOS PELA MESMA IMPRENSA QUE VOCÊS MESMO CHAMAM PARA DIVULGAR SEUS TRABALHOS. VAMOS NOS PREOCUPAR EM MOSTRAR NOSSO TRABALHO AO VIVO E A CORES PARA A COMUNIDADE, NO LOCAL DAS AÇÕES, PRISÕS ETC, E NÃO POR MEIO DE JORNAL. A IMPRENSA É COMO URUBU ATRAZ DE CARNIÇÃ, A NOTICIA QUE MAIS FEDE É A QUE MAIS INTERESSA. A IMPRENSA É IPOCRITA, QUANDO PRECISA DA NOSSA INFORMAÇÃO NOS TRATAM BEM, COM SORRISOS ESTAMPADOS NO ROSTO, MAS QUANDO TROPEÇAMOS, OS SORRISOS VIRAM GARGALHADAS E ELES CONSEGUEM FAZER UMA NAÇÃO SE VOLTAR CONTRA NÓS. SEJAMOS MAIS SENSATOS, VAMOS PARA DE ACIONAR IMPRENSA NAS OCORRENCIAS, VAMOS PARAR DE PRESTAR INFORMAÇÕES. INFORMAÇÕES TEMOS QUE DAR NA DELEGACIA DURANTE A RATIFICAÇÃO DO FLAGRANTE. NÃO SOMOS OBRIGADOS A ATENDER A IMPRENSA, ESSE SERVIÇO CABE A COMUNICAÇÃO SOCIAL. VAMOS REALIZAR NOSSO SERVIÇO E NOS PREOCUPARMOS EM MOSTRAR PARA A COMUNIDADE O QUANTO SOMOS BONS E HONESTOS, NÃO VAMOS DAR ATENÇÃO A IMPRENSA. VAMOS EXCLUIR A IMPRENSA DO NOSSO TRABALHO. VOLTO A REPETIR, NÃO PRECISAMOS DELES, MAS ELES SIM PRECISAM DE NÓS E AINDA TEM CORAGEM DE NOS OFENDER COMO ESTÃO FAZENDO. ESPERO QUE CONCORDEM COMIGO, POIS ME PREOCUPO MUITO COM MINHA FAMÍLIA POLICIAL MILITAR E NÃO FICO FELIZ QUANDO DELA FALAM MAL.

Anônimo disse...

Na PM de Goias o nível intelectual de seus policiais tanto oficiais como praças é excelente e quase todo o seu guadro tem curso superior e a ultima turma de 1000 (mil) soldados q já formaram tds tem curso superior de no minímo 4 anos em faculdade reconhecida pelo MEC aqui é lei p ser soldado ou oficial tem q ter curso superior e fazer o curso de 01 (um) ano na academia p soldado e 02 (dois )anos p oficial, isso elevou muito o nível da tropa.

Postar um comentário

Comentários - Regras e Avisos:
- Nosso blog tem o maior prazer em publicar seus comentários. Reserva-se, entretanto, no direito de rejeitar textos com linguagem ofensiva ou obscena, com palavras de baixo calão, com acusações sem provas, com preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com a legislação nacional.
- O comentário precisa ter relação com a postagem.
- Comentários anônimos ou com nomes fantasiosos poderão ser deletados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem a opinião deste blog.
- Clique aqui e saiba mais sobre a política de comentários.

 
Os pontos de vista aqui publicados são de responsabilidade dos respectivos autores, não representando versões oficiais de quaisquer instituições.
© 2007 Template feito por Templates para Você - Deformado por José Ricardo
▲ Topo