Deu na ‘Time': Onda conservadora do Brasil quer copiar lei de armas dos EUA

terça-feira, 17 de novembro de 2015



Por Daniel Buarque
Os Estados Unidos têm uma das legislações para porte de armas mais criticadas em todo o mundo. A facilidade para comprar e portar armas de fogo no país são constantemente responsabilizadas pelo alto número de mortes registradas lá, em comparação com outras nações ricas, desenvolvidas e bem mais seguras. O debate é intenso e retomado a cada caso de tiroteio em massa que se torna notícia. Pois é este modelo liberal tão criticado que o Brasil está interessado em copiar, segundo uma reportagem publicada pela revista americana “Time''.


“Congressistas do Brasil, um dos países mais violentos do mundo, estão propondo um afrouxamento dramático nas restrições para posse de armas, aproximando muito o país do direito de portar armas dos Estados Unidos'', diz a reportagem que trata sobre a revisão do estatuto do desarmamento.
O argumento, diz a revista, é semelhante ao usado nos EUA, de que os cidadãos precisam de armas para se defender. Mas críticos apontam que a mudança vai apenas “aumentar a taxa de quase 60 mil assassinatos'' por ano no país.
“No ano passado, o Brasil registrou 58.497 assassinatos, uma taxa de 28,8 a cada 100 mil pessoas. Como comparação, os EUA registraram 14.249, uma taxa de 4,5″, explica.
A revista destaca ainda que o estatuto do desarmamento aprovado em 2003 aumentou as restrições à posse de armas. “Nos primeiros dois anos sob a lei, o número de mortes por arma de fogo caiu, mas depois voltou a subir, apesar de defensores argumentarem que ele continua mais baixo do que seria sem o estatuto.''
A exemplo do que o jornal francês “Le Monde'' comentou em reportagem recente, a “Time'' explica que a mudança faz parte de uma onda conservadora no Congresso do Brasil.
“O projeto de lei é a ação mais recente do que está sendo chamado de bancada da bala, do boi e da Bíblia no Congresso Brasileiro. Políticos ligados a serviços de segurança, grandes empresas de agricultura e cristãos evangélicos que consolidaram seu poder nas eleições do ano passado e levaram adiante uma série de medidas conservadoras'', explica.
Segundo a “Time'', a mudança na lei pode levar a um aumento da mortalidade e na ação de justiceiros, já que no país 50% da população acredita que “bandido bom é bandido morto''.



Gostou desta postagem? Então cadastre-se AQUI para receber as atualizações do Universo Policial no seu e-mail ou no seu agregador de Feed/RSS.

1 comentário(s):

JR JUNIOR disse...

A revista deveria ter demonstrado a situação antes.
Lá não tem uma lixo chamado de "ECA", Em que pese qualquer falha sistêmica, lá a lei não é um faz de contas. Aqui o bandidos menores estão matando gratuitamente. Não vejo esta corja de apaniguados que se auto denominam direitos humanos procurar as vítimas para prestar socorro e isto em sentido lato. O estado vira às costas inclusive para o policial fatalizado parcial ou totalmente. Vi na tv um pobre sargento em estado vegetativo há mais três anos, onde sua esposa o acompanha diuturnamente. Sequer as pálpebras mexem! O brasil ou os bandidos congressistas (sem generalizar) têm mordomias que nem um príncipe saudita tem! Porque não copiar os padrões ético-comportamental de lá!A ministra do STF esteve lá visitando e conhecendo a suprema corte. Em conversa ela quis saber quais os benefícios que tinham. Ela respondeu de pronto: só o salário e uma vaga nos estacionamento. Mais nada! E aqui? Cortem as benesses de todos três poderes e o deficit deste ano está solucionado. Às me pergunto, precisa um capacho posicionar a cadeira de um ministro do STF para ele se assentar? Ele não aprendeu a fazer isto sozinho até hoje??? Será que na casa dele a esposa substitui o capacho? Ora, por favor???

Há outros desabafos revoltantes, mas o silencio vale ouro!

Postar um comentário

Comentários - Regras e Avisos:
- Nosso blog tem o maior prazer em publicar seus comentários. Reserva-se, entretanto, no direito de rejeitar textos com linguagem ofensiva ou obscena, com palavras de baixo calão, com acusações sem provas, com preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com a legislação nacional.
- O comentário precisa ter relação com a postagem.
- Comentários anônimos ou com nomes fantasiosos poderão ser deletados.
- Os comentários são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem a opinião deste blog.
- Clique aqui e saiba mais sobre a política de comentários.

 
Os pontos de vista aqui publicados são de responsabilidade dos respectivos autores, não representando versões oficiais de quaisquer instituições.
© 2007 Template feito por Templates para Você - Deformado por José Ricardo
▲ Topo